Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 14 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

A revelação de Deus

1Antigamente, Deus falou, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, 2mas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e pelo qual também fez o universo. 3O Filho, que é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela sua palavra poderosa, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas, 4tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles.

O Filho e os anjos

5Pois a qual dos anjos Deus em algum momento disse:

“Você é meu Filho,

hoje eu gerei você”?

E, outra vez:

“Eu lhe serei Pai,

e ele me será Filho”?

6E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz:

“E todos os anjos de Deus

o adorem.”

7Ainda, quanto aos anjos, diz:

“Aquele que a seus anjos

faz ventos,

e a seus ministros,

labareda de fogo.”

8Mas, a respeito do Filho, diz:

“O teu trono, ó Deus,

é para todo o sempre;

cetro de justiça

é o cetro do teu reino.

9Amaste a justiça

e odiaste a iniquidade;

por isso, Deus, o teu Deus,

te ungiu com o óleo de alegria

como a nenhum

dos teus companheiros.”

10Diz ainda:

“No princípio, Senhor, lançaste

os fundamentos da terra,

e os céus são obra das tuas mãos.

11Eles perecerão,

mas tu permaneces;

todos eles envelhecerão

como veste;

12como manto tu os enrolarás,

e, como roupas,

serão igualmente mudados.

Tu, porém, és o mesmo,

e os teus anos jamais terão fim.”

13Ora, a qual dos anjos Deus em algum momento disse:

“Sente-se à minha direita,

até que eu ponha os seus inimigos

por estrado dos seus pés”?

14Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

Hebreus 1NAAAbrir na Bíblia

1Cada sumo sacerdote, sendo escolhido dentre os homens, é constituído nas coisas relacionadas com Deus, a favor dos homens, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. 2Ele é capaz de se compadecer dos ignorantes e dos que se desviam do caminho, pois também ele mesmo está rodeado de fraquezas. 3Por esta razão, deve oferecer sacrifícios pelos pecados, tanto do povo como de si mesmo. 4E ninguém toma esta honra para si mesmo, a não ser quando chamado por Deus, como aconteceu com Arão.

5Assim, também Cristo não glorificou a si mesmo para se tornar sumo sacerdote, mas quem o glorificou foi aquele que lhe disse:

“Você é meu Filho,

hoje eu gerei você.”

6E em outro lugar também diz:

“Você é sacerdote para sempre,

segundo a ordem

de Melquisedeque.”

7Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte, foi ouvido por causa da sua reverência. 8Embora fosse Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu 9e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem. 10E Deus o nomeou sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.

Exortação ao progresso na fé

11A esse respeito temos muitas coisas a dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês ficaram com preguiça de ouvir. 12Pois, quando já deviam ser mestres, levando em conta o tempo decorrido, vocês têm, novamente, necessidade de alguém que lhes ensine quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus. Passaram a ter necessidade de leite e não de alimento sólido. 13Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. 14Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.

Hebreus 5NAAAbrir na Bíblia

Os filhos de Israel no Egito

1São estes os nomes dos filhos de Israel que entraram com Jacó no Egito, cada um com a sua família: 2Rúben, Simeão, Levi e Judá, 3Issacar, Zebulom e Benjamim, 4Dã, Naftali, Gade e Aser. 5Todos os descendentes diretos de Jacó foram setenta; José, porém, já estava no Egito. 6Com o tempo morreram José, todos os seus irmãos e toda aquela geração. 7Mas os filhos de Israel foram fecundos, aumentaram muito, se multiplicaram e se tornaram extremamente fortes, de maneira que a terra se encheu deles.

8Nesse meio-tempo, levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não havia conhecido José. 9Ele disse ao seu povo:

— Eis que o povo dos filhos de Israel é mais numeroso e mais forte do que nós. 10Vejam! Precisamos usar de astúcia para com esse povo, para que não se multiplique, e para evitar que, em caso de guerra, ele se alie aos nossos inimigos, lute contra nós e saia da terra.

11E os egípcios puseram sobre eles feitores de obras, para os afligir com trabalhos pesados. E assim os israelitas construíram para Faraó as cidades-celeiros de Pitom e Ramessés. 12Mas quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam e tanto mais se espalhavam, de maneira que os egípcios se inquietavam por causa dos filhos de Israel. 13Então os egípcios, com tirania, escravizaram os filhos de Israel 14e lhes amargaram a vida com dura servidão: preparar o barro, fabricar tijolos e fazer todo tipo de trabalho no campo. Todo este serviço lhes era imposto com tirania.

As parteiras desobedecem a Faraó

15O rei do Egito deu uma ordem às parteiras hebreias, das quais uma se chamava Sifrá e a outra se chamava Puá. 16Ele disse:

— Quando vocês servirem de parteira às mulheres hebreias, verifiquem se é menino ou menina; se for menino, matem; se for menina, deixem viver.

17As parteiras, porém, temeram a Deus e não fizeram o que o rei do Egito lhes havia ordenado; pelo contrário, deixaram viver os meninos. 18Então o rei do Egito chamou as parteiras e lhes perguntou:

— Por que vocês fizeram isso e deixaram viver os meninos?

19As parteiras responderam a Faraó:

— É que as mulheres hebreias não são como as egípcias; são vigorosas e dão à luz antes que a parteira chegue.

20E Deus foi bom para as parteiras; e o povo aumentou e se tornou muito forte. 21E, porque as parteiras temeram a Deus, ele lhes constituiu família.

22Então Faraó deu ordem a todo o seu povo, dizendo:

— Joguem no rio Nilo todos os meninos hebreus que nascerem; quanto às meninas, deixem viver.

Êxodo 1NAAAbrir na Bíblia

Moisés e Arão falam com Faraó

1Depois Moisés e Arão foram e disseram a Faraó:

— Assim diz o Senhor, Deus de Israel: “Deixe o meu povo ir, para que me celebre uma festa no deserto.”

2Faraó respondeu:

— Quem é o Senhor para que eu ouça a sua voz e deixe Israel ir? Não conheço o Senhor e não deixarei Israel ir.

3Eles prosseguiram:

— O Deus dos hebreus veio ao nosso encontro; portanto, deixe-nos ir caminho de três dias ao deserto, para que ofereçamos sacrifícios ao Senhor, nosso Deus, para evitar que ele venha sobre nós com peste ou com espada.

4Então o rei do Egito disse:

— Moisés e Arão, por que estão afastando o povo das suas tarefas? Voltem ao trabalho!

5E Faraó disse também:

— O povo da terra já é muito e vocês ainda querem que eles descansem de suas tarefas!

Faraó aflige os israelitas

6Naquele mesmo dia Faraó deu uma ordem aos feitores do povo e aos seus capatazes, dizendo:

7— Daqui em diante não forneçam mais palha ao povo, para fazer tijolos, como antes; que eles mesmos ajuntem para si a palha. 8Mas exijam deles a mesma quantidade de tijolos que antes faziam. Não diminuam a cota. Eles estão desocupados e, por isso, gritam: “Vamos e sacrifiquemos ao nosso Deus.” 9Imponham mais serviço a esses homens, para que se mantenham ocupados e não deem ouvidos a palavras mentirosas.

10Então os feitores do povo e seus capatazes foram e falaram ao povo:

— Assim diz Faraó: “Não fornecerei mais palha para vocês. 11Vão vocês mesmos e ajuntem palha onde a puderem achar; porque não haverá redução no trabalho de vocês.”

12Então o povo se espalhou por toda a terra do Egito para ajuntar restolho em lugar de palha. 13Os feitores os pressionavam, dizendo:

— Terminem o trabalho de vocês, a tarefa do dia, como quando havia palha.

14E os capatazes dos filhos de Israel, que os feitores de Faraó tinham posto sobre eles, foram açoitados. Os feitores perguntavam aos capatazes:

— Por que não terminaram nem ontem nem hoje a tarefa de vocês, fazendo tijolos como antes?

Os israelitas se queixam de Moisés e Arão

15Então os capatazes dos filhos de Israel foram se queixar a Faraó, dizendo:

— Por que o senhor trata assim estes seus servos? 16Já não nos fornecem palha, mas nos dizem: “Façam tijolos.” Eis que estes seus servos são açoitados; porém o seu próprio povo é que tem a culpa.

17Mas Faraó respondeu:

— Vocês são uns desocupados! Vocês estão desocupados e, por isso, dizem: “Vamos e sacrifiquemos ao Senhor.” 18Voltem, agora, ao trabalho. Vocês não receberão palha, mas terão de produzir a mesma quantidade de tijolos.

19Então os capatazes dos filhos de Israel se viram em aperto, porque diziam a eles: “Não haverá redução na quantidade de tijolos, na tarefa diária de vocês.” 20Quando saíram da presença de Faraó, encontraram Moisés e Arão, que estavam à espera deles, 21e lhes disseram:

— Que o Senhor olhe para vocês e os julgue, porque vocês nos fizeram odiosos aos olhos de Faraó e diante dos seus servos, dando-lhes a espada na mão para nos matar.

Moisés se queixa a Deus

22Então Moisés, voltando-se ao Senhor, disse:

— Ó Senhor, por que afligiste este povo? Por que me enviaste? 23Pois, desde que me apresentei a Faraó, para falar-lhe em teu nome, ele tem maltratado este povo; e tu nada fizeste para livrar o teu povo.

Êxodo 5NAAAbrir na Bíblia

Cântico de louvor e pedido de ajuda

Ao mestre de canto. Salmo de Davi

1Esperei com paciência

pelo Senhor;

ele se inclinou para mim

e me ouviu quando clamei

por socorro.

2Tirou-me de um poço

de perdição,

de um atoleiro de lama;

colocou os meus pés

sobre uma rocha

e firmou os meus passos.

3E me pôs nos lábios

um cântico novo,

um hino de louvor ao nosso Deus.

Muitos verão essas coisas, temerão

e confiarão no Senhor.

4Bem-aventurado é aquele

que põe no Senhor

a sua confiança

e não se volta para os arrogantes,

nem para os que seguem

a mentira.

5São muitas, Senhor, Deus meu,

as maravilhas que tens operado

e também os teus desígnios

para conosco;

não há ninguém

que possa se igualar a ti.

Eu quisera anunciá-los

e deles falar,

mas são mais do que

se pode contar.

6Sacrifícios e ofertas não quiseste;

abriste os meus ouvidos;

holocaustos e ofertas pelo pecado

não requeres.

7Então eu disse: “Eis aqui estou,

no rolo do livro está escrito

a meu respeito;

8agrada-me fazer a tua vontade,

ó Deus meu;

a tua lei está dentro

do meu coração.”

9Proclamei as boas-novas

de justiça

na grande congregação;

jamais cerrei os lábios,

tu o sabes, Senhor.

10Não ocultei no coração

a tua justiça;

proclamei a tua fidelidade

e a tua salvação;

não escondi

da grande congregação

a tua graça e a tua verdade.

11Não retenhas de mim, Senhor,

as tuas misericórdias;

que a tua graça e a tua verdade

sempre me guardem.

12São incontáveis os males

que me cercam;

as minhas iniquidades

me alcançaram,

tantas, que me impedem a visão;

são mais numerosas

que os cabelos

de minha cabeça,

e o coração desfalece.

13Agrada-te, Senhor, em me livrar;

apressa-te, ó Senhor,

em me socorrer.

14Que sejam envergonhados

e cobertos de vexame

todos os que buscam

tirar-me a vida;

retrocedam

e cubram-se de vergonha

os que se alegram com o meu mal.

15Sofram perturbação

por causa da sua vergonha

aqueles que me dizem:

“Bem feito! Bem feito!”

16Exultem e em ti se alegrem

todos os que te buscam;

os que amam a tua salvação

digam sempre:

“O Senhor seja engrandecido!”

17Eu sou pobre e necessitado,

porém o Senhor cuida de mim.

Tu és o meu amparo

e o meu libertador;

não te demores, ó Deus meu!

Salmos 40NAAAbrir na Bíblia

Oração de um doente

Ao mestre de canto. Salmo de Davi

1Bem-aventurado é aquele

que ajuda os necessitados;

o Senhor o livra no dia do mal.

2O Senhor o protege,

preserva-lhe a vida

e o faz feliz na terra;

não o entrega à vontade

dos seus inimigos.

3O Senhor o assiste

no leito da enfermidade.

Quando doente,

tu lhe restauras a saúde.

4Eu disse: “Compadece-te

de mim, Senhor;

sara a minha alma,

porque pequei contra ti.”

5Os meus inimigos

falam mal de mim:

“Quando é que ele vai morrer

e ser esquecido?”

6Se algum deles vem me visitar,

diz coisas vãs,

amontoando maldades no coração;

ao sair, é disso que fala.

7Todos os que me odeiam

se reúnem

e ficam cochichando;

pensam o pior a respeito de mim,

dizendo:

8“Foi uma peste que deu nele”;

e: “Caiu de cama,

e não vai se levantar mais.”

9Até o meu amigo íntimo,

em quem eu confiava,

que comia do meu pão,

levantou contra mim

o seu calcanhar.

10Tu, porém, Senhor,

compadece-te de mim

e levanta-me,

para que eu lhes pague

segundo merecem.

11Com isto saberei

que te agradas de mim:

em não triunfar contra mim

o meu inimigo.

12Quanto a mim, tu me susténs

na minha integridade

e me pões na tua presença

para sempre.

13Bendito seja o Senhor,

Deus de Israel,

de eternidade a eternidade!

Amém e amém!

Salmos 41NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: