Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 265

Texto(s) da Bíblia

Jesus aparece a sete discípulos

1Depois disso, Jesus se manifestou outra vez aos discípulos junto ao mar de Tiberíades. Foi assim que ele se manifestou: 2Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e mais dois discípulos de Jesus. 3Simão Pedro disse aos outros:

— Vou pescar.

Os outros responderam:

— Nós também vamos com você.

Foram e entraram no barco, mas, naquela noite, não pegaram nada.

4Ao romper o dia, Jesus estava na praia, mas os discípulos não reconheceram que era ele. 5Jesus lhes perguntou:

— Filhos, será que vocês têm aí alguma coisa para comer?

Eles responderam:

— Não.

6Então Jesus disse:

— Joguem a rede à direita do barco e vocês acharão.

Assim fizeram e já não podiam puxar a rede, tão grande era a quantidade de peixes. 7E o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro:

— É o Senhor!

Simão Pedro, ouvindo que era o Senhor, cingiu-se com a sua túnica, porque tinha tirado a roupa, e lançou-se ao mar. 8Os outros discípulos vieram no barquinho puxando a rede com os peixes, porque estavam somente a uns noventa metros da margem.

9Ao saltarem em terra, viram ali umas brasas com peixe por cima; e também havia pão. 10Jesus lhes disse:

— Tragam alguns dos peixes que vocês acabaram de pegar.

11Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a terra. A rede estava cheia, com cento e cinquenta e três grandes peixes. E, mesmo sendo tantos peixes, a rede não se rompeu. 12Jesus disse a eles:

— Venham comer.

Nenhum dos discípulos ousava perguntar: “Quem é você?” Porque sabiam que era o Senhor. 13Jesus veio, pegou o pão e deu a eles. Depois fez a mesma coisa com o peixe. 14E esta já era a terceira vez que Jesus se manifestava aos seus discípulos depois de ressuscitado dentre os mortos.

Jesus e Pedro

15Depois de terem comido, Jesus perguntou a Simão Pedro:

— Simão, filho de João, você me ama mais do que estes outros me amam?

Ele respondeu:

— Sim, o Senhor sabe que eu o amo.

Jesus lhe disse:

— Apascente os meus cordeiros.

16Jesus perguntou pela segunda vez:

— Simão, filho de João, você me ama?

Ele respondeu:

— Sim, o Senhor sabe que eu o amo.

Jesus lhe disse:

— Pastoreie as minhas ovelhas.

17Pela terceira vez Jesus lhe perguntou:

— Simão, filho de João, você me ama?

Pedro ficou triste por Jesus ter perguntado pela terceira vez: “Você me ama?” E respondeu:

— O Senhor sabe todas as coisas; sabe que eu o amo.

Jesus lhe disse:

— Apascente as minhas ovelhas. 18Em verdade, em verdade lhe digo que, quando era mais moço, você se cingia e andava por onde queria. Mas, quando você for velho, estenderá as mãos, e outro o cingirá e o levará para onde você não quer ir.

19Jesus disse isso para significar com que tipo de morte Pedro havia de glorificar a Deus. Depois de falar assim, Jesus acrescentou:

— Siga-me.

Jesus e o outro discípulo

20Então Pedro, voltando-se, viu que o discípulo a quem Jesus amava vinha seguindo; era o mesmo que na ceia havia se reclinado sobre o peito de Jesus para perguntar: “Senhor, quem é o traidor?” 21Ao vê-lo, Pedro perguntou a Jesus:

— Senhor, e quanto a este?

22Jesus respondeu:

— Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que você tem com isso? Quanto a você, siga-me.

23Então se espalhou entre os irmãos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Ora, Jesus não tinha dito que tal discípulo não morreria, mas: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que você tem com isso?”

O testemunho de João

24Este é o discípulo que dá testemunho a respeito destas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.

25Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, penso que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos.

João 21NAAAbrir na Bíblia

O reinado de Manassés, de Judá

2Rs 21.1-9

1Manassés tinha doze anos de idade quando começou a reinar e reinou cinquenta e cinco anos em Jerusalém. 2Fez o que era mau aos olhos do Senhor, segundo as coisas abomináveis das nações que o Senhor havia expulsado de diante dos filhos de Israel. 3Pois reconstruiu os lugares altos que Ezequias, seu pai, havia derrubado, levantou altares aos baalins, fez postes da deusa Aserá, prostrou-se diante de todo o exército dos céus e o serviu. 4Edificou altares na Casa do Senhor, a respeito da qual o Senhor tinha dito: “Em Jerusalém porei o meu nome para sempre.” 5Também edificou altares a todo o exército dos céus nos dois átrios da Casa do Senhor. 6Ele queimou os seus filhos em sacrifício no vale de Ben-Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias e tratava com médiuns e feiticeiros. Fazia continuamente o que era mau aos olhos do Senhor, para o provocar à ira. 7Também pôs a imagem de escultura do ídolo que tinha feito na Casa de Deus, a respeito da qual Deus tinha dito a Davi e a seu filho Salomão: “Neste templo e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei o meu nome para sempre. 8E não removerei mais o pé de Israel da terra que destinei aos seus pais, desde que eles tenham o cuidado de fazer tudo o que lhes tenho mandado, conforme toda a lei, os estatutos e os juízos dados por meio de Moisés.” 9Manassés de tal modo levou o povo de Judá e os moradores de Jerusalém a andarem errantes, que fizeram pior do que as nações que o Senhor tinha destruído de diante dos filhos de Israel.

O cativeiro de Manassés e a sua oração

10O Senhor falou a Manassés e ao seu povo, porém não lhe deram ouvidos. 11Por isso o Senhor trouxe sobre eles os comandantes do exército do rei da Assíria, que prenderam Manassés com ganchos, amarraram-no com correntes e o levaram para a Babilônia. 12Ele, angustiado, suplicou ao Senhor, seu Deus, e muito se humilhou diante do Deus de seus pais. 13Orou ao Senhor, e o Senhor se tornou favorável para com ele, atendeu-lhe a súplica e o fez voltar para Jerusalém, ao seu reino. Então Manassés reconheceu que o Senhor é Deus.

14Depois disto, Manassés construiu a muralha de fora da Cidade de Davi, a oeste de Giom, no vale, e à entrada do Portão dos Peixes, abrangendo Ofel; ele fez uma muralha bem alta. Também pôs chefes militares em todas as cidades fortificadas de Judá. 15Tirou da Casa do Senhor os deuses estranhos e o ídolo, bem como todos os altares que havia construído no monte da Casa do Senhor e em Jerusalém, e os lançou fora da cidade. 16Restaurou o altar do Senhor, sacrificou sobre ele ofertas pacíficas e de ação de graças e ordenou a Judá que servisse o Senhor, Deus de Israel. 17Porém o povo ainda sacrificava nos lugares altos, mas somente ao Senhor, seu Deus.

A morte de Manassés

2Rs 21.17-18

18Quanto aos demais atos de Manassés, à sua oração ao seu Deus e às palavras dos videntes que lhe falaram em nome do Senhor, Deus de Israel, está tudo escrito na História dos Reis de Israel. 19A sua oração e como Deus se tornou favorável para com ele, todo o seu pecado, a sua transgressão e os locais onde edificou lugares altos e colocou postes da deusa Aserá e imagens de escultura, antes que se humilhasse, eis que está tudo escrito na História dos Videntes. 20Manassés morreu e foi sepultado na sua própria casa. E Amom, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Amom, de Judá

2Rs 21.19-26

21Amom tinha vinte e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou dois anos em Jerusalém. 22Fez o que era mau aos olhos do Senhor, como Manassés, seu pai, havia feito. Ofereceu sacrifícios a todas as imagens de escultura que Manassés, seu pai, tinha feito e as serviu. 23Mas não se humilhou diante do Senhor, como Manassés, seu pai, tinha se humilhado; pelo contrário, Amom se tornou mais e mais culpável. 24Os seus servos conspiraram contra ele e o mataram em sua própria casa. 25Porém o povo daquela terra matou todos os que conspiraram contra o rei Amom e proclamou Josias, filho de Amom, rei em seu lugar.

2Crônicas 33NAAAbrir na Bíblia

Salmo didático de Etã, ezraíta

1Cantarei para sempre

as tuas misericórdias,

ó Senhor;

os meus lábios proclamarão

a todas as gerações

a tua fidelidade.

2Pois eu disse: “A misericórdia

está edificada para sempre;

a tua fidelidade,

tu a confirmarás nos céus.”

3Tu disseste: “Fiz uma aliança

com o meu escolhido

e jurei a Davi, meu servo:

4‘Para sempre estabelecerei

a sua posteridade

e firmarei o seu trono

de geração em geração.’”

5Os céus celebram

as tuas maravilhas,

ó Senhor,

e, na assembleia dos santos,

louvam a tua fidelidade.

6Pois quem nos céus

é comparável ao Senhor?

Entre os seres celestiais,

quem é semelhante ao Senhor?

7Deus infunde grande terror

na assembleia dos santos;

é temível sobre todos

os que o rodeiam.

8Ó Senhor, Deus dos Exércitos,

quem é poderoso

como tu és, Senhor,

com a tua fidelidade

ao redor de ti?!

9Dominas a fúria do mar;

quando as suas ondas se levantam,

tu as acalmas.

10Esmagaste o monstro Raabe

e o mataste;

com o teu braço forte

dispersaste os teus inimigos.

11Teus são os céus, e tua é a terra;

o mundo e a sua plenitude,

tu os estabeleceste.

12O Norte e o Sul, tu os criaste;

o Tabor e o Hermom

exultam em teu nome.

13O teu braço é poderoso;

forte é a tua mão,

e elevada é a tua mão direita.

14Justiça e direito

são o fundamento

do teu trono;

graça e verdade te precedem.

15Bem-aventurado o povo

que conhece

os gritos de alegria,

que anda, ó Senhor,

na luz da tua presença.

16Em teu nome se alegra o dia todo

e na tua justiça se exalta,

17porque tu és a glória

de sua força;

no teu favor é exaltado

o nosso poder.

18Pois ao Senhor pertence

o nosso escudo,

e ao Santo de Israel, o nosso rei.

Salmos 89:1-18NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: