Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 66 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

Paulo censura o litígio entre os irmãos

1Quando algum de vocês tem uma questão contra outro, como se atreve a submeter isso a juízo diante dos injustos e não diante dos santos? 2Ou vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deverá ser julgado por vocês, será que vocês não são competentes para julgar as coisas mínimas? 3Por acaso vocês não sabem que havemos de julgar os próprios anjos? Quanto mais as coisas desta vida! 4Portanto, quando precisam julgar negócios terrenos, por que vocês constituem como juízes aqueles que não têm nenhuma aceitação na igreja? 5Digo isso para a vergonha de vocês. Será que não existe nem ao menos um sábio entre vocês, que possa julgar entre seus irmãos? 6Mas um irmão vai a juízo contra outro irmão, e isto diante de não crentes!

7O simples fato de moverem ações uns contra os outros já é completa derrota para vocês. Por que não preferem sofrer a injustiça? Por que não preferem ficar com o prejuízo? 8Mas vocês mesmos cometem injustiça e causam prejuízo, e isto aos próprios irmãos! 9Ou vocês não sabem que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não se enganem: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem afeminados, nem homossexuais, 10nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o Reino de Deus. 11Alguns de vocês eram assim. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.

Fugir da imoralidade

12“Todas as coisas me são lícitas”, mas nem todas convêm. “Todas as coisas me são lícitas”, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas. 13“Os alimentos são para o estômago, e o estômago existe para os alimentos.” Mas Deus destruirá tanto o estômago quanto os alimentos. Porém o corpo não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor, para o corpo. 14Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará pelo seu poder.

15Vocês não sabem que o corpo de cada um de vocês é membro de Cristo? E será que eu tomaria os membros de Cristo e os faria membros de uma prostituta? De modo nenhum! 16Ou não sabem que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, “os dois se tornarão uma só carne”. 17Mas aquele que se une ao Senhor é um só espírito com ele.

18Fujam da imoralidade sexual! Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica imoralidade sexual peca contra o próprio corpo. 19Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo, que está em vocês e que vocês receberam de Deus, e que vocês não pertencem a vocês mesmos? 20Porque vocês foram comprados por preço. Agora, pois, glorifiquem a Deus no corpo de vocês.

1Coríntios 6NAAAbrir na Bíblia

A liberdade e os direitos do apóstolo Paulo

1Será que eu não sou um homem livre? Não sou apóstolo? Não vi Jesus, nosso Senhor? Por acaso vocês não são fruto do meu trabalho no Senhor? 2Se não sou apóstolo para outros, certamente o sou para vocês! Porque vocês são o selo do meu apostolado no Senhor.

3A minha defesa diante dos que me questionam é esta: 4será que nós não temos o direito de comer e beber? 5Será que não temos o direito de levar conosco uma esposa crente, como fazem os demais apóstolos, os irmãos do Senhor e Cefas? 6Ou será que somente eu e Barnabé temos de trabalhar para viver? 7Quem é que vai à guerra às suas próprias custas? Quem planta uma vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta um rebanho e não se alimenta do leite do rebanho?

8Será que eu digo isso apenas como homem? Não é verdade que a lei também o diz? 9Porque na Lei de Moisés está escrito: “Não amarre a boca do boi quando ele pisa o trigo.” Por acaso Deus está preocupado com bois? 10Será que não é certamente por nossa causa que ele está dizendo isso? É claro que é por nossa causa que isso está escrito. Pois quem lavra deve fazê-lo com esperança e o que colhe deve fazê-lo na esperança de receber a parte que lhe é devida. 11Se nós semeamos entre vocês as coisas espirituais, será muito recolhermos de vocês bens materiais? 12Se outros participam desse direito sobre vocês, não o temos nós em maior medida?

Entretanto, não fizemos uso desse direito. Pelo contrário, suportamos tudo, para não criarmos qualquer obstáculo ao evangelho de Cristo. 13Vocês não sabem que os que prestam serviços sagrados se alimentam do próprio templo e que os que servem ao altar participam do que é oferecido sobre o altar? 14Assim também o Senhor ordenou aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho.

15Eu, porém, não tenho feito uso de nenhuma destas coisas e não escrevo isto para que assim se faça comigo. Preferiria morrer a deixar que alguém me tire esta glória. 16Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho! 17Se o faço de livre vontade, tenho recompensa; mas, se o faço por obrigação, é porque uma responsabilidade me foi confiada. 18Nesse caso, qual é a minha recompensa? É que, anunciando o evangelho, eu o apresente de graça, para não me valer do direito que ele me dá.

19Porque, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível. 20Para com os judeus, fiz-me como judeu, a fim de ganhar os judeus; para os que vivem sob o regime da Lei, como se eu mesmo assim vivesse, para ganhar os que vivem debaixo da Lei, embora eu não esteja debaixo da Lei. 21Aos sem lei, como se eu mesmo o fosse, não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo, para ganhar os que vivem fora do regime da lei. 22Fiz-me fraco para com os fracos, a fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, a fim de, por todos os modos, salvar alguns.

23Tudo faço por causa do evangelho, para ser também participante dele. 24Vocês não sabem que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Corram de tal maneira que ganhem o prêmio. 25Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. 26Assim corro também eu, não sem meta; assim luto, não como desferindo golpes no ar. 27Mas esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado.

1Coríntios 9NAAAbrir na Bíblia

O reinado de Jorão sobre Israel

1Jorão, filho de Acabe, começou a reinar sobre Israel, em Samaria, no décimo oitavo ano do reinado de Josafá, rei de Judá; e reinou doze anos. 2Fez o que era mau aos olhos do Senhor, porém não como o seu pai, nem como a sua mãe, porque tirou a coluna de Baal, que o seu pai havia feito. 3No entanto, aderiu aos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, que havia levado Israel a pecar, e não se afastou deles.

Eliseu prediz a vitória sobre Moabe

4Mesa, rei dos moabitas, era criador de gado e pagava o seu tributo ao rei de Israel com cem mil cordeiros e a lã de cem mil carneiros. 5Mas depois da morte de Acabe, o rei dos moabitas se revoltou contra o rei de Israel. 6Por isso, naquele instante Jorão saiu de Samaria e reuniu todo o exército de Israel. 7Mandou dizer a Josafá, rei de Judá:

— O rei de Moabe se revoltou contra mim. Você irá comigo à guerra contra Moabe?

Josafá respondeu:

— Irei. Sou como você é, o meu povo é como o seu povo, e os meus cavalos são como os seus cavalos.

8E Josafá perguntou:

— Por que caminho iremos?

Jorão respondeu:

— Pelo caminho do deserto de Edom.

9Partiram o rei de Israel, o rei de Judá e o rei de Edom. Após sete dias de marcha, não havia água para o exército e para os animais que os seguiam. 10Então o rei de Israel disse:

— Ah! O Senhor chamou estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe.

11Josafá perguntou:

— Não há, aqui, algum profeta do Senhor, para que consultemos o Senhor por meio dele?

Um dos servos do rei de Israel respondeu:

— Aqui está Eliseu, filho de Safate, que era servo de Elias.

12Josafá disse:

— Está com ele a palavra do Senhor.

Então o rei de Israel, Josafá e o rei de Edom foram falar com Eliseu. 13Mas Eliseu disse ao rei de Israel:

— Que tenho eu a ver com você? Vá falar com os profetas de seu pai e os profetas de sua mãe.

Porém o rei de Israel lhe disse:

— Não, porque o Senhor Deus é quem chamou estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe.

14Eliseu disse:

— Tão certo como vive o Senhor dos Exércitos, em cuja presença estou, se eu não respeitasse a presença de Josafá, rei de Judá, não daria atenção nem olharia para você. 15Agora me tragam um músico.

Enquanto o músico tocava, o poder de Deus veio sobre Eliseu. 16Este disse:

— Assim diz o Senhor: “Façam, neste vale, covas e mais covas. 17Porque assim diz o Senhor: Vocês não sentirão vento, nem verão chuva, mas este vale se encherá de água; e vocês beberão, bem como o seu gado e os seus animais.” 18Mas isto ainda é pouco aos olhos do Senhor. Ele também entregará Moabe nas suas mãos. 19Vocês conquistarão todas as cidades fortificadas e todas as cidades principais. Cortarão todas as árvores frutíferas, taparão todas as fontes de água e danificarão com pedras todos os campos de cultivo.

20E aconteceu que, no dia seguinte, na hora do sacrifício da manhã, eis que água vinha descendo dos lados de Edom; e a terra se encheu de água.

A derrota de Moabe

21Quando todos os moabitas ouviram que os reis tinham vindo para lutar contra eles, convocaram todos os que estavam aptos para a guerra, desde o mais novo até o mais velho, e tomaram posição nas fronteiras. 22Os moabitas se levantaram de madrugada e, quando o sol raiou sobre as águas, viram que as águas diante deles estavam vermelhas como sangue. 23E disseram:

— Isto é sangue! Certamente os reis se destruíram e se mataram um ao outro! Agora, moabitas, é hora de pegar os despojos!

24Mas, quando eles chegaram ao arraial de Israel, os israelitas se levantaram e atacaram os moabitas, os quais fugiram deles. Os israelitas entraram na terra e também aí mataram os moabitas. 25Arrasaram as cidades, e cada um lançou uma pedra em todos os campos de cultivo, e os entulharam. Taparam todas as fontes de águas e cortaram todas as árvores frutíferas. Só Quir-Haresete ficou com suas muralhas; mas os que atiravam com fundas a cercaram e atacaram.

26Quando o rei de Moabe percebeu que estava perdendo a batalha, tomou consigo setecentos homens armados com espada para abrir caminho e chegar até o rei de Edom, porém não puderam. 27Então pegou o seu filho primogênito, que havia de reinar em seu lugar, e o ofereceu em holocausto sobre a muralha. Houve grande ira contra Israel e, por isso, eles se retiraram dali e voltaram para a sua própria terra.

2Reis 3NAAAbrir na Bíblia

Eliseu faz flutuar um machado

1Os discípulos dos profetas disseram a Eliseu:

— Eis que o lugar em que moramos com o senhor é pequeno demais para nós. 2Vamos até o Jordão, tomemos de lá cada um de nós uma viga e construamos um lugar para morar.

Ele respondeu:

— Vão.

3Mas um deles disse:

— Tenha a bondade de ir com estes seus servos.

Eliseu disse:

— Eu irei.

4E foi com eles. Quando chegaram ao Jordão, cortaram madeira. 5Aconteceu que, enquanto um deles derrubava um tronco, o machado caiu na água. Ele gritou:

— Ai! Meu senhor! O machado era emprestado.

6O homem de Deus perguntou:

— Onde caiu?

Ele mostrou-lhe o lugar. Então Eliseu cortou um galho, jogou-o na água naquele lugar, e fez o ferro flutuar. 7Então disse:

— Pegue-o.

O homem estendeu a mão e o pegou.

A ação de Eliseu na guerra contra os sírios

8O rei da Síria estava em guerra contra Israel. E, em conselho com os seus oficiais, disse:

— Em tal e tal lugar estará o meu acampamento.

9Mas o homem de Deus mandou dizer ao rei de Israel:

— Evite passar por tal lugar, porque os sírios estão descendo para ali.

10O rei de Israel enviou tropas ao lugar de que o homem de Deus lhe havia falado e de que o tinha avisado, e, assim, se salvou mais do que uma ou duas vezes.

11O rei da Síria ficou angustiado com este incidente. Então chamou os seus servos e perguntou:

— Vocês não vão me dizer quem dos nossos está do lado do rei de Israel?

12Um dos servos respondeu:

— Ninguém, ó rei, meu senhor. Mas o profeta Eliseu, que está em Israel, conta ao rei de Israel as palavras que o senhor fala no seu quarto de dormir.

13Então o rei disse:

— Vão e descubram onde ele está, para que eu mande prendê-lo.

E contaram ao rei:

— Eis que ele está em Dotã.

14Então o rei enviou para lá cavalos, carros de guerra e um grande exército. Eles chegaram de noite e cercaram a cidade.

15O servo do homem de Deus levantou-se bem cedo e, ao sair, eis que tropas, cavalos e carros de guerra haviam cercado a cidade. Então o moço disse a Eliseu:

— Ai, meu senhor! Que faremos?

16Ele respondeu:

— Não tenha medo, porque são mais os que estão conosco do que os que estão com eles.

17E Eliseu orou e disse:

Senhor, peço-te que abras os olhos dele para que veja.

O Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, ao redor de Eliseu. 18E, quando os sírios desceram contra ele, Eliseu orou ao Senhor e disse:

— Peço-te que firas esta gente de cegueira.

E ele os feriu de cegueira, conforme a palavra de Eliseu. 19Então Eliseu lhes disse:

— Não é este o caminho, nem esta a cidade; sigam-me, e eu os guiarei ao homem que vocês estão procurando.

E os guiou à cidade de Samaria.

20Quando eles chegaram a Samaria, Eliseu disse:

— Ó Senhor, abre os olhos destes homens para que vejam.

E o Senhor abriu os olhos deles, e viram; e eis que estavam dentro de Samaria. 21Quando o rei de Israel os viu, perguntou a Eliseu:

— Meu pai, devo matá-los? Devo matá-los?

22Ele respondeu:

— Não os mate! Você mataria aqueles que fizesse prisioneiros com a sua espada e o seu arco? Ordene que lhes deem pão e água, para que comam, bebam e voltem para o seu senhor.

23Então o rei ofereceu-lhes um grande banquete, e comeram e beberam. Ele os despediu e eles voltaram para o seu senhor. E da parte da Síria não houve mais investidas na terra de Israel.

A fome em Samaria

24Depois disto, Ben-Hadade, rei da Síria, ajuntou todo o seu exército, foi e sitiou a cidade de Samaria. 25Houve grande fome em Samaria. Eis que a sitiaram, a ponto de se vender a cabeça de um jumento por oitenta moedas de prata e um pouco de esterco de pomba por cinco moedas de prata.

26Quando o rei de Israel vinha passando, andando sobre a muralha, uma mulher gritou:

— Ajude-me, ó rei, meu senhor!

27Ele respondeu:

— Se o Senhor Deus não ajudar você, com que poderei eu ajudá-la? Com a eira ou com o lagar?

28E o rei acrescentou:

— Qual é o seu problema?

Ela respondeu:

— Esta mulher me disse: “Dê o seu filho, para que hoje o comamos, e amanhã comeremos o meu.” 29Assim, cozinhamos o meu filho e o comemos. Mas no outro dia, quando eu disse a ela: “Dê o seu filho, para que o comamos”, ela o escondeu.

30Ao ouvir as palavras da mulher, o rei rasgou as suas roupas. Como ele estava andando sobre a muralha, o povo olhou e viu que, por baixo, sobre a pele, o rei estava usando pano de saco.

31Então o rei disse:

— Que Deus me castigue se até o final do dia Eliseu, filho de Safate, ainda estiver com a cabeça sobre os ombros.

32Eliseu estava sentado em sua casa, juntamente com os anciãos. O rei enviou um homem à sua frente. Mas, antes que o mensageiro chegasse, Eliseu disse aos anciãos:

— Vocês estão vendo como aquele filho de um assassino mandou alguém para cortar a minha cabeça? Quando o mensageiro vier, fechem a porta e empurrem-no com ela. Não é fato que logo depois dele se ouvirá o barulho dos passos de seu senhor?

33Enquanto Eliseu ainda falava com eles, chegou o rei, que disse:

— Eis que este mal vem do Senhor Deus. Que mais poderia eu esperar do Senhor?

2Reis 6NAAAbrir na Bíblia

A visão de um cesto de frutos

1O Senhor Deus também me mostrou o seguinte: um cesto de frutos de verão. 2E perguntou:

— O que você está vendo, Amós?

E eu respondi:

— Um cesto de frutos de verão.

Então o Senhor me disse:

“Chegou o fim para o meu povo

de Israel;

não posso mais ignorar

o que fazem.

3Naquele dia”,

diz o Senhor Deus,

“os cânticos do templo

serão gritos de dor.

Muitos cadáveres!

Cadáveres jogados por toda parte!

Silêncio!”

A ruína de Israel está perto

4Ouçam isto, vocês que pisam

os necessitados

e destroem os miseráveis da terra,

5dizendo: “Quando passará

a Festa da Lua Nova,

para vendermos os cereais?

E o sábado, para abrirmos

os celeiros de trigo,

diminuindo a quantidade,

aumentando o peso

e enganando com balanças

desonestas,

6para comprarmos os pobres

por dinheiro

e os necessitados

por um par de sandálias

e vendermos o refugo do trigo?”

7O Senhor jurou

pela glória de Jacó, dizendo:

“Nunca me esquecerei

de nenhuma das suas obras!

8Por causa disto, será que

a terra não vai tremer?

E não estarão enlutados

todos os seus moradores?

Toda a terra se levantará

como o Nilo,

será agitada e abaixará

como o rio do Egito.”

9“Naquele dia”,

diz o Senhor Deus,

“farei com que o sol

se ponha ao meio-dia

e com que a terra se cubra

de trevas em pleno dia.

10Transformarei as suas festas

em luto

e todos os seus cânticos

em lamentações.

Vou fazer com que todos vistam

roupas feitas de pano de saco

e rapem a cabeça.

Farei com que isso seja

como luto por um filho único,

luto cujo fim será

como dia de amargura.”

11“Eis que vêm dias”,

diz o Senhor Deus,

“em que enviarei sobre a terra

fome — não de pão,

e sede — não de água,

mas de ouvir as palavras

do Senhor.

12Andarão de mar a mar

e do Norte até o Oriente;

correrão por toda parte,

procurando a palavra do Senhor,

mas não a acharão.

13Naquele dia, as moças bonitas

e os jovens desmaiarão de sede,

14os que agora juram

pelo ídolo de Samaria

e dizem: ‘Tão certo como vive

o seu deus, ó Dã!’

E: ‘Tão certo como vive

o culto de Berseba!’

Esses mesmos cairão

e nunca mais se levantarão.”

Amós 8NAAAbrir na Bíblia

Os juízos de Deus são inevitáveis

1Vi o Senhor, que estava em pé junto ao altar. Ele me disse:

“Bata nos capitéis das colunas,

para que os umbrais

comecem a tremer

e os pedaços caiam

sobre a cabeça de todos eles.

Matarei à espada os que restarem.

Nenhum deles fugirá,

e nenhum escapará.

2Ainda que cavem para chegar

ao mais profundo abismo,

a minha mão os tirará de lá.

Se subirem ao céu,

de lá os farei descer.

3Se eles se esconderem

no alto do Carmelo,

irei atrás deles e de lá os tirarei.

E, caso se ocultarem

dos meus olhos

no fundo do mar,

ali darei ordem à serpente,

e ela os morderá.

4Se forem levados para o cativeiro

pelos seus inimigos,

ali darei ordem à espada,

e ela os matará;

porei os meus olhos sobre eles

para o mal e não para o bem.”

5Porque o Senhor,

o Senhor dos Exércitos,

é o que toca na terra,

e ela se derrete,

e todos os seus moradores

estarão de luto.

Toda a terra subirá como o Nilo

e abaixará como o rio do Egito.

6Deus é o que edifica

as suas câmaras no céu

e firmou a sua abóbada

sobre a terra.

Ele é o que chama as águas do mar

e as derrama sobre a terra;

Senhor é o seu nome.

7“Filhos de Israel,

não é verdade que vocês

são para mim

como os filhos dos etíopes?” —

diz o Senhor.

“Não é fato que eu tirei Israel

da terra do Egito,

os filisteus de Caftor,

e os sírios de Quir?

8Eis que os olhos do Senhor Deus

estão contra este reino pecador,

e eu o destruirei da face da terra.

Mas não destruirei por completo

a casa de Jacó”,

diz o Senhor.

9“Porque eis que darei ordens

e sacudirei a casa de Israel

entre todas as nações,

assim como se sacode trigo

na peneira,

sem que um só grão caia na terra.

10Todos os pecadores

do meu povo

morrerão à espada,

os que dizem:

‘O mal não nos alcançará

nem nos encontrará.’”

Restauração do Israel espiritual

11“Naquele dia, levantarei

o tabernáculo caído de Davi.

Vou reparar as suas brechas

e levantá-lo das suas ruínas.

Vou restaurá-lo,

para que volte a ser como era

nos dias da antiguidade,

12para que o meu povo tome posse

do restante de Edom

e de todas as nações

que são chamadas pelo meu nome”,

diz o Senhor,

que faz estas coisas.

13“Eis que vêm dias”,

diz o Senhor,

“em que o que lavra

virá logo após o que colhe,

e o que pisa as uvas

virá logo após

o que lança semente.

Os montes destilarão vinho,

e todas as colinas se derreterão.

14Mudarei a sorte

do meu povo de Israel.

Eles reedificarão as cidades destruídas

e nelas habitarão.

Plantarão vinhas

e beberão o seu vinho;

farão pomares

e comerão dos seus frutos.

15Eu os plantarei na sua terra,

e, dessa terra que lhes dei,

nunca mais serão arrancados”,

diz o Senhor, seu Deus.

Amós 9NAAAbrir na Bíblia

1Visão de Obadias.

Deus castigará Edom

Jr 49.14-16

Assim diz o Senhor Deus a respeito de Edom:

“Ouvimos uma notícia

vinda do Senhor,

e um mensageiro foi enviado

às nações para dizer:

‘Preparem-se! Preparem-se

para a guerra contra Edom!’

2Eis que fiz de você uma nação

pequena entre as outras,

muito desprezada.

3O orgulho do seu coração

o enganou.

Você vive nas fendas das rochas,

num lugar elevado,

e diz em seu íntimo:

‘Quem poderá me jogar

lá para baixo?’

4Ainda que você suba

como a águia

e faça o seu ninho

entre as estrelas,

de lá eu o derrubarei”,

diz o Senhor.

5“Se ladrões o atacassem

ou assaltantes viessem de noite

— como você está destruído! —

não levariam só

o que lhes bastasse?

Se fossem até você

os que colhem uvas,

não deixariam

pelo menos alguns cachos?

6Como foram saqueados

os bens de Esaú!

Como foram vasculhados

os seus tesouros escondidos!

7Todos os seus aliados, ó Edom,

o empurraram para fora

do seu território.

Aqueles que estavam em paz

com você

o enganaram e prevaleceram

contra você.

Aqueles que sentam à sua mesa

prepararam uma armadilha

para os seus pés.

E não há em Edom entendimento.”

8“Naquele dia”,

diz o Senhor,

“destruirei os sábios de Edom

e o entendimento

do monte de Esaú.

9Os seus valentes, ó Temã,

ficarão apavorados,

para que, do monte de Esaú,

todos sejam exterminados

pela matança.”

A violência de Edom contra Jacó

10“Por causa da violência feita

ao seu irmão Jacó,

você ficará coberto de vergonha

e será exterminado para sempre.

11No dia em que estranhos

levaram os bens

de seu irmão Jacó,

você estava presente;

quando estrangeiros entraram

pelos portões

e lançaram sortes sobre Jerusalém,

você mesmo era um deles.

12Você não devia ter olhado

com prazer

para o dia do seu irmão,

o dia da sua calamidade.

Você não devia ter-se alegrado

pelo que aconteceu

com os filhos de Judá,

no dia da sua ruína.

Você não devia ter falado

de boca cheia,

no dia da angústia.

13Você não devia ter entrado

pelo portão do meu povo,

no dia da sua calamidade.

Você não devia ter olhado

com prazer para o seu mal,

no dia da sua calamidade.

Você não devia ter posto as mãos

sobre os seus bens,

no dia da sua calamidade.

14Você não devia ter parado

nas encruzilhadas,

para exterminar

os que escapassem.

Você não devia ter entregado

ao inimigo

os que escaparam com vida,

no dia da angústia.”

A restauração e a felicidade de Israel

15“Porque o Dia do Senhor

está prestes a vir

sobre todas as nações.

Você será tratado da mesma forma

como tratou os outros;

o mal que você fez

cairá sobre a sua cabeça.

16Porque, assim como vocês

beberam no meu santo monte,

assim todas as nações

beberão sem parar;

irão beber, engolir,

e serão como se

nunca tivessem existido.”

17“Mas, no monte Sião,

haverá livramento.

O monte será santo,

e os da casa de Jacó tomarão posse

de sua herança.

18A casa de Jacó será fogo

e a casa de José será chama,

mas a casa de Esaú será a palha.

O fogo e a chama incendiarão

a palha

e a consumirão;

e ninguém mais restará

da casa de Esaú,

porque o Senhor o falou.”

19“Os de Neguebe tomarão posse

do monte de Esaú,

e os da Sefelá ocuparão

o território dos filisteus;

tomarão posse também

dos campos de Efraim

e dos campos de Samaria;

e Benjamim tomará posse

de Gileade.

20Os cativos do exército

dos filhos de Israel

tomarão posse do território

dos cananeus até Sarepta,

e os cativos de Jerusalém,

que estão em Sefarade,

tomarão posse das cidades do Sul.

21Salvadores hão de subir

ao monte Sião,

para julgarem o monte de Esaú;

e o reino será do Senhor.”

Obadias 1NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: