Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 213

Texto(s) da Bíblia

A oferta para os cristãos da Judeia

1Quanto à coleta para os santos, façam também vocês como ordenei às igrejas da Galácia. 2No primeiro dia da semana, cada um de vocês separe uma quantia, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que não seja necessário fazer coletas quando eu for. 3E, quando eu tiver chegado, enviarei, com cartas, aqueles que vocês aprovarem, para que levem a oferta de vocês a Jerusalém. 4Se for conveniente que eu também vá, eles irão comigo.

Os planos de Paulo

5Irei visitar vocês por ocasião da minha passagem pela Macedônia, porque devo passar pela Macedônia. 6E bem pode ser que eu me demore ou mesmo passe o inverno com vocês, para que vocês me encaminhem nas viagens que eu tenha de fazer. 7Porque não quero, agora, ver vocês apenas de passagem, pois espero permanecer algum tempo com vocês, se o Senhor o permitir. 8Mas ficarei em Éfeso até o Pentecostes, 9porque uma porta grande e oportuna para o trabalho se abriu para mim; e há muitos adversários.

10E, se Timóteo for, façam tudo para que não tenha nada a temer enquanto estiver entre vocês, porque trabalha na obra do Senhor, como também eu. 11Portanto, que ninguém o despreze. Ajudem-no a continuar a viagem em paz, para que venha até aqui, visto que o espero com os irmãos.

12Quanto ao irmão Apolo, muito lhe tenho recomendado que fosse visitar vocês em companhia dos irmãos, mas ele não quis de jeito nenhum ir agora; irá, porém, quando tiver oportunidade.

Conselhos finais

13Fiquem alertas, permaneçam firmes na fé, mostrem coragem, sejam fortes. 14Façam todas as coisas com amor.

15E agora, irmãos, eu peço a vocês o seguinte: os membros da casa de Estéfanas são as primícias da Acaia e eles se consagraram ao serviço dos santos. 16Portanto, sujeitem-se a pessoas como eles, bem como a todo aquele que é cooperador e obreiro.

17Alegro-me com a vinda de Estéfanas, de Fortunato e de Acaico, porque eles supriram o que faltava da parte de vocês. 18Porque trouxeram refrigério ao meu espírito e ao de vocês também. Deem o devido reconhecimento a homens como esses.

Saudações

19As igrejas da província da Ásia mandam saudações. Também Áquila e Priscila mandam cordiais saudações no Senhor, juntamente com a igreja que se reúne na casa deles. 20Todos os irmãos mandam saudações. Saúdem uns aos outros com um beijo santo.

21Eu, Paulo, escrevo a saudação de próprio punho.

22Se alguém não ama o Senhor, seja anátema. Maranata!

Bênção

23A graça do Senhor Jesus esteja com vocês. 24O meu amor esteja com todos vocês, em Cristo Jesus.

1Coríntios 16NAAAbrir na Bíblia

O reinado de Joás, de Judá

2Cr 24.1-14

1No sétimo ano do reinado de Jeú, Joás começou a reinar. Ele reinou quarenta anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Zíbia e era de Berseba. 2Joás fez o que era reto aos olhos do Senhor, todos os dias em que o sacerdote Joiada o dirigia. 3Apenas os lugares altos não foram tirados, e o povo ainda sacrificava e queimava incenso nesses altos.

4Joás disse aos sacerdotes:

— Todo o dinheiro das coisas santas que for trazido à Casa do Senhor, a saber, a taxa pessoal, o resgate de pessoas segundo a sua avaliação e todo o dinheiro que cada um trouxer voluntariamente para a Casa do Senhor, 5deverá ser recebido pelos sacerdotes, cada um dos seus conhecidos; e que os sacerdotes reparem os estragos do templo, sempre que houver um reparo a fazer.

6Mas, no vigésimo terceiro ano do reinado de Joás, os sacerdotes ainda não tinham reparado os estragos do templo. 7Então o rei Joás chamou o sacerdote Joiada e os outros sacerdotes e lhes disse:

— Por que vocês não estão reparando os estragos do templo? Agora, pois, não recebam mais dinheiro de seus conhecidos, mas entreguem-no para a reparação dos estragos do templo.

8Os sacerdotes concordaram em não mais receber dinheiro do povo e concordaram também que não ficariam encarregados de reparar os estragos do templo.

9Então o sacerdote Joiada pegou uma caixa, fez um buraco na tampa, e a pôs junto ao altar, à direita de quem entrava na Casa do Senhor. Os sacerdotes que guardavam a entrada da porta depositavam ali todo o dinheiro que era trazido à Casa do Senhor. 10Quando viam que já havia muito dinheiro na caixa, o escrivão do rei e o sumo sacerdote vinham, contavam e ensacavam o dinheiro que se achava na Casa do Senhor. 11O dinheiro, depois de pesado, era entregue aos que dirigiam a obra e tinham a seu encargo a Casa do Senhor. Estes pagavam aos carpinteiros e aos construtores que reparavam a Casa do Senhor, 12e também aos pedreiros e aos cortadores de pedras. Também compravam madeira e pedras lavradas para repararem os estragos da Casa do Senhor, e custeavam todo o necessário para a conservação da Casa do Senhor. 13Mas, do dinheiro que era trazido à Casa do Senhor, não se faziam nem taças de prata, nem apagadores, nem bacias, nem trombetas, nem qualquer outro vaso de ouro ou de prata para a Casa do Senhor. 14Porque davam o dinheiro aos que dirigiam a obra e reparavam com ele a Casa do Senhor. 15Também não pediam contas aos homens em cujas mãos entregavam aquele dinheiro, para o dar aos que faziam a obra, porque eram honestos. 16Mas o dinheiro de oferta pela culpa e o dinheiro de oferta pelos pecados não era trazido à Casa do Senhor; ficava para os sacerdotes.

17Nessa época Hazael, rei da Síria, atacou e conquistou a cidade de Gate. Depois Hazael resolveu marchar contra Jerusalém. 18Porém Joás, rei de Judá, pegou todas as coisas santas que Josafá, Jeorão e Acazias, seus pais, reis de Judá, haviam dedicado, bem como todo o ouro que havia nos tesouros da Casa do Senhor e no palácio real e os mandou a Hazael, rei da Síria; e este se retirou de Jerusalém.

19Quanto aos demais atos de Joás e a tudo o que fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá?

A conspiração contra o rei Joás

2Cr 24.25-27

20Os servos de Joás se levantaram, fizeram uma conspiração e mataram Joás na casa de Milo, que fica na descida para Sila. 21Jozacar, filho de Simeate, e Jozabade, filho de Somer, servos de Joás, o atacaram, e ele morreu. Joás foi sepultado no túmulo de seus pais na Cidade de Davi, e Amazias, seu filho, reinou em seu lugar.

2Reis 12NAAAbrir na Bíblia

O reinado de Jeoacaz, de Israel

1No vigésimo terceiro ano do reinado de Joás, filho de Acazias, rei de Judá, Jeoacaz, filho de Jeú, começou a reinar sobre Israel, em Samaria, e reinou dezessete anos. 2Jeoacaz fez o que era mau aos olhos do Senhor e andou nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, que este levou Israel a cometer; não se afastou deles. 3Por isso a ira do Senhor se acendeu contra Israel, e ele os entregou nas mãos de Hazael, rei da Síria, e nas mãos de Ben-Hadade, filho de Hazael, todos aqueles dias. 4Porém Jeoacaz fez súplicas diante do Senhor, e o Senhor o ouviu, pois viu a opressão com que o rei da Síria atormentava Israel. 5O Senhor deu um salvador a Israel, de modo que os filhos de Israel se livraram do poder dos sírios e puderam morar, de novo, em suas casas, como antes. 6Contudo, não se afastaram dos pecados da casa de Jeroboão, que este levou Israel a cometer, mas andaram neles; e também o poste da deusa Aserá permaneceu em Samaria. 7Do exército de Jeoacaz só restaram cinquenta cavaleiros, dez carros de guerra e dez mil soldados de infantaria, porque o rei da Síria havia destruído os demais, reduzindo-os a pó.

8Quanto aos demais atos de Jeoacaz, a tudo o que fez e ao seu poder, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel? 9Jeoacaz morreu e foi sepultado em Samaria. E Jeoás, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Jeoás, de Israel

10No trigésimo sétimo ano do reinado de Joás, rei de Judá, Jeoás, filho de Jeoacaz, começou a reinar sobre Israel, em Samaria; e reinou dezesseis anos. 11Fez o que era mau aos olhos do Senhor. Não se afastou de nenhum dos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, que este levou Israel a cometer; porém andou neles.

12Quanto aos demais atos de Jeoás, a tudo o que fez e ao seu poder, com que lutou contra Amazias, rei de Judá, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel? 13Jeoás morreu, e no seu trono se assentou Jeroboão. Jeoás foi sepultado em Samaria, junto aos reis de Israel.

A profecia final e a morte de Eliseu

14Quando Eliseu estava sofrendo da enfermidade da qual viria a morrer, Jeoás, rei de Israel, foi visitá-lo. Chorou diante dele e disse:

— Meu pai, meu pai! Carros de Israel e seus cavaleiros!

15Então Eliseu disse ao rei:

— Pegue um arco e algumas flechas.

Jeoás pegou o arco e as flechas. 16Eliseu disse ao rei de Israel:

— Empunhe o arco.

O rei fez assim. Então Eliseu pôs as mãos sobre as mãos do rei 17e disse:

— Abra a janela que dá para o leste.

O rei a abriu. Eliseu continuou:

— Atire!

E o rei atirou. Então Eliseu disse:

— Flecha da vitória do Senhor! Flecha da vitória contra os sírios! Você vencerá os sírios em Afeca, até acabar com eles.

18Eliseu disse mais:

— Pegue as flechas.

Ele as pegou. Então disse ao rei de Israel:

— Atire contra o chão.

O rei fez isso três vezes e parou. 19Então o homem de Deus ficou indignado com ele e disse:

— Você deveria ter atirado cinco ou seis vezes e assim venceria os sírios até acabar com eles; mas agora vai vencê-los só três vezes.

20Eliseu morreu, e o sepultaram. Ora, bandos dos moabitas costumavam invadir a terra, no começo do ano. 21Aconteceu que, enquanto alguns sepultavam um homem, eis que viram um desses bandos. Então jogaram o homem na sepultura de Eliseu e fugiram. Quando o cadáver tocou nos ossos de Eliseu, o homem reviveu e se levantou sobre os pés.

Guerra entre Israel e Síria

22Hazael, rei da Síria, oprimiu Israel durante todo o reinado de Jeoacaz. 23Porém o Senhor teve misericórdia de Israel, se compadeceu deles e voltou-se para eles, por amor da aliança com Abraão, Isaque e Jacó; e não quis destruí-los e, até agora, ainda não os expulsou da sua presença.

24Hazael, rei da Síria, morreu, e Ben-Hadade, seu filho, reinou em seu lugar. 25Jeoás, filho de Jeoacaz, retomou das mãos de Ben-Hadade as cidades que, na guerra, este havia tomado de Jeoacaz, seu pai. Três vezes Jeoás o derrotou e recuperou as cidades de Israel.

2Reis 13NAAAbrir na Bíblia

Ameaças contra os maus governantes e os falsos profetas

1Eu disse:

Escutem agora,

governantes de Jacó

e chefes da casa de Israel:

Por acaso não é a vocês

que compete

conhecer a justiça?

2Mas vocês odeiam o bem

e amam o mal;

arrancam a pele do meu povo

e a carne de cima dos seus ossos.

3Vocês comem a carne

do meu povo

e lhes arrancam a pele;

quebram os seus ossos,

e os repartem em pedaços

que vão para a panela

e em carne que vai

para o caldeirão.

4Um dia eles hão de invocar

o Senhor,

mas ele não os ouvirá;

naquele tempo, esconderá deles

a sua face,

por causa do mal que praticaram.

5Assim diz o Senhor

a respeito dos profetas

que fazem o meu povo

andar errante

e que clamam: “Paz”,

quando têm o que mastigar,

mas apregoam guerra santa

contra aqueles

que não lhes dão nada para comer:

6“Por isso, vocês terão noites

sem visões;

vocês terão trevas

sem adivinhações.

O sol se porá sobre os profetas,

e o dia se transformará em escuridão.

7Os videntes serão envergonhados,

e os adivinhos serão humilhados.

Todos eles colocarão a mão

sobre a boca,

porque não haverá resposta

de Deus.”

8Quanto a mim, estou cheio

do poder do Espírito do Senhor,

cheio de justiça e de força,

para declarar a Jacó

a sua transgressão

e a Israel, o seu pecado.

9Escutem agora isto,

governantes da casa de Jacó

e chefes da casa de Israel,

vocês que detestam a justiça

e pervertem tudo o que é correto,

10que edificam Sião com sangue

e Jerusalém, com iniquidade.

11Os seus cabeças dão

as sentenças por suborno,

os seus sacerdotes ensinam

por interesse,

e os seus profetas adivinham

por dinheiro.

E ainda se apoiam no Senhor,

dizendo:

“Não está o Senhor

no meio de nós?

Nenhum mal nos sobrevirá.”

12Portanto, por causa de vocês,

Sião será lavrada como um campo,

e Jerusalém se tornará

um montão de ruínas,

e o monte do templo,

numa colina coberta de mato.

Miqueias 3NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: