Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 22

Texto(s) da Bíblia

Os tropeços

Mt 18.6-7; Mc 9.42-50

1Jesus disse aos seus discípulos:

— É inevitável que existam pedras de tropeço, mas ai de quem é responsável por elas! 2Seria melhor para esse que uma pedra de moinho fosse pendurada ao seu pescoço e fosse atirado no mar do que fazer tropeçar um destes pequeninos.

O perdão e a fé

Mt 18.21-22

3— Tenham cuidado. Se o seu irmão pecar, repreenda-o; se ele se arrepender, perdoe-lhe. 4Se pecar contra você sete vezes num dia e sete vezes vier para lhe dizer: “Estou arrependido”, perdoe-lhe.

5Então os apóstolos disseram ao Senhor:

— Aumente-nos a fé.

6Ao que o Senhor respondeu:

— Se vocês tivessem fé como um grão de mostarda, diriam a esta amoreira: “Arranque-se e transplante-se no mar.” E ela obedeceria.

7— Qual de vocês, tendo um servo ocupado na lavoura ou em guardar o gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: “Venha agora mesmo e sente-se à mesa”? 8Não é verdade que, ao contrário, lhe dirá: “Prepare o meu jantar. Apronte-se e sirva-me enquanto eu como e bebo. Depois, você pode comer e beber”? 9Será que ele terá de agradecer ao servo por ter feito o que lhe havia ordenado? 10Assim também vocês, depois de terem feito tudo o que lhes foi ordenado, digam: “Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer.”

A cura de dez leprosos

11De caminho para Jerusalém, Jesus passava pelo meio de Samaria e da Galileia. 12Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, 13que ficaram de longe e gritaram:

— Jesus, Mestre, tenha compaixão de nós!

14Ao vê-los, Jesus disse:

— Vão e apresentem-se aos sacerdotes.

Aconteceu que, indo eles, foram purificados. 15Um dos dez, vendo que estava curado, voltou dando glória a Deus em alta voz 16e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe. E este era samaritano. 17Então Jesus perguntou:

— Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? 18Não se achou quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?

19E lhe disse:

— Levante-se e vá; a sua fé salvou você.

A vinda do Reino de Deus

Mt 24.23-28,37-41

20Indagado pelos fariseus sobre quando viria o Reino de Deus, Jesus lhes respondeu:

— O Reino de Deus não vem com visível aparência. 21Nem dirão: “Ele está aqui!” Ou: “Lá está ele!” Porque o Reino de Deus está entre vocês.

22A seguir, Jesus disse aos seus discípulos:

— Virá o tempo em que vocês desejarão ver um dos dias do Filho do Homem, mas não verão. 23E dirão a vocês: “Ele está aqui!” Ou: “Lá está ele!” Não saiam nem sigam essa gente. 24Porque assim como o relâmpago, que resplandece e brilha de uma extremidade do céu até a outra, assim será, no seu dia, o Filho do Homem. 25Mas é necessário que primeiro ele padeça muitas coisas e seja rejeitado por esta geração. 26Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do Homem: 27comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, veio o dilúvio e destruiu todos. 28O mesmo aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; 29mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre e destruiu todos. 30Assim será no dia em que o Filho do Homem se manifestar.

31— Naquele dia, quem estiver no terraço e tiver os seus bens em casa não desça para tirá-los; e, de igual modo, quem estiver no campo não volte para trás. 32Lembrem-se da mulher de Ló. 33Quem tentar preservar a sua vida a perderá; e quem a perder, esse a salvará. 34Digo a vocês que, naquela noite, duas pessoas estarão numa cama: uma será levada, e a outra será deixada. 35Duas mulheres estarão juntas moendo trigo: uma será tomada, e a outra será deixada. 36[Dois estarão no campo: um será tomado, e o outro será deixado.]

37Então perguntaram a Jesus:

— Onde será isso, Senhor?

Ele respondeu:

— Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão também os abutres.

Lucas 17NAAAbrir na Bíblia

Jacó se encontra com Raquel

1Jacó se pôs a caminho e foi à terra do povo do Oriente. 2Olhou, e eis um poço no campo e três rebanhos de ovelhas deitados junto dele, porque daquele poço davam de beber aos rebanhos. E havia uma grande pedra que tapava a boca do poço. 3Ajuntavam-se ali todos os rebanhos, os pastores removiam a pedra da boca do poço, davam de beber às ovelhas e tornavam a colocá-la no seu devido lugar.

4Jacó perguntou aos pastores:

— De onde são vocês, meus irmãos?

Responderam:

— Somos de Harã.

5Perguntou-lhes:

— Vocês conhecem Labão, filho de Naor?

Responderam:

— Conhecemos.

6Jacó perguntou ainda:

— Ele vai bem?

Eles responderam:

— Sim, vai bem. Olhe! Raquel, a filha dele, vem vindo aí com as ovelhas.

7Então Jacó disse:

— É ainda pleno dia, não é tempo de recolher os rebanhos. Deem de beber às ovelhas e vão apascentá-las.

8Mas eles responderam:

— Não podemos, enquanto não se ajuntarem todos os rebanhos, seja removida a pedra da boca do poço e demos de beber às ovelhas.

9Enquanto Jacó ainda falava, chegou Raquel com as ovelhas de seu pai, porque era pastora. 10Quando Jacó viu Raquel, filha de Labão, irmão de sua mãe, e as ovelhas de Labão, aproximou-se, removeu a pedra da boca do poço e deu de beber ao rebanho de Labão, irmão de sua mãe. 11Feito isso, Jacó beijou Raquel e, erguendo a voz, chorou. 12Então Jacó contou a Raquel que ele era parente de seu pai, pois era filho de Rebeca. Ela correu e o comunicou a seu pai.

13Quando Labão ouviu as notícias a respeito de Jacó, filho de sua irmã, correu ao encontro dele, abraçou-o, beijou-o e o levou para casa. E Jacó contou a Labão tudo o que havia acontecido. 14Então Labão disse:

— De fato, você é meu osso e minha carne.

Jacó casa com Lia e com Raquel

Jacó ficou na casa de Labão durante um mês.

15Depois, Labão disse a Jacó:

— Será que você vai trabalhar de graça, só por ser meu parente? Diga-me qual deve ser o seu salário.

16Ora, Labão tinha duas filhas: Lia, a mais velha, e Raquel, a mais nova. 17Lia tinha uns olhos sem brilho, porém Raquel era bonita e formosa. 18Como Jacó amava Raquel, disse a Labão:

— Trabalharei para o senhor durante sete anos para poder casar com Raquel, sua filha mais nova.

19Labão respondeu:

— É melhor dá-la a você do que a outro homem. Fique aqui comigo.

20Assim, por amor a Raquel, Jacó trabalhou durante sete anos. E esses anos lhe pareceram como poucos dias, pelo muito que a amava.

21Então ele disse a Labão:

— Dê-me a minha mulher, pois já venceu o prazo, para que eu me case com ela.

22Assim, Labão reuniu todos os homens do lugar e deu um banquete. 23À noite, ele trouxe Lia, sua filha, e a entregou a Jacó. E eles tiveram relações. 24(Labão tinha dado sua serva Zilpa para que fosse serva de Lia, sua filha.)

25Ao amanhecer, Jacó viu que era Lia. Por isso, disse a Labão:

— O que é isso que o senhor fez comigo? Não é verdade que eu trabalhei por amor a Raquel? Por que, então, o senhor me enganou?

26Labão respondeu:

— Em nossa terra não se costuma dar em casamento a mais nova antes da primogênita. 27Complete a semana de festa de casamento da primogênita. Depois, daremos a você também a outra, pelo trabalho de mais sete anos que você ainda me servirá.

28Jacó fez o que Labão pediu e completou a semana de festa da primogênita. Depois, Labão lhe deu por mulher a sua filha Raquel. 29(Labão tinha dado sua serva Bila para que fosse serva de Raquel, sua filha.) 30E Jacó teve relações também com Raquel. Ele amava Raquel mais do que amava Lia. E continuou trabalhando para Labão durante mais sete anos.

Gênesis 29:1-30NAAAbrir na Bíblia

Um grito de angústia e um salmo de louvor

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Corça da manhã”. Salmo de Davi

1Deus meu, Deus meu,

por que me desamparaste?

Por que se acham longe

de minha salvação

as palavras de meu gemido?

2Deus meu, clamo de dia,

e não me respondes;

também de noite,

porém não tenho sossego.

3Contudo, tu és santo,

entronizado entre os louvores

de Israel.

4Nossos pais confiaram em ti;

confiaram, e tu os livraste.

5A ti clamaram e escaparam;

confiaram em ti

e não foram envergonhados.

6Mas eu sou verme

e não um ser humano;

afrontado pelos homens

e desprezado pelo povo.

7Todos os que me veem

zombam de mim;

fazem caretas e balançam

a cabeça, dizendo:

8“Confiou no Senhor!

Ele que o livre!

Salve-o, pois nele tem prazer.”

9Contudo, tu és quem

me fez nascer;

e me preservaste,

estando eu ainda

ao seio de minha mãe.

10A ti me entreguei

desde o meu nascimento;

desde o ventre de minha mãe,

tu és o meu Deus.

11Não te distancies de mim,

porque a tribulação está próxima,

e não há quem me ajude.

12Muitos touros me cercam,

fortes touros de Basã me rodeiam.

13Contra mim abrem a boca,

como faz o leão

que despedaça e ruge.

14Derramei-me como água,

e todos os meus ossos

se desconjuntaram;

meu coração fez-se como cera,

derreteu-se dentro de mim.

15Secou-se o meu vigor,

como um caco de barro,

e a língua se me apega

ao céu da boca;

assim, me deitas no pó da morte.

16Cães me cercam;

um bando de malfeitores

me rodeia;

traspassaram-me as mãos e os pés.

17Posso contar

todos os meus ossos;

os meus inimigos

estão olhando para mim

e me encarando.

18Repartem entre si

as minhas roupas

e sobre a minha túnica

lançam sortes.

19Tu, porém, Senhor,

não te afastes de mim;

força minha, apressa-te

em me socorrer.

20Livra a minha alma da espada,

e, das presas do cão, a minha vida.

21Salva-me da boca do leão

e dos chifres dos búfalos;

sim, tu me respondes.

22A meus irmãos declararei

o teu nome;

no meio da congregação

eu te louvarei.

23Louvem o Senhor,

vocês que o temem;

glorifiquem-no, todos vocês,

descendência de Jacó;

temam-no, todos vocês,

posteridade de Israel.

24Porque não desprezou

nem detestou

a dor do aflito,

nem ocultou dele o seu rosto,

mas o ouviu, quando lhe gritou

por socorro.

25De ti vem o meu louvor

na grande congregação;

cumprirei os meus votos

na presença dos que o temem.

26Os sofredores hão de comer

e fartar-se;

louvarão o Senhor

aqueles que o buscam.

Que o coração de vocês

viva para sempre!

27Os confins da terra

se lembrarão do Senhor

e a ele se converterão;

diante dele se prostrarão

todas as famílias das nações.

28Pois do Senhor é o reino,

é ele quem governa as nações.

29Todos os ricos da terra

hão de comer e adorar,

e todos os que descem ao pó

se prostrarão diante dele,

até aquele que não pode

preservar a própria vida.

30A posteridade o servirá,

e se falará do Senhor

à geração vindoura.

31Virão e anunciarão a justiça dele;

ao povo que há de nascer,

contarão que foi ele

quem o fez.

Salmos 22NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: