Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 358

Texto(s) da Bíblia

O nascimento de João Batista

57Quando chegou o tempo de Isabel dar à luz, ela teve um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram que o Senhor tinha usado de grande misericórdia para com Isabel e se alegraram com ela. 59Aconteceu que, no oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60Mas a mãe do menino disse:

— De modo nenhum! Ele será chamado João.

61Disseram-lhe:

— Mas você não tem nenhum parente com esse nome!

62Fizeram sinais, perguntando ao pai do menino que nome queria que lhe dessem. 63Então, pedindo uma tabuinha, ele escreveu:

— O nome dele é João.

E todos se admiraram. 64Imediatamente a boca de Zacarias se abriu e a língua se soltou. Então começou a falar, louvando a Deus. 65Todos os vizinhos deles ficaram possuídos de temor, e essas coisas foram divulgadas por toda a região montanhosa da Judeia. 66Todos os que as ouviram guardavam-nas no coração, dizendo:

— O que virá a ser este menino?

E a mão do Senhor estava com ele.

O cântico de Zacarias

67Zacarias, o pai de João, cheio do Espírito Santo, profetizou, dizendo:

68“Bendito seja o Senhor,

Deus de Israel,

porque visitou

e redimiu o seu povo,

69e nos suscitou plena

e poderosa salvação

na casa de Davi, seu servo,

70como havia prometido,

desde a antiguidade,

por boca dos seus

santos profetas,

71para nos libertar

dos nossos inimigos

e das mãos de todos

os que nos odeiam;

72para usar de misericórdia

com os nossos pais

e lembrar-se da sua santa aliança

73e do juramento que fez

a nosso pai Abraão,

74de conceder-nos que,

livres das mãos de inimigos,

o adorássemos sem temor,

75em santidade e justiça

diante dele,

todos os nossos dias.

76E você, menino, será chamado

profeta do Altíssimo,

porque precederá o Senhor,

preparando-lhe os caminhos,

77para dar ao seu povo

conhecimento da salvação,

por meio da remissão

dos seus pecados,

78graças à profunda misericórdia

de nosso Deus,

pela qual nos visitará

o sol nascente das alturas,

79para iluminar os que jazem

nas trevas

e na sombra da morte,

e dirigir os nossos pés

pelo caminho da paz.”

80O menino crescia e se fortalecia em espírito. E viveu nos desertos até o dia em que havia de manifestar-se a Israel.

Lucas 1:57-80NAAAbrir na Bíblia

Profecia contra o monte Seir

1A palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, vire o seu rosto contra o monte Seir e profetize contra ele. 3Diga-lhe: Assim diz o Senhor Deus: “Eis que estou contra você, monte Seir. Estenderei a minha mão contra você e o tornarei em desolação e espanto. 4Deixarei desertas as suas cidades, e você será desolado. Então saberá que eu sou o Senhor. 5Pois você guardou uma inimizade sem fim e deixou os filhos de Israel entregues ao poder da espada, no tempo da calamidade e do castigo final. 6Por isso, tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, farei você sangrar, e o derramamento de sangue o perseguirá. Visto que você não odiou o derramamento de sangue, este o perseguirá. 7Farei do monte Seir extrema desolação e eliminarei dele os que por ali passam e os que por ali voltam. 8Encherei os seus montes de cadáveres; os mortos à espada ficarão caídos nas suas colinas, nos seus vales e em todas as suas correntes de água. 9Farei de você uma desolação perpétua, e as suas cidades não voltarão a ser habitadas. Assim vocês saberão que eu sou o Senhor.”

10— “Porque você disse: ‘Esses dois povos são meus e eu vou tomar posse dessas duas terras’, sendo que o Senhor estava ali. 11Por isso, tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, procederei segundo a sua ira e segundo a sua inveja, com que, no seu ódio, você os tratou. E eu me farei conhecido entre eles, quando castigar você. 12Você saberá que eu, o Senhor, ouvi todas as blasfêmias que você falou contra os montes de Israel, dizendo: ‘Já estão arrasados e nos foram entregues por pasto.’ 13Vocês se exaltaram contra mim com aquilo que falaram e não pouparam palavras contra mim. Eu ouvi isso muito bem.”

14— Assim diz o Senhor Deus: “Enquanto toda a terra se alegra, farei de você uma desolação. 15Assim como você se alegrou quando a herança da casa de Israel foi arrasada, assim também farei com você. Você será arrasado, ó monte Seir e todo o Edom, sim, todo ele. Então saberão que eu sou o Senhor.”

Ezequiel 35NAAAbrir na Bíblia

Profecia para os montes de Israel

1— Filho do homem, profetize para os montes de Israel e diga: Montes de Israel, ouçam a palavra do Senhor. 2Assim diz o Senhor Deus: “Os inimigos disseram a respeito de vocês: ‘Bem feito!’, e também: ‘Os eternos lugares altos são nossa herança.’” 3Por isso, profetize e diga: Assim diz o Senhor Deus: “Visto que eles os assolaram e procuraram abocanhar de todos os lados, para que vocês se tornassem propriedade do resto das nações e fossem alvo de falatório e difamação entre o povo, 4por isso, ó montes de Israel, ouçam a palavra do Senhor Deus: Assim diz o Senhor Deus aos montes e às colinas, aos desfiladeiros e aos vales, aos lugares desertos e desolados e às cidades abandonadas, que se tornaram rapina e motivo de zombaria para o resto das nações vizinhas.”

5— Portanto, assim diz o Senhor Deus: “Certamente, no fogo do meu zelo, falei contra o resto das nações e contra todo o Edom. Eles se apropriaram da minha terra, com alegria de todo o coração e com profundo desprezo, para despovoá-la e saqueá-la.”

6— Portanto, profetize a respeito da terra de Israel e diga aos montes e às colinas, aos desfiladeiros e aos vales: Assim diz o Senhor Deus: “Eis que falo no meu zelo e no meu furor, porque vocês tiveram de suportar a zombaria das nações. 7Portanto, assim diz o Senhor Deus: Juro que as nações que estão ao redor de vocês também serão motivo de zombaria. 8Quanto a vocês, montes de Israel, vocês produzirão os seus ramos e darão os seus frutos para o meu povo de Israel, o qual está prestes a vir. 9Porque eis que estou do lado de vocês. Eu me voltarei para vocês, e vocês serão lavrados e semeados. 10Multiplicarei pessoas sobre vocês, toda a casa de Israel, sim, toda ela. As cidades serão habitadas e as ruínas serão reconstruídas. 11Multiplicarei pessoas e animais sobre vocês. Eles se multiplicarão e serão fecundos. Farei com que vocês voltem a morar onde moravam no passado e os tratarei melhor do que no começo. Então vocês saberão que eu sou o Senhor. 12Farei com que pessoas, o meu povo de Israel, andem sobre vocês, ó montes. Eles tomarão posse de vocês, vocês serão a herança deles, e nunca mais deixarão que eles fiquem sem os seus filhos.”

13— Assim diz o Senhor Deus: “Visto que lhe dizem: ‘Você é uma terra que devora as pessoas, uma terra que deixa o povo sem filhos’, 14certamente você não devorará mais as pessoas nem privará o seu povo dos seus filhos, diz o Senhor Deus. 15Não permitirei mais que você ouça a zombaria das nações ou tenha de suportar a vergonha dos povos. Nunca mais você deixará o seu povo sem os seus filhos”, diz o Senhor Deus.

A restauração de Israel

16A palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

17— Filho do homem, quando os da casa de Israel moravam na sua terra, eles a contaminaram com os seus caminhos e as suas ações. Aos meus olhos, o caminho deles era como a impureza da menstruação. 18Por isso, derramei o meu furor sobre eles, por causa do sangue que derramaram sobre a terra e por causa dos seus ídolos com que a contaminaram. 19Eu os dispersei entre as nações, e foram espalhados por outras terras; segundo os seus caminhos e segundo as suas ações, eu os castiguei. 20Quando chegaram às nações para onde foram, profanaram o meu santo nome, pois deles se dizia: “Esse é o povo do Senhor, mas eles tiveram de sair da terra dele.” 21Mas eu tratei de proteger o meu santo nome, que a casa de Israel profanou entre as nações para onde foi.

22— Portanto, diga à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: “Não é por causa de vocês que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que vocês profanaram entre as nações para onde foram. 23Revelarei a santidade do meu grande nome, que foi profanado entre as nações, o qual vocês profanaram no meio delas. As nações saberão que eu sou o Senhor, diz o Senhor Deus, quando eu manifestar a minha santidade diante delas por meio de vocês. 24Eu os tirarei do meio das nações, eu os congregarei de todos os países e os trarei de volta para a sua própria terra. 25Então aspergirei água pura sobre vocês, e vocês ficarão purificados. Eu os purificarei de todas as suas impurezas e de todos os seus ídolos. 26Eu lhes darei um coração novo e porei dentro de vocês um espírito novo. Tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. 27Porei dentro de vocês o meu Espírito e farei com que andem nos meus estatutos, guardem e observem os meus juízos. 28Vocês habitarão na terra que eu dei aos seus pais. Vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. 29Eu os livrarei de todas as suas impurezas. Farei vir o trigo, e o multiplicarei, e não trarei fome sobre vocês. 30Multiplicarei os frutos das árvores e as colheitas do campo, para que vocês nunca mais passem vergonha entre as nações por causa da fome. 31Então vocês se lembrarão dos seus maus caminhos e das suas ações que não foram boas, e terão nojo de vocês mesmos por causa das suas iniquidades e das suas abominações. 32Não é por causa de vocês, fique bem-entendido, que eu faço isto”, diz o Senhor Deus. “Fiquem envergonhados e confusos por causa dos seus caminhos, ó casa de Israel.”

33— Assim diz o Senhor Deus: “No dia em que eu os purificar de todas as suas iniquidades, então farei com que as cidades sejam habitadas e as ruínas sejam reconstruídas. 34A terra que estava abandonada será cultivada e deixará de ser um lugar abandonado aos olhos de todos os que passam. 35Então se dirá: ‘Esta terra abandonada ficou como o jardim do Éden. As cidades que estavam desertas, abandonadas e em ruínas estão fortificadas e habitadas.’ 36Então as nações que tiverem restado ao redor de vocês saberão que eu, o Senhor, reconstruí as cidades destruídas e replantei o que estava abandonado. Eu, o Senhor, falei e eu o cumprirei.”

37— Assim diz o Senhor Deus: “Deixarei que a casa de Israel peça que eu lhe faça ainda isto: que eu aumente o número de pessoas como se fosse um rebanho. 38Como os rebanhos consagrados para os sacrifícios, os rebanhos de Jerusalém nas suas festas fixas, assim as cidades desertas se encherão de rebanhos de pessoas. E eles saberão que eu sou o Senhor.”

Ezequiel 36NAAAbrir na Bíblia

Confissão da maldade nacional

1Eis que a mão do Senhor

não está encolhida,

para que não possa salvar;

e o seu ouvido não está surdo,

para não poder ouvir.

2Mas as iniquidades de vocês

fazem separação entre vocês

e o seu Deus;

e os pecados que vocês cometem

o levam a esconder

o seu rosto de vocês,

para não ouvir os seus pedidos.

3Porque as mãos de vocês

estão manchadas de sangue,

e os seus dedos, de iniquidade;

os lábios de vocês falam mentiras,

e a sua língua profere maldade.

4Não há ninguém que clame

pela justiça,

ninguém que compareça em juízo

pela verdade;

confiam no que é nulo

e andam falando mentiras;

concebem o mal

e dão à luz a iniquidade.

5Chocam ovos de cobra

e tecem teias de aranha;

quem comer os ovos morrerá,

e, se um dos ovos é quebrado,

sai uma víbora.

6As suas teias não servem

para fazer roupa,

ninguém pode se cobrir

com o que eles fazem.

As obras deles

são obras de iniquidade,

e atos de violência

estão nas suas mãos.

7Os pés deles correm para o mal,

são velozes para derramar

sangue inocente.

Os pensamentos deles são

pensamentos de iniquidade;

nos seus caminhos

há ruína e destruição.

8Não conhecem o caminho da paz,

nem há justiça nos seus passos.

Fizeram para si veredas tortuosas;

quem anda por elas

não conhece a paz.

9Por isso, o juízo

está longe de nós,

e a justiça não nos alcança.

Esperamos pela luz,

e eis que há só trevas;

esperamos pela claridade,

mas andamos na escuridão.

10Apalpamos as paredes

como cegos,

sim, como os que não têm olhos,

andamos apalpando;

tropeçamos ao meio-dia

como nas trevas

e entre os robustos

somos como os mortos.

11Todos nós bramamos como ursos

e gememos como pombas;

esperamos o juízo,

mas ele não aparece;

esperamos a salvação,

mas ela está longe de nós.

12Porque as nossas transgressões

se multiplicam diante de ti,

e os nossos pecados

testificam contra nós.

As nossas transgressões

estão conosco,

e conhecemos

as nossas iniquidades.

13Temos sido infiéis

e mentimos contra o Senhor;

nós nos afastamos do nosso Deus;

pregamos a opressão e a rebeldia;

proferimos palavras de falsidade

que concebemos

em nosso coração.

14Por isso, o direito se retirou,

e a justiça se pôs de longe,

porque a verdade anda tropeçando

pelas praças,

e a retidão não pode entrar.

15Sim, a verdade sumiu,

e quem se desvia do mal

é tratado como presa.

O Senhor viu isso

e desaprovou o fato

de não haver justiça.

16Viu que não havia ninguém

e maravilhou-se de que

não houvesse um intercessor;

por isso, o seu próprio braço

lhe trouxe a salvação,

e a sua própria justiça

foi o seu apoio.

17Vestiu-se de justiça,

como de uma couraça,

e pôs o capacete da salvação

na cabeça;

pôs sobre si a veste da vingança

e se cobriu de zelo,

como de um manto.

18Segundo as obras deles,

assim retribuirá:

aos seus adversários, furor;

aos seus inimigos, o que merecem;

às terras do mar,

a devida recompensa.

19Assim, temerão

o nome do Senhor

desde o poente,

e a sua glória,

desde o nascente do sol;

pois virá como torrente impetuosa,

impelida pelo Espírito do Senhor.

20“O Redentor virá a Sião

e aos de Jacó que se converterem”,

diz o Senhor.

21— Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o Senhor: o meu Espírito, que está sobre você, e as minhas palavras, que pus na sua boca, não se desviarão dela, nem da boca de seus filhos, nem da boca dos filhos de seus filhos, desde agora e para todo o sempre, diz o Senhor.

Isaías 59NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: