Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 65 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

Prefácio e saudação

1Paulo, chamado pela vontade de Deus para ser apóstolo de Cristo Jesus, e o irmão Sóstenes, 2à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todos os lugares invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.

3Que a graça e a paz de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo estejam com vocês.

Ação de graças

4Sempre dou graças ao meu Deus por vocês, por causa da graça de Deus que foi dada a vocês em Cristo Jesus. 5Porque em tudo vocês foram enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento, 6assim como o testemunho de Cristo tem sido confirmado em vocês, 7de maneira que não lhes falta nenhum dom, enquanto aguardam a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo. 8Ele também os confirmará até o fim, para que vocês sejam irrepreensíveis no Dia de nosso Senhor Jesus Cristo. 9Fiel é Deus, pelo qual vocês foram chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.

Exortação à unidade

10Irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, peço-lhes que todos estejam de acordo naquilo que falam e que não haja divisões entre vocês; pelo contrário, que vocês sejam unidos no mesmo modo de pensar e num mesmo propósito. 11Pois, meus irmãos, fui informado a respeito de vocês por alguns membros da casa de Cloe de que há brigas entre vocês. 12Refiro-me ao fato de cada um de vocês dizer: “Eu sou de Paulo”, “Eu sou de Apolo”, “Eu sou de Cefas”, “Eu sou de Cristo”. 13Será que Cristo está dividido? Será que Paulo foi crucificado por vocês ou será que vocês foram batizados em nome de Paulo?

14Dou graças a Deus por não ter batizado nenhum de vocês, exceto Crispo e Gaio, 15para que ninguém diga que vocês foram batizados em meu nome. 16Batizei também a casa de Estéfanas. Além destes, não me lembro se batizei algum outro. 17Afinal, Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar o evangelho, não com sabedoria de palavra, para que não se anule a cruz de Cristo.

A mensagem da cruz

18Certamente a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, ela é poder de Deus. 19Pois está escrito:

“Destruirei a sabedoria

dos sábios

e aniquilarei a inteligência

dos inteligentes.”

20Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o questionador deste mundo? Não é fato que Deus tornou louca a sabedoria deste mundo? 21Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, Deus achou por bem salvar os que creem por meio da loucura da pregação. 22Porque os judeus pedem sinais e os gregos buscam sabedoria, 23mas nós pregamos o Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios. 24Mas, para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus. 25Porque a loucura de Deus é mais sábia do que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte do que a força humana.

A vocação dos santos

26Irmãos, considerem a vocação de vocês. Não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento. 27Pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes. 28E Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são, 29a fim de que ninguém se glorie na presença de Deus.

30Mas vocês são dele, em Cristo Jesus, o qual se tornou para nós, da parte de Deus, sabedoria, justiça, santificação e redenção, 31para que, como está escrito, “aquele que se gloria, glorie-se no Senhor”.

1Coríntios 1NAAAbrir na Bíblia

Imoralidade na igreja de Corinto

1Ouve-se por aí que entre vocês existe imoralidade, e imoralidade tal como não existe nem mesmo entre os gentios, isto é, que alguém se atreva a possuir a mulher de seu próprio pai. 2E vocês andam cheios de orgulho, quando deveriam ter lamentado e tirado do meio de vocês quem fez uma coisa dessas. 3Eu, na verdade, ainda que fisicamente ausente, mas presente em espírito, já sentenciei, como se estivesse presente, o autor de tal infâmia. 4Em nome de nosso Senhor Jesus, reunidos vocês e o meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor, 5que esse tal seja entregue a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no Dia do Senhor.

6Não é bom esse orgulho que vocês têm. Por acaso vocês não sabem que um pouco de fermento leveda toda a massa? 7Joguem fora o velho fermento, para que vocês sejam nova massa, como, de fato, já são, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado. 8Por isso, celebremos a festa não com o velho fermento, nem com o fermento do mal e da maldade, mas com o pão sem fermento, o pão da sinceridade e da verdade.

9Na outra carta, já escrevi a vocês que não se associassem com os impuros. 10Refiro-me, com isto, não propriamente aos impuros deste mundo, aos avarentos, ladrões ou idólatras, pois, neste caso, vocês teriam de sair do mundo. 11Mas, agora, escrevo a vocês que não se associem com alguém que, dizendo-se irmão, for devasso, avarento, idólatra, maldizente, bêbado ou ladrão; nem mesmo comam com alguém assim. 12Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Mas será que vocês não devem julgar os de dentro? 13Os de fora, esses Deus julgará. Expulsem o malfeitor do meio de vocês.

1Coríntios 5NAAAbrir na Bíblia

Elias no monte Horebe

1Acabe contou a Jezabel tudo o que Elias havia feito e como havia matado todos os profetas à espada. 2Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias para dizer-lhe:

— Que os deuses me castiguem se amanhã a estas horas eu não tiver feito com a sua vida o mesmo que você fez com a vida de cada um deles!

3Elias ficou com medo, levantou-se e, para salvar a vida, se foi e chegou a Berseba, que pertence a Judá. E ali ele deixou o seu servo. 4Ele mesmo, porém, foi para o deserto, caminhando um dia inteiro. Por fim, sentou-se debaixo de um zimbro. Sentiu vontade de morrer e orou:

— Basta, Senhor! Tira a minha vida, porque eu não sou melhor do que os meus pais.

5Deitou-se e dormiu debaixo de um zimbro. E eis que um anjo tocou nele e lhe disse:

— Levante-se e coma.

6Elias olhou e viu, perto da sua cabeça, um pão assado sobre pedras em brasa e um jarro de água. Comeu, bebeu e tornou a dormir. 7O anjo do Senhor voltou, tocou nele e lhe disse:

— Levante-se e coma, porque a viagem será longa.

8Então Elias se levantou, comeu e bebeu. E, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus.

9Ali entrou numa caverna, onde passou a noite. E eis que a palavra do Senhor veio a ele e lhe disse:

— O que você está fazendo aqui, Elias?

10Ele respondeu:

— Tenho sido muito zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada. Só fiquei eu, e eles estão querendo tirar-me a vida.

11Então foi-lhe dito:

— Saia daí e fique diante do Senhor no monte.

Eis que o Senhor estava passando. E um grande e forte vento fendia os montes e quebrava as rochas diante do Senhor. Mas o Senhor não estava no vento. Depois do vento, houve um terremoto. Mas o Senhor não estava no terremoto. 12Depois do terremoto, veio um fogo. Mas o Senhor não estava no fogo. E, depois do fogo, veio o som de um suave sussurro. 13Quando Elias ouviu isso, cobriu o rosto com o manto e, saindo, pôs-se à entrada da caverna. Eis que veio uma voz e lhe disse:

— O que você está fazendo aqui, Elias?

14Ele respondeu:

— Tenho sido muito zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada. Só fiquei eu, e eles estão querendo tirar-me a vida.

15Então o Senhor disse a Elias:

— Vá, volte ao seu caminho para o deserto de Damasco. Chegando lá, unja Hazael como rei da Síria. 16Unja também Jeú, filho de Ninsi, como rei de Israel e Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, como profeta em seu lugar. 17Quem escapar à espada de Hazael, Jeú o matará; quem escapar à espada de Jeú, Eliseu o matará. 18Também conservei em Israel sete mil, todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda boca que não o beijou.

O chamado de Eliseu

19Elias saiu dali e encontrou Eliseu, filho de Safate, que estava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; ele estava com a décima segunda junta. Elias passou por ele e lançou o seu manto sobre ele. 20Então Eliseu deixou os bois, correu atrás de Elias e disse:

— Deixe-me beijar o meu pai e a minha mãe e, então, eu o seguirei.

Elias respondeu:

— Vá e volte, pois você já sabe o que fiz com você.

21Eliseu voltou para trás, pegou a junta de bois e os sacrificou. E, com os equipamentos dos bois, cozinhou a carne e a deu ao povo, e eles comeram. Então se levantou, seguiu Elias, e o servia.

1Reis 19NAAAbrir na Bíblia

As profecias dos falsos profetas

2Cr 18.1-11

1Três anos se passaram sem haver guerra entre Síria e Israel. 2Porém, no terceiro ano, Josafá, rei de Judá, foi visitar o rei de Israel. 3Este perguntou aos seus servos:

— Vocês não sabem que Ramote-Gileade é nossa, e nós ficamos quietos e não a tiramos das mãos do rei da Síria?

4Então perguntou a Josafá:

— Você vai comigo à batalha contra Ramote-Gileade?

Josafá respondeu ao rei de Israel:

— Sou como você é, o meu povo é como o seu povo, e os meus cavalos são como os seus cavalos.

5Josafá disse mais ao rei de Israel:

— Consulte primeiro a palavra do Senhor.

6Então o rei de Israel reuniu os profetas, cerca de quatrocentos homens, e lhes perguntou:

— Devo ir e lutar contra Ramote-Gileade ou devo me conter?

Eles responderam:

— Vá, porque o Senhor a entregará nas mãos do rei.

7Mas Josafá perguntou:

— Não há aqui ainda algum profeta do Senhor, para o consultarmos?

8O rei de Israel respondeu a Josafá:

— Há um ainda, por meio de quem podemos consultar o Senhor. Mas eu o odeio, porque nunca profetiza de mim o que é bom, mas somente o que é mau. É Micaías, filho de Inlá.

Josafá disse:

— O rei não deveria falar assim.

9Então o rei de Israel chamou um oficial e disse:

— Traga-me depressa Micaías, filho de Inlá.

10O rei de Israel e Josafá, rei de Judá, estavam assentados, cada um no seu trono, vestidos de trajes reais, numa eira à entrada do portão da cidade de Samaria; e todos os profetas profetizavam diante deles. 11Zedequias, filho de Quenaana, fez para si uns chifres de ferro e disse:

— Assim diz o Senhor: “Com estes você dará chifradas nos sírios até que estejam destruídos.”

12Todos os profetas profetizaram assim, dizendo:

— Suba a Ramote-Gileade! Você triunfará! O Senhor a entregará nas mãos do rei.

A profecia de Micaías

2Cr 18.12-27

13O mensageiro que tinha ido chamar Micaías falou-lhe, dizendo:

— Eis que as palavras dos profetas a uma voz predizem coisas boas para o rei. Portanto, que a sua palavra seja como a palavra de um deles; fale o que é bom.

14Micaías respondeu:

— Tão certo como vive o Senhor, o que o Senhor me disser, isso falarei.

15Quando ele chegou à presença do rei, este lhe perguntou:

— Micaías, devemos ir a Ramote-Gileade para a batalha ou devemos nos conter?

Ele respondeu:

— Vá! Você triunfará! O Senhor a entregará nas mãos do rei.

16O rei lhe disse:

— Quantas vezes devo fazer você jurar que não me fale a não ser a verdade em nome do Senhor?

17Então Micaías disse:

— Vi todo o Israel disperso pelos montes, como ovelhas que não têm pastor. E o Senhor Deus disse: “Estes não têm dono; que cada um volte em paz para a sua casa.”

18Então o rei de Israel disse a Josafá:

— Eu não disse a você que a meu respeito ele não profetiza o que é bom, mas somente o que é mau?

19Micaías prosseguiu:

— Portanto, ouça a palavra do Senhor: Vi o Senhor assentado no seu trono, e todo o exército do céu estava junto dele, à sua direita e à sua esquerda. 20Então o Senhor perguntou: “Quem enganará Acabe, para que vá e seja morto em Ramote-Gileade?” E um dizia uma coisa, e outro dizia outra coisa. 21Então um espírito saiu, se apresentou diante do Senhor e disse: “Eu o enganarei.” O Senhor perguntou: “Como?” 22Ele respondeu: “Sairei e serei um espírito mentiroso na boca de todos os profetas do rei.” Então o Senhor disse: “Você conseguirá enganá-lo. Vá e faça assim.” 23E agora eis que o Senhor pôs esse espírito mentiroso na boca de todos estes seus profetas e o Senhor declarou que um mal vai lhe acontecer.

24Então Zedequias, filho de Quenaana, chegou, deu uma bofetada em Micaías e perguntou:

— Por onde é que passou o Espírito do Senhor ao sair de mim para falar com você?

25Micaías respondeu:

— Eis que você o verá no dia em que estiver correndo de quarto em quarto, tentando se esconder!

26Então o rei de Israel disse:

— Prenda Micaías e leve-o de volta a Amom, governador da cidade, e a Joás, filho do rei. 27E diga: “Assim diz o rei: Metam este homem na cadeia e o ponham a pão e água, até que eu volte em paz.”

28Micaías disse:

— Se o rei de fato voltar em paz, é porque o Senhor não falou por meio de mim.

E acrescentou:

— Que todos os povos ouçam isto!

A morte de Acabe

2Cr 18.28-34

29O rei de Israel e Josafá, rei de Judá, foram atacar Ramote-Gileade. 30O rei de Israel disse a Josafá:

— Eu vou me disfarçar e entrar no combate, mas você use os seus trajes reais.

E assim o rei de Israel se disfarçou e entrou no combate.

31Ora, o rei da Síria havia ordenado aos trinta e dois capitães dos seus carros de guerra que não lutassem nem contra pequeno nem contra grande, mas somente contra o rei de Israel. 32Quando os capitães dos carros viram Josafá, disseram:

— Aquele certamente é o rei de Israel.

E se dirigiram até ele para o atacar. Porém Josafá gritou. 33Quando os capitães dos carros de guerra viram que não era o rei de Israel, deixaram de persegui-lo. 34Então um homem entesou o arco e, atirando ao acaso, atingiu o rei de Israel por entre as juntas da sua armadura. Então o rei Acabe disse ao condutor do seu carro:

— Dê a volta e leve-me para fora do combate, porque estou gravemente ferido.

35A batalha se intensificou naquele dia. Quanto ao rei, seguraram-no em pé no seu carro de guerra de frente para os sírios, mas à tarde ele morreu. O sangue corria da ferida para o fundo do carro. 36Ao pôr do sol, fez-se ouvir um grito pelo acampamento, que dizia:

— Cada um para a sua cidade, e cada um para a sua terra!

37Morto o rei, levaram-no a Samaria, onde o sepultaram. 38Quando lavaram o carro de guerra junto à cisterna de Samaria, os cães lamberam o sangue do rei, segundo a palavra que o Senhor tinha dito; as prostitutas banharam-se naquelas águas.

39Quanto aos demais atos de Acabe, a tudo o que fez, ao palácio de marfim que construiu e a todas as cidades que edificou, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel? 40Assim, Acabe morreu, e Acazias, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado e a morte de Josafá

2Cr 20.31-37

41Josafá, filho de Asa, começou a reinar sobre Judá no quarto ano do reinado de Acabe, rei de Israel. 42Josafá tinha trinta e cinco anos de idade quando começou a reinar e reinou vinte e cinco anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Azuba e era filha de Sili. 43Josafá andou em todos os caminhos de Asa, seu pai; não se desviou deles e fez o que era reto aos olhos do Senhor. 44Os lugares altos, porém, não foram destruídos; neles, o povo ainda oferecia sacrifícios e queimava incenso. 45Josafá viveu em paz com o rei de Israel.

46Quanto aos demais atos de Josafá, ao poder que mostrou e como guerreou, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá?

47Também exterminou da terra os restantes dos prostitutos cultuais que ficaram nos dias de Asa, seu pai.

48Nessa época não havia rei em Edom, porém somente um governador. 49Josafá fez grandes navios, para irem a Ofir em busca de ouro; porém não foram, porque os navios se quebraram em Eziom-Geber. 50Então Acazias, filho de Acabe, disse a Josafá:

— Deixe que os meus servos naveguem com os seus.

Porém Josafá não quis.

51Josafá morreu e foi sepultado na Cidade de Davi, seu pai; e Jeorão, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Acazias, de Israel

52Acazias, filho de Acabe, começou a reinar sobre Israel em Samaria, no décimo sétimo ano do reinado de Josafá, rei de Judá; e reinou dois anos sobre Israel. 53Fez o que era mau aos olhos do Senhor, pois andou nos caminhos de seu pai, bem como nos caminhos de sua mãe e nos caminhos de Jeroboão, filho de Nebate, que levou Israel a pecar. 54Ele serviu a Baal, e o adorou, como o seu pai havia feito antes dele, provocando o Senhor, Deus de Israel, à ira.

1Reis 22NAAAbrir na Bíblia

Acazias e o profeta Elias

1Depois da morte de Acabe, o rei dos moabitas se revoltou contra Israel.

2E o rei Acazias caiu pelas grades de um quarto do andar superior, em Samaria, e ficou ferido. Então enviou mensageiros e lhes disse:

— Vão consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom, para saber se vou sarar desta doença.

3Mas o Anjo do Senhor disse a Elias, o tesbita:

— Levante-se, vá encontrar-se com os mensageiros do rei de Samaria e pergunte-lhes: “Será que não há Deus em Israel, para que vocês estejam indo consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom?” 4Por isso, assim diz o Senhor: “Da cama em que está deitado você não sairá mais. Você certamente morrerá!”

Então Elias foi embora.

5Os mensageiros voltaram para o rei, e este lhes perguntou:

— O que houve? Por que voltaram?

6Eles responderam:

— Um homem veio ao nosso encontro e nos disse que deveríamos voltar para o rei que nos havia mandado e dizer o seguinte: Assim diz o Senhor: “Será que não há Deus em Israel, para que você esteja mandando consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom? Portanto, da cama em que está deitado você não sairá mais. Você certamente morrerá!”

7Então o rei perguntou:

— Qual era a aparência do homem que veio ao encontro de vocês e falou tais palavras?

8Eles responderam:

— Era um homem vestido de pelos, com um cinto de couro na cintura.

Então o rei disse:

— É Elias, o tesbita.

9Então o rei enviou um capitão de cinquenta, com seus cinquenta soldados, em busca de Elias. O capitão subiu o monte, em cujo topo Elias estava sentado, e lhe disse:

— Homem de Deus, o rei está ordenando que você desça daí.

10Mas Elias respondeu ao capitão de cinquenta:

— Se eu sou homem de Deus, que desça fogo do céu e consuma você e os seus cinquenta soldados.

Então desceu fogo do céu e consumiu o capitão e os seus cinquenta soldados.

11O rei enviou outro capitão de cinquenta, com os seus cinquenta soldados. Ele subiu o monte e disse a Elias:

— Homem de Deus, o rei está ordenando que você desça daí imediatamente.

12Elias respondeu:

— Se eu sou homem de Deus, que desça fogo do céu e consuma você e os seus cinquenta soldados.

Então fogo de Deus desceu do céu e consumiu o capitão e os seus cinquenta soldados.

13O rei enviou um terceiro capitão de cinquenta, com os seus cinquenta soldados. Este terceiro capitão de cinquenta subiu o monte, pôs-se de joelhos diante de Elias e lhe suplicou:

— Homem de Deus, peço, por favor, que a minha vida e a vida destes seus servos, os cinquenta soldados, seja preciosa aos seus olhos. 14Porque desceu fogo do céu e consumiu aqueles dois primeiros capitães de cinquenta, com os seus cinquenta soldados. Agora, porém, que a minha vida seja preciosa aos seus olhos.

15Então o Anjo do Senhor disse a Elias:

— Desça com este; não tenha medo.

Ele se levantou, desceu com ele e se apresentou ao rei. 16Elias disse ao rei:

— Assim diz o Senhor: “Por que você enviou mensageiros para consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom? É porque não há Deus em Israel, cuja palavra se possa consultar? Portanto, da cama em que está deitado você não sairá mais. Você certamente morrerá!”

17E assim Acazias morreu, segundo a palavra do Senhor, anunciada por Elias. E Jorão, irmão de Acazias, começou a reinar em seu lugar, no segundo ano do reinado de Jeorão, filho de Josafá, rei de Judá. Isto porque Acazias não tinha filhos.

18Quanto aos demais atos de Acazias e ao que fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel?

2Reis 1NAAAbrir na Bíblia

Eliseu é sucessor de Elias

1Quando o Senhor estava para tomar Elias ao céu num redemoinho, Elias saiu de Gilgal em companhia de Eliseu. 2E Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui, porque o Senhor me enviou a Betel.

Mas Eliseu disse:

— Tão certo como vive o Senhor, e como você vive, não o deixarei ir sozinho.

E, assim, foram até Betel. 3Os discípulos dos profetas que estavam em Betel saíram ao encontro de Eliseu e lhe perguntaram:

— Você sabia que hoje o Senhor levará o seu mestre, elevando-o por sobre a sua cabeça?

Ele respondeu:

— Sim, também eu já sei. Mas não digam nada.

4Então Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui, porque o Senhor me enviou a Jericó.

Mas Eliseu disse:

— Tão certo como vive o Senhor, e como você vive, não o deixarei ir sozinho.

E, assim, foram a Jericó. 5Então os discípulos dos profetas que estavam em Jericó se aproximaram de Eliseu e lhe perguntaram:

— Você sabia que hoje o Senhor levará o seu mestre, elevando-o por sobre a sua cabeça?

Ele respondeu:

— Sim, também eu já sei. Mas não digam nada.

6Mais uma vez Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui, porque o Senhor me enviou ao Jordão.

Mas Eliseu disse:

— Tão certo como vive o Senhor, e como você vive, não o deixarei ir sozinho.

E, assim, os dois foram juntos. 7Cinquenta homens dos discípulos dos profetas foram e ficaram a certa distância, quando ambos pararam junto ao Jordão. 8Então Elias pegou o seu manto, enrolou-o e bateu com ele nas águas, as quais se dividiram para os dois lados; e ambos passaram em seco.

Elias é elevado ao céu

9Quando eles tinham passado o Jordão, Elias disse a Eliseu:

— Diga o que você quer que eu faça por você, antes que eu seja levado embora.

Eliseu disse:

— Quero receber por herança porção dobrada do seu espírito.

10Elias respondeu:

— Você fez um pedido difícil. Mas, se você me vir quando eu for levado embora, será como você pede; porém, se você não me vir, não será assim.

11Enquanto iam caminhando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro, e Elias subiu ao céu num redemoinho. 12Ao ver isso, Eliseu gritou:

— Meu pai, meu pai! Carros de Israel e seus cavaleiros!

E nunca mais ele viu Elias. E, pegando a sua própria roupa, rasgou-a em duas partes. 13Então levantou o manto de Elias, que havia caído, e voltou para a margem do Jordão. 14Pegou o manto de Elias, que havia caído, bateu com ele nas águas e disse:

— Onde está o Senhor, Deus de Elias?

Quando ele bateu nas águas, elas se dividiram para os dois lados, e Eliseu passou.

Os discípulos dos profetas procuram Elias

15Os discípulos dos profetas que estavam defronte, em Jericó, viram isso e disseram:

— O espírito de Elias repousa sobre Eliseu.

Foram ao encontro de Eliseu e se prostraram diante dele em terra. 16E disseram a Eliseu:

— Eis que entre os seus servos há cinquenta homens valentes. Deixe-os ir em procura do seu mestre. Pode ser que o Espírito do Senhor o tenha levado e lançado em algum dos montes ou em algum dos vales.

Porém ele respondeu:

— Não! Não mandem ninguém.

17Mas eles insistiram com ele, até que, constrangido, lhes disse:

— Podem enviar os homens.

E enviaram cinquenta homens, que o procuraram durante três dias, porém não o acharam. 18Então voltaram para junto de Eliseu, que tinha ficado em Jericó. E ele lhes disse:

— Eu não disse que vocês não deveriam ir?

Eliseu torna saudáveis as águas de Jericó

19Os homens da cidade disseram a Eliseu:

— Eis que esta cidade é bem-situada, como o senhor pode ver, porém a água não é boa, e a terra é estéril.

20Ele disse:

— Tragam-me um prato novo e ponham nele sal.

E eles trouxeram. 21Então Eliseu foi até a fonte e jogou o sal na água. E disse:

— Assim diz o Senhor: “Tornei saudável esta água; ela não será mais causa de morte nem de esterilidade.”

22E aquela água ficou saudável, até o dia de hoje, segundo a palavra que Eliseu tinha dito.

Rapazinhos zombam de Eliseu

23Então Eliseu partiu dali para ir a Betel. Estando ele a caminho, uns rapazinhos saíram da cidade, e zombavam dele, dizendo:

— Suba, seu careca! Suba, seu careca!

24Eliseu se virou para trás, viu os rapazinhos e os amaldiçoou em nome do Senhor. Então duas ursas saíram do bosque e despedaçaram quarenta e dois deles. 25Dali Eliseu foi para o monte Carmelo, de onde voltou para Samaria.

2Reis 2NAAAbrir na Bíblia

Ameaças contra as mulheres de Samaria

1“Ouçam esta palavra,

vacas de Basã,

vocês que estão

no monte de Samaria,

que oprimem os pobres,

esmagam os necessitados

e dizem aos maridos:

‘Tragam vinho, e vamos beber!’

2O Senhor Deus jurou

pela sua santidade

que virão dias em que vocês

serão arrastadas com ganchos;

até as últimas de vocês

serão levadas

com anzóis de pesca.

3Vocês sairão em fila pelas brechas

e serão lançadas

na direção do monte Hermom”,

diz o Senhor.

A cegueira espiritual de Israel

4“Venham a Betel e pequem!

Venham a Gilgal

e pequem ainda mais!

Cada manhã,

tragam os seus sacrifícios

e, de três em três dias,

os seus dízimos!

5Ofereçam sacrifícios de louvor

com pão levedado

e proclamem ofertas voluntárias!

Tornem isso público,

porque é disso que vocês gostam,

ó filhos de Israel”,

diz o Senhor Deus.

6“Também deixei

que vocês ficassem

sem ter o que mastigar

em todas as suas cidades

e com falta de pão

em todos os lugares,

mas vocês não se converteram

a mim”,

diz o Senhor.

7“Além disso, retive a chuva,

faltando ainda três meses

para a colheita.

Fiz chover sobre uma cidade

e sobre a outra, não;

um campo teve chuva,

mas o outro, que ficou sem chuva,

secou.

8Pessoas de duas ou três cidades

se dirigiram a outra cidade

para beber água,

sem conseguirem matar a sede,

mas vocês não se converteram

a mim”,

diz o Senhor.

9“Eu os castiguei

com o crestamento

e a ferrugem.

Os gafanhotos devoraram

as hortas e as vinhas,

as figueiras e as oliveiras,

mas vocês não se converteram

a mim”,

diz o Senhor.

10“Enviei a peste contra vocês,

assim como havia feito no Egito.

Matei os seus jovens à espada,

deixei que os seus cavalos

fossem capturados,

e fiz com que o mau cheiro

dos acampamentos

chegasse aos seus narizes,

mas vocês não se converteram

a mim”,

diz o Senhor.

11“Destruí alguns de vocês,

como Deus destruiu Sodoma

e Gomorra.

Vocês foram como um toco de lenha

tirado do fogo,

mas não se converteram a mim”,

diz o Senhor.

12“Portanto, assim farei

com você, Israel!

E, porque farei isso com você,

prepare-se, ó Israel,

para se encontrar com o seu Deus!

13Porque é ele

quem forma os montes,

cria o vento

e declara aos seres humanos

qual é o seu pensamento;

ele faz da manhã trevas

e anda sobre os altos da terra;

Senhor, Deus dos Exércitos,

é o seu nome.”

Amós 4NAAAbrir na Bíblia

A visão do gafanhoto, do fogo e do prumo

1O Senhor Deus me mostrou o seguinte: eis que ele formava uma nuvem de gafanhotos no momento em que começavam a brotar as plantas da entressafra, ou seja, a cultura tardia que vinha depois de concluída a colheita reservada ao rei. 2Quando tinham acabado de comer toda a plantação, eu disse:

— Senhor Deus, perdoa, por favor! Como poderá Jacó sobreviver? Pois ele é pequeno.

3Então o Senhor mudou de ideia em relação a isso e falou:

— Isso não vai acontecer.

4Depois, o Senhor Deus me mostrou o seguinte: eis que o Senhor Deus chamou o fogo para exercer a sua justiça. Este fogo consumiu o grande abismo e começava a devorar a terra. 5Então eu disse:

— Senhor Deus, para, por favor! Como poderá Jacó sobreviver? Pois ele é pequeno.

6E o Senhor mudou de ideia em relação a isso e falou:

— Também isso não vai acontecer, diz o Senhor Deus.

7Mostrou-me também isto: eis que o Senhor estava sobre um muro levantado a prumo, e tinha um prumo na mão. 8O Senhor me perguntou:

— O que você está vendo, Amós?

Respondi:

— Um prumo.

Então o Senhor disse:

— Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo de Israel; não posso mais ignorar o que fazem. 9Os lugares altos de Isaque serão assolados, e os santuários de Israel serão destruídos. E eu me levantarei com a espada contra a casa de Jeroboão.

Amós e o sacerdote Amazias

10Então Amazias, o sacerdote de Betel, mandou dizer a Jeroboão, rei de Israel:

— Amós está conspirando contra o rei no meio da casa de Israel. A terra não pode suportar todas as suas palavras. 11Porque assim diz Amós: “Jeroboão morrerá à espada, e Israel certamente será levado para fora de sua terra, em cativeiro.”

12Depois Amazias disse a Amós:

— Saia daqui, vidente! Fuja para a terra de Judá e vá ganhar a vida por lá. Em Judá você pode profetizar. 13Mas em Betel, daqui em diante, você não poderá profetizar, porque este é o santuário do rei e o templo do reino.

14Amós respondeu e disse a Amazias:

— Eu não sou profeta nem discípulo de profeta. Eu cuido de gado e colho sicômoros. 15Mas o Senhor me tirou do trabalho de andar atrás do gado e me disse: “Vá e profetize ao meu povo de Israel.” 16Portanto, agora ouça a palavra do Senhor. Você diz: “Não profetize contra Israel nem fale contra a casa de Isaque.” 17Pois bem, assim diz o Senhor:

“A sua mulher se prostituirá

na cidade,

e os seus filhos e as suas filhas

cairão à espada.

A sua terra será repartida a cordel,

e você morrerá numa terra impura.

E Israel certamente

será levado cativo

para fora da sua terra.”

Amós 7NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.20.14
SIGA A SBB: