Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 322

Texto(s) da Bíblia

Prefácio e saudação

1Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos que são forasteiros da Diáspora no Ponto, na Galácia, na Capadócia, na Ásia e na Bitínia, 2eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo.

Que a graça e a paz lhes sejam multiplicadas.

Uma viva esperança

3Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, 4para uma herança que não pode ser destruída, que não fica manchada, que não murcha e que está reservada nos céus para vocês, 5que são guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para ser revelada no último tempo. 6Nisso vocês exultam, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejam contristados por várias provações, 7para que, uma vez confirmado o valor da fé que vocês têm, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado pelo fogo, resulte em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo. 8Mesmo sem tê-lo visto vocês o amam. Mesmo não o vendo agora, mas crendo nele, exultam com uma alegria indescritível e cheia de glória, 9obtendo o alvo dessa fé: a salvação da alma.

10Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e investigaram. Eles profetizaram a respeito da graça destinada a vocês, 11investigando qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas que eram indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao predizer os sofrimentos que Cristo teria de suportar e as glórias que viriam depois desses sofrimentos. 12A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vocês, ministravam as coisas que, agora, foram anunciadas a vocês por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, lhes pregaram o evangelho, coisas essas que anjos desejam contemplar.

A santidade na vida

13Por isso, preparando o seu entendimento, sejam sóbrios e esperem inteiramente na graça que lhes está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo. 14Como filhos obedientes, não vivam conforme as paixões que vocês tinham anteriormente, quando ainda estavam na ignorância. 15Pelo contrário, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, 16porque está escrito: “Sejam santos, porque eu sou santo.”

17E, se vocês invocam como Pai aquele que, sem parcialidade, julga segundo as obras de cada um, vivam em temor durante o tempo da peregrinação de vocês, 18sabendo que não foi mediante coisas perecíveis, como prata ou ouro, que vocês foram resgatados da vida inútil que seus pais lhes legaram, 19mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mácula. 20Ele foi conhecido antes da fundação do mundo, mas foi manifestado nestes últimos tempos, em favor de vocês. 21Por meio dele, vocês creem em Deus, o qual o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória, para que a fé e a esperança de vocês estejam em Deus.

22Tendo purificado a alma pela obediência à verdade, e com vistas ao amor fraternal não fingido, amem intensamente uns aos outros de coração puro. 23Porque vocês foram regenerados não de semente corruptível, mas de semente incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente. 24Porque

“toda a humanidade

é como a erva do campo,

e toda a sua glória

é como a flor da erva.

A erva seca, e a flor cai;

25mas a palavra do Senhor

permanece para sempre.”

Esta palavra é o evangelho que foi anunciado a vocês.

1Pedro 1NAAAbrir na Bíblia

Lamento transformado em júbilo

1— Naquele tempo, diz o Senhor, serei o Deus de todas as tribos de Israel, e elas serão o meu povo.

2Assim diz o Senhor:

“O povo que se livrou da espada

obteve favor no deserto.

Eu irei e darei descanso a Israel.”

3De longe o Senhor lhe apareceu,

dizendo:

“Com amor eterno eu a amei;

por isso, com bondade a atraí.

4Eu a edificarei de novo,

e você será edificada,

ó virgem de Israel!

Mais uma vez você se enfeitará

com os seus tamborins

e sairá com o coro

dos que dançam.

5Mais uma vez

você plantará vinhas

nos montes de Samaria;

aqueles que as plantarem

comerão os frutos.

6Porque virá o dia

em que os atalaias gritarão

na região montanhosa

de Efraim:

‘Levantem-se, e subamos a Sião,

ao Senhor, nosso Deus!’”

7Porque assim diz o Senhor:

“Cantem de alegria

por causa de Jacó,

exultem por causa

da cabeça das nações.

Proclamem, cantem louvores

e digam:

‘Salva, Senhor, o teu povo,

o remanescente de Israel.’

8Eis que eu os trarei

da terra do Norte

e os congregarei

das extremidades da terra.

Entre eles estarão também

os cegos e aleijados,

as mulheres grávidas

e as que estão para dar à luz;

em grande congregação,

voltarão para aqui.

9Virão com choro,

e com súplicas os levarei;

eu os guiarei aos ribeiros de águas,

por um caminho reto

em que não tropeçarão;

porque sou pai para Israel,

e Efraim é o meu primogênito.”

10“Escutem a palavra do Senhor,

ó nações,

e anunciem isto

nas terras distantes do mar.

Digam: ‘Aquele que espalhou Israel

o congregará e o guardará,

como um pastor faz

com o seu rebanho.’

11Porque o Senhor redimiu Jacó

e o livrou das mãos do que era

mais forte do que ele.

12Hão de vir e exultar

no monte Sião,

radiantes de alegria

por causa dos bens

que o Senhor lhes deu:

o cereal, o vinho, o azeite,

os cordeiros e os bezerros.

Serão como um jardim regado,

e nunca mais desfalecerão.”

13“Então a virgem se alegrará

na dança,

juntamente com os jovens

e os velhos.

Transformarei o seu pranto

em júbilo e os consolarei;

eu lhes darei alegria

em vez de tristeza.

14Saciarei a fome dos sacerdotes

com saborosa comida,

e o meu povo se fartará

com a minha bondade”,

diz o Senhor.

15Assim diz o Senhor:

“Ouviu-se um clamor em Ramá,

pranto e grande lamento;

era Raquel chorando

por seus filhos

e inconsolável por causa deles,

porque já não existem.”

16Assim diz o Senhor:

“Reprima a sua voz de choro

e enxugue as lágrimas

de seus olhos,

porque o seu trabalho

será recompensado”,

diz o Senhor;

“pois os seus filhos voltarão

da terra do inimigo.

17Há esperança para o seu futuro”,

diz o Senhor,

“porque os seus filhos voltarão

para a sua própria terra.”

18“Ouvi muito bem que Efraim

se queixava, dizendo:

‘Tu me castigaste, e fui castigado

como novilho ainda não domado.

Converte-me, e serei convertido,

porque tu és o Senhor, o meu Deus.

19Na verdade,

depois que eu me afastei,

eu me arrependi;

depois que fui instruído,

bati no peito;

fiquei envergonhado, confuso,

porque suportei a afronta

da minha mocidade.’”

20“Não é Efraim

o meu filho querido,

o filho das minhas delícias?

Pois sempre que falo contra ele,

lembro dele com ternura.

Por isso, o meu coração

se comove por ele,

e dele certamente

me compadecerei”,

diz o Senhor.

21“Coloque sinais e marcos

na estrada;

preste atenção na vereda,

no caminho por onde você passou.

Volte, ó virgem de Israel!

Volte para as suas cidades.

22Até quando você andará errante,

ó filha rebelde?

Porque o Senhor criou

coisa nova na terra:

uma mulher

cortejando um homem!”

A prosperidade do povo de Deus

23Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel:

— Quando eu os trouxer de volta do cativeiro, na terra de Judá e nas suas cidades se dirá outra vez:

“O Senhor a abençoe,

ó morada da justiça!

O Senhor o abençoe,

ó monte santo!”

24— Nela, habitarão Judá e todas as suas cidades, bem como os lavradores e os que pastoreiam os rebanhos. 25Porque satisfarei à alma cansada, e saciarei toda alma desfalecida.

26Nisto, acordei e olhei ao redor; e o meu sono tinha sido doce.

27— Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que semearei a casa de Israel e a casa de Judá com a semente de pessoas e de animais. 28Como os vigiei para arrancar, para derrubar, para subverter, para destruir e para afligir, assim os vigiarei para edificar e para plantar, diz o Senhor. 29Naqueles dias, já não dirão:

“Os pais comeram uvas verdes,

e os dentes dos filhos

é que se embotaram.”

30Pelo contrário, cada um morrerá por causa da sua própria iniquidade. Quem comer uvas verdes é que ficará com os dentes embotados.

A nova aliança com Israel

31— Eis aí vêm dias, diz o Senhor, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá. 32Não segundo a aliança que fiz com os seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; pois eles quebraram a minha aliança, apesar de eu ter sido seu esposo, diz o Senhor. 33Porque esta é a aliança que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor: Na mente lhes imprimirei as minhas leis, também no seu coração as inscreverei; eu serei o Deus deles, e eles serão o meu povo. 34Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: “Conheça o Senhor!” Porque todos me conhecerão, desde o menor até o maior deles, diz o Senhor. Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais me lembrarei.

35Assim diz o Senhor,

que dá o sol para a luz do dia

e as leis fixas à lua e às estrelas

para a luz da noite,

que agita o mar

e faz bramir as suas ondas;

Senhor dos Exércitos

é o seu nome.

36“Se estas leis fixas falharem

diante de mim”,

diz o Senhor,

“também a descendência de Israel

deixará de ser

uma nação diante de mim

para sempre.”

37Assim diz o Senhor:

“Se puderem ser medidos

os céus lá em cima

e sondados os fundamentos

da terra cá embaixo,

também eu rejeitarei

toda a descendência de Israel,

por tudo o que fizeram”,

diz o Senhor.

38— Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que esta cidade será reedificada para o Senhor, desde a Torre de Hananel até o Portão da Esquina. 39O cordel de medir se estenderá em linha reta até a colina de Garebe, e depois se virará na direção de Goa. 40Todo o vale dos cadáveres e da cinza e todos os campos até o ribeiro de Cedrom, até a esquina do Portão dos Cavalos para o leste, serão consagrados ao Senhor. Esta Jerusalém jamais será arrancada ou destruída.

Jeremias 31NAAAbrir na Bíblia

Jeremias compra um campo em Anatote

1Palavra que foi dita a Jeremias da parte do Senhor, no décimo ano do reinado de Zedequias, rei de Judá, ou décimo oitavo ano do reinado de Nabucodonosor. 2Ora, nesse tempo o exército do rei da Babilônia cercava Jerusalém, e o profeta Jeremias estava preso no pátio da guarda que estava no palácio do rei de Judá. 3Pois Zedequias, rei de Judá, o havia encerrado, dizendo:

— Como você ousa profetizar que o Senhor Deus disse que entregará esta cidade nas mãos do rei da Babilônia, e que este a conquistará? 4Como ousa dizer que Zedequias, rei de Judá, não escapará das mãos dos caldeus, mas infalivelmente será entregue nas mãos do rei da Babilônia, vindo a falar com ele pessoalmente e vendo-o face a face? 5Como ousa profetizar que ele levará Zedequias para a Babilônia, onde ficará até que o Senhor atente para ele, como ele mesmo disse, e que, se lutarmos contra os caldeus, não seremos bem-sucedidos?

6Jeremias disse:

— A palavra do Senhor veio a mim, dizendo: 7“Eis que Hanamel, filho de seu tio Salum, virá falar com você, dizendo: ‘Compre o meu campo que está em Anatote, pois, pela lei a respeito do resgate, compete a você comprá-lo.’”

8— Então, exatamente como o Senhor tinha dito, Hanamel, filho de meu tio, veio falar comigo no pátio da guarda e me disse: “Compre o meu campo que está em Anatote, na terra de Benjamim, porque você tem o direito de posse e de resgate. Compre!” Então entendi que isto era a palavra do Senhor.

9— Assim comprei de Hanamel, filho de meu tio, o campo que está em Anatote e pesei o dinheiro para ele: duzentos gramas de prata. 10Assinei a escritura, fechei-a com selo, chamei testemunhas e pesei o dinheiro numa balança. 11Peguei a escritura da compra, tanto a selada, que continha o contrato e as condições, como a cópia aberta, 12e entreguei essa escritura da compra a Baruque, filho de Nerias, filho de Maaseias, na presença de Hanamel, filho de meu tio, na presença das testemunhas que assinaram a escritura da compra, e na presença de todos os judeus que estavam sentados no pátio da guarda. 13Na presença deles dei uma ordem a Baruque, dizendo:

14— Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Pegue estas escrituras da compra, tanto a selada como a aberta, e coloque-as num vaso de barro, para que se conservem por muitos dias. 15Porque assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Ainda se comprarão casas, campos e vinhas nesta terra.

Jeremias pede esclarecimentos a Deus

16— Depois que dei a escritura da compra a Baruque, filho de Nerias, orei ao Senhor, dizendo:

17— Ah! Senhor Deus, eis que tu fizeste os céus e a terra com o teu grande poder e com o teu braço estendido; nada é demasiadamente difícil para ti. 18Tu fazes misericórdia até mil gerações, mas também retribuis a iniquidade dos pais nos filhos. Tu és o grande, o poderoso Deus, cujo nome é Senhor dos Exércitos, 19grande em conselho e magnífico em obras. Os teus olhos estão abertos sobre todos os caminhos dos filhos dos homens, para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas obras. 20Fizeste sinais e maravilhas na terra do Egito até o dia de hoje, tanto em Israel como em toda a humanidade, e assim adquiriste a fama que tens até o dia de hoje. 21Tiraste o teu povo de Israel da terra do Egito, com sinais e maravilhas, com mão poderosa e braço estendido e com grande espanto, 22e lhe deste esta terra, que com juramento prometeste aos seus pais, terra que mana leite e mel. 23Entraram nela e dela tomaram posse, mas não obedeceram à tua voz, nem andaram na tua lei; de tudo o que lhes mandaste que fizessem, nada fizeram. Por isso, trouxeste sobre eles todo este mal.

24— Eis que rampas de ataque já foram construídas ao redor da cidade, para ser tomada, e a cidade, vencida pela espada, pela fome e pela peste, cairá nas mãos dos caldeus, que lutam contra ela. Como vês, aquilo que disseste aconteceu. 25No entanto, Senhor Deus, tu me disseste: “Compre o campo por dinheiro e chame testemunhas”, embora a cidade já esteja sendo entregue nas mãos dos caldeus.

A resposta de Deus

26Então a palavra do Senhor veio a Jeremias, dizendo:

27— Eis que eu sou o Senhor, o Deus de toda a humanidade. Será que existe algo demasiadamente difícil para mim? 28Portanto, assim diz o Senhor: Eis que entregarei esta cidade nas mãos dos caldeus, nas mãos de Nabucodonosor, rei da Babilônia, e ele a tomará. 29Os caldeus, que lutam contra esta cidade, entrarão nela, porão fogo nesta cidade e queimarão as casas sobre cujos terraços queimaram incenso a Baal e ofereceram libações a outros deuses, para me provocarem à ira. 30Porque os filhos de Israel e os filhos de Judá só fizeram o que é mau aos meus olhos, desde a sua mocidade. Tudo o que os filhos de Israel fizeram foi provocar-me à ira com as obras das suas mãos, diz o Senhor. 31Porque esta cidade, desde o dia em que a construíram até o dia de hoje, tem servido para provocar a minha ira e o meu furor. Por isso, vou removê-la da minha presença, 32por causa de toda a maldade que os filhos de Israel e os filhos de Judá fizeram, para me provocarem à ira, eles, os seus reis, as suas autoridades, os seus sacerdotes e os seus profetas, bem como o povo de Judá e os moradores de Jerusalém. 33Eles me viraram as costas e não o rosto. E, embora eu os ensinasse sempre de novo, eles não quiseram ouvir, para receberem a advertência. 34Pelo contrário, puseram as suas abominações no templo que se chama pelo meu nome, para o profanarem. 35Edificaram os altos de Baal, que estão no vale de Ben-Hinom, para queimarem os seus filhos e as suas filhas em sacrifício a Moloque, algo que nunca lhes ordenei, nem me passou pela mente que fizessem tal abominação, para levarem Judá a pecar.

Promessa de esperança

36— Agora, pois, assim diz o Senhor, o Deus de Israel, a respeito desta cidade, da qual vocês dizem que já foi entregue nas mãos do rei da Babilônia, pela espada, pela fome e pela peste. 37Eis que eu os congregarei de todas as terras, para onde os dispersei na minha ira, no meu furor e na minha grande indignação. Eu os farei voltar a este lugar e farei com que nele habitem em segurança.

38— Eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. 39Eu lhes darei um só coração e um só caminho, para que me temam todos os dias, para o seu próprio bem e o bem de seus filhos. 40Farei com eles uma aliança eterna, segundo a qual não deixarei de lhes fazer o bem; porei o meu temor no coração deles, para que nunca se afastem de mim. 41Terei alegria em lhes fazer o bem, e os plantarei firmemente nesta terra, de todo o meu coração e de toda a minha alma.

42— Porque assim diz o Senhor: Assim como fiz vir sobre este povo todo este grande mal, assim lhes trarei todo o bem que lhes estou prometendo. 43Ainda se comprarão campos nesta terra, da qual vocês dizem: “Está deserta, sem pessoas e sem animais; foi entregue nas mãos dos caldeus.” 44Comprarão campos por dinheiro, assinarão as escrituras e as fecharão com selos, e chamarão testemunhas, na terra de Benjamim, nos arredores de Jerusalém, nas cidades de Judá, nas cidades da região montanhosa, nas cidades da Sefelá e nas cidades do Sul. Porque eu os trarei de volta do cativeiro, diz o Senhor.

Jeremias 32NAAAbrir na Bíblia

Convite ao louvor a Deus

Cântico de peregrinação

1Bendigam o Senhor, todos vocês,

servos do Senhor,

que se encontram na Casa do Senhor

nas horas da noite.

2Levantem as mãos para o santuário

e bendigam o Senhor.

3Que, de Sião, o Senhor,

que fez o céu e a terra,

abençoe você!

Salmos 134NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: