Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 39

Texto(s) da Bíblia

Jesus, o sumo sacerdote eterno

14Tendo, pois, Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que adentrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. 15Porque não temos sumo sacerdote que não possa se compadecer das nossas fraquezas; pelo contrário, ele foi tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. 16Portanto, aproximemo-nos do trono da graça com confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça para ajuda em momento oportuno.

Hebreus 4:14-16NAAAbrir na Bíblia

1Cada sumo sacerdote, sendo escolhido dentre os homens, é constituído nas coisas relacionadas com Deus, a favor dos homens, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. 2Ele é capaz de se compadecer dos ignorantes e dos que se desviam do caminho, pois também ele mesmo está rodeado de fraquezas. 3Por esta razão, deve oferecer sacrifícios pelos pecados, tanto do povo como de si mesmo. 4E ninguém toma esta honra para si mesmo, a não ser quando chamado por Deus, como aconteceu com Arão.

5Assim, também Cristo não glorificou a si mesmo para se tornar sumo sacerdote, mas quem o glorificou foi aquele que lhe disse:

“Você é meu Filho,

hoje eu gerei você.”

6E em outro lugar também diz:

“Você é sacerdote para sempre,

segundo a ordem

de Melquisedeque.”

7Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte, foi ouvido por causa da sua reverência. 8Embora fosse Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu 9e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem. 10E Deus o nomeou sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.

Exortação ao progresso na fé

11A esse respeito temos muitas coisas a dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês ficaram com preguiça de ouvir. 12Pois, quando já deviam ser mestres, levando em conta o tempo decorrido, vocês têm, novamente, necessidade de alguém que lhes ensine quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus. Passaram a ter necessidade de leite e não de alimento sólido. 13Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. 14Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.

Hebreus 5NAAAbrir na Bíblia

1Por isso, deixando os princípios elementares da doutrina de Cristo, avancemos para o que é perfeito, não lançando de novo a base do arrependimento de obras mortas e da fé em Deus, 2o ensino de batismos e da imposição de mãos, da ressurreição dos mortos e do juízo eterno. 3Isso faremos, se Deus o permitir.

4É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, se tornaram participantes do Espírito Santo, 5provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro 6e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à zombaria. 7Porque a terra que absorve a chuva que frequentemente cai sobre ela e produz plantas úteis para aqueles que a cultivam recebe bênção da parte de Deus; 8mas, se produz espinhos e ervas daninhas, é rejeitada e está perto da maldição; e o seu fim é ser queimada.

9Quanto a vocês, meus amados, ainda que falemos desta maneira, estamos certos de que coisas melhores os esperam, coisas relacionadas com a salvação. 10Porque Deus não é injusto para se esquecer do trabalho que vocês fizeram e do amor que mostraram para com o seu nome, pois vocês serviram e ainda estão servindo aos santos. 11Desejamos que cada um de vocês continue mostrando, até o fim, o mesmo empenho para a plena certeza da esperança, 12para que não se tornem preguiçosos, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela paciência, herdam as promessas.

Hebreus 6:1-12NAAAbrir na Bíblia

Bênçãos proféticas de Jacó

1Depois, Jacó chamou os seus filhos e disse:

— Ajuntem-se, e eu lhes farei saber o que vai acontecer com vocês nos dias que virão:

2“Reúnam-se e ouçam,

filhos de Jacó;

ouçam o que diz Israel,

o pai de vocês.”

3“Rúben, você é

o meu primogênito,

minha força e as primícias

do meu vigor,

o mais excelente em dignidade

e o mais excelente em poder.

4Impetuoso como a água,

você não será o mais excelente,

porque subiu ao leito de seu pai

e o profanou;

você profanou a minha cama.”

5“Simeão e Levi são irmãos;

as suas espadas são instrumentos

de violência.

6Que a minha alma não entre

no conselho deles;

que a minha glória não participe

do seu agrupamento;

porque no seu furor

mataram homens,

e na sua vontade perversa

mutilaram touros.

7Maldito seja o seu furor,

pois era forte;

e maldita seja a sua ira,

pois era intensa;

eu os dividirei em Jacó

e os espalharei em Israel.”

8“Judá, os seus irmãos o louvarão;

a sua mão estará sobre o pescoço

dos seus inimigos;

os filhos de seu pai

se inclinarão diante de você.

9Judá é um leãozinho;

da presa você subiu, meu filho.

Ele se agacha e se deita como leão

e como leoa; quem o despertará?

10O cetro não se afastará de Judá,

nem o bastão sairá

de entre os seus pés,

até que venha Siló;

e a ele obedecerão os povos.

11Ele amarrará o seu jumentinho

à vide

e o filho da sua jumenta,

à videira mais excelente;

lavará as suas roupas no vinho

e a sua capa, em sangue de uvas.

12Os seus olhos serão

cintilantes de vinho,

e os seus dentes serão

brancos de leite.”

13“Zebulom habitará

na praia dos mares

e servirá de porto para os navios,

e a sua fronteira

se estenderá até Sidom.”

14“Issacar é jumento

de ossos fortes,

deitado entre

os rebanhos de ovelhas.

15Viu que o repouso era bom

e que a terra era deliciosa;

baixou os ombros à carga

e sujeitou-se ao trabalho escravo.”

16“Dã julgará o seu povo,

como uma das tribos de Israel.

17Dã será uma serpente

junto ao caminho,

uma víbora junto à vereda,

que morde o calcanhar do cavalo

e faz o seu cavaleiro cair para trás.”

18“A tua salvação espero,

ó Senhor!”

19“Gade será atacado

por guerrilheiros,

mas ele lhes atacará a retaguarda.”

20“Aser, o seu pão será abundante

e ele produzirá delícias reais.”

21“Naftali é uma gazela solta;

ele fala palavras bonitas.”

22“José é um ramo frutífero,

ramo frutífero junto à fonte;

seus galhos se estendem

sobre o muro.

23Os flecheiros lhe dão amargura,

atiram contra ele e o hostilizam.

24O seu arco, porém,

permanece firme,

e os seus braços são feitos ativos

pelas mãos do Poderoso de Jacó,

sim, pelo Pastor

e pela Pedra de Israel,

25pelo Deus de seu pai,

que o ajudará,

e pelo Todo-Poderoso,

que o abençoará

com bênçãos dos altos céus,

com bênçãos das profundezas,

com bênçãos dos seios e do ventre.

26As bênçãos de seu pai

excederão as bênçãos de meus pais

até o alto dos montes eternos;

estejam elas

sobre a cabeça de José

e sobre o alto da cabeça

do que foi distinguido

entre seus irmãos.”

27“Benjamim é lobo

que despedaça;

pela manhã devora a presa

e à tarde reparte o despojo.”

28São estas as doze tribos de Israel e isto é o que lhes falou seu pai quando os abençoou; a cada um deles abençoou segundo a bênção que lhe cabia.

A morte e o sepultamento de Jacó

29Depois Jacó lhes ordenou, dizendo:

— Vou ser reunido ao meu povo; sepultem-me junto de meus pais, na caverna que está no campo de Efrom, o heteu, 30na caverna que está no campo de Macpela, em frente a Manre, na terra de Canaã, a qual Abraão comprou de Efrom com aquele campo, como propriedade para servir de sepultura. 31Ali eles sepultaram Abraão e Sara, sua mulher; ali eles sepultaram Isaque e Rebeca, sua mulher; e ali eu sepultei Lia. 32O campo e a caverna que nele está foram comprados dos filhos de Hete.

33Quando Jacó acabou de dar essas ordens a seus filhos, recolheu os pés na cama, expirou e foi reunido ao seu povo.

Gênesis 49NAAAbrir na Bíblia

1Então José se lançou sobre o rosto de seu pai, chorou sobre ele e o beijou. 2José ordenou a seus servos, aos que eram médicos, que embalsamassem o corpo de seu pai. E os médicos embalsamaram Israel, 3gastando nisso quarenta dias, pois assim se cumprem os dias do embalsamamento; e os egípcios ficaram de luto setenta dias.

4Passados os dias de luto, José falou à casa de Faraó:

— Se agora encontrei favor diante de vocês, peço que falem aos ouvidos de Faraó, dizendo: 5“Meu pai me fez jurar, declarando: ‘Eis que estou morrendo; sepulte-me no túmulo que abri para mim na terra de Canaã.’ Agora, quero ir e sepultar meu pai; depois voltarei.”

6Faraó respondeu:

— Vá e sepulte o seu pai como ele fez você jurar.

7José partiu para sepultar o seu pai. Com ele foram todos os oficiais de Faraó, os principais da sua casa e todos os principais da terra do Egito, 8bem como toda a casa de José, e seus irmãos, e a casa de seu pai. Deixaram na terra de Gósen somente as crianças, os rebanhos e o gado. 9E foram também com ele tanto carruagens como cavaleiros; e o cortejo foi muito grande.

10Quando eles chegaram à eira de Atade, que fica do outro lado do Jordão, fizeram ali grande e intensa lamentação; e José pranteou seu pai durante sete dias. 11Quando os moradores da terra, os cananeus, viram o luto na eira de Atade, disseram:

— Como é grande este pranto dos egípcios!

E por isso aquele lugar foi chamado de Abel-Mizraim; fica do outro lado do Jordão.

12Os filhos de Jacó fizeram como ele lhes havia ordenado: 13levaram-no para a terra de Canaã e o sepultaram na caverna do campo de Macpela, que, juntamente com o campo, Abraão havia comprado de Efrom, o heteu, para ser lugar de sepultura. Esse lugar fica em frente a Manre. 14Depois disso, José voltou para o Egito, ele, os seus irmãos e todos os que o haviam acompanhado para sepultar o seu pai.

José consola seus irmãos

15Vendo os irmãos de José que seu pai já era morto, disseram:

— É possível que José tenha ódio de nós; certamente nos retribuirá todo o mal que lhe fizemos.

16Por isso, mandaram dizer a José:

— O seu pai, antes de morrer, ordenou o seguinte: 17“É isto que vocês dirão a José: ‘Perdoe, por favor, a transgressão dos seus irmãos e o pecado que cometeram, porque eles lhe fizeram mal.’” Agora pedimos que perdoe a transgressão dos servos do Deus de seu pai.

Ao ouvir estas palavras, José chorou. 18Depois, vieram também os seus irmãos, prostraram-se diante dele e disseram:

— Eis-nos aqui; somos seus servos.

19Mas José respondeu:

— Não tenham medo; será que eu estou no lugar de Deus? 20Vocês, na verdade, planejaram o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como estão vendo agora, que se conserve a vida de muita gente. 21Portanto, não tenham medo; eu sustentarei vocês e os seus filhos.

E assim José os consolou e lhes falou ao coração.

A morte de José

22José ficou morando no Egito, ele e a casa de seu pai. Viveu cento e dez anos. 23José viu os filhos de Efraim até a terceira geração; também os filhos de Maquir, filho de Manassés, os quais José tomou sobre os seus joelhos. 24José disse a seus irmãos:

— Eu vou morrer em breve. Mas Deus certamente visitará vocês e fará com que saiam desta terra para ir à terra que jurou dar a Abraão, a Isaque e a Jacó.

25José pediu aos filhos de Israel que fizessem um juramento, dizendo:

— Deus certamente visitará vocês. Quando isso acontecer, levem os meus ossos daqui.

26José morreu com a idade de cento e dez anos. Eles embalsamaram o seu corpo e o puseram num caixão, no Egito.

Gênesis 50NAAAbrir na Bíblia

A vaidade da vida

Ao mestre de canto, Jedutum. Salmo de Davi

1Eu disse comigo mesmo:

“Guardarei os meus caminhos,

para não pecar com a língua;

porei mordaça à minha boca,

enquanto os ímpios estiverem

na minha presença.”

2Emudeci em silêncio,

calei a respeito do bem,

e a minha dor se agravou.

3O coração me ardia no peito;

enquanto eu meditava,

um fogo se acendeu

dentro de mim.

Então eu disse em voz alta:

4Senhor, dá-me a conhecer

o meu fim

e qual é a soma dos meus dias,

para que eu reconheça

a minha fragilidade.

5Deste aos meus dias

o comprimento

de alguns palmos;

à tua presença,

o prazo da minha vida é nada.

Na verdade, todo ser humano,

por mais firme que esteja,

é pura vaidade.

6De fato, o ser humano passa

como uma sombra.

Em vão se inquieta;

amontoa tesouros e não sabe

quem ficará com eles.”

7“E eu, Senhor, que espero?

Tu és a minha esperança.

8Livra-me de todas

as minhas iniquidades;

não permitas que os insensatos

zombem de mim.

9Emudeço, não abro os lábios

porque tu fizeste isso.

10Tira de sobre mim o teu flagelo;

pelo golpe de tua mão,

estou perecendo.

11Quando castigas alguém

com repreensões,

por causa do pecado,

destróis nele, como traça,

o que tem de precioso.

De fato, o ser humano

é pura vaidade.”

12“Ouve, Senhor, a minha oração,

escuta-me quando grito

por socorro.

Não fiques insensível

às minhas lágrimas,

porque sou forasteiro diante de ti,

peregrino como todos

os meus pais o foram.

13Desvia de mim o olhar,

para que eu tome alento,

antes que eu passe

e deixe de existir.”

Salmos 39NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.8
SIGA A SBB: