Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 132

Texto(s) da Bíblia

Em Mileto, Paulo fala aos presbíteros da igreja de Éfeso

17De Mileto, Paulo enviou uma mensagem a Éfeso, pedindo aos presbíteros da igreja que se encontrassem com ele. 18E, quando chegaram, Paulo lhes disse:

— Vocês sabem como me conduzi entre vocês em todo o tempo, desde o primeiro dia em que entrei na província da Ásia, 19servindo o Senhor com toda a humildade, com lágrimas e com as provações que me sobrevieram pelas ciladas dos judeus. 20Vocês sabem que jamais deixei de anunciar o que fosse proveitoso e de ensinar isso a vocês publicamente e também de casa em casa, 21testemunhando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. 22E, agora, impelido pelo Espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que ali vai me acontecer, 23exceto que o Espírito Santo, de cidade em cidade, me assegura que prisões e sofrimentos estão à minha espera. 24Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, desde que eu complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus.

25— E agora eu sei que todos vocês, em cujo meio passei pregando o Reino, não mais verão o meu rosto. 26Portanto, no dia de hoje testifico diante de vocês que estou limpo do sangue de todos, 27porque jamais deixei de lhes anunciar todo o plano de Deus. 28Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho no qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue. 29Eu sei que, depois da minha partida, aparecerão no meio de vocês lobos vorazes, que não pouparão o rebanho. 30E que até mesmo entre vocês se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás de si. 31Portanto, vigiem, lembrando que, durante três anos, noite e dia, não cessei de admoestar, com lágrimas, cada um de vocês.

32— Agora, pois, eu os entrego aos cuidados de Deus e à palavra da sua graça, que tem poder para edificá-los e dar herança entre todos os que são santificados. 33De ninguém cobicei prata, nem ouro, nem roupas; 34vocês mesmos sabem que estas minhas mãos serviram para o que era necessário a mim e aos que estavam comigo. 35Em tudo tenho mostrado a vocês que, trabalhando assim, é preciso socorrer os necessitados e lembrar das palavras do próprio Senhor Jesus: “Mais bem-aventurado é dar do que receber.”

Paulo ora com eles

36Tendo dito isso, ajoelhando-se, Paulo orou com todos eles. 37Então houve grande pranto entre todos, e, abraçando Paulo, o beijavam, 38entristecidos especialmente pela palavra que ele tinha dito: que não mais veriam o seu rosto. E eles o acompanharam até o navio.

Atos 20:17-38NAAAbrir na Bíblia

O casamento de Sansão

1Sansão foi a Timna, onde viu uma das filhas dos filisteus. 2Voltou para casa e disse ao seu pai e à sua mãe:

— Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus, e agora gostaria que a buscassem para ser a minha esposa.

3Porém o seu pai e a sua mãe lhe disseram:

— Será que não há mulher entre as filhas de seus parentes ou entre todo o nosso povo, para que você tivesse de ir procurar uma esposa no meio dos filisteus, aqueles incircuncisos?

Mas Sansão disse ao seu pai:

— Busquem essa mulher para mim, porque é só dela que me agrado.

4Mas o seu pai e a sua mãe não sabiam que isto vinha do Senhor, pois este procurava ocasião contra os filisteus. Porque naquele tempo os filisteus dominavam sobre Israel.

5Sansão foi com o seu pai e a sua mãe a Timna. Quando chegaram às vinhas de Timna, eis que um leão novo, rugindo, saiu ao encontro dele. 6Então o Espírito do Senhor de tal maneira se apossou de Sansão, que ele rasgou o leão como quem rasga um cabrito, sem nada ter nas mãos. Sansão, no entanto, não contou nem a seu pai nem a sua mãe o que havia feito.

7Então ele foi e falou com aquela mulher, e dela se agradou. 8Depois de alguns dias, voltou para casar com ela. E, afastando-se do caminho para ver o corpo do leão morto, eis que havia nele um enxame de abelhas com mel. 9Pegou o favo nas mãos e se foi andando e comendo dele. Quando chegou onde estavam o seu pai e a sua mãe, deu-lhes um pouco do mel, e eles comeram. Mas Sansão não lhes contou que havia tirado o mel do corpo do leão.

O enigma de Sansão

10O pai de Sansão foi à casa daquela mulher, e Sansão deu ali um banquete, como os moços costumavam fazer. 11Quando os filisteus viram Sansão, convidaram trinta companheiros para estarem com ele. 12Então Sansão lhes disse:

— Vou propor um enigma para que vocês o decifrem. Se, nos sete dias das bodas, vocês puderem decifrá-lo e me explicar o seu significado, darei a vocês trinta túnicas e trinta mudas de roupa. 13Se não puderem me explicar o significado, vocês me darão as trinta túnicas e as trinta mudas de roupa.

E eles disseram:

— Apresente-nos o enigma. Queremos ouvi-lo.

14Sansão disse:

“Do que come saiu comida,

e do forte saiu doçura.”

E, em três dias, não puderam decifrar o enigma. 15No quarto dia, disseram à mulher de Sansão:

— Convença o seu marido a nos explicar o enigma. Do contrário, vamos pôr fogo em você e na casa de seu pai. Vocês nos convidaram para poderem se apossar do que é nosso, não foi?

16Então a mulher de Sansão chorou diante dele e disse:

— Você só me odeia! Você não me ama! Pois você deu aos homens do meu povo um enigma a decifrar e ainda não me contou o significado.

Mas Sansão respondeu:

— Olha! Nem para o meu pai nem para a minha mãe eu contei o significado do enigma. E acha que eu iria contar para você?

17Ela chorou diante dele os sete dias em que celebravam as bodas. No sétimo dia, Sansão disse a resposta, porque ela não parava de importunar. Então ela declarou o enigma aos homens do seu povo. 18Assim, no sétimo dia, antes do pôr do sol, os homens daquela cidade disseram a Sansão:

Que coisa é mais doce

do que o mel

e mais forte do que o leão?

E Sansão respondeu:

“Se vocês não tivessem lavrado

com a minha novilha,

nunca teriam descoberto

o meu enigma.”

19Então o Espírito do Senhor de tal maneira se apossou de Sansão, que ele desceu até Asquelom, matou trinta homens daquela cidade, pegou as roupas deles e as deu aos que decifraram o enigma. Porém Sansão ficou irado e voltou para a casa do seu pai.

20Quanto à mulher de Sansão, foi dada em casamento ao homem que tinha sido o seu amigo de honra.

Juízes 14NAAAbrir na Bíblia

Sansão põe fogo nos campos dos filisteus

1Passado algum tempo, nos dias da colheita do trigo, Sansão, levando um cabrito, foi visitar a sua mulher. E dizia:

— Vou entrar no quarto da minha mulher.

Porém o pai dela não o deixou entrar 2e lhe disse:

— Eu realmente pensei que você tinha muito ódio por ela e, por isso, a dei ao seu companheiro. Mas você não concorda que a irmã mais nova é mais bonita do que ela? Fique com ela em lugar da outra.

3Mas Sansão disse:

— Desta vez sou inocente para com os filisteus, quando lhes fizer algum mal.

4Então saiu, apanhou trezentas raposas e pegou um bom número de tochas. Amarrou as raposas duas a duas pela cauda e prendeu uma tocha em cada par. 5Pôs fogo nas tochas e largou as raposas nas plantações dos filisteus. Assim, incendiou tanto os feixes como o cereal que ainda estava por ser colhido, além das vinhas e dos olivais. 6Os filisteus perguntaram:

— Quem fez isso?

Responderam:

— Sansão, o genro do timnita, porque o sogro lhe tirou a mulher e a deu ao amigo dele.

Então os filisteus foram e queimaram a mulher e o pai dela. 7E Sansão disse a eles:

— Se é assim que vocês fazem, não desistirei enquanto não me vingar.

8E ele os atacou com fúria, matando muitos deles. Depois desceu e habitou numa caverna da rocha de Etã.

Os homens de Judá amarram Sansão

9Então os filisteus subiram e acamparam em Judá, espalhando-se por Leí. 10Os homens de Judá perguntaram aos filisteus:

— Por que vocês estão nos atacando?

Responderam:

— Viemos prender Sansão, para fazer com ele o mesmo que ele fez conosco.

11Então três mil homens de Judá foram até a caverna da rocha de Etã e disseram a Sansão:

— Você não sabia que os filisteus dominam sobre nós? Por que, então, você nos fez isto?

Ele lhes respondeu:

— Assim como fizeram comigo eu fiz com eles.

12Os homens de Judá disseram a Sansão:

— Viemos para amarrar você, para o entregar nas mãos dos filisteus.

Sansão disse:

— Jurem para mim que vocês não me matarão.

13Eles lhe disseram:

— Não! Nós somente vamos amarrar você e entregá-lo nas mãos dos filisteus. Mas de maneira nenhuma vamos matar você.

Então o amarraram com duas cordas novas e o fizeram sair da caverna.

Sansão mata mil homens com uma queixada de jumento

14Quando Sansão chegou a Leí, os filisteus foram gritando ao encontro dele. Mas o Espírito do Senhor de tal maneira se apossou de Sansão, que as cordas que ele tinha nos braços se tornaram como fios de linho queimados, e as amarras que ele tinha nas mãos se soltaram. 15Achou uma queixada de jumento, ainda fresca, pegou-a na mão e com ela matou mil homens. 16E disse:

“Com uma queixada de jumento

um montão, outro montão.

Com uma queixada de jumento

matei mil homens.”

17Quando acabou de falar, jogou fora a queixada. E aquele lugar foi chamado de Ramate-Leí.

18Sentindo muita sede, Sansão clamou ao Senhor e disse:

— Por meio de teu servo deste esta grande salvação. Será que agora vou morrer de sede e cair nas mãos desses incircuncisos?

19Então o Senhor fendeu a cavidade que estava em Leí, e dela saiu água. Sansão bebeu, recobrou alento e reviveu. Por isso aquele lugar se chama En-Hacoré até o dia de hoje.

20Sansão julgou Israel, nos dias dos filisteus, durante vinte anos.

Juízes 15NAAAbrir na Bíblia

Última resposta de Jó ao Senhor

42.1-6

1Então Jó respondeu ao Senhor e disse:

2“Bem sei que tudo podes,

e nenhum dos teus planos

pode ser frustrado.

3Tu perguntaste: ‘Quem é este

que, sem conhecimento,

encobre os meus planos?’

Na verdade,

falei do que eu não entendia,

coisas que são maravilhosas

demais para mim,

coisas que eu não conhecia.

4Disseste: ‘Escute,

porque eu vou falar;

farei perguntas,

e você me responderá.’

5Eu te conhecia só de ouvir,

mas agora os meus olhos te veem.

6Por isso, me abomino

e me arrependo no pó e na cinza.”

Cena final

42.7-17

Os três amigos de Jó

7Depois que o Senhor falou estas palavras a Jó, o Senhor disse também a Elifaz, o temanita:

— A minha ira se acendeu contra você e contra os seus dois amigos, porque vocês não falaram a meu respeito o que é reto, como o meu servo Jó falou. 8Agora peguem sete novilhos e sete carneiros, e vão até o meu servo Jó, e ofereçam holocaustos em favor de vocês. O meu servo Jó orará por vocês, e eu aceitarei a intercessão dele, para que eu não os trate segundo a falta de juízo de vocês. Porque vocês não falaram a meu respeito o que é reto, como o meu servo Jó falou.

9Então Elifaz, o temanita, Bildade, o suíta, e Zofar, o naamatita, foram e fizeram o que o Senhor lhes havia ordenado; e o Senhor aceitou a oração de Jó.

A nova família de Jó

10O Senhor restaurou a sorte de Jó, quando este orou pelos seus amigos, e o Senhor lhe deu o dobro de tudo o que tinha tido antes. 11Então vieram a ele todos os seus irmãos, todas as suas irmãs e todos os que o haviam conhecido antes, e comeram com ele em sua casa. E se condoeram dele, e o consolaram por todo o mal que o Senhor tinha enviado sobre ele. E cada um lhe deu dinheiro e um anel de ouro.

12O Senhor abençoou o último estado de Jó mais do que o primeiro. Ele veio a ter catorze mil ovelhas, seis mil camelos, mil juntas de bois e mil jumentas. 13Também teve outros sete filhos e três filhas. 14À primeira filha deu o nome de Jemima; à segunda chamou de Quézia; e à terceira, Quéren-Hapuque. 15Em toda aquela terra não havia mulheres tão bonitas como as filhas de Jó; e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos. 16Depois disto, Jó viveu mais cento e quarenta anos; e viu os seus filhos e os filhos de seus filhos, até a quarta geração. 17E assim Jó morreu, após uma longa velhice.

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.8
SIGA A SBB: