Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 19 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

A pregação de João Batista

Mc 1.1-8; Lc 3.1-9,15-17; Jo 1.19-28

1Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judeia. 2Ele dizia:

— Arrependam-se, porque está próximo o Reino dos Céus.

3Pois é a João que se refere o que foi dito por meio do profeta Isaías:

“Voz do que clama no deserto:

Preparem o caminho do Senhor,

endireitem as suas veredas.”

4João usava uma roupa feita de pelos de camelo e um cinto de couro. O seu alimento eram gafanhotos e mel silvestre. 5Então os moradores de Jerusalém, de toda a Judeia e de toda a região em volta do Jordão iam até onde ele estava. 6E, confessando os seus pecados, eram batizados por ele no rio Jordão.

7Quando João viu que muitos fariseus e saduceus vinham ao seu batismo, disse-lhes:

— Raça de víboras! Quem deu a entender que vocês podem fugir da ira que está por vir? 8Produzam fruto digno de arrependimento! 9E não pensem que podem dizer uns aos outros: “Temos por pai Abraão”, porque eu afirmo a vocês que Deus pode fazer com que destas pedras surjam filhos a Abraão. 10E o machado já está posto à raiz das árvores. Portanto, toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo. 11Eu batizo vocês com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de carregar as sandálias. Ele os batizará com o Espírito Santo e com fogo. 12Ele tem a pá em suas mãos, limpará a sua eira e recolherá o seu trigo no celeiro; porém queimará a palha num fogo que nunca se apaga.

O batismo de Jesus

Mc 1.9-11; Lc 3.21-22

13Por esse tempo, Jesus foi da Galileia para o rio Jordão, a fim de que João o batizasse. 14João, porém, quis convencê-lo a mudar de ideia, dizendo:

— Eu é que preciso ser batizado por você, e é você que vem a mim?

15Mas Jesus respondeu:

— Deixe por enquanto, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.

Então ele concordou. 16Depois de batizado, Jesus logo saiu da água. E eis que os céus se abriram e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. 17E eis que uma voz dos céus dizia:

— Este é o meu Filho amado, em quem me agrado.

Mateus 3NAAAbrir na Bíblia

O sermão do monte

Caps.5—7

1Ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte. Ele se assentou e os seus discípulos se aproximaram dele. 2Então ele passou a ensiná-los.

As bem-aventuranças
Lc 6.20-23

Jesus disse:

3— Bem-aventurados

os pobres em espírito,

porque deles é o Reino dos Céus.

4— Bem-aventurados

os que choram,

porque serão consolados.

5— Bem-aventurados os mansos,

porque herdarão a terra.

6— Bem-aventurados

os que têm fome

e sede de justiça,

porque serão saciados.

7— Bem-aventurados

os misericordiosos,

porque alcançarão misericórdia.

8— Bem-aventurados

os limpos de coração,

porque verão a Deus.

9— Bem-aventurados

os pacificadores,

porque serão chamados

filhos de Deus.

10— Bem-aventurados

os perseguidos

por causa da justiça,

porque deles é o Reino dos Céus.

11— Bem-aventurados são vocês quando, por minha causa, os insultarem e os perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vocês. 12Alegrem-se e exultem, porque é grande a sua recompensa nos céus; pois assim perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.

Sal e luz
Mc 9.50; Lc 14.34-35

13— Vocês são o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.

14— Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada no alto de um monte. 15Nem se acende uma lamparina para colocá-la debaixo de um cesto, mas num lugar adequado onde ilumina bem todos os que estão na casa. 16Assim brilhe também a luz de vocês diante dos outros, para que vejam as boas obras que vocês fazem e glorifiquem o Pai de vocês, que está nos céus.

Ensino a respeito da Lei

17— Não pensem que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. 18Porque em verdade lhes digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. 19Aquele, pois, que desrespeitar um destes mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazer o mesmo, será considerado mínimo no Reino dos Céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no Reino dos Céus. 20Porque eu afirmo que, se a justiça de vocês não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrarão no Reino dos Céus.

Ensino a respeito da ira

21— Vocês ouviram o que foi dito aos antigos: “Não mate.” E ainda: “Quem matar estará sujeito a julgamento.” 22Eu, porém, lhes digo que todo aquele que se irar contra o seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem insultar o seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem o chamar de tolo estará sujeito ao inferno de fogo. 23Portanto, se você estiver trazendo a sua oferta ao altar e lá se lembrar que o seu irmão tem alguma coisa contra você, 24deixe diante do altar a sua oferta e vá primeiro reconciliar-se com o seu irmão; e então volte e faça a sua oferta.

25— Entre em acordo sem demora com o seu adversário, enquanto você está com ele a caminho, para que o adversário não entregue você ao juiz, o juiz entregue você ao oficial de justiça, e você seja jogado na prisão. 26Em verdade lhe digo que você não sairá dali enquanto não pagar o último centavo.

Ensino a respeito do adultério

27— Vocês ouviram o que foi dito: “Não cometa adultério.” 28Eu, porém, lhes digo: todo o que olhar para uma mulher com intenção impura, já cometeu adultério com ela no seu coração.

29— Se o seu olho direito leva você a tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que ter o corpo inteiro lançado no inferno. 30E, se a sua mão direita leva você a tropeçar, corte-a e jogue-a fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que o corpo inteiro ir para o inferno.

Ensino a respeito do divórcio
Mt 19.1-9; Mc 10.1-12; Lc 16.18

31— Também foi dito: “Aquele que repudiar a sua mulher deve dar-lhe uma carta de divórcio.” 32Eu, porém, lhes digo: quem repudiar a sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a se tornar adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério.

Ensino a respeito de juramentos

33— Vocês também ouviram o que foi dito aos antigos: “Não faça juramento falso, mas cumpra rigorosamente para com o Senhor o que você jurou.” 34Eu, porém, lhes digo: não jurem de modo nenhum; nem pelo céu, por ser o trono de Deus; 35nem pela terra, por ser estrado de seus pés; nem por Jerusalém, por ser a cidade do grande Rei. 36Não jure pela sua cabeça, porque você não pode fazer com que um só cabelo fique branco ou preto. 37Que a palavra de vocês seja: Sim, sim; não, não. O que passar disto vem do Maligno.

Ensino a respeito da vingança
Lc 6.29-30

38— Vocês ouviram o que foi dito: “Olho por olho, dente por dente.” 39Eu, porém, lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém lhe der um tapa na face direita, ofereça-lhe também a face esquerda. 40Se alguém quer processar você e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa. 41Se alguém obrigar você a andar uma milha, vá com ele duas. 42Dê a quem lhe pede e não volte as costas ao que quer lhe pedir emprestado.

O amor aos inimigos
Lc 6.27-28,32-36

43— Vocês ouviram o que foi dito: “Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo.” 44Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês, 45para demonstrarem que são filhos do Pai de vocês, que está nos céus. Porque ele faz o seu sol nascer sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. 46Porque, se vocês amam aqueles que os amam, que recompensa terão? Os publicanos também não fazem o mesmo? 47E, se saudarem somente os seus irmãos, o que é que estão fazendo de mais? Os gentios também não fazem o mesmo? 48Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu.

Mateus 5NAAAbrir na Bíblia

O altar do incenso

Êx 37.25-28

1— Faça também um altar para queimar incenso; faça-o de madeira de acácia. 2Será quadrado, tendo quarenta e cinco centímetros de comprimento e quarenta e cinco de largura; a altura será de noventa centímetros. Os chifres formarão uma só peça com ele. 3Revista-o de ouro puro, a parte superior, as paredes ao redor e os chifres; ponha também um remate de ouro ao redor. 4Faça também duas argolas de ouro e coloque-as debaixo do remate; coloque-as de ambos os lados. Por essas argolas serão passados os cabos, quando o altar for transportado. 5Faça esses cabos de madeira de acácia, revestindo-os de ouro. 6Ponha o altar em frente do véu que está diante da arca do testemunho, diante do propiciatório que está sobre o testemunho, onde me encontrarei com você. 7Arão queimará o incenso aromático sobre o altar; cada manhã, quando preparar as lâmpadas, o queimará. 8Quando, ao crepúsculo da tarde, acender as lâmpadas, o queimará; será incenso contínuo diante do Senhor, de geração em geração. 9Não ofereçam incenso estranho sobre esse altar, nem holocausto, nem ofertas de cereais. Também não ofereçam libações sobre ele.

10— Uma vez por ano, Arão fará expiação sobre os chifres do altar com o sangue da oferta pelo pecado; uma vez por ano, fará expiação sobre ele, de geração em geração; é altar santíssimo ao Senhor.

O pagamento do resgate

11O Senhor disse mais a Moisés:

12— Quando você fizer recenseamento dos filhos de Israel, cada um deles dará ao Senhor o resgate de si próprio, quando você fizer a contagem; para que não haja entre eles praga nenhuma, quando você fizer a contagem. 13Todo aquele que for incluído na lista dará isto: seis gramas, segundo o peso padrão do santuário, que é de doze gramas. Esses seis gramas são a oferta ao Senhor. 14Todo aquele que for incluído na lista, de vinte anos para cima, dará a oferta ao Senhor. 15O rico não dará mais de seis gramas, nem o pobre dará menos, quando derem a oferta ao Senhor, para fazerem expiação pela vida de vocês. 16Você receberá o dinheiro das expiações dos filhos de Israel e o usará para o serviço da tenda do encontro; e será para memória aos filhos de Israel diante do Senhor, para fazerem expiação pela vida de vocês.

A bacia de bronze

Êx 38.8

17O Senhor disse mais a Moisés:

18— Faça também uma bacia de bronze com o seu suporte de bronze, para lavar. Coloque-a entre a tenda do encontro e o altar e ponha água dentro dela. 19Nela, Arão e seus filhos lavarão as mãos e os pés. 20Quando entrarem na tenda do encontro, eles se lavarão com água, para que não morram. Também quando se aproximarem do altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor, 21lavarão as mãos e os pés, para que não morram. E isto lhes será por estatuto perpétuo, a ele e à sua posteridade, através de suas gerações.

O óleo sagrado para a unção

Êx 37.29

22O Senhor disse mais a Moisés:

23— Pegue as mais excelentes especiarias: seis quilos de mirra líquida; a metade, a saber, três quilos de cinamomo aromático; três quilos de cálamo aromático; 24seis quilos de cássia, segundo o peso padrão do santuário; e três litros e meio de azeite de oliveira. 25Disto você fará o óleo sagrado para a unção, o perfume composto segundo a arte do perfumista; este será o óleo sagrado da unção. 26Com ele você ungirá a tenda do encontro, a arca do testemunho, 27a mesa com todos os seus utensílios, o candelabro com os seus utensílios, o altar do incenso, 28o altar do holocausto com todos os utensílios e a bacia com o seu suporte. 29Assim você consagrará estas coisas, para que sejam santíssimas; tudo o que tocar nelas será santo. 30Você ungirá também Arão e os seus filhos e os consagrará para que me sirvam como sacerdotes. 31Diga aos filhos de Israel: “Este me será o óleo sagrado da unção de geração em geração. 32Não se ungirá com ele o corpo de quem não for sacerdote. Não façam outro óleo semelhante, da mesma composição; é óleo santo e será santo para vocês. 33Quem preparar óleo igual a este ou com ele ungir um estranho será eliminado do meio do seu povo.”

O incenso santo

34O Senhor disse a Moisés:

— Pegue a mesma quantidade de substâncias aromáticas, estoraque, ônica, gálbano e incenso puro, 35e com isto faça incenso, perfume segundo a arte do perfumista, temperado com sal, puro e santo. 36Moa uma parte desse incenso e coloque-o diante da arca do testemunho na tenda do encontro, onde me encontrarei com você. Esse incenso será coisa santíssima para vocês. 37Porém o incenso que vocês farão, segundo a composição deste, não o façam para seu uso pessoal; santo será para o Senhor. 38Quem fizer incenso igual a este para o cheirar será eliminado do meio do seu povo.

Êxodo 30NAAAbrir na Bíblia

1Assim, trabalharam Bezalel, Aoliabe e todos os homens hábeis a quem o Senhor tinha dado habilidade e inteligência para saberem fazer toda obra para o serviço do santuário, segundo tudo o que o Senhor havia ordenado.

Moisés entrega as ofertas do povo

2Moisés chamou Bezalel, Aoliabe e todos os homens hábeis em cujo coração o Senhor tinha posto sabedoria, isto é, todos os homens cujo coração os impeliu a vir e fazer a obra. 3Estes receberam de Moisés todas as ofertas que os filhos de Israel haviam trazido para a obra do serviço do santuário, para fazê-la; e, ainda, cada manhã o povo trazia a Moisés ofertas voluntárias. 4Então todos os homens sábios que se ocupavam em toda a obra do santuário deixaram o que faziam, vieram 5e disseram a Moisés:

— O povo traz muito mais do que é necessário para o serviço da obra que o Senhor ordenou que se fizesse.

6Então Moisés ordenou e a ordem foi proclamada no arraial:

— Nenhum homem ou mulher faça mais obra alguma para a oferta do santuário.

Assim, o povo foi proibido de trazer mais. 7Porque o material que tinham era suficiente para toda a obra que se devia fazer e ainda sobrava.

As cortinas do tabernáculo

Êx 26.1-13

8Assim, todos os homens hábeis, entre os que faziam a obra, fizeram o tabernáculo com dez cortinas de linho fino retorcido, pano azul, púrpura e carmesim com querubins; de obra de artista as fizeram. 9O comprimento de cada cortina era de doze metros e meio, e a largura era de um metro e oitenta; todas as cortinas tinham a mesma medida.

10Cinco cortinas eram ligadas umas às outras; e as outras cinco também eram ligadas umas às outras. 11Fizeram laçadas de pano azul na borda da cortina que estava na extremidade do primeiro agrupamento; e fizeram o mesmo com a borda da cortina que estava na extremidade do segundo agrupamento. 12Fizeram cinquenta laçadas numa cortina, e cinquenta laçadas na outra cortina na extremidade do segundo agrupamento; as laçadas eram contrapostas uma à outra. 13Fizeram cinquenta colchetes de ouro, com os quais prenderam as cortinas uma à outra; e o tabernáculo passou a ser um todo.

14Fizeram também de pelos de cabra cortinas para servirem de tenda sobre o tabernáculo; fizeram onze cortinas. 15O comprimento de cada cortina era de treze metros e trinta, e a largura era de um metro e oitenta; as onze cortinas tinham a mesma medida. 16Juntaram cinco cortinas entre si e, de igual modo, as seis restantes. 17Fizeram cinquenta laçadas na borda da cortina que estava na extremidade do primeiro agrupamento e cinquenta laçadas na borda da cortina que estava na extremidade do segundo agrupamento. 18Fizeram também cinquenta colchetes de bronze para ajuntar a tenda, para que viesse a ser um todo. 19Fizeram também de peles de carneiro tingidas de vermelho uma cobertura para a tenda e outra cobertura de peles finas.

A cobertura de peles e as tábuas

Êx 26.14-30

20Fizeram também de madeira de acácia as tábuas para o tabernáculo, as quais eram colocadas verticalmente. 21Cada uma das tábuas tinha quatro metros e meio de comprimento e sessenta e sete centímetros de largura. 22Cada tábua tinha dois encaixes, para que se pudesse unir uma tábua à outra; assim fizeram com todas as tábuas do tabernáculo. 23No preparar as tábuas para o tabernáculo, colocaram vinte delas para o lado sul. 24Fizeram também quarenta bases de prata debaixo das vinte tábuas: duas bases debaixo de uma tábua para os seus dois encaixes e duas bases debaixo de outra tábua para os seus dois encaixes. 25Também fizeram vinte tábuas ao outro lado do tabernáculo, para o lado norte, 26com as suas quarenta bases de prata: duas bases debaixo de uma tábua e duas bases debaixo de outra tábua. 27Para o lado posterior do tabernáculo, o lado oeste, fizeram seis tábuas. 28Fizeram também duas tábuas para os cantos do tabernáculo, na parte posterior, 29as quais, por baixo, estavam separadas, mas, em cima, se ajustavam à primeira argola; assim se fez com as duas tábuas nos dois cantos. 30Assim eram as oito tábuas com as suas bases de prata, dezesseis bases: duas bases debaixo de uma tábua e duas debaixo de outra tábua.

31Fizeram também travessas de madeira de acácia; cinco para as tábuas de um lado do tabernáculo, 32cinco para as tábuas do outro lado do tabernáculo e cinco para as tábuas do tabernáculo ao lado posterior, que olha para o oeste. 33A travessa do meio passava ao meio das tábuas, de uma extremidade à outra. 34Revestiram de ouro as tábuas e de ouro fizeram as suas argolas, pelas quais passavam as travessas, que também foram revestidas de ouro.

O véu, o cortinado e as colunas

Êx 26.31-37

35Fizeram também um véu de pano azul, púrpura, carmesim e linho fino retorcido; fizeram-no com querubins, obra de artista. 36Penduraram esse véu em quatro colunas de madeira de acácia, revestidas de ouro; os seus colchetes eram de ouro, sobre quatro bases de prata. 37Fizeram também para a porta da tenda um cortinado de pano azul, púrpura, carmesim e linho fino retorcido, obra de bordador, 38e as suas cinco colunas, e os seus colchetes. Revestiram de ouro as suas cabeças e as suas molduras, mas as suas cinco bases eram de bronze.

Êxodo 36NAAAbrir na Bíblia

1A mulher sábia edifica a sua casa,

mas a insensata a derruba

com as próprias mãos.

2Quem anda na retidão

teme o Senhor,

mas o que anda

em caminhos tortuosos,

esse o despreza.

3Na boca do tolo

está a vara

para a sua própria soberba,

mas os lábios dos sábios

os protegerão.

4Quando não há bois,

o celeiro fica vazio,

mas pela força do boi

há abundância de colheitas.

5A testemunha verdadeira

não mente,

mas a testemunha falsa despeja mentiras.

6O zombador procura a sabedoria

e não a encontra,

mas o sábio adquire

o conhecimento com facilidade.

7Fuja da presença do insensato,

porque nele você não encontrará

palavras de conhecimento.

8A sabedoria do prudente

é entender

o seu próprio caminho,

mas a insensatez dos tolos

é enganadora.

9Os insensatos

zombam do pecado,

mas entre os retos há boa vontade.

10O coração conhece

a sua própria amargura,

e da alegria que ele sente

os estranhos

não poderão participar.

11A casa dos ímpios será destruída,

mas a tenda dos retos florescerá.

12Há caminho que ao ser humano

parece direito,

mas o fim dele

é caminho de morte.

13Até no riso

o coração pode ter dor,

e o fim da alegria

pode ser a tristeza.

14O infiel de coração

sofre as consequências

dos seus próprios caminhos,

mas quem é de bem

é recompensado

pelo seu próprio proceder.

15O ingênuo dá crédito

a tudo o que se diz,

mas o prudente reflete

antes de dar um passo.

16O sábio é cauteloso

e se desvia do mal,

mas o tolo é afoito

e se dá por seguro.

17Quem logo se irrita

comete loucuras,

e aquele que tem más intenções

será odiado.

18Os ingênuos herdam a tolice,

mas os prudentes

se coroam de conhecimento.

19Os maus se inclinarão

diante dos bons,

e os ímpios farão súplicas

junto às portas do justo.

20O pobre é odiado

até pelo seu vizinho,

mas o rico tem muitos amigos.

21Quem despreza o seu vizinho

peca,

mas o que se compadece

dos pobres é feliz.

22Por acaso não se afastam

do caminho

os que planejam o mal?

Mas haverá amor e fidelidade

para os que planejam o bem.

23Em todo trabalho há proveito;

meras palavras, porém,

levam à pobreza.

24Para os sábios a riqueza é coroa,

mas a tolice dos insensatos

não passa de tolice.

25A testemunha verdadeira

salva vidas,

mas quem profere mentiras

é enganador.

26Quem teme o Senhor

tem forte amparo,

e isso é refúgio para os seus filhos.

27O temor do Senhor

é fonte de vida

para evitar os laços da morte.

28Na multidão do povo

está a glória do rei,

mas na falta de povo

está a ruína do príncipe.

29Quem tarda em irar-se

é grande em entendimento,

mas o que facilmente

perde a calma

faz um elogio à loucura.

30O ânimo sereno

é a vida do corpo,

mas a inveja

é a podridão dos ossos.

31Quem oprime o pobre

insulta aquele que o criou,

mas o que se compadece

do necessitado honra a Deus.

32O ímpio é derrubado

pela sua maldade,

mas o justo, até na morte

tem esperança.

33No coração do prudente

repousa a sabedoria,

mas o que há no interior dos tolos

logo se manifesta.

34A justiça é a glória da nação,

mas o pecado é a vergonha

dos povos.

35O servo prudente

recebe o favor do rei,

mas o que causa vergonha

é objeto do seu furor.

Provérbios 14NAAAbrir na Bíblia

1O coração do ser humano

pode fazer planos,

mas a resposta certa

vem dos lábios do Senhor.

2Todos os caminhos

de uma pessoa são puros

aos seus próprios olhos,

mas o Senhor sonda o espírito.

3Entregue as suas obras

ao Senhor,

e o que você tem planejado

se realizará.

4O Senhor fez todas as coisas

para determinados fins;

até o ímpio, para o dia

da calamidade.

5O Senhor detesta todo aquele

que é orgulhoso;

é evidente que este

não ficará impune.

6Pela misericórdia e pela verdade

se expia a culpa;

e pelo temor do Senhor

se evita o mal.

7Se os caminhos de alguém

são agradáveis ao Senhor,

ele faz com que até

os seus inimigos

vivam em paz com ele.

8Melhor é o pouco, havendo justiça,

do que grandes rendimentos

com injustiça.

9O coração do ser humano

traça o seu caminho,

mas o Senhor lhe dirige os passos.

10Nos lábios do rei se acham

decisões autorizadas;

que ele seja justo

ao pronunciar uma sentença.

11Peso e balança justos

pertencem ao Senhor;

obra sua são todos os pesos

da bolsa.

12Os reis detestam

a prática da maldade,

porque o trono se estabelece

pela justiça.

13Os lábios justos

são o contentamento do rei,

e ele ama o que fala coisas retas.

14O furor do rei é como

um mensageiro da morte,

mas o homem sábio

consegue acalmá-lo.

15O semblante alegre do rei

significa vida,

e a sua bondade

é como chuva fora de época.

16Quanto melhor é adquirir

a sabedoria do que o ouro!

E mais excelente é adquirir

o entendimento

do que a prata!

17O caminho dos retos

é desviar-se do mal;

quem guarda o seu caminho

preserva a sua vida.

18Antes da ruína vem a soberba,

e o espírito orgulhoso

precede a queda.

19Melhor é ser humilde de espírito

com os humildes

do que repartir o despojo

com os orgulhosos.

20Quem atenta para o ensino

acha o bem,

e o que confia no Senhor,

esse é feliz.

21O sábio de coração

é chamado prudente,

e a doçura no falar

aumenta o saber.

22O bom senso, para aqueles

que o possuem, é fonte de vida;

mas a tolice

é a punição dos insensatos.

23O coração do sábio

é mestre de sua boca

e aumenta a persuasão

dos seus lábios.

24Palavras agradáveis

são como favo de mel:

doces para a alma

e remédio para o corpo.

25Há caminho que parece

direito ao ser humano,

mas o fim dele

é caminho de morte.

26A fome do trabalhador

o faz trabalhar,

porque a sua boca o incita a isso.

27O desprezível cava o mal,

e nos seus lábios

há como que fogo ardente.

28O perverso semeia discórdias,

e o difamador

separa os maiores amigos.

29O violento alicia

o seu companheiro

e guia-o por um caminho

que não é bom.

30Quem pisca os olhos

imagina o mal;

quem morde os lábios o executa.

31Os cabelos brancos

são uma coroa de honra

que é encontrada

no caminho da justiça.

32É melhor ter paciência

do que ser herói de guerra;

o que domina o seu espírito

é melhor do que

o que conquista uma cidade.

33Para fazer um sorteio

são lançados os dados,

mas toda decisão

procede do Senhor.

Provérbios 16NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: