Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 62

Texto(s) da Bíblia

O pedido do chefe da sinagoga

18Enquanto Jesus lhes dizia estas coisas, eis que um chefe da sinagoga, aproximando-se, o adorou e disse:

— Minha filha morreu agora mesmo; mas venha impor a mão sobre ela, e ela viverá.

19E Jesus se levantou e o seguiu, juntamente com os seus discípulos.

A cura de uma mulher enferma

20E eis que uma mulher, que durante doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia, veio por trás de Jesus e tocou na borda da capa dele. 21Porque dizia consigo mesma: “Se eu apenas tocar na capa dele, ficarei curada.” 22Então Jesus, voltando-se e vendo-a, disse:

— Coragem, filha, a sua fé salvou você.

E, desde aquele instante, a mulher ficou sã.

A ressurreição da filha do chefe da sinagoga

23Tendo Jesus chegado à casa do chefe e vendo os tocadores de flauta e o povo em alvoroço, disse:

24— Saiam daqui! Porque a menina não está morta, mas dorme.

E riam-se dele. 25Mas, quando o povo tinha sido colocado para fora, Jesus entrou, tomou a menina pela mão, e ela se levantou. 26E a notícia deste acontecimento se espalhou por toda aquela terra.

A cura de dois cegos

27Saindo Jesus dali, dois cegos o seguiram, gritando:

— Tenha compaixão de nós, Filho de Davi!

28Quando ele entrou em casa, os cegos se aproximaram, e Jesus lhes perguntou:

— Vocês creem que eu posso fazer isso?

Eles responderam:

— Sim, Senhor!

29Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo:

— Que se faça com vocês conforme a fé que vocês têm.

30E os olhos deles se abriram. Jesus, porém, os advertiu severamente, dizendo:

— Tenham cuidado para que ninguém fique sabendo disto.

31Eles, porém, saíram e espalharam a notícia a respeito de Jesus por toda aquela terra.

A cura de um mudo endemoniado

32Quando eles saíram, eis que trouxeram a Jesus um mudo endemoniado. 33E, assim que o demônio foi expulso, o mudo passou a falar. E as multidões se admiravam, dizendo:

— Jamais se viu tal coisa em Israel!

34Mas os fariseus diziam:

— Ele expulsa os demônios pelo poder do maioral dos demônios.

A compaixão de Jesus

35E Jesus percorria todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do Reino e curando todo tipo de doenças e enfermidades. 36Ao ver as multidões, Jesus se compadeceu delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor. 37Então Jesus disse aos seus discípulos:

— A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Por isso, peçam ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.

Mateus 9:18-38NAAAbrir na Bíblia

Casos em que é preciso oferecer sacrifício

1— Se alguém pecar porque, sendo testemunha de um fato que viu ou ficou sabendo, não o quis revelar, mesmo sob ameaça de maldição, essa pessoa levará a sua iniquidade. 2Se alguém tocar em alguma coisa impura, como o cadáver de um animal impuro, seja de um animal selvagem, de um animal doméstico ou de um animal que rasteja pelo chão, ainda que não se dê conta disso, e se tornar impuro, então será culpado. 3Se tocar a impureza de uma pessoa, seja qual for a impureza com que se faça impuro, e não se der conta disso, mas ficar sabendo depois, será culpado. 4Se alguém jurar de forma precipitada, dizendo que vai fazer alguma coisa má ou boa, seja o que for que alguém pronuncie de forma precipitada com juramento, e ele não se der conta disso, mas ficar sabendo depois, culpado será numa destas coisas. 5Quem for culpado numa destas coisas, confessará aquilo em que pecou. 6Como sua oferta pela culpa, pelo pecado que cometeu, essa pessoa trará ao Senhor, do gado miúdo, uma cordeira ou uma cabrita como oferta pelo pecado; assim, o sacerdote, por essa pessoa, fará expiação do seu pecado.

7— Se as suas posses não lhe permitirem trazer uma cordeira, trará ao Senhor, como oferta pela culpa, pelo pecado que cometeu, duas rolinhas ou dois pombinhos: um como oferta pelo pecado, e o outro como holocausto. 8Entregará as duas aves ao sacerdote, que primeiro oferecerá a ave que é oferta pelo pecado. O sacerdote destroncará a cabeça da ave, sem a separar do pescoço. 9Do sangue da oferta pelo pecado aspergirá sobre a parede do altar, e o restante do sangue fará correr na base do altar; é oferta pelo pecado. 10E da outra ave fará um holocausto, conforme o estabelecido. Assim, o sacerdote, por essa pessoa, fará oferta pelo pecado que ela cometeu, e o pecado lhe será perdoado.

11— Porém, se as suas posses não lhe permitirem trazer duas rolinhas ou dois pombinhos, então essa pessoa que pecou trará, por sua oferta, dois litros da melhor farinha como oferta pelo pecado; não derramará azeite sobre a farinha, nem lhe porá em cima incenso, pois é oferta pelo pecado. 12Entregará a oferta ao sacerdote, e o sacerdote pegará um punhado da farinha como porção memorial e a queimará sobre o altar, em cima das ofertas queimadas ao Senhor; é oferta pelo pecado. 13Assim, o sacerdote, por essa pessoa, fará oferta pelo pecado que cometeu em alguma destas coisas, e o pecado lhe será perdoado. O restante da farinha será do sacerdote, como no caso da oferta de cereais.

O sacrifício pelo sacrilégio

14O Senhor disse a Moisés:

15— Se alguém cometer ofensa e pecar de forma involuntária nas coisas sagradas do Senhor, trará ao Senhor, por oferta, do rebanho, um carneiro sem defeito, conforme avaliação em prata, segundo o peso padrão do santuário, como oferta pela culpa. 16Assim, restituirá o que tirou das coisas sagradas, e ainda acrescentará o seu quinto, e o dará ao sacerdote; assim, o sacerdote, com o carneiro da oferta pela culpa, fará expiação por essa pessoa, e o pecado lhe será perdoado.

O sacrifício pelos pecados involuntários

17— Se alguma pessoa pecar e fizer contra algum dos mandamentos do Senhor aquilo que não se deve fazer, ainda que não tenha se dado conta disso, será culpada mesmo assim e levará a sua iniquidade. 18E do rebanho trará ao sacerdote um carneiro sem defeito, conforme avaliação feita, para oferta pela culpa, e o sacerdote, por essa pessoa, fará expiação no que se refere ao erro que, de forma involuntária, cometeu, e lhe será perdoado. 19É oferta pela culpa, pois certamente se tornou culpada diante do Senhor.

Levítico 5NAAAbrir na Bíblia

O sacrifício pelos pecados voluntários

1O Senhor falou a Moisés, dizendo:

2— Se uma pessoa pecar e cometer ofensa contra o Senhor, negando ao seu próximo o que este lhe deu em depósito, ou como penhor; ou se roubar, ou tiver usado de extorsão para com o seu próximo; 3ou se, tendo achado um objeto perdido, negar com falso juramento que o achou, ou fizer alguma outra coisa de todas em que se costuma pecar, 4será, pois, que, tendo pecado e ficado culpada, essa pessoa restituirá aquilo que roubou, ou que extorquiu, ou o depósito que lhe foi dado, ou o perdido que achou, 5ou tudo aquilo sobre que jurou falsamente. Restituirá por inteiro e a isso ainda acrescentará a quinta parte. Entregará isso àquele a quem pertence no dia em que trouxer a oferta pela culpa. 6E, por sua oferta pela culpa, trará, do rebanho, ao Senhor um carneiro sem defeito, devidamente avaliado, para a oferta pela culpa; trará o carneiro ao sacerdote. 7E o sacerdote fará expiação por essa pessoa diante do Senhor, e ela será perdoada de qualquer dessas coisas que fez e que a tornou culpada.

A lei a respeito do holocausto

8O Senhor disse a Moisés:

9— Ordene a Arão e a seus filhos, dizendo: Esta é a lei a respeito do holocausto: o holocausto ficará sobre as brasas do altar toda a noite até pela manhã, e o fogo do altar nunca poderá ser apagado. 10O sacerdote vestirá a sua túnica de linho e os calções de linho sobre a pele nua, e levantará a cinza, quando o fogo houver consumido o holocausto sobre o altar, e a colocará ao lado do altar. 11Depois, despirá as suas vestes e porá outras roupas; e levará a cinza para fora do arraial a um lugar puro.

12— O fogo sempre ficará aceso sobre o altar; não deve ser apagado. O sacerdote acenderá lenha no altar cada manhã, e sobre ele porá em ordem o holocausto, e sobre ele queimará a gordura das ofertas pacíficas. 13O fogo queimará continuamente sobre o altar; não deve ser apagado.

A lei a respeito da oferta de cereais

14— Esta é a lei a respeito da oferta de cereais: os filhos de Arão a oferecerão diante do Senhor, diante do altar. 15Um dos sacerdotes pegará um punhado da melhor farinha da oferta de cereais com seu azeite e todo o incenso que está sobre a oferta de cereais e o queimará sobre o altar, como porção memorial de aroma agradável ao Senhor. 16O restante da oferta Arão e seus filhos comerão. Deve ser comido sem fermento, em lugar santo; no pátio da tenda do encontro, o comerão. 17Isso não poderá ser preparado com fermento; é a porção das minhas ofertas queimadas que dei aos sacerdotes; coisa santíssima é, como a oferta pelo pecado e a oferta pela culpa. 18Todos os homens que são descendentes de Arão podem comer da oferta de cereais; estatuto perpétuo será para as gerações de vocês dentre as ofertas queimadas do Senhor; tudo o que tocar nelas será santo.

A oferta na consagração dos sacerdotes

19O Senhor disse a Moisés:

20— Esta é a oferta de Arão e de seus filhos, que oferecerão ao Senhor no dia em que aquele for ungido: dois litros da melhor farinha pela oferta contínua de cereais; metade dela será oferecida pela manhã, e a outra metade, à tarde. 21Será feita numa assadeira, com azeite; traga-a bem amassada. Em pedaços cozidos você trará a oferta de cereais de aroma agradável ao Senhor. 22Também o sacerdote, que entre os filhos de Arão for ungido em seu lugar, fará o mesmo; por estatuto perpétuo será de todo queimada ao Senhor. 23Assim, toda a oferta de cereais trazida por um sacerdote será totalmente queimada; não poderá ser comida.

A lei a respeito da oferta pelo pecado

24O Senhor disse a Moisés:

25— Fale a Arão e a seus filhos, dizendo: Esta é a lei a respeito da oferta pelo pecado: o animal que é oferta pelo pecado será morto no lugar onde são mortos os animais oferecidos em holocausto, diante do Senhor; coisa santíssima é. 26O sacerdote que a oferecer pelo pecado a comerá; no lugar santo se comerá, no pátio da tenda do encontro. 27Tudo o que tocar a carne da oferta será santo; se alguém aspergir desse sangue sobre a sua roupa, você terá de lavar aquilo sobre que o sangue caiu, no lugar santo. 28E o vaso de barro em que a carne for cozida será quebrado; porém, se for cozida num vaso de bronze, o vaso deverá ser esfregado e lavado com água. 29Somente os homens da linhagem sacerdotal poderão comer dessa carne; coisa santíssima é. 30Porém não se comerá nenhuma oferta pelo pecado, cujo sangue se traz à tenda do encontro, para fazer expiação no santuário; essa terá de ser queimada no fogo.

Levítico 6NAAAbrir na Bíblia

1Como correntes de águas,

assim é o coração do rei

na mão do Senhor;

este o dirige para onde quiser.

2Todo caminho de uma pessoa

é reto aos seus próprios olhos,

mas o Senhor sonda os corações.

3Fazer justiça e julgar com retidão

é mais aceitável ao Senhor

do que oferecer sacrifícios.

4Olhar arrogante

e coração orgulhoso

— a lâmpada dos ímpios —

são pecado.

5Os planos de quem é esforçado

conduzem à fartura,

mas a pressa excessiva

leva à pobreza.

6Fazer fortuna

por meio da mentira

é vaidade e armadilha mortal.

7A violência dos ímpios

os leva à ruína,

porque eles se recusam

a praticar a justiça.

8O caminho do culpado

é tortuoso,

mas, quanto ao inocente,

a sua conduta é reta.

9Melhor é morar

no canto do terraço

do que com uma mulher briguenta

na mesma casa.

10A alma do ímpio deseja o mal;

nem o seu vizinho

recebe dele compaixão.

11Quando o zombador é castigado,

os ingênuos se tornam sábios;

e, quando o sábio é instruído,

cresce no conhecimento.

12Deus, o justo, observa

a casa dos ímpios

e os faz cair em desgraça.

13Quem tapa os ouvidos

ao clamor do pobre

também clamará

e não será ouvido.

14O presente que se dá em segredo

acalma a ira,

e a dádiva em sigilo

vence a mais forte indignação.

15Praticar a justiça

é uma alegria para o justo,

mas espanto

para os que praticam o mal.

16Quem se desvia do caminho

do entendimento

repousará na congregação

dos mortos.

17Quem ama os prazeres

acabará na pobreza;

quem ama o vinho e a boa vida

nunca ficará rico.

18O ímpio serve de resgate

para o justo,

e, em lugar dos retos,

é entregue o infiel.

19Melhor é morar

numa terra deserta

do que com a mulher briguenta

e geniosa.

20Na casa do sábio

há tesouros preciosos

e o suficiente para viver,

mas o tolo desperdiça

tudo o que tem.

21Quem segue a justiça

e a bondade

achará a vida, a justiça e a honra.

22O sábio escala a cidade

dos valentes

e derruba a fortaleza

em que eles confiam.

23Quem guarda a boca e a língua

guarda a sua alma

de muitas dificuldades.

24Quanto ao orgulhoso

e arrogante,

zombador é o seu nome;

ele age com orgulho e arrogância.

25O preguiçoso morre desejando,

porque as suas mãos

se recusam a trabalhar.

26O cobiçoso cobiça todo o dia,

porém o justo

dá com generosidade.

27O sacrifício dos ímpios

já é abominação;

ainda mais quando é oferecido

com más intenções!

28A testemunha falsa perecerá,

mas quem sabe ouvir

falará sem ser contestado.

29O ímpio aparenta determinação,

mas o justo considera

o seu caminho.

30Não há sabedoria,

nem entendimento,

nem mesmo conselho

contra o Senhor.

31O cavalo é preparado

para o dia da batalha,

mas a vitória vem do Senhor.

Provérbios 21NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: