Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 154

Texto(s) da Bíblia

Deus e o seu povo

1Digo a verdade em Cristo, não minto, e a minha consciência confirma isso por meio do Espírito Santo: 2sinto grande tristeza e tenho incessante dor no coração. 3Porque eu mesmo desejaria ser amaldiçoado, separado de Cristo, por amor de meus irmãos, meus compatriotas segundo a carne. 4São israelitas. A eles pertence a adoção, assim como a glória, as alianças, a promulgação da Lei, o culto e as promessas. 5Deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para sempre. Amém!

6E não pensemos que a palavra de Deus falhou. Porque nem todos os de Israel são, de fato, israelitas, 7nem por serem descendentes de Abraão são todos filhos. Pelo contrário: “Por meio de Isaque será chamada a sua descendência.” 8Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa é que são contados como descendência. 9Porque a palavra da promessa é esta: “Por esse tempo voltarei, e Sara terá um filho.”

10E isto não aconteceu somente com ela, mas também com Rebeca, ao conceber de um só, de Isaque, nosso pai. 11E os gêmeos ainda não eram nascidos, nem tinham feito o bem ou o mal — para que o propósito de Deus, quanto à eleição, prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama —, 12quando foi dito a Rebeca: “O mais velho será servo do mais moço.” 13Como está escrito:

“Amei Jacó,

porém desprezei Esaú.”

14Que diremos, então? Que Deus é injusto? De modo nenhum! 15Pois ele diz a Moisés:

“Terei misericórdia de quem

eu tiver misericórdia

e terei compaixão de quem

eu tiver compaixão.”

16Assim, pois, isto não depende de quem quer ou de quem corre, mas de Deus, que tem misericórdia. 17Porque a Escritura diz a Faraó: “Foi para isto mesmo que eu o levantei, para mostrar em você o meu poder e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.” 18Logo, Deus tem misericórdia de quem quer e também endurece a quem ele quer.

A soberania de Deus

19Mas você vai me dizer: “Por que Deus ainda se queixa? Pois quem pode resistir à sua vontade?” 20Mas quem é você, caro amigo, para discutir com Deus? Será que o objeto pode perguntar a quem o fez: “Por que você me fez assim?” 21Será que o oleiro não tem direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro para desonra?

22Que diremos, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos de ira, preparados para a destruição, 23a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que de antemão preparou para glória? 24Estes vasos somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios, 25como também diz em Oseias:

“Chamarei de ‘meu povo’

ao que não era meu povo;

e de ‘amada’ à que não era amada.

26E no lugar em que lhes foi dito:

‘Vocês não são o meu povo’,

ali mesmo serão chamados

‘filhos do Deus vivo’.”

27Mas Isaías clama a respeito de Israel:

“Ainda que o número

dos filhos de Israel

seja como a areia do mar,

o remanescente é que será salvo.

28Porque o Senhor cumprirá

a sua palavra sobre a terra,

de forma plena e em breve.”

29Como Isaías já disse:

“Se o Senhor dos Exércitos

não nos tivesse deixado

descendência,

nós nos teríamos tornado

como Sodoma

e semelhantes a Gomorra.”

Romanos 9:1-29NAAAbrir na Bíblia

55Quando Saul viu Davi saindo para encontrar-se com o filisteu, perguntou a Abner, o comandante do exército:

— Abner, aquele jovem é filho de quem?

Abner respondeu:

— Juro pela sua vida, ó rei, que não sei.

56E o rei disse:

— Então pergunte de quem esse jovem é filho.

57Quando Davi voltou, depois de matar o filisteu, Abner o tomou e o levou à presença de Saul. Davi ainda trazia na mão a cabeça do filisteu. 58Então Saul lhe perguntou:

— Meu jovem, de quem você é filho?

Davi respondeu:

— Sou filho de seu servo Jessé, o belemita.

1Samuel 17:55-58NAAAbrir na Bíblia

A amizade de Jônatas e Davi

1Depois de Davi ter falado com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a de Davi numa profunda amizade. E Jônatas o amou como à sua própria alma. 2Naquele dia, Saul reteve Davi e não permitiu que ele voltasse para a casa de seu pai. 3Jônatas e Davi fizeram uma aliança, porque Jônatas o amava como à sua própria alma. 4Jônatas tirou a capa que vestia e a deu a Davi. Deu também a sua armadura, inclusive a espada, o arco e o cinto. 5Davi saía aonde quer que Saul o enviava e tinha êxito, de modo que Saul o pôs sobre tropas do seu exército. E Davi era estimado por todo o povo e até pelos próprios servos de Saul.

A inveja de Saul

6E aconteceu que, quando eles estavam voltando para casa, depois de Davi ter matado o filisteu, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e dançando, com tamborins, com alegria e com instrumentos musicais. 7As mulheres se alegravam e, cantando alternadamente, diziam:

“Saul matou os seus milhares,

porém Davi, os seus dez milhares.”

8Saul se indignou muito, pois estas palavras lhe desagradaram em extremo. Ele disse:

— Para Davi elas deram dez milhares, mas para mim apenas milhares. Na verdade, o que lhe falta, a não ser o reino?

9Daquele dia em diante, Saul não via Davi com bons olhos.

10No dia seguinte, um espírito mau, vindo da parte de Deus, se apossou de Saul, que teve uma crise de raiva em sua casa. Davi, como nos outros dias, dedilhava a harpa. Saul, porém, tinha na mão uma lança, 11que ele atirou, pensando assim:

— Encravarei Davi na parede.

Porém Davi se desviou dele por duas vezes.

12Saul tinha medo de Davi, porque o Senhor estava com este e tinha abandonado Saul. 13Por isso Saul o afastou de si e o pôs por chefe de mil. Davi fazia saídas e entradas militares diante do povo. 14Davi tinha êxito em todos os seus empreendimentos, pois o Senhor estava com ele. 15Vendo que Davi tinha êxito, Saul ficou com medo dele. 16Porém todo o Israel e Judá amavam Davi, porque fazia saídas e entradas militares diante deles.

Davi casa com a filha de Saul

17Saul disse a Davi:

— Aqui está Merabe, a minha filha mais velha. Eu a darei a você em casamento, com a condição de que você seja um filho valente e trave as batalhas do Senhor.

Porque Saul pensava assim: “Não seja contra ele a minha mão, e sim a dos filisteus.” 18Mas Davi respondeu a Saul:

— Quem sou eu, e quem são os meus parentes, a família de meu pai em Israel, para que eu seja genro do rei?

19Mas aconteceu que, na época em que Merabe, filha de Saul, devia ser dada em casamento a Davi, foi dada por mulher a Adriel, meolatita.

20Mas Mical, a outra filha de Saul, amava Davi. Contaram isso a Saul, e isso agradou a ele. 21Saul pensava assim: “Eu a darei em casamento a Davi, para que ela lhe sirva de armadilha e para que a mão dos filisteus venha a ser contra ele.” Por isso Saul disse a Davi:

— Com esta segunda você será hoje o meu genro.

22Saul ordenou que os seus servos falassem confidencialmente com Davi, dizendo:

— O rei tem afeição por você, e todos os servos dele amam você. Sendo assim, concorde em ser genro do rei.

23Os servos de Saul falaram estas palavras a Davi, o qual respondeu:

— Vocês acham que é pouca coisa ser genro do rei, sendo eu um homem pobre e sem importância?

24Os servos de Saul lhe contaram isto, dizendo:

— Estas foram as palavras que Davi falou.

25Então Saul ordenou que dissessem a Davi:

— O rei não deseja dote algum, mas cem prepúcios de filisteus, como vingança contra os seus inimigos.

Porque Saul tentava fazer com que Davi fosse morto pelos filisteus. 26Quando os servos de Saul relataram estas palavras a Davi, este gostou da ideia de vir a ser genro do rei. Antes de vencido o prazo, 27Davi se levantou e partiu com os seus homens, e mataram duzentos filisteus. Trouxe os seus prepúcios e os entregou todos ao rei, para que assim se tornasse seu genro. Então Saul lhe deu a sua filha Mical em casamento. 28Saul viu e reconheceu que o Senhor estava com Davi; e Mical, filha de Saul, o amava. 29Então Saul ficou com mais medo ainda de Davi e continuamente foi seu inimigo.

30Cada vez que os chefes dos filisteus saíam à batalha, Davi obtinha mais êxito do que todos os servos de Saul. E assim o nome de Davi se tornou muito estimado.

1Samuel 18NAAAbrir na Bíblia

Sede de Deus

Salmo de Davi, quando estava no deserto de Judá

1Ó Deus, tu és o meu Deus;

eu te busco ansiosamente.

A minha alma tem sede de ti;

meu corpo te almeja,

como terra árida,

exausta e sem água.

2Assim, quero ver-te no santuário,

para contemplar a tua força

e a tua glória.

3Porque a tua graça

é melhor do que a vida;

os meus lábios te louvam.

4Assim, eu te bendirei

enquanto viver;

em teu nome, levanto as mãos.

5Como de saborosa comida,

assim se farta a minha alma;

e, com júbilo nos lábios,

a minha boca te louva,

6no meu leito,

quando de ti me recordo

e em ti medito,

durante as vigílias da noite.

7Porque tu tens sido o meu auxílio;

à sombra das tuas asas,

eu canto de alegria.

8A minha alma apega-se a ti;

a tua mão direita me ampara.

9Porém os que procuram

destruir a minha vida

descerão às profundezas da terra.

10Serão entregues

ao poder da espada

e virão a ser pasto dos chacais.

11Mas o rei se alegrará em Deus;

quem por ele jura se gloriará,

pois se tapará a boca

dos que proferem mentira.

Salmos 63NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: