Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 247

Texto(s) da Bíblia

A Festa da Dedicação. O povo rejeita Jesus

22Celebrava-se em Jerusalém a Festa da Dedicação. Era inverno. 23Jesus passeava no templo, no Pórtico de Salomão. 24Então os judeus o rodearam e disseram:

— Até quando você nos deixará nesse suspense? Se você é o Cristo, diga francamente.

25Jesus respondeu:

— Já falei, mas vocês não acreditam. As obras que eu faço em nome do meu Pai dão testemunho de mim. 26Mas vocês não creem, porque não são das minhas ovelhas. 27As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. 28Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. 29Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo, e da mão do Pai ninguém pode arrebatar. 30Eu e o Pai somos um.

31Os judeus mais uma vez pegaram pedras com a intenção de apedrejá-lo.

32Mas Jesus lhes disse:

— Tenho mostrado a vocês muitas obras boas da parte do Pai. Por qual delas querem me apedrejar?

33Os judeus responderam:

— Não é por obra boa que queremos apedrejá-lo, e sim por causa da blasfêmia. Pois, sendo você apenas um homem, está se fazendo de Deus.

34Jesus disse:

— Não está escrito na Lei de vocês: “Eu disse: vocês são deuses”? 35Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida a palavra de Deus — e a Escritura não pode falhar —, 36então como vocês dizem que aquele que o Pai santificou e enviou ao mundo está blasfemando, só porque declarei que sou Filho de Deus? 37Se não faço as obras do meu Pai, não acreditem em mim. 38Mas, se faço, e vocês não creem em mim, creiam pelo menos nas obras, para que vocês possam saber e compreender que o Pai está em mim e que eu estou no Pai.

39Então tentaram outra vez prendê-lo, mas ele se livrou das mãos deles.

40Novamente Jesus se retirou para além do Jordão, para o lugar onde João batizava no início; e ali permaneceu. 41E muitos iam até ele e diziam:

— João não fez nenhum sinal, mas tudo o que ele disse a respeito deste homem era verdade.

42E naquele lugar muitos creram nele.

João 10:22-42NAAAbrir na Bíblia

A rainha de Sabá visita Salomão

1Rs 10.1-13

1Quando a rainha de Sabá ouviu falar da fama de Salomão, veio a Jerusalém prová-lo com perguntas difíceis. Chegou com uma enorme comitiva, com camelos carregados de especiarias, de ouro em abundância e pedras preciosas. Ela se apresentou diante de Salomão e lhe expôs tudo o que trazia em sua mente. 2Salomão respondeu todas as perguntas que ela fez, e não houve nada profundo demais que Salomão não pudesse explicar. 3Quando a rainha de Sabá viu a sabedoria de Salomão, o palácio que ele havia construído, 4a comida que era servida na mesa dele, o lugar dos seus oficiais, o serviço dos seus criados e os trajes deles, seus copeiros e os trajes deles, e o holocausto que oferecia na Casa do Senhor, ficou como fora de si 5e disse ao rei:

— É verdade o que ouvi na minha terra a respeito de você e a respeito da sua sabedoria. 6Eu, porém, não acreditava no que se falava, até que vim e vi com os meus próprios olhos. Eis que não me contaram nem a metade da grandeza da sua sabedoria; você supera a fama que ouvi. 7Felizes os homens à sua volta e felizes estes seus servos que estão sempre diante de você e que ouvem a sua sabedoria! 8Bendito seja o Senhor, seu Deus, que se agradou de você e o colocou no seu trono como rei para o Senhor, seu Deus. É porque o seu Deus ama Israel e quer estabelecê-lo para sempre que ele o constituiu rei sobre este povo, para que você execute o juízo e a justiça.

9Ela entregou ao rei quatro toneladas de ouro, grande abundância de especiarias e pedras preciosas. Nunca mais houve especiarias como as que a rainha de Sabá ofereceu ao rei Salomão.

10Também os servos de Hirão e os servos de Salomão, que tinham trazido ouro de Ofir, trouxeram madeira de sândalo e pedras preciosas. 11Desta madeira de sândalo o rei mandou fazer corrimões para a Casa do Senhor e para o palácio real, bem como harpas e liras para os cantores. Nunca antes se tinha visto madeira como esta na terra de Judá.

12O rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela quis e pediu, além do equivalente ao que ela lhe havia trazido. Então ela voltou e foi para a sua terra, ela e os seus servos.

As riquezas de Salomão

1Rs 10.14-29

13O peso do ouro que se trazia a Salomão a cada ano era de cerca de vinte e três toneladas, 14além do que entrava dos vendedores e dos negociantes. Também todos os reis da Arábia e os governadores dessa mesma terra traziam a Salomão ouro e prata.

15O rei Salomão fez duzentos grandes escudos de ouro batido, empregando sete quilos e duzentos gramas de ouro batido em cada escudo. 16Fez também trezentos escudos menores de ouro batido, empregando três quilos e seiscentos gramas de ouro em cada escudo. E o rei os pôs na Casa do Bosque do Líbano.

17O rei fez também um grande trono de marfim e o cobriu de ouro puro. 18O trono tinha seis degraus e um estrado de ouro ligado a ele. De ambos os lados do assento havia um braço, e a figura de um leão junto a cada um dos braços. 19Doze leões estavam ali sobre os seis degraus, um em cada extremo destes. Nunca se havia feito obra semelhante em nenhum outro reino.

20Todas as taças que o rei Salomão usava para beber eram de ouro, e também de ouro puro eram todos os objetos da Casa do Bosque do Líbano. Nos dias de Salomão não se dava nenhum valor à prata. 21Porque o rei tinha navios que iam a Társis, com os servos de Hirão. De três em três anos, os navios voltavam de Társis, trazendo ouro, prata, marfim, bugios e pavões.

22Assim, o rei Salomão excedeu a todos os reis do mundo, tanto em riqueza como em sabedoria. 23Todos os reis do mundo queriam ver Salomão para ouvir a sabedoria que Deus tinha posto no coração dele. 24Cada um trazia o seu presente: objetos de prata e de ouro, roupas, armaduras, especiarias, cavalos e mulas. E foi assim ano após ano.

25Salomão tinha quatro mil cavalos em estrebarias, para os seus carros de guerra, e doze mil cavaleiros, que colocou nas cidades onde mantinha os carros, deixando uma parte junto ao rei, em Jerusalém. 26Salomão dominava sobre todos os reis desde o Eufrates até a terra dos filisteus e até a fronteira do Egito. 27O rei fez com que, em Jerusalém, a prata fosse tão comum como as pedras e os cedros fossem tão numerosos como os sicômoros que estão na Sefelá. 28Importavam-se cavalos para Salomão, do Egito e de todas as terras.

A morte de Salomão

1Rs 11.41-43

29Quanto aos demais atos de Salomão, tanto os primeiros como os últimos, não está tudo escrito no Livro da História de Natã, o profeta, e na Profecia de Aías, o silonita, e nas Visões de Ido, o vidente, a respeito de Jeroboão, filho de Nebate? 30Salomão reinou sobre todo o Israel, em Jerusalém, durante quarenta anos. 31Salomão morreu e foi sepultado na Cidade de Davi, seu pai, e Roboão, seu filho, reinou em seu lugar.

2Crônicas 9NAAAbrir na Bíblia

Oração pela libertação do povo

Salmo didático de Asafe

1Ó Deus, por que nos rejeitas

para sempre?

Por que se acende a tua ira

contra as ovelhas do teu pasto?

2Lembra-te da tua congregação,

que adquiriste

desde a antiguidade,

que remiste para ser

a tribo da tua herança.

Lembra-te do monte Sião,

no qual tens habitado.

3Dirige os teus passos

para as ruínas perpétuas,

para tudo de mau que o inimigo

fez no santuário.

4Os teus adversários bramam

no lugar das assembleias

e erguem as suas próprias insígnias

como sinais.

5Parecem-se com os que

empunham os seus machados

no espesso da floresta;

6e agora, com os seus machados

e martelos,

destroem todos os entalhes

de madeira.

7Incendeiam o teu santuário;

profanam a morada do teu nome,

arrasando-a até o chão.

8Disseram no seu coração:

“Acabemos com eles

de uma vez.”

Queimaram todos os lugares santos

de Deus na terra.

9Já não vemos os nossos sinais;

já não há profeta;

nem há, entre nós, quem saiba

até quando isso vai durar.

10Até quando, ó Deus, o adversário

nos afrontará?

Será que o inimigo blasfemará

o teu nome para sempre?

11Por que retiras a tua mão,

sim, a tua mão direita,

e a conservas no teu seio?

12Mas Deus é meu Rei

desde a antiguidade;

ele é quem opera feitos salvadores

no meio da terra.

13Tu, com o teu poder,

dividiste o mar;

esmagaste sobre as águas

a cabeça dos monstros

marinhos.

14Despedaçaste as cabeças

do Leviatã

e o deste por alimento

às criaturas do deserto.

15Tu abriste fontes e ribeiros;

secaste rios caudalosos.

16Teu é o dia;

tua também é a noite;

a luz e o sol, tu os formaste.

17Fixaste os confins da terra;

verão e inverno, tu os fizeste.

18Lembra-te disto: o inimigo

tem insultado o Senhor,

e um povo insensato

tem blasfemado o teu nome.

19Não entregues à rapina

a vida de tua pomba,

nem te esqueças para sempre

da vida dos teus aflitos.

20Lembra-te da tua aliança,

pois os lugares tenebrosos da terra

estão cheios de moradas

de violência.

21Não fique envergonhado

o oprimido;

que o aflito e o necessitado

louvem o teu nome.

22Levanta-te, ó Deus,

e defende a tua causa;

lembra-te de como o ímpio

te afronta todos os dias.

23Não te esqueças da gritaria

dos teus inimigos,

do sempre crescente tumulto

dos teus adversários.

Salmos 74NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: