Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 8

Texto(s) da Bíblia

As instruções para os doze

1Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças. 2Também os enviou a pregar o Reino de Deus e a curar os enfermos. 3E disse-lhes:

— Não levem nada para o caminho: nem bordão, nem sacola, nem pão, nem dinheiro; vocês também não devem ter duas túnicas. 4Na casa em que vocês entrarem, fiquem ali até saírem daquele lugar. 5E onde quer que não receberem vocês, ao saírem daquela cidade sacudam o pó dos pés em testemunho contra eles.

6Então, saindo, percorriam todas as aldeias, anunciando o evangelho e fazendo curas por toda parte.

A dúvida de Herodes

7Ora, o tetrarca Herodes soube de tudo o que se passava e ficou perplexo, porque alguns diziam: “João ressuscitou dentre os mortos.” 8Outros diziam: “Elias apareceu.” E ainda outros diziam: “Um dos antigos profetas ressuscitou.” 9Herodes, porém, disse:

— Eu mandei decapitar João. Quem, então, é este a respeito do qual tenho ouvido tais coisas?

E se esforçava para vê-lo.

A primeira multiplicação de pães e peixes

10Ao regressarem, os apóstolos relataram a Jesus tudo o que tinham feito. Ele, levando-os consigo, retirou-se à parte para uma cidade chamada Betsaida. 11Mas as multidões souberam disso e o seguiram. Acolhendo-as, Jesus lhes falava a respeito do Reino de Deus e socorria os que tinham necessidade de cura. 12Mas o dia estava chegando ao fim. Então os doze se aproximaram de Jesus e disseram:

— Despeça a multidão, para que, indo às aldeias e campos ao redor, se hospedem e encontrem alimento; pois estamos aqui em lugar deserto.

13Jesus, porém, lhes disse:

— Deem vocês mesmos de comer a eles.

Os discípulos responderam:

— Não temos mais que cinco pães e dois peixes, a não ser que nós mesmos vamos e compremos comida para todo este povo.

14Porque estavam ali cerca de cinco mil homens. Então Jesus disse aos seus discípulos:

— Façam com que se assentem em grupos de cinquenta.

15Eles atenderam, fazendo com que todos se assentassem. 16E Jesus, pegando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos para o céu, os abençoou, partiu e deu aos discípulos para que os distribuíssem entre o povo. 17Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobraram foram recolhidos doze cestos.

A confissão de Pedro. Jesus prediz a própria morte

18E aconteceu que, enquanto Jesus estava orando em particular, achavam-se presentes os discípulos, a quem perguntou:

— Quem as multidões dizem que eu sou?

19Eles responderam:

— Uns dizem que é João Batista; outros dizem que é Elias; e ainda outros dizem que um dos antigos profetas ressuscitou.

20Então Jesus perguntou:

— E vocês, quem dizem que eu sou?

Respondendo, Pedro disse:

— O Cristo de Deus.

21Jesus, porém, advertindo-os, mandou que a ninguém declarassem tal coisa, 22dizendo:

— É necessário que o Filho do Homem sofra muitas coisas, seja rejeitado pelos anciãos, pelos principais sacerdotes e pelos escribas, seja morto e, no terceiro dia, ressuscite.

Tome a sua cruz

23Jesus dizia a todos:

— Se alguém quer vir após mim, negue a si mesmo, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. 24Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá; e quem perder a vida por minha causa, esse a salvará. 25De que adianta uma pessoa ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou causar dano a si mesma? 26Pois quem se envergonhar de mim e das minhas palavras, dele se envergonhará o Filho do Homem, quando vier na sua glória e na glória do Pai e dos santos anjos. 27Em verdade lhes digo que alguns dos que aqui se encontram não passarão pela morte até que vejam o Reino de Deus.

Lucas 9:1-27NAAAbrir na Bíblia

Deus faz uma aliança com Abrão

1Depois destes acontecimentos, a palavra do Senhor veio a Abrão, numa visão, dizendo:

— Não tenha medo, Abrão, eu sou o seu escudo, e lhe darei uma grande recompensa.

2Abrão respondeu:

— Senhor Deus, que me darás, se continuo sem filhos e o herdeiro da minha casa é o damasceno Eliézer?

3Abrão continuou:

— Tu não me deste descendência, e um servo nascido na minha casa será o meu herdeiro.

4E eis que a palavra do Senhor veio a ele, dizendo:

— Esse não será o seu herdeiro. Pelo contrário, aquele que será gerado por você, esse será o seu herdeiro.

5Então o Senhor levou-o para fora e disse:

— Olhe para os céus e conte as estrelas, se puder contá-las.

E lhe disse:

— Assim será a sua posteridade.

6Abrão creu no Senhor, e isso lhe foi atribuído para justiça.

7O Senhor disse também:

— Eu sou o Senhor que o tirei de Ur dos caldeus, para lhe dar esta terra como herança.

8Mas Abrão perguntou:

— Senhor Deus, como saberei que vou herdar essa terra?

9O Senhor respondeu:

— Traga-me uma novilha, uma cabra e um cordeiro, cada qual de três anos, uma rolinha e um pombinho.

10Abrão trouxe todos esses animais, cortou-os pelo meio e pôs as metades umas diante das outras. As aves, porém, não cortou pelo meio. 11Aves de rapina desciam sobre os cadáveres, porém Abrão as enxotava.

12Ao pôr do sol, um profundo sono caiu sobre Abrão, e grande pavor e densas trevas tomaram conta dele. 13Então o Senhor lhe disse:

— Fique sabendo, com certeza, que a sua posteridade será peregrina em terra alheia, será reduzida à escravidão e será afligida durante quatrocentos anos. 14Mas eu castigarei a nação que os escravizar. Depois eles sairão com muitas riquezas. 15E você irá para junto de seus pais em paz; será sepultado em boa velhice. 16Na quarta geração, voltarão para cá; porque a medida da iniquidade dos amorreus ainda não se encheu.

17Quando o sol se pôs e houve densas trevas, eis que um fogareiro fumegante e uma tocha de fogo passaram entre aqueles pedaços dos animais. 18Naquele mesmo dia, o Senhor fez aliança com Abrão, dizendo:

— À sua descendência dei esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio Eufrates: 19a terra dos queneus, dos quenezeus, dos cadmoneus, 20dos heteus, dos ferezeus, dos refains, 21dos amorreus, dos cananeus, dos girgaseus e dos jebuseus.

Gênesis 15NAAAbrir na Bíblia

A glória divina e a dignidade do filho do homem

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Os lagares”. Salmo de Davi

1Ó Senhor, Senhor nosso,

como é magnífico o teu nome

em toda a terra!

Pois puseste nos céus

a tua majestade.

2Da boca de pequeninos

e crianças de peito

suscitaste força, por causa

dos teus adversários,

para fazeres emudecer o inimigo

e o vingador.

3Quando contemplo os teus céus,

obra dos teus dedos,

e a lua e as estrelas

que estabeleceste,

4que é o homem,

para que dele te lembres?

E o filho do homem,

para que o visites?

5Fizeste-o, no entanto,

por um pouco,

menor do que Deus

e de glória e de honra o coroaste.

6Deste-lhe domínio

sobre as obras da tua mão

e sob seus pés tudo lhe puseste:

7ovelhas e bois, todos,

e também os animais do campo;

8as aves do céu,

os peixes do mar

e tudo o que percorre

as veredas dos mares.

9Ó Senhor, Senhor nosso,

como é magnífico o teu nome

em toda a terra!

Salmos 8NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: