Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 59

Texto(s) da Bíblia

A cura de um leproso

1Quando Jesus desceu do monte, grandes multidões o seguiram. 2E eis que um leproso aproximou-se e o adorou, dizendo:

— Senhor, se quiser, pode me purificar.

3E Jesus, estendendo a mão, tocou nele, dizendo:

— Quero, sim. Fique limpo!

E, no mesmo instante, ele ficou limpo da sua lepra. 4Então Jesus lhe disse:

— Olhe, não conte isso a ninguém, mas vá, apresente-se ao sacerdote e faça a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho ao povo.

A cura do servo de um centurião

5Tendo Jesus entrado em Cafarnaum, um centurião se aproximou dele, implorando:

6— Senhor, o meu servo está na minha casa, de cama, paralítico, sofrendo horrivelmente.

7Jesus lhe disse:

— Eu vou lá curá-lo.

8Mas o centurião respondeu:

— Senhor, não sou digno de recebê-lo em minha casa. Mas apenas mande com uma palavra, e o meu servo será curado. 9Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, tenho soldados às minhas ordens e digo a este: “Vá”, e ele vai; e a outro: “Venha”, e ele vem; e ao meu servo: “Faça isto”, e ele o faz.

10Ao ouvir isso, Jesus ficou admirado e disse aos que o acompanhavam:

— Em verdade lhes digo que nem mesmo em Israel encontrei fé como esta. 11Digo a vocês que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugar à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no Reino dos Céus. 12Mas os filhos do Reino serão lançados para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes.

13Então Jesus disse ao centurião:

— Vá! E seja feito conforme você crê.

E, naquela mesma hora, o servo do centurião foi curado.

Mateus 8:1-13NAAAbrir na Bíblia

As vestes sacerdotais

Êx 28.2

1Fizeram também de pano azul, púrpura e carmesim as vestes, finamente tecidas, para ministrar no santuário, e também fizeram as vestes sagradas para Arão, como o Senhor havia ordenado a Moisés.

A estola sacerdotal

Êx 28.6-14

2Fizeram a estola sacerdotal de ouro, pano azul, púrpura, carmesim e linho fino retorcido. 3De ouro batido fizeram lâminas finas e as cortaram em fios, para serem tecidos com o pano azul, a púrpura, o carmesim e o linho fino da obra de desenhista. 4Tinha duas ombreiras que se uniam às suas duas extremidades, e assim se uniam. 5O cinto de obra esmerada, que estava sobre a estola sacerdotal, era de obra igual, da mesma obra de ouro, pano azul, púrpura, carmesim e linho fino retorcido, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés.

6Também se prepararam as pedras de ônix, engastadas em ouro, trabalhadas como quando se faz um sinete, com os nomes dos filhos de Israel. 7E puseram as duas pedras nas ombreiras da estola sacerdotal, por pedras de memória aos filhos de Israel, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés.

O peitoral

Êx 28.15-30

8Fizeram também o peitoral de obra esmerada, conforme a obra da estola sacerdotal: de ouro, pano azul, púrpura, carmesim e linho fino retorcido. 9O peitoral era quadrado e duplo: de um palmo era o seu comprimento e de um palmo dobrado era a sua largura. 10Colocaram nele engastes de pedras, com quatro ordens de pedras: a ordem de sárdio, topázio e carbúnculo era a primeira; 11a segunda ordem era de esmeralda, safira e diamante; 12a terceira ordem era de jacinto, ágata e ametista; 13e a quarta ordem era de berilo, ônix e jaspe; elas eram guarnecidas de ouro nos seus engastes. 14As pedras eram conforme os nomes dos filhos de Israel, doze segundo os seus nomes; eram esculpidas em forma de sinete, cada uma com o seu nome, para as doze tribos.

15E fizeram para o peitoral correntes como cordas, de obra trançada de ouro puro. 16Também fizeram para o peitoral dois engastes de ouro e duas argolas de ouro; e prenderam as duas argolas nas extremidades do peitoral. 17E passaram as duas correntes trançadas de ouro nas duas argolas, nas extremidades do peitoral. 18Fixaram as outras duas pontas das duas correntes trançadas nos dois engastes e as puseram nas ombreiras da estola sacerdotal, na frente dele. 19Fizeram também duas argolas de ouro e as puseram nas duas extremidades do peitoral, na sua borda interior oposta à estola sacerdotal. 20Fizeram também mais duas argolas de ouro e as puseram nas duas ombreiras da estola sacerdotal, abaixo, na frente dele, perto da sua juntura, sobre o cinto de obra esmerada da estola sacerdotal. 21E ligaram o peitoral com as suas argolas às argolas da estola sacerdotal por cima com uma fita azul, para que estivesse sobre o cinto de obra esmerada da estola sacerdotal, e para que nunca o peitoral se separasse da estola sacerdotal, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés.

As outras vestes sacerdotais

Êx 28.31-43

22Fizeram também a sobrepeliz da estola sacerdotal, de obra tecida, toda de pano azul. 23No meio dela havia uma abertura; era rematada, como a abertura de uma gola, para que não se rasgasse. 24Em toda a borda da sobrepeliz, fizeram romãs de pano azul, carmesim e linho retorcido. 25Fizeram campainhas de ouro puro e as colocaram no meio das romãs em toda a borda da sobrepeliz; 26uma campainha e uma romã, outra campainha e outra romã, em toda a borda da sobrepeliz, para se usar ao ministrar, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés.

27Fizeram também as túnicas de linho fino, de obra tecida, para Arão e para seus filhos, 28e a mitra de linho fino, os turbantes de linho fino, os calções de linho fino retorcido 29e o cinto de linho fino retorcido, e de pano azul, de púrpura e de carmesim, obra de bordador, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés.

30Também fizeram de ouro puro a lâmina da coroa sagrada e nela gravaram à maneira de gravuras de sinete: “Santidade ao Senhor”. 31E ataram-na com um cordão de pano azul, para prender a lâmina à parte superior da mitra, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés.

A obra do tabernáculo é concluída

Êx 35.10-19

32Assim se concluiu toda a obra do tabernáculo da tenda do encontro. Os filhos de Israel fizeram tudo segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 33Depois, trouxeram a Moisés o tabernáculo, a tenda e todos os seus pertences, os seus colchetes, as suas tábuas, as suas vigas superiores, as suas colunas e as suas bases; 34a cobertura de peles de carneiro tingidas de vermelho, a cobertura de peles finas e o véu do cortinado; 35a arca do testemunho, os seus cabos e o propiciatório; 36a mesa com todos os seus utensílios e os pães da proposição; 37o candelabro de ouro puro com suas lâmpadas; as lâmpadas colocadas em ordem, todos os seus utensílios e o azeite para a iluminação; 38também o altar de ouro, o óleo da unção, o incenso aromático e o cortinado da porta da tenda; 39o altar de bronze, a sua grelha de bronze, os seus cabos e todos os seus utensílios, a bacia e o seu suporte; 40as cortinas do átrio, as suas colunas, as suas bases, o cortinado para a porta do átrio, as suas cordas, os seus pregos e todos os utensílios do serviço do tabernáculo, para a tenda do encontro; 41as vestes finamente tecidas para ministrar no santuário, as vestes sagradas do sacerdote Arão e as vestes de seus filhos, para oficiarem como sacerdotes.

42Tudo segundo o Senhor havia ordenado a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel toda a obra. 43Moisés examinou toda a obra, e viu que a tinham feito segundo o Senhor havia ordenado; assim a fizeram, e Moisés os abençoou.

Êxodo 39NAAAbrir na Bíblia

Deus manda Moisés armar o tabernáculo

1Depois o Senhor disse a Moisés:

2— No primeiro dia do primeiro mês, arme o tabernáculo da tenda do encontro. 3Ponha nele a arca do testemunho e cubra-a com o véu. 4Ponha nele a mesa e coloque em ordem as coisas que estão sobre ela; ponha nele também o candelabro e monte as suas lâmpadas. 5Coloque o altar de ouro para o incenso diante da arca do testemunho e pendure o cortinado da porta do tabernáculo. 6Coloque o altar do holocausto diante da porta do tabernáculo da tenda do encontro. 7Ponha a bacia entre a tenda do encontro e o altar e encha-a com água. 8Depois, arme o átrio ao redor e pendure o cortinado à porta do átrio.

9— Pegue o óleo da unção, e unja o tabernáculo e tudo o que nele está, e consagre-o com todos os seus pertences; e será santo. 10Unja também o altar do holocausto e todos os seus utensílios e consagre o altar; e o altar se tornará santíssimo. 11Depois, unja a bacia e o seu suporte e consagre-a.

12— Faça com que Arão e seus filhos se aproximem da porta da tenda do encontro e mande que se lavem com água. 13Vista Arão com as vestes sagradas, unja e consagre-o para que me sirva como sacerdote. 14Faça com que também os filhos de Arão se aproximem, vista-os com as túnicas, 15e unja-os assim como você ungiu o pai deles, para que me oficiem como sacerdotes; sua unção lhes será por sacerdócio perpétuo de geração em geração.

O tabernáculo é armado

16E Moisés fez tudo segundo o Senhor lhe havia ordenado. 17No primeiro mês do segundo ano, no primeiro dia do mês, o tabernáculo foi armado. 18Moisés ergueu o tabernáculo, pôs as suas bases, armou as suas tábuas, colocou nele as suas vigas superiores e levantou as suas colunas; 19estendeu a tenda sobre o tabernáculo e pôs a cobertura da tenda por cima, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 20Pegou o testemunho e o pôs na arca, passou os cabos na arca e pôs o propiciatório em cima da arca. 21Introduziu a arca no tabernáculo, pendurou o véu do cortinado e com ele cobriu a arca do testemunho, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 22Pôs também a mesa na tenda do encontro, ao lado do tabernáculo, para o norte, fora do véu, 23e sobre ela pôs em ordem os pães da proposição diante do Senhor, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 24Pôs também, na tenda do encontro, o candelabro diante da mesa, ao lado do tabernáculo, para o sul, 25e preparou as lâmpadas diante do Senhor, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 26Pôs o altar de ouro na tenda do encontro, diante do véu, 27e acendeu sobre ele o incenso aromático, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 28Pendurou também o cortinado da porta do tabernáculo, 29pôs o altar do holocausto à porta do tabernáculo da tenda do encontro e ofereceu sobre ele holocausto e oferta de cereais, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 30Pôs a bacia entre a tenda do encontro e o altar e a encheu de água, para se lavar. 31Nela, Moisés, Arão e seus filhos lavavam as mãos e os pés, 32quando entravam na tenda do encontro e quando se aproximavam do altar, segundo o Senhor havia ordenado a Moisés. 33Levantou também o átrio ao redor do tabernáculo e do altar e pendurou o cortinado da porta do átrio. Assim Moisés acabou a obra.

A nuvem cobre o tabernáculo

Nm 9.15-23

34Então a nuvem cobriu a tenda do encontro, e a glória do Senhor encheu o tabernáculo. 35Moisés não podia entrar na tenda do encontro, porque a nuvem permanecia sobre ela, e a glória do Senhor enchia o tabernáculo. 36Quando a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, os filhos de Israel seguiam adiante, em todas as suas jornadas; 37se a nuvem, porém, não se levantava, não seguiam adiante, até o dia em que ela se levantava. 38De dia, a nuvem do Senhor repousava sobre o tabernáculo, e, de noite, havia fogo nela, à vista de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas.

Êxodo 40NAAAbrir na Bíblia

1O solitário busca

o seu próprio interesse

e se opõe à verdadeira sabedoria.

2O tolo não tem prazer

no entendimento,

mas apenas em externar

o que pensa.

3Com a maldade

vem também o desprezo;

com a desonra vem a vergonha.

4As palavras de uma pessoa

são águas profundas,

e a fonte da sabedoria é um ribeiro

que transborda.

5Não é bom ser parcial

com os ímpios,

para torcer o direito

contra os justos.

6Os lábios do tolo

entram na discussão,

e a sua boca clama por açoites.

7A boca do tolo

é a sua própria destruição,

e os seus lábios são uma armadilha

para a sua alma.

8As palavras do difamador

são comida fina,

que desce para o mais interior

do ventre.

9Quem é negligente

no seu trabalho

já é irmão do desperdiçador.

10Torre forte é o nome do Senhor;

o justo corre para ela

e está seguro.

11Os bens do rico

são a sua cidade fortificada

e, segundo imagina,

uma alta muralha.

12Antes da ruína,

o coração humano se gaba,

mas a humildade precede a honra.

13Responder antes de ouvir

é tolice e vergonha.

14O espírito firme sustenta

a pessoa na sua doença,

mas o espírito abatido,

quem o pode suportar?

15O coração do sábio adquire

o conhecimento,

e o ouvido dos sábios

procura o saber.

16Um presente que se dá

abre portas

e leva alguém

à presença dos grandes.

17O primeiro que pleiteia

a sua causa parece justo,

até que vem o outro e o examina.

18Um sorteio põe fim às rixas

e decide questões

entre os poderosos.

19Um irmão ofendido resiste

mais que uma fortaleza,

e as rixas são como as trancas

das portas de um castelo.

20Do fruto da boca

o coração se farta;

do que produzem os lábios

ele se satisfaz.

21A morte e a vida

estão no poder da língua;

quem bem a utiliza

come do seu fruto.

22Quem acha uma esposa

acha o bem;

recebeu uma bênção do Senhor.

23O pobre fala com súplicas,

mas o rico responde com dureza.

24Quem tem muitos amigos

pode cair em desgraça;

mas há amigo mais chegado

que um irmão.

Provérbios 18NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: