Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 16 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

O santuário terrestre

1Ora, a primeira aliança também tinha preceitos de culto divino e o seu santuário terrestre. 2Porque foi edificado um tabernáculo, cuja parte da frente, onde estavam o candelabro, a mesa e os pães da proposição, se chama o Santo Lugar. 3Por trás do segundo véu se encontrava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, 4ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, o bordão de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança. 5Sobre a arca estavam os querubins de glória, que, com a sua sombra, cobriam o propiciatório. Mas dessas coisas não falaremos, agora, com mais detalhes.

6Ora, depois que foram feitos todos esses preparativos, os sacerdotes entram continuamente no primeiro tabernáculo para realizar os serviços sagrados. 7Mas, no segundo, o sumo sacerdote entra sozinho uma vez por ano, não sem sangue, que oferece por si e pelos pecados de ignorância do povo. 8Com isto o Espírito Santo quer dar a entender que o caminho do Santuário ainda não se manifestou, enquanto o primeiro tabernáculo continua erguido. 9Isso é uma parábola para a época presente, na qual se oferecem dons e sacrifícios, embora estes, no que diz respeito à consciência, sejam ineficazes para aperfeiçoar aquele que presta culto, 10pois não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, bebidas e diversas cerimônias de purificação, impostas até o tempo oportuno de reforma.

O sacrifício de Cristo é perfeito e eficaz

11Quando, porém, Cristo veio como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos humanas, quer dizer, não desta criação, 12e não pelo sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santuário, uma vez por todas, e obteve uma eterna redenção. 13Portanto, se o sangue de bodes e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam quanto à purificação da carne, 14muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!

15Por isso mesmo, ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que os que foram chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que houve uma morte para remissão das transgressões que foram cometidas sob a primeira aliança. 16Porque, onde há um testamento, é necessário constatar a morte de quem o fez. 17Sim, porque um testamento só é confirmado depois da morte de quem o fez, pois de maneira nenhuma um testamento tem força de lei enquanto ainda vive quem o fez. 18Por isso, nem a primeira aliança foi estabelecida sem sangue. 19Porque, havendo Moisés proclamado a todo o povo todos os mandamentos conforme a lei, pegou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, lã tingida de escarlate e hissopo e aspergiu não só o próprio livro, como também todo o povo, 20dizendo: “Este é o sangue da aliança que Deus ordenou para vocês.” 21Igualmente também aspergiu com sangue o tabernáculo e todos os utensílios do serviço sagrado. 22De fato, segundo a lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.

23Era necessário, portanto, que as figuras das coisas que estão nos céus fossem purificadas com tais sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais requerem sacrifícios superiores àqueles. 24Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos humanas, figura do verdadeiro Santuário, porém no próprio céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus. 25Ele não entrou para oferecer a si mesmo muitas vezes, como o sumo sacerdote entra todos os anos no Santo dos Santos com sangue alheio. 26Se fosse assim, ele precisaria ter sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; agora, porém, ao chegar o fim dos tempos, ele se manifestou uma vez por todas, para aniquilar o pecado por meio do sacrifício de si mesmo. 27E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disso, o juízo, 28assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez por todas para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, não para tirar pecados, mas para salvar aqueles que esperam por ele.

Hebreus 9NAAAbrir na Bíblia

O sacrifício de Cristo é único e para sempre

1Ora, visto que a lei é apenas uma sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas, nunca consegue aperfeiçoar aqueles que se aproximam de Deus com os mesmos sacrifícios que, ano após ano, continuamente, eles oferecem. 2Se isto fosse possível, será que os sacrifícios não teriam deixado de ser oferecidos? Porque os que prestam culto, tendo sido purificados uma vez por todas, não mais teriam consciência de pecados! 3Entretanto, nesses sacrifícios ocorre recordação de pecados todos os anos, 4porque é impossível que o sangue de touros e de bodes remova pecados. 5Por isso, ao entrar no mundo, Cristo disse:

“Sacrifício e oferta não quiseste,

mas preparaste um corpo

para mim;

6não te agradaste de holocaustos

e ofertas pelo pecado.

7Então eu disse:

‘Eis aqui estou!

No rolo do livro está escrito

a meu respeito.

Estou aqui para fazer, ó Deus,

a tua vontade.’”

8Depois de dizer, como acima: “Sacrifícios, ofertas, holocaustos e ofertas pelo pecado não quiseste, nem deles te agradaste” — coisas que se oferecem segundo a lei —, 9num segundo momento acrescentou: “Eis aqui estou para fazer, ó Deus, a tua vontade.” Ele remove o primeiro para estabelecer o segundo. 10Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas.

11Ora, todo sacerdote se apresenta, dia após dia, para exercer o serviço sagrado e oferecer muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca jamais podem remover pecados. 12Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita de Deus, 13aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. 14Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados. 15E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo. Porque, após ter dito:

16“Esta é a aliança

que farei com eles,

depois daqueles dias,

diz o Senhor:

Imprimirei as minhas leis

no coração deles

e as inscreverei

sobre a sua mente”,

17acrescenta:

“Também dos seus pecados

e das suas iniquidades

jamais me lembrarei.”

18Ora, onde há remissão de pecados, não existe mais necessidade de sacrifício pelo pecado.

O acesso à presença de Deus

19Portanto, meus irmãos, tendo ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus, 20pelo novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, pela sua carne, 21e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, 22aproximemo-nos com um coração sincero, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e o corpo lavado com água pura. 23Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. 24Cuidemos também de nos animar uns aos outros no amor e na prática de boas obras. 25Não deixemos de nos congregar, como é costume de alguns. Pelo contrário, façamos admoestações, ainda mais agora que vocês veem que o Dia se aproxima.

26Porque, se continuarmos a pecar de propósito, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados. 27Pelo contrário, resta apenas uma terrível expectativa de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. 28Quem tiver rejeitado a lei de Moisés morre sem misericórdia, pelo depoimento de duas ou três testemunhas. 29Imaginem quanto mais severo deve ser o castigo daquele que pisou o Filho de Deus, profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado e insultou o Espírito da graça! 30Pois conhecemos aquele que disse:

“A mim pertence a vingança;

eu retribuirei.”

E outra vez:

“O Senhor julgará o seu povo.”

31Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo.

Apelo para o passado. A recompensa não tarda

32Lembrem-se dos dias passados, quando, depois que foram iluminados, vocês suportaram grande luta e sofrimentos. 33Em certos momentos vocês foram transformados em espetáculo, tanto para serem insultados quanto para serem maltratados; em outros vocês se tornaram coparticipantes com aqueles que foram tratados assim. 34Porque vocês não apenas se compadeceram dos encarcerados, mas também aceitaram com alegria a espoliação dos seus bens, porque sabiam que tinham um patrimônio superior e durável. 35Portanto, não percam a confiança de vocês, porque ela tem grande recompensa. 36Vocês precisam perseverar, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcancem a promessa.

37“Porque, ainda dentro

de pouco tempo,

aquele que vem virá

e não irá demorar;

38mas o meu justo viverá pela fé;

e, se retroceder,

dele a minha alma

não se agradará.”

39Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição, mas somos da fé, para a preservação da alma.

Hebreus 10NAAAbrir na Bíblia

A consagração dos primogênitos

1O Senhor disse a Moisés:

2— Consagre-me todo primogênito. Todo o primeiro que sair do ventre de sua mãe entre os israelitas, tanto de homens como de animais, é meu.

A Festa dos Pães sem Fermento

3Moisés disse ao povo:

— Lembrem-se deste dia, o dia em que vocês saíram do Egito, da casa da servidão; pois com mão forte o Senhor os tirou de lá; portanto, não comam pão feito com fermento. 4Hoje, mês de abibe, vocês estão saindo do Egito. 5Quando o Senhor os tiver introduzido na terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos heveus e dos jebuseus, terra que o Senhor jurou a seus pais que daria a vocês, terra que mana leite e mel, vocês observarão este rito neste mês. 6Durante sete dias vocês comerão pães sem fermento; e no sétimo dia haverá festa ao Senhor. 7Durante sete dias vocês comerão pães sem fermento. Nada que tenha sido levedado se encontrará entre vocês nem ainda fermento será encontrado em todo o seu território.

8— Naquele mesmo dia, vocês dirão a seus filhos: “Isto é pelo que o Senhor nos fez, quando saímos do Egito.” 9E será como sinal na mão de vocês e por memorial entre os seus olhos, para que a lei do Senhor esteja na sua boca; pois com mão forte o Senhor os tirou do Egito. 10Portanto, guardem esta ordenança no tempo determinado, de ano em ano.

A separação dos primogênitos

11— Quando o Senhor os tiver introduzido na terra dos cananeus, como jurou a vocês e aos seus pais, quando ele lhes tiver dado essa terra, 12vocês deverão separar para o Senhor todo primeiro filho homem que nascer e todo primogênito dos seus animais; os filhos e filhotes machos serão do Senhor. 13Porém todo primogênito da jumenta vocês poderão resgatar com um cordeiro; se não o resgatarem, deverá ser desnucado; mas vocês resgatarão todo primogênito do homem entre os seus filhos.

14— Se no futuro o seu filho perguntar: “O que significa isso?”, você responderá: “O Senhor com mão forte nos tirou da casa da servidão. 15Pois aconteceu que, endurecendo-se Faraó para não nos deixar sair, o Senhor matou todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito do homem até o primogênito dos animais; por isso, sacrificamos ao Senhor todo primeiro filhote macho. Mas a todo primogênito de nossos filhos nós resgatamos.” 16E isto será como sinal nas suas mãos e por frontais entre os seus olhos; porque o Senhor com mão forte nos tirou do Egito.

Deus guia o povo pelo caminho

17Quando Faraó deixou o povo ir, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, embora fosse mais perto, pois disse:

— Para não acontecer que, vendo a guerra, o povo se arrependa e queira voltar para o Egito.

18Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho. Os filhos de Israel saíram do Egito organizados como um exército. 19Moisés levou consigo também os ossos de José, pois este havia feito com que os filhos de Israel jurassem solenemente, dizendo: “Deus certamente visitará vocês. Quando isso acontecer, levem os meus ossos daqui.”

20Os israelitas partiram de Sucote e acamparam em Etã, à entrada do deserto. 21O Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os iluminar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. 22A coluna de nuvem nunca se afastou do povo durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite.

Êxodo 13NAAAbrir na Bíblia

A água da rocha em Refidim

1Toda a congregação dos filhos de Israel partiu do deserto de Sim, fazendo suas paradas, segundo o mandamento do Senhor, e acamparam em Refidim; mas ali não havia água para o povo beber. 2Então o povo discutiu com Moisés e disse:

— Dê-nos água para beber.

Moisés respondeu:

— Por que vocês estão discutindo comigo? Por que estão tentando o Senhor?

3Mas ali o povo estava com sede de água e murmurou contra Moisés, dizendo:

— Por que você nos tirou do Egito, para nos matar de sede, a nós, a nossos filhos e aos nossos rebanhos?

4Então Moisés clamou ao Senhor:

— Que farei com este povo? Daqui a pouco vão me apedrejar.

5O Senhor respondeu:

— Passe adiante do povo e leve com você alguns dos anciãos de Israel. Leve também o bordão com que você feriu o rio Nilo e siga em frente. 6Eis que estarei ali diante de você sobre a rocha em Horebe. Bata na rocha, e dela sairá água; e o povo beberá.

Moisés assim o fez na presença dos anciãos de Israel. 7E chamou o nome daquele lugar Massá e Meribá, por causa da discussão dos filhos de Israel e porque tentaram o Senhor, dizendo:

— Está o Senhor no meio de nós ou não?

Os amalequitas atacam Israel

8Então vieram os amalequitas e atacaram Israel em Refidim. 9Com isso, Moisés ordenou a Josué:

— Escolha alguns homens e vá lutar contra os amalequitas. Amanhã eu estarei no alto do monte, e o bordão de Deus estará na minha mão.

10Josué fez como Moisés lhe havia ordenado e lutou contra os amalequitas. Porém Moisés, Arão e Hur subiram para o alto do monte. 11Quando Moisés levantava a mão, Israel vencia; quando, porém, ele abaixava a mão, os amalequitas venciam. 12Quando as mãos de Moisés ficaram pesadas, pegaram uma pedra e a puseram por baixo dele, para que Moisés se sentasse. Arão e Hur sustentavam as mãos de Moisés, um, de um lado, e o outro, do outro; assim as mãos dele ficaram firmes até o pôr do sol. 13E Josué destruiu os amalequitas a fio de espada.

14Então o Senhor disse a Moisés:

— Escreva isto para memória num livro e repita-o a Josué, porque eu vou apagar totalmente a memória dos amalequitas da face da terra.

15E Moisés edificou um altar e lhe deu o nome de O Senhor É Minha Bandeira. 16E disse:

— Porque o Senhor jurou, haverá guerra do Senhor contra os amalequitas de geração em geração.

Êxodo 17NAAAbrir na Bíblia

Advertência contra a imoralidade

1Meu filho, dê atenção

à minha sabedoria;

incline os ouvidos

à minha inteligência,

2para que você conserve

o discernimento,

e para que os seus lábios guardem

o conhecimento.

3Porque os lábios

da mulher imoral destilam mel,

e as suas palavras são mais suaves

do que o azeite;

4mas o seu fim é amargo como fel,

e cortante como uma espada

de dois gumes.

5Os seus pés descem

para a morte;

os seus passos conduzem

ao inferno.

6Ela não faz plana

a vereda da vida;

anda errante nos seus caminhos

e não o sabe.

7E agora, meu filho,

escute o que eu digo

e não se desvie

das palavras da minha boca.

8Afaste o seu caminho

dessa mulher;

não se aproxime

da porta da casa dela,

9para que você não dê a outros

a sua honra,

nem a sua vida a homens cruéis;

10para que os estranhos

não se fartem dos seus bens,

e o fruto do seu trabalho

não acabe em casa alheia.

11No fim de sua vida

você ficará gemendo,

quando a sua carne e o seu corpo

se consumirem.

12Então você dirá: “Como foi

que eu pude odiar o ensino?

E por que o meu coração

desprezou a disciplina?

13Não escutei a voz

dos que me ensinavam,

nem dei ouvidos

aos meus mestres!

14Quase caí em ruína completa

no meio da congregação reunida.”

15Beba a água

da sua própria cisterna

e das correntes do seu poço.

16Por que você derramaria

as suas fontes lá fora,

e os seus ribeiros de água

pelas praças?

17Que sejam para você somente

e não para os estranhos

que estão com você.

18Seja bendito o seu manancial,

e alegre-se com a mulher

da sua mocidade,

19corça amorosa e gazela graciosa.

Que os seios dela saciem você

em todo o tempo;

embriague-se sempre

com as suas carícias.

20Meu filho, por que você andaria

cego atrás de uma estranha

e abraçaria os seios de outra?

21Porque os caminhos do homem

estão diante dos olhos do Senhor,

e ele considera

todas as suas veredas.

22Quanto ao ímpio,

as suas iniquidades

o prenderão,

e com as cordas do seu pecado

será detido.

23Ele morrerá

pela falta de disciplina,

e, pelo excesso de sua loucura,

sai cambaleando por aí.

Provérbios 5NAAAbrir na Bíblia

1Meu filho, guarde

as minhas palavras

e conserve os meus mandamentos

em seu coração.

2Observe os meus mandamentos

e você viverá;

guarde a minha lei

como a menina dos seus olhos.

3Amarre-os aos dedos,

escreva-os na tábua

do seu coração.

4Diga à Sabedoria:

“Você é minha irmã”;

e ao Entendimento:

“Você é meu parente.”

5Eles o guardarão

da mulher imoral,

da estranha que lisonjeia

com palavras.

A mulher imoral

6Porque da janela da minha casa,

olhando pela grade,

7vi entre os ingênuos,

e descobri entre os jovens

um que não tinha juízo.

8Ele ia e vinha pela rua

junto à esquina

da mulher estranha

e seguia o caminho da casa dela,

9no crepúsculo, ao anoitecer,

na escuridão da noite, nas trevas.

10Eis que a mulher

lhe saiu ao encontro,

com roupas de prostituta

e astúcia no coração.

11É espalhafatosa e inquieta;

os seus pés não param em casa.

12Ora está nas ruas,

ora, nas praças,

espreitando por todos os cantos.

13Ela agarrou o jovem e o beijou;

e com o maior descaramento

lhe disse:

14“Eu tinha de oferecer

sacrifícios pacíficos;

hoje paguei os meus votos.

15Por isso, saí ao seu encontro;

vim procurá-lo,

e agora o encontrei!

16Já cobri de colchas

a minha cama,

de linho fino do Egito,

de várias cores.

17Já perfumei o meu leito

com mirra, aloés e cinamomo.

18Venha, vamos nos embriagar

com as delícias do amor,

até o amanhecer;

gozemos amores.

19Porque o meu marido

não está em casa;

saiu de viagem para longe.

20Levou consigo uma bolsa

cheia de dinheiro;

não voltará para casa

antes da lua cheia.”

21Ela o seduziu

com as suas muitas palavras,

com as lisonjas dos seus lábios

o arrastou.

22E, num instante, ele a seguiu,

como um boi

que vai para o matadouro;

como um animal

que corre para a armadilha,

23até que uma flecha

lhe atravesse o coração.

Ele era como a ave que corre

para dentro do alçapão,

sem saber que isto

lhe custará a vida.

24Agora, meu filho,

escute o que eu digo

e dê atenção

às palavras da minha boca.

25Não deixe que o seu coração

se desvie para os caminhos

dessa mulher,

e não ande perdido

nas suas veredas.

26Porque a muitos

ela feriu e derrubou;

e são muitos os que

por ela foram mortos.

27A casa dela é caminho

para o abismo

e desce para as câmaras da morte.

Provérbios 7NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: