Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 356

Texto(s) da Bíblia

Prefácio

1Visto que muitos já empreenderam uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, 2conforme nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares e ministros da palavra, 3igualmente a mim pareceu bem, depois de cuidadosa investigação de tudo desde a sua origem, dar-lhe por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem, 4para que você tenha plena certeza das verdades em que foi instruído.

O nascimento de João Batista é anunciado

5Nos dias de Herodes, rei da Judeia, houve um sacerdote chamado Zacarias, do turno de Abias. A mulher dele era das filhas de Arão e se chamava Isabel. 6Ambos eram justos diante de Deus, vivendo de forma irrepreensível em todos os preceitos e mandamentos do Senhor. 7Eles não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já tinham idade avançada.

8E aconteceu que, enquanto Zacarias exercia o sacerdócio diante de Deus na ordem do seu turno, coube-lhe por sorteio, 9segundo o costume sacerdotal, entrar no santuário do Senhor para queimar o incenso. 10Durante esse tempo, toda a multidão do povo permanecia na parte de fora, orando. 11E eis que apareceu a Zacarias um anjo do Senhor, em pé, à direita do altar do incenso. 12Ao vê-lo, Zacarias ficou assustado, e o temor se apoderou dele. 13O anjo, porém, lhe disse:

— Não tenha medo, Zacarias, porque a sua oração foi ouvida. Isabel, sua esposa, dará à luz um filho, a quem você dará o nome de João. 14Você ficará alegre e feliz, e muitos ficarão contentes com o nascimento dele. 15Pois ele será grande diante do Senhor, não beberá vinho nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre materno. 16Ele converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus. 17E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado.

18Então Zacarias perguntou ao anjo:

— Como terei certeza disso? Pois eu sou velho, e a minha mulher também já tem idade avançada.

19O anjo respondeu:

— Eu sou Gabriel, que estou a serviço de Deus, e fui enviado para falar com você e lhe trazer esta boa notícia. 20Todavia, você ficará mudo e não poderá falar até o dia em que estas coisas vierem a acontecer, porque você não acreditou nas minhas palavras, as quais, no devido tempo, se cumprirão.

21O povo estava esperando Zacarias e admirava-se com a demora dele no santuário. 22Quando Zacarias saiu, não lhes podia falar. Então entenderam que ele havia tido uma visão no santuário. E expressava-se por sinais e permanecia mudo. 23Aconteceu que, terminados os dias do seu ministério, Zacarias voltou para casa.

24Passados esses dias, Isabel, a mulher de Zacarias, ficou grávida. E ela não saiu de casa durante cinco meses, dizendo:

25— Foi isto o que o Senhor me fez, ao contemplar-me, para acabar com a minha vergonha diante das pessoas.

Lucas 1:1-25NAAAbrir na Bíblia

O dever do verdadeiro atalaia

1A palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, fale com os filhos de seu povo e diga-lhes: Quando eu fizer vir um exército inimigo sobre uma terra, se o povo dessa terra escolher um homem do meio deles e o constituir por seu atalaia, 3e se, ao ver que o inimigo se aproxima, esse atalaia tocar a trombeta e avisar o povo, 4então aquele que ouvir o som da trombeta e não se der por avisado, se o inimigo vier e o abater, esse será responsável pela sua própria morte. 5Ele ouviu o som da trombeta e não se deu por avisado; será responsável por sua própria morte. Se ele tivesse dado atenção ao aviso, salvaria a sua vida. 6Mas, se o atalaia vir que vem o inimigo e não tocar a trombeta, e o povo não for avisado, se o inimigo vier e abater um deles, este foi abatido na sua maldade, mas quem será responsável pela morte dele é o atalaia.

7— Quanto a você, filho do homem, eu o constituí por atalaia sobre a casa de Israel. Portanto, você ouvirá a palavra da minha boca e lhes dará aviso da minha parte. 8Se eu disser ao ímpio que ele certamente morrerá, e você não falar, para advertir o ímpio do seu mau caminho, esse ímpio morrerá na sua maldade, mas você será responsável pela morte dele. 9Mas, se você falar ao ímpio, para o avisar do seu mau caminho, para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho, esse ímpio morrerá na sua maldade, mas você terá salvo a sua vida.

10— Filho do homem, diga à casa de Israel: Vocês dizem: “Visto que as nossas transgressões e os nossos pecados estão sobre nós, e nós desfalecemos por causa deles, como poderemos viver?” 11Diga-lhes: Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos! Por que vocês haveriam de morrer, ó casa de Israel?

12— Filho do homem, diga aos filhos do seu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão. Quanto à maldade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua maldade; nem o justo pela sua justiça poderá viver no dia em que pecar. 13Quando eu disser ao justo que certamente viverá, e ele, confiando na sua justiça, fizer maldade, não me lembrarei de nenhum dos seus atos de justiça, e ele morrerá por causa da injustiça que cometeu. 14E, quando eu disser ao ímpio que certamente morrerá, e ele se converter do seu pecado, fizer o que é justo e reto, 15restituir o penhor, devolver o que roubou, andar nos estatutos da vida e não fizer maldade, certamente viverá; não morrerá. 16De todos os pecados que cometeu, nenhum deles será lembrado contra ele. Fez o que é justo e reto; certamente viverá.

17— No entanto, os filhos do seu povo dizem: “O caminho do Senhor não é reto.” Mas é o caminho deles que não é reto. 18Se o justo se desviar da sua justiça e fizer maldade, morrerá nela. 19E, se o ímpio se converter da sua maldade e fizer o que é justo e reto, por causa desses atos viverá. 20No entanto, vocês dizem: “O caminho do Senhor não é reto.” Mas eu os julgarei, cada um segundo os seus caminhos, ó casa de Israel.

A queda de Jerusalém e as suas causas

21No décimo segundo ano do nosso exílio, aos cinco dias do décimo mês, veio a mim um sobrevivente de Jerusalém, dizendo: “A cidade caiu.” 22Ora, na tarde do dia anterior, antes da chegada desse sobrevivente, a mão do Senhor havia estado sobre mim e eu recuperei a fala. Assim, pela manhã, antes de chegar aquele homem, eu havia recuperado a fala, e não fiquei mais em silêncio.

23Então a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

24— Filho do homem, os moradores desses lugares desertos da terra de Israel estão dizendo: “Abraão era um só, mas possuiu esta terra. Ora, como nós somos muitos, certamente esta terra nos foi dada como propriedade.”

25— Por isso, diga-lhes: Assim diz o Senhor Deus: “Vocês comem carne com sangue, levantam os olhos para os seus ídolos, cometem assassinatos, e ainda pensam que hão de possuir a terra? 26Vocês confiam em suas espadas, cometem abominações, cada um de vocês contamina a mulher do seu próximo, e ainda pensam que hão de possuir a terra?” 27Diga-lhes que assim diz o Senhor Deus: “Tão certo como eu vivo, os que estiverem em lugares desertos cairão à espada, e o que estiver em campo aberto, eu o entregarei aos animais selvagens, para que o devorem, e os que estiverem em fortalezas e em cavernas morrerão de peste. 28Tornarei a terra em desolação e espanto, e o orgulho do seu poder chegará ao fim. Os montes de Israel ficarão tão desolados, que ninguém passará por eles. 29Então saberão que eu sou o Senhor, quando eu tornar a terra em desolação e espanto, por todas as abominações que cometeram.”

30— Quanto a você, filho do homem, os filhos do seu povo falam de você junto às paredes e nas portas das casas, dizendo um ao outro, cada um ao seu irmão: “Venham, vamos ouvir a palavra que procede do Senhor.” 31Eles vêm até você, como o povo costuma vir, assentam-se diante de você como meu povo e ouvem as suas palavras, mas não as põem em prática. Com a boca, professam muito amor, mas o coração deles só ambiciona lucro. 32Para eles você não passa de alguém que canta canções de amor, tem uma bela voz e é um bom músico, porque ouvem as suas palavras, mas não as põem em prática. 33Mas, quando isso vier — e certamente virá —, então saberão que um profeta esteve no meio deles.

Ezequiel 33NAAAbrir na Bíblia

A idolatria de Israel é condenada

1“Os justos perecem,

e não há quem se importe

com isso;

os piedosos desaparecem

sem que alguém considere

nesse fato.

Pois o justo é levado

antes que venha o mal

2e entra na paz;

os que andam em retidão

descansam no seu leito.”

3“Mas vocês, filhos de feiticeira,

vocês, descendência de adúlteros

e de prostitutas,

venham cá!

4De quem vocês estão zombando?

Contra quem estão escancarando

a boca

e mostrando a língua?

Por acaso vocês não são

filhos da transgressão,

descendência da falsidade,

5vocês que se inflamam

em seus desejos

junto aos carvalhos,

debaixo de toda árvore frondosa,

e sacrificam os seus filhos nos vales

e nas fendas dos penhascos?

6Entre as pedras lisas dos ribeiros

vocês escolhem os seus ídolos;

elas são a sua parte.

Sobre elas vocês também

oferecem as suas libações

e apresentam ofertas de cereais.

Será que eu poderia estar contente

com estas coisas?

7Sobre um monte alto e elevado

vocês põem o seu leito;

para lá vocês sobem

para oferecer sacrifícios.

8Atrás das portas e das ombreiras

vocês põem os seus símbolos

pagãos.

Afastando-se de mim,

vocês sobem ao leito

e o alargam para os seus amantes,

apresentando-lhes

as suas exigências.

Vocês gostam de se deitar com eles

e lhes contemplar a nudez.”

9“Você vai ao rei com óleo

e multiplica os seus perfumes;

envia os seus embaixadores

para longe,

até a profundidade da sepultura.

10Nessa longa viagem

você se cansa,

mas não diz: ‘É inútil!’

Você encontra novas forças;

por isso, não desfalece.”

11“Mas de quem você

teve receio ou temor,

para que mentisse

e não se lembrasse de mim,

nem me levasse a sério?

Será que é porque me calo,

e isso desde muito tempo,

e você não me teme?

12Eu publicarei essa sua justiça

e as suas obras,

mas isso não a beneficiará

em nada.

13Quando você clamar por ajuda,

que a sua coleção de ídolos a livre!

O vento levará todos eles;

um sopro os arrebatará.

Mas o que confia em mim

herdará a terra

e possuirá o meu santo monte.”

Mensagem de paz para os arrependidos

14Então se dirá:

“Aterrem, aterrem a estrada,

preparem o caminho,

tirem os tropeços do caminho

do meu povo.”

15Porque assim diz o Alto,

o Sublime,

que habita a eternidade

e cujo nome é Santo:

“Habito no alto e santo lugar,

mas habito também com o contrito

e abatido de espírito,

para vivificar

o espírito dos abatidos

e vivificar o coração dos contritos.

16Pois não farei litígio

para sempre,

nem me indignarei

continuamente;

porque, do contrário, o espírito

definharia diante de mim,

bem como o fôlego da vida,

que eu criei.

17Por causa da maldade

da cobiça do meu povo

eu me indignei e o feri;

escondi o meu rosto e me indignei,

mas, em sua rebeldia,

o povo seguiu

o seu próprio caminho.”

18“Tenho visto os caminhos

do meu povo,

mas vou curá-lo;

também o guiarei

e tornarei a dar consolação,

a ele e aos seus pranteadores.

19Como fruto dos seus lábios

criei a paz,

paz para os que estão longe

e para os que estão perto”,

diz o Senhor,

“e eu o sararei.

20Mas os ímpios são

como o mar agitado,

que não se pode aquietar,

cujas águas lançam de si

lama e lodo.

21Para os ímpios”, diz o meu Deus,

“não há paz.”

Isaías 57NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: