Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 18 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

A genealogia de Jesus Cristo

Lc 3.23-38

1Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.

2Abraão gerou Isaque; Isaque gerou Jacó; Jacó gerou Judá e os seus irmãos; 3Judá gerou Perez e Zera, cuja mãe foi Tamar; Perez gerou Esrom; Esrom gerou Arão; 4Arão gerou Aminadabe; Aminadabe gerou Naassom; Naassom gerou Salmom; 5Salmom gerou Boaz, cuja mãe foi Raabe; Boaz gerou Obede, cuja mãe foi Rute; e Obede gerou Jessé; 6Jessé gerou o rei Davi; e o rei Davi gerou Salomão, cuja mãe foi aquela que tinha sido mulher de Urias; 7Salomão gerou Roboão; Roboão gerou Abias; Abias gerou Asa; 8Asa gerou Josafá; Josafá gerou Jorão; Jorão gerou Uzias; 9Uzias gerou Jotão; Jotão gerou Acaz; Acaz gerou Ezequias; 10Ezequias gerou Manassés; Manassés gerou Amom; Amom gerou Josias; 11Josias gerou Jeconias e os seus irmãos, no tempo do exílio na Babilônia.

12Depois do exílio na Babilônia, Jeconias gerou Salatiel; e Salatiel gerou Zorobabel; 13Zorobabel gerou Abiúde; Abiúde gerou Eliaquim; Eliaquim gerou Azor; 14Azor gerou Sadoque; Sadoque gerou Aquim; Aquim gerou Eliúde; 15Eliúde gerou Eleazar; Eleazar gerou Matã; Matã gerou Jacó. 16E Jacó gerou José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama o Cristo.

17Assim, todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze; desde Davi até o exílio na Babilônia, catorze gerações; e desde o exílio na Babilônia até Cristo, catorze gerações.

O nascimento de Jesus Cristo

Lc 2.1-7

18O nascimento de Jesus Cristo foi assim: Maria, a sua mãe, estava comprometida para casar com José. Mas, antes de se unirem, ela se achou grávida pelo Espírito Santo. 19José, com quem Maria estava para casar, sendo um homem justo e não querendo envergonhá-la em público, resolveu deixá-la sem que ninguém soubesse. 20Enquanto ele refletia sobre isso, eis que lhe apareceu em sonho um anjo do Senhor, dizendo:

— José, filho de Davi, não tenha medo de receber Maria como esposa, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho e você porá nele o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.

22Ora, tudo isto aconteceu para se cumprir o que foi dito pelo Senhor por meio do profeta:

23“Eis que a virgem conceberá

e dará à luz um filho,

e ele será chamado pelo nome

de Emanuel.”

(“Emanuel” significa: “Deus conosco”.)

24Quando José despertou do sono, fez como o anjo do Senhor lhe havia ordenado e recebeu Maria por esposa. 25Porém não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus.

Mateus 1NAAAbrir na Bíblia

A visita dos magos

1Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. 2E perguntavam:

— Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo.

3Ao ouvir isso, o rei Herodes ficou alarmado, e, com ele, toda a Jerusalém. 4Então Herodes convocou todos os principais sacerdotes e escribas do povo e lhes perguntou onde o Cristo deveria nascer. 5Eles responderam:

— Em Belém da Judeia, porque assim está escrito por meio do profeta:

6“E você, Belém, terra de Judá,

de modo nenhum é a menor

entre as principais de Judá;

porque de você sairá o Guia

que apascentará

o meu povo, Israel.”

7Com isto, Herodes, tendo chamado os magos para uma reunião secreta, perguntou-lhes sobre o tempo exato em que a estrela havia aparecido. 8E, enviando-os a Belém, disse-lhes:

— Vão e busquem informações precisas a respeito do menino; e, quando o tiverem encontrado, avisem-me, para eu também ir adorá-lo.

9Depois de ouvirem o rei, os magos partiram; e eis que a estrela que viram no Oriente ia adiante deles, até que, chegando, parou sobre onde o menino estava. 10E, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo. 11Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra.

12E, tendo sido avisados por Deus em sonho para não voltarem à presença de Herodes, os magos seguiram por outro caminho para a sua terra.

A fuga para o Egito

13Depois que os magos foram embora, um anjo do Senhor apareceu em sonho a José e disse:

— Levante-se, tome o menino e a sua mãe e fuja para o Egito. Fique por lá até que eu avise você; porque Herodes há de procurar o menino para matá-lo.

14Levantando-se José, tomou de noite o menino e a sua mãe e partiu para o Egito, 15onde ficou até a morte de Herodes. Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelo Senhor, por meio do profeta: “Do Egito chamei o meu Filho.”

A matança dos meninos de Belém

16Vendo-se iludido pelos magos, Herodes ficou muito furioso e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme as informações que havia recebido dos magos a respeito do tempo em que a estrela havia aparecido. 17Então se cumpriu o que foi dito por meio do profeta Jeremias:

18“Ouviu-se um clamor em Ramá,

pranto e grande lamento;

era Raquel chorando

por seus filhos

e inconsolável porque eles

já não existem.”

A volta do Egito

19Depois da morte de Herodes, um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, e lhe disse:

20— Levante-se, tome o menino e a sua mãe e vá para a terra de Israel, porque os que queriam matar o menino já morreram.

21Levantando-se José, tomou o menino e a sua mãe e voltou para a terra de Israel. 22Porém, ouvindo que Arquelau reinava na Judeia em lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. E, tendo sido avisado por Deus em sonho, José foi para a região da Galileia. 23E foi morar numa cidade chamada Nazaré, para se cumprir o que foi dito por meio dos profetas: “Ele será chamado Nazareno.”

Mateus 2NAAAbrir na Bíblia

A aliança de Deus com Israel

1Deus disse a Moisés:

— Subam para junto do Senhor, você, Arão, Nadabe, Abiú e setenta dos anciãos de Israel; e adorem de longe. 2Só Moisés se aproximará do Senhor; os outros não se aproximarão, nem o povo subirá com ele.

3Moisés foi e transmitiu ao povo todas as palavras do Senhor e todos os estatutos. Então todo o povo respondeu a uma voz e disse:

— Tudo o que o Senhor falou nós faremos.

4Moisés escreveu todas as palavras do Senhor e, tendo-se levantado de manhã cedo, edificou um altar ao pé do monte e ergueu doze colunas, segundo as doze tribos de Israel. 5E enviou alguns jovens dos filhos de Israel, os quais ofereceram ao Senhor holocaustos e sacrifícios pacíficos de novilhos. 6Moisés pegou a metade do sangue e o pôs em bacias; e a outra metade aspergiu sobre o altar. 7Depois pegou o livro da aliança e o leu para o povo. E eles disseram:

— Tudo o que o Senhor falou nós faremos e obedeceremos.

8Então Moisés pegou aquele sangue, e o aspergiu sobre o povo, e disse:

— Eis aqui o sangue da aliança que o Senhor fez com vocês de acordo com todas estas palavras.

9Moisés, Arão, Nadabe, Abiú e setenta dos anciãos de Israel subiram o monte. 10E viram o Deus de Israel, sob cujos pés havia como que uma pavimentação de pedra de safira, que se parecia com o céu na sua claridade. 11Deus não estendeu a mão contra os escolhidos dos filhos de Israel; eles viram Deus, comeram e beberam.

Moisés e os anciãos sobem o monte outra vez

12Então o Senhor disse a Moisés:

— Suba para junto de mim, no monte, e fique lá; darei a você tábuas de pedra, a lei e os mandamentos que escrevi, para que você ensine o povo.

13Moisés se aprontou, juntamente com Josué, seu auxiliar, e subiu o monte de Deus. 14Ele disse aos anciãos:

— Esperem aqui até que voltemos para junto de vocês. Eis que Arão e Hur ficam com vocês; quem tiver alguma questão deve se dirigir a eles.

15Tendo Moisés subido, uma nuvem cobriu o monte. 16E a glória do Senhor pousou sobre o monte Sinai, e a nuvem o cobriu durante seis dias. No sétimo dia, do meio da nuvem o Senhor chamou Moisés. 17Aos olhos dos israelitas, o aspecto da glória do Senhor era como um fogo consumidor no alto do monte. 18E Moisés, entrando pelo meio da nuvem, subiu o monte; e lá permaneceu quarenta dias e quarenta noites.

Êxodo 24NAAAbrir na Bíblia

A consagração dos sacerdotes

Lv 8.1-36

1— Isto é o que você lhes fará, para os consagrar, a fim de que me sirvam como sacerdotes: separe um novilho e dois carneiros sem defeito; 2da melhor farinha faça pães e bolos sem fermento amassados com azeite e pãezinhos bem finos untados com azeite. 3Ponha tudo isso num cesto e ofereça no cesto. Traga também o novilho e os dois carneiros. 4Então você fará com que Arão e seus filhos se aproximem à porta da tenda do encontro e mandará que se lavem com água. 5Depois você pegará as vestes, vestirá Arão com a túnica, a sobrepeliz, a estola sacerdotal e o peitoral, e o cingirá com o cinto de obra esmerada da estola sacerdotal. 6Você porá a mitra na cabeça dele e sobre a mitra, a coroa sagrada. 7Então você pegará o óleo da unção e o derramará sobre a cabeça dele; assim você o ungirá. 8Depois você fará com que os filhos de Arão se aproximem e os vestirá com túnicas; 9também os cingirá com o cinto, Arão e seus filhos, e lhes atará os turbantes, para que tenham o sacerdócio por estatuto perpétuo. Assim você consagrará Arão e os seus filhos.

10— Você fará chegar o novilho diante da tenda do encontro, e Arão e seus filhos porão as mãos sobre a cabeça dele. 11Mate o novilho diante do Senhor, à porta da tenda do encontro. 12Depois, pegue o sangue do novilho e, com o dedo, ponha-o sobre os chifres do altar; o restante do sangue você derramará na base do altar. 13Pegue também toda a gordura que cobre as entranhas, a membrana do fígado, os dois rins e a gordura que está neles e queime-os sobre o altar; 14mas a carne do novilho, a pele e os excrementos você queimará fora do arraial; é sacrifício pelo pecado.

15— Depois você pegará um dos carneiros, e Arão e seus filhos porão as mãos sobre a cabeça dele. 16Mate o carneiro, pegue o sangue e jogue-o sobre o altar, ao redor. 17Corte o carneiro em pedaços e, lavadas as entranhas e as pernas, coloque-as sobre os pedaços e sobre a cabeça. 18Assim, você queimará todo o carneiro sobre o altar; é holocausto para o Senhor, de aroma agradável, oferta queimada ao Senhor.

19— Depois pegue o outro carneiro, e Arão e seus filhos porão as mãos sobre a cabeça dele. 20Mate o carneiro, pegue um pouco do sangue e coloque-o na ponta da orelha direita de Arão e na ponta da orelha direita de seus filhos, bem como sobre o polegar da mão direita deles e sobre o polegar do pé direito deles; o restante do sangue você jogará sobre o altar, ao redor. 21Então pegue um pouco do sangue sobre o altar e um pouco do óleo da unção e faça aspersão sobre Arão e suas vestes e sobre seus filhos e as vestes de seus filhos com ele, para que ele seja santificado, e as suas vestes, e também seus filhos e as vestes de seus filhos com ele.

22— Depois retire do carneiro a gordura, a cauda gorda, a gordura que cobre as entranhas, a membrana do fígado, os dois rins, a gordura que está neles e a coxa direita — porque é o carneiro da consagração — 23e pegue também um pão, um bolo de pão azeitado e um pãozinho de massa bem fina do cesto dos pães sem fermento que estão diante do Senhor. 24Ponha todas estas coisas nas mãos de Arão e dos filhos dele e, movendo-as para a frente e para trás, ofereça-as como ofertas movidas diante do Senhor. 25Depois pegue todas as coisas das mãos deles e queime-as sobre o altar; é holocausto para o Senhor, de aroma agradável, oferta queimada ao Senhor.

26— Pegue o peito do carneiro da consagração de Arão e, movendo-o para a frente e para trás, ofereça-o como oferta movida diante do Senhor; e esta será a porção que fica para você. 27Consagre o peito da oferta movida e a coxa da porção que foi movida, a qual se tirou do carneiro da consagração, que é de Arão e de seus filhos. 28Isto será a obrigação perpétua dos filhos de Israel, devida a Arão e seus filhos, por ser a porção do sacerdote, oferecida, da parte dos filhos de Israel, dos sacrifícios pacíficos; é a oferta que eles fazem ao Senhor.

29— As vestes santas de Arão passarão a seus filhos depois dele, para serem ungidos nelas e consagrados nelas. 30Sete dias as vestirá o filho que for sacerdote em seu lugar, quando entrar na tenda do encontro para ministrar no santuário.

31— Pegue o carneiro da consagração e cozinhe a sua carne no lugar santo. 32E Arão e seus filhos comerão a carne deste carneiro e o pão que está no cesto à porta da tenda do encontro 33e comerão das coisas com que for feita a expiação, para consagrá-los e para santificá-los; o estranho não comerá delas, porque são santas. 34Se sobrar alguma coisa da carne das consagrações ou do pão, até pela manhã, queime isso que sobrou; não se comerá, porque é santo.

35— Assim, pois, você fará com Arão e seus filhos, conforme tudo o que ordenei a você; durante sete dias você os consagrará. 36Também cada dia prepare um novilho como oferta pelo pecado para as expiações; e você purificará o altar, fazendo expiação por ele mediante oferta pelo pecado; e você o ungirá para consagrá-lo. 37Durante sete dias você fará expiação pelo altar e o consagrará; e o altar será santíssimo; tudo o que o tocar será santo.

As ofertas contínuas

Nm 28.1-8

38— Isto é o que você oferecerá sobre o altar: dois cordeiros de um ano, cada dia, continuamente. 39Ofereça um cordeiro de manhã e o outro, ao crepúsculo da tarde. 40Com um cordeiro ofereça dois litros da melhor farinha, amassada com um litro de azeite batido; e, para libação, um litro de vinho. 41O outro cordeiro você oferecerá ao pôr do sol, como a oferta de cereais e a libação da manhã, de aroma agradável, oferta queimada ao Senhor.

42— Este será o holocausto contínuo oferecido de geração em geração, à porta da tenda do encontro, diante do Senhor, onde me encontrarei com vocês, para falar com você ali. 43Ali virei aos filhos de Israel, para que, por minha glória, sejam santificados, 44e consagrarei a tenda do encontro e o altar. Também santificarei Arão e os seus filhos, para que me sirvam como sacerdotes. 45E habitarei no meio dos filhos de Israel e serei o seu Deus. 46E saberão que eu sou o Senhor, seu Deus, que os tirou da terra do Egito, para habitar no meio deles; eu sou o Senhor, o Deus deles.

Êxodo 29NAAAbrir na Bíblia

1O Senhor detesta

balanças desonestas,

mas o peso justo é o seu prazer.

2Quando vem a soberba,

a desgraça não tarda,

mas com os humildes

está a sabedoria.

3A integridade dos retos os guia,

mas a falsidade dos infiéis

os destruirá.

4As riquezas não servem para nada

no dia da ira,

mas a justiça livra da morte.

5A justiça do íntegro

endireita o seu caminho,

mas o ímpio cai

pela sua impiedade.

6A justiça dos retos os livrará,

mas os infiéis serão apanhados

na sua própria ambição.

7Quando morre o ímpio,

morre a sua esperança,

e o que ele esperava do seu poder

se dissipa.

8O justo é libertado da angústia,

mas o ímpio a recebe

em lugar dele.

9O ímpio destrói o próximo

com o que diz,

mas os justos são libertados

pelo conhecimento.

10A cidade se alegra

com o bem-estar dos justos,

mas dá gritos de alegria

quando perecem os ímpios.

11Pela bênção dos retos

a cidade é exaltada,

mas pela boca dos ímpios

é destruída.

12Quem fala mal do seu próximo

não tem juízo;

o homem prudente se cala.

13O mexeriqueiro

revela os segredos,

mas o fiel de espírito os encobre.

14Não havendo direção sábia,

o povo fracassa;

com muitos conselheiros,

há segurança.

15Quem fica por fiador

de um estranho

acaba tendo um problema,

mas o que foge de ser fiador

estará seguro.

16A mulher bondosa

alcança honra;

os poderosos

adquirem riqueza.

17O homem bondoso

faz bem a si mesmo,

mas o cruel fere a si mesmo.

18O ímpio recebe

um salário ilusório,

mas o que semeia justiça

terá recompensa verdadeira.

19Tão certo como a justiça

conduz para a vida,

quem segue o mal

caminha para a morte.

20O Senhor detesta

os perversos de coração,

mas os que andam

com integridade

são o seu prazer.

21É evidente que os maus

serão castigados,

mas a geração dos justos

será poupada.

22Como joia de ouro

em focinho de porco,

assim é a mulher bonita

que não tem juízo.

23O desejo dos justos tende

somente para o bem,

mas a expectativa dos ímpios

resulta em ira.

24Uns dão com generosidade

e têm cada vez mais;

outros retêm mais do que é justo

e acabam na pobreza.

25A pessoa generosa prosperará,

e quem dá de beber

terá a sua sede saciada.

26O povo amaldiçoa

quem retém o trigo,

mas bênção virá sobre a cabeça

daquele que o vende.

27Quem procura o bem

alcança favor;

quem corre atrás do mal

acaba encontrando

o que procura.

28Quem confia

nas suas riquezas cairá,

mas os justos reverdecerão

como as folhagens.

29Aquele que perturba a sua casa

herdará o vento,

e o insensato será servo

do sábio de coração.

30O fruto do justo é árvore de vida,

e o que ganha almas é sábio.

31Se o justo é punido na terra,

quanto mais o ímpio e o pecador!

Provérbios 11NAAAbrir na Bíblia

1O filho sábio ouve

a instrução do pai,

mas o zombador não dá ouvidos

à repreensão.

2Do fruto da boca

cada um comerá o bem,

mas os infiéis

só desejam a violência.

3Quem vigia as suas palavras

conserva a sua vida,

mas o que fala demais

arruína a si mesmo.

4O preguiçoso deseja e nada tem,

mas o desejo dos que se esforçam

será atendido.

5O justo odeia a mentira,

mas o ímpio traz vergonha

e desonra.

6A justiça guarda

o que anda com integridade,

mas a maldade

subverte o pecador.

7Uns se dizem ricos

sem terem nada;

outros se dizem pobres,

tendo muita riqueza.

8O resgate pela vida de alguém

são as riquezas que ele tem,

mas o pobre não corre o risco

de ser ameaçado.

9A luz dos justos

brilha intensamente,

mas a lâmpada dos ímpios

se apagará.

10Da soberba só resulta

a discórdia,

mas a sabedoria está

com os que se aconselham.

11A riqueza obtida com facilidade,

essa diminui,

mas quem a ajunta pelo trabalho,

esse a vê aumentar.

12Esperança adiada

faz adoecer o coração;

desejo cumprido é árvore de vida.

13Quem despreza a palavra

terá de pagar por isso,

mas o que teme o mandamento

será recompensado.

14O ensino do sábio

é fonte de vida

para evitar os laços da morte.

15O bom senso conquista favor,

mas o caminho dos infiéis

é intransitável.

16Quem é prudente

age com conhecimento,

mas o tolo espalha a sua tolice.

17O mensageiro perverso

se precipita no mal,

mas o embaixador fiel produz cura.

18Pobreza e vergonha sobrevêm

ao que rejeita a instrução,

mas o que aceita a repreensão

será honrado.

19O desejo que se cumpre

agrada a alma,

mas os tolos detestam

afastar-se do mal.

20Quem anda com os sábios

será sábio,

mas o companheiro dos tolos

acabará mal.

21A desgraça persegue

os pecadores,

mas os justos serão

recompensados com o bem.

22O homem bom deixa herança

aos filhos de seus filhos,

mas a riqueza do pecador

é depositada para o justo.

23As terras dos pobres

dão mantimento em abundância,

mas isso se perde

por falta de justiça.

24O que retém a vara

odeia o seu filho;

quem o ama, este o disciplina

desde cedo.

25O justo tem o bastante

para satisfazer o seu apetite,

mas o estômago dos ímpios

passa fome.

Provérbios 13NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.20.15
SIGA A SBB: