Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 99

Texto(s) da Bíblia

A promessa do Espírito Santo

1Escrevi o primeiro livro, ó Teófilo, relatando todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar 2até o dia em que foi elevado às alturas, depois de haver dado mandamentos por meio do Espírito Santo aos apóstolos que tinha escolhido. 3Depois de ter padecido, Jesus se apresentou vivo a seus apóstolos, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas relacionadas com o Reino de Deus. 4E, comendo com eles, deu-lhes esta ordem:

— Não se afastem de Jerusalém, mas esperem a promessa do Pai, a qual vocês ouviram de mim. 5Porque João, na verdade, batizou com água, mas vocês serão batizados com o Espírito Santo, dentro de poucos dias.

A ascensão de Jesus

6Então os que estavam reunidos com Jesus lhe perguntaram:

— Será este o tempo em que o Senhor irá restaurar o reino a Israel?

7Jesus respondeu:

— Não cabe a vocês conhecer tempos ou épocas que o Pai fixou pela sua própria autoridade. 8Mas vocês receberão poder, ao descer sobre vocês o Espírito Santo, e serão minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até os confins da terra.

9Depois de ter dito isso, Jesus foi elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos. 10E, estando eles com os olhos fixos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois homens vestidos de branco se puseram ao lado deles 11e lhes disseram:

— Homens da Galileia, por que vocês estão olhando para as alturas? Esse Jesus que foi levado do meio de vocês para o céu virá do modo como vocês o viram subir.

A escolha de Matias

12Então os apóstolos voltaram do monte das Oliveiras para Jerusalém. A distância até a cidade é de cerca de um quilômetro. 13Quando entraram na cidade, subiram para o cenáculo onde se reuniam Pedro, João, Tiago, André, Filipe, Tomé, Bartolomeu, Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, filho de Tiago. 14Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.

15Naqueles dias, Pedro se levantou no meio dos irmãos, que formavam um grupo de mais ou menos cento e vinte pessoas, e disse:

16— Irmãos, era necessário que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, a respeito de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam Jesus. 17Ele era um dos nossos e teve parte neste ministério.

18Ora, este homem adquiriu um campo com o preço da iniquidade e, caindo de cabeça, rompeu-se pelo meio, e todos os seus intestinos se derramaram. 19Isto chegou ao conhecimento de todos os moradores de Jerusalém, de maneira que em sua própria língua esse campo era chamado Aceldama, isto é, Campo de Sangue.

E Pedro continuou:

20— Porque está escrito no Livro dos Salmos:

“Fique deserta a sua morada,

e não haja quem nela habite.”

— E:

“Que outro tome o seu encargo.”

21— Portanto, é necessário que, dos homens que nos acompanharam todo o tempo em que o Senhor Jesus andou entre nós, 22começando no batismo de João, até o dia em que foi tirado do nosso meio e levado às alturas, um destes se torne testemunha conosco da sua ressurreição.

23Então propuseram dois: José, chamado Barsabás, também conhecido como Justo, e Matias. 24E, orando, disseram:

— Tu, Senhor, que conheces o coração de todos, revela-nos qual dos dois escolheste 25para preencher a vaga neste ministério e apostolado, do qual Judas se desviou, indo para o seu próprio lugar.

26Depois fizeram um sorteio, e a sorte caiu sobre Matias, que foi acrescentado ao grupo dos onze apóstolos.

As grandes obras de Deus

1— Amem o Senhor, o Deus de vocês, e sempre guardem os seus preceitos, os seus estatutos, os seus juízos e os seus mandamentos. 2Considerem hoje — e não me dirijo aos filhos de vocês, que não conheceram nem viram a disciplina do Senhor, seu Deus —, sim, considerem a grandeza do Senhor, a sua mão poderosa e o seu braço estendido. 3Considerem também os sinais e as obras que ele fez no meio do Egito contra Faraó, rei do Egito, e contra toda a sua terra. 4Também o que ele fez com o exército do Egito, com os seus cavalos e os seus carros de guerra, fazendo passar sobre eles as águas do mar Vermelho, quando estavam perseguindo vocês, e como o Senhor os destruiu até o dia de hoje. 5Considerem o que ele fez no deserto, até que vocês chegassem a este lugar. 6E ainda o que ele fez com Datã e Abirão, filhos de Eliabe, filho de Rúben; como a terra abriu a boca e os engoliu, junto com as famílias deles, as tendas e tudo o que os seguia, no meio de todo o Israel. 7Porque vocês viram com os seus próprios olhos todas as grandes obras que o Senhor fez.

Os benefícios da obediência

8— Portanto, guardem todos os mandamentos que hoje lhes ordeno, para que vocês sejam fortes, entrem e tomem posse da terra para onde estão indo, 9e para que se prolonguem os seus dias na terra que o Senhor, sob juramento, prometeu dar aos pais de vocês e à descendência deles, terra que mana leite e mel. 10Porque a terra da qual vocês tomarão posse não é como a terra do Egito, de onde vocês saíram, em que semeavam as suas sementes e depois tinham de regar com o pé, como se a plantação fosse uma horta. 11Mas a terra da qual vocês tomarão posse é terra de montes e de vales, que bebe a água da chuva dos céus. 12É terra da qual o Senhor, seu Deus, cuida; os olhos do Senhor, Deus de vocês, estão sobre ela continuamente, desde o princípio até o fim do ano.

13— Se vocês de fato obedecerem aos meus mandamentos que hoje lhes ordeno, de amar o Senhor, seu Deus, e de o servir de todo o coração e de toda a alma, 14então no devido tempo darei as chuvas que a terra de vocês precisa, tanto as primeiras como as últimas, para que vocês recolham o seu cereal, o vinho e o azeite. 15Nos campos, darei pasto ao gado, e vocês comerão e se fartarão.

16— Tenham cuidado para que não aconteça que o coração de vocês se engane, e vocês se desviem, sirvam outros deuses e se prostrem diante deles. 17Se isso acontecer, a ira do Senhor se acenderá contra vocês, ele fechará o céu para que não chova, a terra não dará a sua colheita, e em pouco tempo vocês serão eliminados da boa terra que o Senhor lhes dá.

18— Ponham estas minhas palavras no seu coração e na sua alma. Amarrem-nas como sinal na mão, para que sejam por frontal entre os olhos. 19Ensinem essas palavras aos seus filhos, falando delas quando estiverem sentados em casa, andando pelo caminho, quando se deitarem e quando se levantarem. 20Devem escrevê-las nos umbrais de sua casa e nas suas portas, 21para que se multipliquem os seus dias e os dias de seus filhos na terra que o Senhor, sob juramento, prometeu dar aos pais de vocês, e para que esses dias sejam tão numerosos como os dias do céu acima da terra. 22Porque, se vocês de fato guardarem todos estes mandamentos que lhes ordeno, amando o Senhor, o Deus de vocês, andando em todos os seus caminhos, e sendo fiéis a ele, 23o Senhor expulsará todas estas nações e vocês tomarão posse de nações maiores e mais poderosas do que vocês. 24Todo lugar onde puserem a planta do pé, desde o deserto, desde o Líbano, desde o rio, o rio Eufrates, até o mar ocidental, será de vocês. 25Ninguém poderá resistir a vocês. O Senhor, seu Deus, espalhará o terror e o temor de vocês por toda terra que vocês pisarem, como ele já lhes prometeu.

A bênção e a maldição

26— Eis que hoje eu ponho diante de vocês a bênção e a maldição: 27a bênção, se cumprirem os mandamentos do Senhor, seu Deus, que hoje eu lhes ordeno; 28a maldição, se não cumprirem os mandamentos do Senhor, seu Deus, mas se desviarem do caminho que hoje eu lhes ordeno, para seguirem outros deuses que vocês não conheciam. 29Quando o Senhor, o Deus de vocês, os tiver levado para a terra da qual tomarão posse, vocês pronunciarão a bênção sobre o monte Gerizim e a maldição sobre o monte Ebal. 30Esses montes estão do outro lado do Jordão, na direção do pôr do sol, na terra dos cananeus, que habitam na Arabá, em frente de Gilgal, junto aos carvalhais de Moré. 31Porque vocês vão atravessar o Jordão para entrar e tomar posse da terra que o Senhor, seu Deus, está dando a vocês; vocês tomarão posse da terra e vão morar nela. 32Portanto, tenham o cuidado de cumprir todos os estatutos e juízos que eu hoje lhes prescrevo.

Deuteronômio 11NAAAbrir na Bíblia

O lugar do culto verdadeiro

1— São estes os estatutos e juízos que vocês devem ter o cuidado de cumprir todos os dias que viverem na terra que o Senhor, o Deus dos seus pais, lhes deu por herança. 2Destruam por completo todos os lugares onde as nações que vocês irão expulsar serviram os seus deuses, sobre as altas montanhas, sobre as colinas e debaixo de toda árvore frondosa. 3Derrubem os seus altares, quebrem as suas colunas sagradas, queimem os postes da deusa Aserá, despedacem as imagens esculpidas dos seus deuses e façam com que o nome desses deuses desapareça daquele lugar.

4— Não é assim que vocês devem adorar o Senhor, seu Deus. 5Pelo contrário, busquem o lugar que o Senhor, seu Deus, escolher entre todas as tribos, para ali pôr o seu nome e sua habitação; é para lá que vocês devem ir. 6A esse lugar vocês devem levar os seus holocaustos, os seus sacrifícios, os seus dízimos, as ofertas que vocês prepararam, as ofertas prometidas, as ofertas voluntárias e os primogênitos das vacas e das ovelhas de vocês. 7Ali, vocês comerão diante do Senhor, seu Deus, e se alegrarão em tudo o que fizerem, vocês e as suas famílias, no que o Senhor, seu Deus, os tiver abençoado.

8— Vocês não farão como hoje estamos fazendo aqui, cada um segundo melhor lhe parece, 9porque ainda não entraram no descanso e na herança que o Senhor, seu Deus, lhes dará. 10Mas vocês irão passar o Jordão e morar na terra que o Senhor, seu Deus, lhes dará por herança. Ele lhes dará descanso de todos os seus inimigos ao redor, e vocês viverão seguros. 11Então haverá um lugar que o Senhor, seu Deus, escolherá para ali fazer habitar o seu nome. A esse lugar vocês levarão tudo o que eu lhes ordeno: os seus holocaustos, os seus sacrifícios, os seus dízimos, as ofertas que vocês prepararam e tudo o que tiverem decidido oferecer ao Senhor em cumprimento a um voto. 12E vocês se alegrarão diante do Senhor, seu Deus, vocês, os seus filhos, as suas filhas, os seus servos e as suas servas e os levitas que moram nas cidades em que vocês vivem e que não têm porção nem herança entre vocês. 13Cuidado! Não ofereçam os seus holocaustos em qualquer lugar que encontrarem, 14mas, no lugar que o Senhor escolher numa das tribos de vocês, ali vocês devem oferecer os seus holocaustos e ali farão tudo o que lhes ordeno.

15— Porém, sempre que desejarem, vocês podem matar animais e comer carne nas cidades em que estiverem morando, segundo a bênção do Senhor, seu Deus. Todos vocês, tanto os que estiverem impuros como os que estiverem puros, poderão comer, assim como se come carne de gazela ou de veado. 16Tão somente não comam o sangue; este deve ser derramado na terra como se fosse água. 17Nas suas cidades, vocês não poderão comer o dízimo do cereal, nem do vinho, nem do azeite, nem os primogênitos das vacas e das ovelhas, nem nenhuma das ofertas que tiverem prometido, nem as ofertas voluntárias, nem as ofertas que vocês prepararam. 18Estas ofertas só poderão ser comidas diante do Senhor, seu Deus, no lugar que o Senhor, o Deus de vocês, escolher. Isto se aplica a vocês, a seus filhos e filhas, a seus servos e servas, e aos levitas que moram nas cidades onde vocês vivem. Vocês se alegrarão diante do Senhor, seu Deus, em tudo o que fizerem. 19Tenham o cuidado de não desamparar o levita durante todo o tempo em que vocês viverem naquela terra.

20— Quando o Senhor, seu Deus, ampliar o território de vocês, como ele lhes prometeu, e vocês disserem: “Queremos comer carne”, porque este é o seu desejo, vocês poderão comer carne, segundo o seu desejo. 21Se estiver longe de vocês o lugar que o Senhor, seu Deus, escolher para ali fazer habitar o seu nome, vocês poderão matar das vacas e ovelhas que o Senhor lhes tiver dado, conforme lhes ordenei; e comerão a carne nas cidades em que estiverem morando, segundo todo o seu desejo. 22Porém, vocês devem comer destas carnes como se come carne de gazela ou de veado; e delas tanto as pessoas impuras como as puras podem comer. 23Somente tenham o cuidado de não comer o sangue, porque o sangue é a vida, e vocês não devem comer a vida com a carne. 24Não comam o sangue; este deve ser derramado na terra como se fosse água. 25Não o comam, para que tudo vá bem com vocês e com os seus filhos depois de vocês, quando fizerem o que é reto aos olhos do Senhor. 26Porém as coisas que tiverem consagrado daquilo que lhes pertence e as ofertas prometidas vocês devem pegar e levar para o lugar que o Senhor escolher. 27E ali, sobre o altar do Senhor, seu Deus, vocês oferecerão os seus holocaustos, a carne e o sangue. Derramem o sangue dos seus sacrifícios sobre o altar do Senhor, seu Deus; porém a carne vocês podem comer. 28Guardem e cumpram todas estas palavras que eu lhes ordeno, para que tudo vá bem com vocês e com os seus filhos depois de vocês, para sempre, quando fizerem o que é bom e reto aos olhos do Senhor, seu Deus.

Contra a idolatria

29— Quando o Senhor, seu Deus, eliminar de diante de vocês as nações que moram na terra em que vocês vão entrar para dela tomar posse, e vocês desalojarem essas nações para habitar na terra delas, 30cuidem para que vocês não caiam na cilada de imitar essas nações, depois que elas foram eliminadas de diante de vocês. Não procurem saber a respeito dos deuses dessas nações, dizendo: “Assim como estas nações serviram os seus deuses, também nós queremos fazer!” 31Não é assim que vocês devem adorar o Senhor, seu Deus, porque eles adoraram os seus deuses, fazendo tudo o que é abominável ao Senhor e que ele odeia; até seus filhos e suas filhas eles queimaram aos seus deuses.

32— Tudo o que eu lhes ordeno vocês devem observar; não acrescentem nem diminuam nada.

Deuteronômio 12NAAAbrir na Bíblia

Resposta de Jó

Caps.9—10

Quem ousa desafiar a Deus?

1Então Jó respondeu:

2“Na verdade, sei que assim é;

porque, como pode o mortal

ser justo diante de Deus?

3Se quiser discutir com ele,

nem a uma de mil coisas

lhe poderá responder.

4Ele é sábio de coração

e grande em poder;

quem ousou desafiá-lo

e sobreviveu?

5Ele é quem remove os montes,

sem que saibam

que na sua ira ele os transtorna.

6Deus remove a terra do seu lugar,

e faz as suas colunas estremecerem.

7Ele dá uma ordem ao sol,

e este não sai,

e sela as estrelas.

8Sozinho ele estende os céus

e anda sobre as costas do mar.

9Ele fez a Ursa Maior, o Órion,

o Sete-estrelo

e as constelações do Sul.

10Deus faz coisas grandes

e insondáveis,

e maravilhas

que não se podem enumerar.

11Eis que ele passa por mim,

e não o vejo;

segue diante de mim,

e não o percebo.

12Eis que arrebata a presa!

Quem o pode impedir?

Quem lhe dirá:

‘O que estás fazendo?’

13Deus não revogará

a sua própria ira;

debaixo dele se curvam

os ajudantes

do monstro Raabe.”

Sou justo e íntegro

14“Como então poderei

eu responder a ele?

Como escolher as minhas palavras,

para argumentar com ele?

15Ainda que eu fosse justo,

não lhe responderia;

pelo contrário, pediria misericórdia

ao meu Juiz.

16Ainda que eu o chamasse

e ele me respondesse,

nem por isso eu creria

que ele deu ouvidos

à minha voz.

17Porque me esmaga

com uma tempestade

e sem motivo multiplica

as minhas feridas.

18Não me permite respirar,

porque me enche de amargura.

19Se é uma questão de força,

ele é o forte;

se é uma questão de justiça, ele dirá:

‘Quem pode me intimar?’

20Ainda que eu seja justo,

a minha boca me condenará;

embora eu seja íntegro,

ela me declarará culpado.

21Eu sou íntegro,

mas não me importo comigo,

não faço caso da minha vida.

22Para mim, é tudo a mesma coisa;

por isso, digo:

ele destrói tanto os íntegros

como os perversos.

23Se um flagelo mata de repente,

ele rirá do desespero

dos inocentes.

24A terra está entregue

nas mãos dos ímpios,

e Deus ainda cobre o rosto

dos juízes.

Se ele não é o causador disso,

quem seria?”

Deus não me considerará inocente

25“Os meus dias são mais velozes

do que um corredor;

fogem sem ter visto a felicidade.

26Passam como barcos de junco,

como a águia que se lança

sobre a presa.

27Se eu disser: ‘Vou esquecer

a minha queixa,

deixarei o meu ar triste

e ficarei contente’;

28ainda assim

todas as minhas dores

me apavoram,

porque bem sei que

não me considerarás inocente.

29Eu serei condenado;

por que, pois, trabalho em vão?

30Ainda que me lave

com água de neve

e purifique as minhas mãos

com sabão,

31mesmo assim me submergirás

no lodo,

e as minhas próprias roupas

terão nojo de mim.

32Porque ele não é ser humano,

como eu,

a quem eu responda,

se formos juntos ao tribunal.

33Não há entre nós árbitro

que ponha a mão sobre nós dois.

34Que ele tire a sua vara

de cima de mim,

e que o seu terror

não me amedronte!

35Então falarei sem o temer;

do contrário,

eu não estaria em mim.”

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: