Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 13 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

A ressurreição de Jesus

Mt 28.1-10; Mc 16.1-8; Jo 20.1-10

1Mas, no primeiro dia da semana, alta madrugada, as mulheres foram ao túmulo, levando os óleos aromáticos que haviam preparado. 2Encontraram a pedra removida do túmulo, 3mas, ao entrar, não acharam o corpo do Senhor Jesus. 4Aconteceu que, perplexas a esse respeito, apareceram-lhes dois homens com roupas resplandecentes. 5Estando elas com muito medo e baixando os olhos para o chão, eles disseram:

— Por que vocês estão procurando entre os mortos aquele que vive? 6Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrem-se do que ele falou para vocês, estando ainda na Galileia: 7“É necessário que o Filho do Homem seja entregue nas mãos de pecadores, seja crucificado e ressuscite no terceiro dia.”

8Então elas se lembraram das palavras de Jesus. 9E, voltando do túmulo, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os outros que estavam com eles. 10Essas mulheres eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; também as demais que estavam com elas confirmaram estas coisas aos apóstolos. 11Mas para eles tais palavras pareciam um delírio; eles não acreditaram no que as mulheres diziam. 12Pedro, porém, levantando-se, correu ao túmulo. E, abaixando-se, viu somente os lençóis de linho e nada mais; e retirou-se para casa, admirado com o que tinha acontecido.

Os discípulos no caminho de Emaús

Mc 16.12-13

13Naquele mesmo dia, dois discípulos estavam indo para uma aldeia chamada Emaús, que ficava a uns dez quilômetros de Jerusalém. 14E iam conversando a respeito de tudo o que tinha acontecido. 15Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e ia com eles. 16Porém os olhos deles estavam como que impedidos de o reconhecer. 17Então ele lhes perguntou:

— O que é que vocês estão discutindo pelo caminho?

E eles pararam entristecidos. 18Um, porém, chamado Cleopas, respondeu:

— Será que você é o único que esteve em Jerusalém e não sabe o que aconteceu lá, nestes últimos dias?

19Ele lhes perguntou:

— Do que se trata?

Eles explicaram:

— Aquilo que aconteceu com Jesus, o Nazareno, que era profeta, poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de todo o povo, 20e como os principais sacerdotes e as nossas autoridades o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. 21Nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir Israel. Mas, depois de tudo isto, já estamos no terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. 22É verdade também que algumas mulheres do nosso grupo nos surpreenderam. Indo de madrugada ao túmulo 23e não achando o corpo de Jesus, voltaram dizendo que tinham tido uma visão de anjos, os quais afirmam que ele vive. 24De fato, alguns dos nossos foram ao túmulo e verificaram a exatidão do que as mulheres disseram; mas não o viram.

25Então ele lhes disse:

— Como vocês são insensatos e demoram para crer em tudo o que os profetas disseram! 26Não é verdade que o Cristo tinha de sofrer e entrar na sua glória?

27E, começando por Moisés e todos os Profetas, explicou-lhes o que constava a respeito dele em todas as Escrituras.

28Quando se aproximavam da aldeia para onde iam, ele fez menção de passar adiante. 29Mas eles o convenceram a ficar, dizendo:

— Fique conosco, porque é tarde, e o dia já está chegando ao fim.

E entrou para ficar com eles. 30E aconteceu que, quando estavam à mesa, ele pegou o pão e o abençoou; depois, partiu o pão e o deu a eles. 31Então os olhos deles se abriram, e eles reconheceram Jesus; mas ele desapareceu da presença deles. 32E disseram um ao outro:

— Não é verdade que o coração nos ardia no peito, quando ele nos falava pelo caminho, quando nos explicava as Escrituras?

33E, na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém, onde acharam reunidos os onze e outros com eles, 34os quais diziam:

— De fato, o Senhor ressuscitou e já apareceu a Simão!

35Então os dois contaram o que lhes tinha acontecido no caminho e como tinham reconhecido o Senhor no partir do pão.

Jesus aparece aos discípulos

Mt 28.16-20; Mc 16.14-18; Jo 20.19-23; At 1.6-8

36Falavam eles ainda estas coisas quando Jesus apareceu no meio deles e lhes disse:

— Que a paz esteja com vocês!

37Eles, porém, ficaram assustados e com medo, pensando que estavam vendo um espírito. 38Mas ele lhes disse:

— Por que vocês estão assustados? E por que surgem dúvidas no coração de vocês? 39Vejam as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo. Toquem em mim e vejam que é verdade, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho.

40Dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. 41E, por não acreditarem eles ainda, por causa da alegria, e como estavam admirados, Jesus lhes disse:

— Vocês têm aqui alguma coisa para comer?

42Então lhe apresentaram um pedaço de peixe assado, 43e ele comeu na presença deles.

44A seguir, Jesus lhes disse:

— São estas as palavras que eu lhes falei, estando ainda com vocês: era necessário que se cumprisse tudo o que está escrito a respeito de mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.

45Então lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras. 46E disse-lhes:

— Assim está escrito que o Cristo tinha de sofrer, ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia, 47e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando em Jerusalém. 48Vocês são testemunhas destas coisas. 49Eis que envio sobre vocês a promessa de meu Pai; permaneçam, pois, na cidade, até que vocês sejam revestidos do poder que vem do alto.

A ascensão de Jesus

Mc 16.19-20; At 1.9-11

50Então Jesus os levou para fora, até Betânia. E, erguendo as mãos, os abençoou. 51Aconteceu que, enquanto os abençoava, ia-se retirando deles, sendo elevado para o céu. 52Então eles, adorando-o, voltaram para Jerusalém cheios de alegria. 53E estavam sempre no templo, louvando a Deus.

Lucas 24NAAAbrir na Bíblia

Jacó e sua família vão para o Egito

1Israel partiu com tudo o que possuía. E chegou a Berseba e ofereceu sacrifícios ao Deus de Isaque, seu pai. 2Deus falou a Israel em visões, de noite, e disse:

— Jacó! Jacó!

Ele respondeu:

— Eis-me aqui!

3Então disse:

— Eu sou Deus, o Deus do seu pai. Não tenha medo de ir para o Egito, porque lá eu farei de você uma grande nação. 4Eu irei com você para o Egito e certamente farei com que você volte de lá. A mão de José fechará os seus olhos.

5Então Jacó saiu de Berseba. Os filhos de Israel levaram seu pai Jacó, os filhinhos e as mulheres deles nas carretas que Faraó havia mandado para o levar. 6Levaram o gado e os bens que haviam adquirido na terra de Canaã e foram para o Egito, Jacó e toda a sua descendência. 7Seus filhos e os filhos de seus filhos, suas filhas e as filhas de seus filhos e toda a sua descendência, levou-os consigo para o Egito.

8São estes os nomes dos filhos de Israel, Jacó, e seus filhos, que foram para o Egito: Rúben, o primogênito de Jacó. 9Os filhos de Rúben: Enoque, Palu, Hezrom e Carmi. 10Os filhos de Simeão: Jemuel, Jamim, Oade, Jaquim, Zoar e Saul, filho de uma mulher cananeia. 11Os filhos de Levi: Gérson, Coate e Merari. 12Os filhos de Judá: Er, Onã, Selá, Perez e Zera; Er e Onã, porém, morreram na terra de Canaã. Os filhos de Perez foram Hezrom e Hamul. 13Os filhos de Issacar: Tola, Puva, Jó e Sinrom. 14Os filhos de Zebulom: Serede, Elom e Jaleel. 15São estes os filhos de Lia, que ela teve com Jacó em Padã-Arã, além de Diná, sua filha. Ao todo os seus filhos e as suas filhas eram trinta e três pessoas.

16Os filhos de Gade: Zifiom, Hagi, Suni, Esbom, Eri, Arodi e Areli. 17Os filhos de Aser: Imna, Isvá, Isvi, Berias e Sera, irmã deles. Os filhos de Berias foram Héber e Malquiel. 18São estes os filhos de Zilpa, a qual Labão deu à sua filha Lia; estes ela teve com Jacó, a saber, dezesseis pessoas.

19Os filhos de Raquel, mulher de Jacó: José e Benjamim. 20A José, na terra do Egito, nasceram Manassés e Efraim. São os filhos que teve com Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om. 21Os filhos de Benjamim: Belá, Bequer, Asbel, Gera, Naamã, Eí, Rôs, Mupim, Hupim e Arde. 22São estes os filhos de Raquel, que nasceram a Jacó, ao todo catorze pessoas.

23O filho de Dã: Husim. 24Os filhos de Naftali: Jazeel, Guni, Jezer e Silém. 25São estes os filhos de Bila, a qual Labão deu à sua filha Raquel; e estes ela teve com Jacó, ao todo sete pessoas.

26Todos os que foram com Jacó para o Egito, que eram os seus descendentes, fora as mulheres dos filhos de Jacó, eram sessenta e seis pessoas. 27E os filhos de José, que lhe nasceram no Egito, eram dois. Todas as pessoas da casa de Jacó, que entraram no Egito, foram setenta.

O encontro de José com seu pai

28Jacó enviou Judá adiante de si a José para que soubesse encaminhá-lo a Gósen. E chegaram à terra de Gósen. 29Então José aprontou a sua carruagem e foi ao encontro de Israel, seu pai, a Gósen. Apresentou-se, lançou-se ao pescoço do pai e chorou assim longo tempo. 30Israel disse a José:

— Já posso morrer, pois vi o seu rosto e sei que você ainda está vivo.

31E José disse a seus irmãos e à casa de seu pai:

— Partirei e darei a notícia a Faraó, dizendo: “Meus irmãos e a casa de meu pai, que estavam na terra de Canaã, vieram para junto de mim. 32Os homens são pastores, criadores de gado, e trouxeram consigo o seu rebanho, o seu gado e tudo o que têm.” 33Quando, pois, Faraó mandar chamá-los e perguntar: “Qual é o trabalho de vocês?”, 34respondam: “Estes seus servos foram criadores de gado desde a mocidade até agora, tanto nós como os nossos pais.” Assim, vocês poderão morar na terra de Gósen, porque todo pastor de rebanho é abominação para os egípcios.

Gênesis 46NAAAbrir na Bíblia

1Então José se lançou sobre o rosto de seu pai, chorou sobre ele e o beijou. 2José ordenou a seus servos, aos que eram médicos, que embalsamassem o corpo de seu pai. E os médicos embalsamaram Israel, 3gastando nisso quarenta dias, pois assim se cumprem os dias do embalsamamento; e os egípcios ficaram de luto setenta dias.

4Passados os dias de luto, José falou à casa de Faraó:

— Se agora encontrei favor diante de vocês, peço que falem aos ouvidos de Faraó, dizendo: 5“Meu pai me fez jurar, declarando: ‘Eis que estou morrendo; sepulte-me no túmulo que abri para mim na terra de Canaã.’ Agora, quero ir e sepultar meu pai; depois voltarei.”

6Faraó respondeu:

— Vá e sepulte o seu pai como ele fez você jurar.

7José partiu para sepultar o seu pai. Com ele foram todos os oficiais de Faraó, os principais da sua casa e todos os principais da terra do Egito, 8bem como toda a casa de José, e seus irmãos, e a casa de seu pai. Deixaram na terra de Gósen somente as crianças, os rebanhos e o gado. 9E foram também com ele tanto carruagens como cavaleiros; e o cortejo foi muito grande.

10Quando eles chegaram à eira de Atade, que fica do outro lado do Jordão, fizeram ali grande e intensa lamentação; e José pranteou seu pai durante sete dias. 11Quando os moradores da terra, os cananeus, viram o luto na eira de Atade, disseram:

— Como é grande este pranto dos egípcios!

E por isso aquele lugar foi chamado de Abel-Mizraim; fica do outro lado do Jordão.

12Os filhos de Jacó fizeram como ele lhes havia ordenado: 13levaram-no para a terra de Canaã e o sepultaram na caverna do campo de Macpela, que, juntamente com o campo, Abraão havia comprado de Efrom, o heteu, para ser lugar de sepultura. Esse lugar fica em frente a Manre. 14Depois disso, José voltou para o Egito, ele, os seus irmãos e todos os que o haviam acompanhado para sepultar o seu pai.

José consola seus irmãos

15Vendo os irmãos de José que seu pai já era morto, disseram:

— É possível que José tenha ódio de nós; certamente nos retribuirá todo o mal que lhe fizemos.

16Por isso, mandaram dizer a José:

— O seu pai, antes de morrer, ordenou o seguinte: 17“É isto que vocês dirão a José: ‘Perdoe, por favor, a transgressão dos seus irmãos e o pecado que cometeram, porque eles lhe fizeram mal.’” Agora pedimos que perdoe a transgressão dos servos do Deus de seu pai.

Ao ouvir estas palavras, José chorou. 18Depois, vieram também os seus irmãos, prostraram-se diante dele e disseram:

— Eis-nos aqui; somos seus servos.

19Mas José respondeu:

— Não tenham medo; será que eu estou no lugar de Deus? 20Vocês, na verdade, planejaram o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como estão vendo agora, que se conserve a vida de muita gente. 21Portanto, não tenham medo; eu sustentarei vocês e os seus filhos.

E assim José os consolou e lhes falou ao coração.

A morte de José

22José ficou morando no Egito, ele e a casa de seu pai. Viveu cento e dez anos. 23José viu os filhos de Efraim até a terceira geração; também os filhos de Maquir, filho de Manassés, os quais José tomou sobre os seus joelhos. 24José disse a seus irmãos:

— Eu vou morrer em breve. Mas Deus certamente visitará vocês e fará com que saiam desta terra para ir à terra que jurou dar a Abraão, a Isaque e a Jacó.

25José pediu aos filhos de Israel que fizessem um juramento, dizendo:

— Deus certamente visitará vocês. Quando isso acontecer, levem os meus ossos daqui.

26José morreu com a idade de cento e dez anos. Eles embalsamaram o seu corpo e o puseram num caixão, no Egito.

Gênesis 50NAAAbrir na Bíblia

O fim dos maus e dos bons

Salmo de Davi

1Não se irrite

por causa dos malfeitores,

nem tenha inveja

dos que praticam a iniquidade.

2Pois em breve eles secarão

como a relva

e murcharão

como a erva verde.

3Confie no Senhor e faça o bem;

habite na terra

e alimente-se da verdade.

4Agrade-se do Senhor,

e ele satisfará os desejos

do seu coração.

5Entregue o seu caminho

ao Senhor,

confie nele, e o mais ele fará.

6Fará com que a sua justiça

sobressaia como a luz

e que o seu direito brilhe

como o sol ao meio-dia.

7Descanse no Senhor

e espere nele;

não se irrite por causa daquele

que prospera em seu caminho,

por causa do que realiza

os seus maus desígnios.

8Deixe a ira, abandone o furor;

não se irrite;

certamente isso acabará mal.

9Porque os malfeitores

serão exterminados,

mas os que esperam

no Senhor possuirão a terra.

10Mais um pouco de tempo,

e já não existirão os ímpios;

você procurará no lugar

onde eles estavam

e não os encontrará.

11Mas os mansos herdarão a terra

e terão alegria

na abundância de paz.

12Os ímpios fazem planos

contra os justos

e contra eles rangem os dentes.

13O Senhor dá risada dos ímpios,

pois vê que o dia deles

está chegando.

14Os ímpios puxam da espada

e preparam o arco

para abater os pobres

e necessitados,

para matar os que trilham

o reto caminho.

15Mas a espada deles

lhes atravessará

o próprio coração,

e os seus arcos

serão despedaçados.

16Mais vale o pouco do justo

que a abundância

de muitos ímpios.

17Pois os braços dos ímpios

serão quebrados,

mas os justos, o Senhor os sustém.

18O Senhor conhece

os dias dos íntegros;

a herança deles permanecerá

para sempre.

19Não serão envergonhados

nos tempos difíceis

e nos dias da fome se fartarão.

20Os ímpios, no entanto,

perecerão,

e os inimigos do Senhor serão

como as mais belas pastagens:

desaparecerão, como desaparece

a fumaça.

21O ímpio pede emprestado

e não paga;

o justo, porém,

se compadece e dá.

22Aqueles a quem o Senhor abençoa

possuirão a terra;

e serão exterminados aqueles

a quem ele amaldiçoa.

23O Senhor firma os passos

do homem bom

e se agrada do seu caminho;

24se cair, não ficará prostrado,

porque o Senhor

o segura pela mão.

25Fui moço e agora sou velho,

porém jamais vi

o justo desamparado,

nem a sua descendência

a mendigar o pão.

26É sempre compassivo

e empresta,

e a sua descendência

será uma bênção.

27Afaste-se do mal

e pratique o bem,

e a sua morada será perpétua.

28Pois o Senhor ama a justiça

e não desampara os seus santos.

Serão preservados para sempre,

mas a descendência dos ímpios

será exterminada.

29Os justos herdarão a terra

e nela habitarão para sempre.

30Da boca do justo

procede sabedoria,

e a sua língua fala o que é justo.

31No coração, ele tem

a lei do seu Deus;

os seus passos não vacilarão.

32O perverso espreita o justo

e procura tirar-lhe a vida.

33Mas o Senhor não o deixará

nas mãos do perverso,

nem o condenará

quando for julgado.

34Espere no Senhor

e ande nos seus caminhos;

ele o exaltará para que você

herde a terra;

você verá quando os ímpios

forem exterminados.

35Vi um ímpio prepotente

expandir-se como um cedro

do Líbano.

36Passei, e eis que havia

desaparecido;

procurei-o,

e já não foi encontrado.

37Observe aquele que é

íntegro e reto;

porque o futuro dele será de paz.

38Quanto aos transgressores,

serão todos destruídos;

a descendência dos ímpios

será exterminada.

39Mas a salvação dos justos

vem do Senhor;

ele é a fortaleza deles

em tempos de angústia.

40O Senhor os ajuda e os livra;

livra-os dos ímpios e os salva,

porque nele buscam refúgio.

Salmos 37NAAAbrir na Bíblia

A vaidade da vida

Ao mestre de canto, Jedutum. Salmo de Davi

1Eu disse comigo mesmo:

“Guardarei os meus caminhos,

para não pecar com a língua;

porei mordaça à minha boca,

enquanto os ímpios estiverem

na minha presença.”

2Emudeci em silêncio,

calei a respeito do bem,

e a minha dor se agravou.

3O coração me ardia no peito;

enquanto eu meditava,

um fogo se acendeu

dentro de mim.

Então eu disse em voz alta:

4Senhor, dá-me a conhecer

o meu fim

e qual é a soma dos meus dias,

para que eu reconheça

a minha fragilidade.

5Deste aos meus dias

o comprimento

de alguns palmos;

à tua presença,

o prazo da minha vida é nada.

Na verdade, todo ser humano,

por mais firme que esteja,

é pura vaidade.

6De fato, o ser humano passa

como uma sombra.

Em vão se inquieta;

amontoa tesouros e não sabe

quem ficará com eles.”

7“E eu, Senhor, que espero?

Tu és a minha esperança.

8Livra-me de todas

as minhas iniquidades;

não permitas que os insensatos

zombem de mim.

9Emudeço, não abro os lábios

porque tu fizeste isso.

10Tira de sobre mim o teu flagelo;

pelo golpe de tua mão,

estou perecendo.

11Quando castigas alguém

com repreensões,

por causa do pecado,

destróis nele, como traça,

o que tem de precioso.

De fato, o ser humano

é pura vaidade.”

12“Ouve, Senhor, a minha oração,

escuta-me quando grito

por socorro.

Não fiques insensível

às minhas lágrimas,

porque sou forasteiro diante de ti,

peregrino como todos

os meus pais o foram.

13Desvia de mim o olhar,

para que eu tome alento,

antes que eu passe

e deixe de existir.”

Salmos 39NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.20.15
SIGA A SBB: