Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 118

Texto(s) da Bíblia

Herodes persegue Tiago e Pedro

1Por aquele tempo, o rei Herodes mandou prender alguns da igreja para os maltratar. 2Mandou matar à espada Tiago, irmão de João. 3Vendo que isto agradava aos judeus, prosseguiu, mandando prender também Pedro. E eram os dias dos pães sem fermento. 4Depois de prendê-lo, lançou-o na prisão, entregando-o a quatro escoltas de quatro soldados cada uma, para o guardarem. A intenção de Herodes era apresentá-lo ao povo depois da Páscoa. 5E assim Pedro era mantido na prisão; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.

Pedro é libertado

6Na noite anterior ao dia em que Herodes ia apresentá-lo ao povo, Pedro dormia entre dois soldados, preso com duas correntes. Sentinelas, junto à porta, guardavam a prisão. 7Eis, porém, que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz iluminou a prisão. O anjo tocou no lado de Pedro e o despertou, dizendo:

— Levante-se depressa!

Então as correntes caíram das mãos dele. 8E o anjo continuou:

— Coloque o cinto e calce as sandálias.

E ele assim o fez.

O anjo lhe disse mais:

— Ponha a capa e siga-me.

9Então, saindo, Pedro o seguia, não sabendo que era real o que estava sendo feito pelo anjo; ele pensava que era uma visão. 10Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade, o qual se abriu automaticamente; e, saindo, enveredaram por uma rua, e logo adiante o anjo se afastou dele. 11Então Pedro, caindo em si, disse:

— Agora sei que, de fato, o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu.

12Ao se dar conta disso, Pedro resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, também chamado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam. 13Quando ele bateu à porta da frente, uma empregada, chamada Rode, foi ver quem era. 14Reconhecendo a voz de Pedro, ficou tão alegre que nem o fez entrar, mas voltou correndo para anunciar que Pedro estava à porta. 15Então os outros disseram:

— Você ficou louca!

Ela, porém, persistia em afirmar que era verdade. Então disseram:

— É o anjo dele.

16Enquanto isso, Pedro continuava batendo. Quando abriram a porta, viram-no e ficaram admirados. 17Ele, porém, fazendo-lhes sinal com a mão para que se calassem, contou-lhes como o Senhor o tinha tirado da prisão. E acrescentou:

— Anunciem isto a Tiago e aos irmãos.

E, saindo, foi para outro lugar.

18Quando amanheceu, houve grande alvoroço entre os soldados sobre o que teria acontecido com Pedro. 19Herodes, tendo-o procurado e não o achando, submetendo as sentinelas a interrogatório, ordenou que se aplicasse a pena de morte. E, descendo da Judeia para Cesareia, Herodes passou ali algum tempo.

A morte de Herodes

20Havia uma séria divergência entre Herodes e os moradores de Tiro e de Sidom. Estes, porém, de comum acordo, se apresentaram a ele e, depois de obter o apoio de Blasto, que era assessor do rei, pediram paz, porque a terra deles recebia alimentos do país do rei. 21Em dia designado, Herodes, vestido de traje real, assentado no trono, dirigiu-lhes a palavra. 22E o povo gritava:

— É voz de um deus, e não de um homem!

23No mesmo instante, um anjo do Senhor feriu Herodes, por ele não haver dado glória a Deus; e, comido de vermes, morreu.

24Entretanto, a palavra de Deus crescia e se multiplicava.

25Barnabé e Saulo, cumprida a sua missão, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, também chamado Marcos.

Atos 12NAAAbrir na Bíblia

As heranças das nove tribos e meia

A herança de Judá

1A sorte da tribo dos filhos de Judá, segundo as suas famílias, caiu para o sul, até o limite de Edom, até o deserto de Zim, até a extremidade do lado sul. 2O seu limite ao sul foi desde a extremidade do mar Salgado, desde a baía que olha para o sul; 3sai para o sul, até a subida de Acrabim, passa por Zim, sobe do sul a Cades-Barneia, 4passa por Hezrom, sobe a Adar e rodeia Carca; passa por Azmom e sai ao ribeiro do Egito; as saídas deste limite vão até o mar. Este será o limite de vocês do lado sul.

5O limite para o leste será o mar Salgado, até a foz do Jordão; e o limite para o norte será da baía do mar, começando com a embocadura do Jordão, 6limite que sobe até Bete-Hogla e passa do norte a Bete-Arabá, subindo até a pedra de Boã, filho de Rúben, 7subindo ainda este limite a Debir desde o vale de Acor, olhando para o norte, rumo a Gilgal, a qual está à subida de Adumim, que está para o sul do ribeiro; daí, o limite passa até as águas de En-Semes; e as suas saídas estarão do lado de En-Rogel. 8Deste ponto sobe pelo vale de Ben-Hinom, do lado dos jebuseus do Sul, isto é, Jerusalém; e este limite sobe até o alto do monte que está diante do vale de Hinom, para o oeste, que está no fim do vale dos Refains, do lado norte. 9Então o limite vai desde o alto do monte até a fonte das águas de Neftoa; e sai até as cidades do monte Efrom; este limite vai ainda até Baalá, isto é, Quiriate-Jearim. 10Então o limite dá volta desde Baalá, para o oeste, até o monte Seir, passa ao lado do monte de Jearim do lado norte, isto é, Quesalom, e, descendo a Bete-Semes, passa por Timna. 11Segue mais ainda o limite ao lado de Ecrom, para o norte, e, indo a Siquerom, passa o monte de Baalá, saindo em Jabneel, para terminar no mar.

12O limite do lado oeste é o mar Grande e as suas imediações.

Estes são os limites dos filhos de Judá ao redor, segundo as suas famílias.

Calebe conquista Hebrom
Jz 1.11-15

13Josué deu a Calebe, filho de Jefoné, uma parte no meio dos filhos de Judá, segundo o Senhor lhe havia ordenado, a saber, Quiriate-Arba, isto é, Hebrom. Este Arba era o pai de Anaque. 14Dali Calebe expulsou os três filhos de Anaque: Sesai, Aimã e Talmai, gerados de Anaque. 15Então Calebe avançou contra os moradores de Debir, cujo nome havia sido Quiriate-Sefer. 16Calebe disse:

— Darei a minha filha Acsa por mulher ao homem que atacar e conquistar Quiriate-Sefer.

17Quem conquistou a cidade foi Otniel, filho de Quenaz, irmão de Calebe. E Calebe lhe deu a sua filha Acsa por mulher. 18Esta, quando foi morar com Otniel, insistiu com ele para que pedisse um campo ao pai dela. Quando ela desceu do jumento, Calebe lhe perguntou:

— O que é que você quer?

19Ela respondeu:

— Quero que me dê um presente. Já que o senhor me deu uma terra seca, me dê também algumas fontes de água.

Então Calebe lhe deu as fontes superiores e as fontes inferiores.

As cidades de Judá

20Esta é a herança da tribo dos filhos de Judá, segundo as suas famílias. 21As cidades no extremo sul da tribo dos filhos de Judá, na direção do território de Edom, eram estas: Cabzeel, Éder, Jagur, 22Quiná, Dimona, Adada, 23Quedes, Hazor, Itnã, 24Zife, Telém, Bealote, 25Hazor-Hadata, Queriote-Hezrom, que é Hazor, 26Amã, Sema, Molada, 27Hazar-Gada, Hesmom, Bete-Palete, 28Hazar-Sual, Berseba, Biziotiá, 29Baalá, Iim, Ezém, 30Eltolade, Quesil, Horma, 31Ziclague, Madmana, Sansana, 32Lebaote, Silim, Aim e Rimom. Ao todo, vinte e nove cidades com as suas aldeias.

33Na Sefelá, as cidades eram Estaol, Zorá, Asná, 34Zanoa, En-Ganim, Tapua, Enã, 35Jarmute, Adulão, Socó, Azeca, 36Saaraim, Aditaim, Gedera e Gederotaim. Ao todo, catorze cidades com as suas aldeias.

37Zenã, Hadasa, Migdal-Gade, 38Dileã, Mispa, Jocteel, 39Laquis, Boscate, Eglom, 40Cabom, Laamás, Quitlis, 41Gederote, Bete-Dagom, Naamá e Maquedá. Ao todo, dezesseis cidades com as suas aldeias.

42Libna, Eter, Asã, 43Ifta, Asná, Nezibe, 44Queila, Aczibe e Maressa. Ao todo, nove cidades com as suas aldeias.

45Ecrom com as suas vilas e aldeias; 46desde Ecrom até o mar, todas as que estão do lado de Asdode, com as suas aldeias.

47Asdode, as suas vilas e aldeias; Gaza, as suas vilas e aldeias, até o rio do Egito e o mar Grande com as suas imediações.

48Na região montanhosa, as cidades eram Samir, Jatir, Socó, 49Daná, Quiriate-Sana, que é Debir, 50Anabe, Estemoa, Anim, 51Gósen, Holom e Gilo. Ao todo, onze cidades com as suas aldeias.

52Arabe, Dumá, Esã, 53Janim, Bete-Tapua, Afeca, 54Hunta, Quiriate-Arba, que é Hebrom, e Zior. Ao todo, nove cidades com as suas aldeias.

55Maom, Carmelo, Zife, Jutá, 56Jezreel, Jocdeão, Zanoa, 57Caim, Gibeá e Timna. Ao todo, dez cidades com as suas aldeias.

58Halul, Bete-Zur, Gedor, 59Maarate, Bete-Anote e Eltecom. Ao todo, seis cidades com as suas aldeias. 60Quiriate-Baal, que é Quiriate-Jearim, e Rabá. Ao todo, duas cidades com as suas aldeias.

61No deserto, as cidades eram Bete-Arabá, Midim, Secaca, 62Nibsã, Cidade do Sal e En-Gedi. Ao todo, seis cidades com as suas aldeias.

63Mas os filhos de Judá não puderam expulsar os jebuseus que viviam em Jerusalém. Assim, os jebuseus moram com os filhos de Judá em Jerusalém até o dia de hoje.

Josué 15NAAAbrir na Bíblia
A herança de Efraim

1O território que, por sorteio, caiu aos filhos de José ia desde o Jordão, na altura de Jericó e no lado leste das águas de Jericó, até o deserto que sobe de Jericó pela região montanhosa até Betel. 2De Betel ia até Luz, passava ao limite dos arquitas até Atarote 3e descia, na direção do oeste, para a divisa de Jaflete, até a região de Bete-Horom-de-Baixo e até Gezer, terminando no mar. 4Assim, Manassés e Efraim, filhos de José, receberam a sua herança.

5O limite da herança dos filhos de Efraim, segundo as suas famílias, era, no leste, Atarote-Adar até Bete-Horom-de-Cima; 6e vai o limite para o mar com Micmetate, ao norte, de onde volta para o leste até Taanate-Siló, e passa por ela a leste de Janoa; 7desce desde Janoa a Atarote e a Naarate, toca em Jericó, terminando no Jordão. 8De Tapua o limite vai, para o oeste, ao ribeiro de Caná, terminando no mar. Esta é a herança da tribo dos filhos de Efraim, segundo as suas famílias, 9mais as cidades que foram separadas para os filhos de Efraim, que estavam no meio da herança dos filhos de Manassés; todas aquelas cidades com as suas aldeias. 10Não expulsaram os cananeus que viviam em Gezer. Assim, eles moram no meio dos efraimitas até o dia de hoje, mas estão sujeitos a trabalhos forçados.

Josué 16NAAAbrir na Bíblia
A herança da meia tribo de Manassés

1Também caiu a sorte à tribo de Manassés, que era o primogênito de José. Maquir, o primogênito de Manassés, pai de Gileade, porque era homem de guerra, recebeu Gileade e Basã. 2Os outros filhos de Manassés também receberam a sua parte, segundo as suas famílias, a saber, os filhos de Abiezer, os filhos de Heleque, os filhos de Asriel, os filhos de Siquém, os filhos de Héfer, os filhos de Semida. Estes são os filhos de Manassés, filho de José, segundo as suas famílias. 3Porém Zelofeade, filho de Héfer, filho de Gileade, filho de Maquir, filho de Manassés, não teve filhos, mas só filhas, que se chamavam Macla, Noa, Hogla, Milca e Tirza. 4Estas chegaram diante de Eleazar, o sacerdote, e diante de Josué, filho de Num, e diante dos chefes, dizendo:

— O Senhor ordenou a Moisés que nos fosse dada uma herança no meio de nossos parentes.

Assim, segundo a ordem do Senhor, Josué lhes deu herança no meio dos parentes de seu pai. 5Couberam a Manassés dez partes, além da terra de Gileade e Basã, que está do outro lado do Jordão; 6porque tanto as filhas de Manassés como os filhos dele receberam herança. Os outros filhos de Manassés receberam a terra de Gileade.

7O limite de Manassés foi desde Aser até Micmetate, que está a leste de Siquém; e este limite vai, na direção do sul, até os moradores de En-Tapua. 8A terra de Tapua pertencia a Manassés, mas Tapua, ainda que situada no limite de Manassés, era dos filhos de Efraim. 9Então o limite desce ao ribeiro de Caná. As cidades, entre as de Manassés, ao sul do ribeiro, pertenciam a Efraim; então o limite de Manassés vai ao norte do ribeiro, terminando no mar. 10Efraim, ao sul, Manassés, ao norte, e o mar é seu limite; pelo norte, tocam em Aser e, pelo leste, em Issacar. 11Porque, nos territórios de Issacar e Aser, Manassés tinha Bete-Seã e as suas vilas, Ibleão e as suas vilas, os habitantes de Dor e as suas vilas, os habitantes de En-Dor e as suas vilas, os habitantes de Taanaque e as suas vilas e os habitantes de Megido e as suas vilas, a região das três colinas. 12E os filhos de Manassés não puderam expulsar os moradores daquelas cidades, porque os cananeus persistiam em morar nessa terra. 13Quando os filhos de Israel se tornaram fortes, sujeitaram os cananeus a trabalhos forçados, porém não os expulsaram totalmente.

14Então o povo dos filhos de José disse a Josué:

— Por que você nos deu por herança apenas uma sorte e uma porção, sendo nós um povo numeroso, visto que o Senhor até aqui nos tem abençoado?

15Josué respondeu:

— Se vocês são um povo numeroso, subam à floresta e abram ali uma clareira na terra dos ferezeus e dos refains, visto que a região montanhosa de Efraim é estreita demais para vocês.

16Então os filhos de José disseram:

— A região montanhosa não nos basta. E todos os cananeus que vivem na planície têm carros de ferro, tanto os que estão em Bete-Seã e nas suas vilas como os que estão no vale de Jezreel.

17Então Josué disse à casa de José, a Efraim e a Manassés:

— Vocês são um povo numeroso e forte. Vocês não terão só uma parte, 18mas a região montanhosa será de vocês. Ainda que seja uma floresta, vocês poderão cortá-la, e até as suas extremidades será toda de vocês. Porque vocês expulsarão os cananeus, embora eles tenham carros de ferro e sejam fortes.

Josué 17NAAAbrir na Bíblia

Elogio da sabedoria

Cap. 28

Os seus olhos veem o que há de precioso

1“Na verdade, a prata

tem as suas minas,

e o ouro, que se refina,

tem o seu lugar.

2O ferro é tirado da terra,

e da pedra se funde o cobre.

3Os homens põem termo

à escuridão

e até os últimos confins procuram

as pedras ocultas nas trevas

e na densa escuridão.

4Abrem entrada para minas

longe da habitação

dos homens;

são esquecidos

pelos que passam por cima;

e, assim, longe de todos,

dependurados em cordas,

balançam de um lado

para outro.

5Da terra procede o alimento,

mas embaixo ela é revolvida

como que pelo fogo.

6Nas suas pedras

se encontra safira,

e há pó que contém ouro.

7Essa vereda,

a ave de rapina a ignora,

e os olhos do falcão nunca a viram.

8Feras majestosas nunca pisaram

essa vereda,

e nenhum leão passou por ali.

9O homem estende a sua mão

contra o rochedo

e revolve os montes

desde as suas raízes.

10Abre canais nas pedras,

e os seus olhos veem tudo

o que há de mais precioso.

11Tapa os veios de água,

e nem uma gota sai deles;

e traz à luz

o que estava escondido.”

O valor da sabedoria

12“Mas onde se achará

a sabedoria?

E em que lugar estará

o entendimento?

13O ser humano não conhece

o valor da sabedoria,

e ela não se encontra

na terra dos viventes.

14O abismo diz:

‘Ela não está em mim.’

E o mar diz: ‘Não está comigo.’

15Não se compra a sabedoria

com ouro fino;

ela também não pode

ser paga com prata.

16O seu valor

não pode ser avaliado

pelo ouro de Ofir,

nem pelo precioso ônix,

nem pela safira.

17O ouro não se iguala a ela,

nem o cristal;

não se pode trocá-la

por joias de ouro fino.

18Ela faz esquecer o coral

e o cristal;

o preço da sabedoria

é maior que o das pérolas.

19O topázio da Etiópia

não se compara com ela;

não se compra a sabedoria

nem com ouro puro.”

O temor do Senhor é a sabedoria

20“Mas de onde vem a sabedoria?

E em que lugar

estará o entendimento?

21Está encoberta aos olhos

de todos os seres vivos,

e oculta às aves do céu.

22O abismo e a morte dizem:

‘Ouvimos com os nossos ouvidos

a sua fama.’”

23“Deus lhe entende o caminho,

e ele é quem sabe o seu lugar.

24Porque o seu olhar

alcança as extremidades

da terra;

ele vê tudo o que há

debaixo dos céus.

25Quando Deus regulou

o peso do vento

e fixou a medida das águas;

26quando determinou leis

para a chuva

e caminho para o relâmpago

dos trovões,

27então ele viu a sabedoria

e a manifestou;

estabeleceu-a

e também a examinou.

28E disse ao ser humano:

‘Eis que o temor do Senhor

é a sabedoria,

e afastar-se do mal

é o entendimento.’”

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: