Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 110

Texto(s) da Bíblia

1E Saulo consentia na morte de Estêvão.

Saulo persegue a igreja

Naquele dia, teve início uma grande perseguição contra a igreja em Jerusalém. Todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judeia e da Samaria. 2Alguns homens piedosos sepultaram Estêvão e fizeram grande lamentação por ele. 3Saulo, porém, queria destruir a igreja. Indo de casa em casa, arrastava homens e mulheres, lançando-os na prisão.

Filipe prega em Samaria

4Enquanto isso, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra. 5Filipe foi à cidade de Samaria e anunciava Cristo ao povo dali. 6As multidões, unânimes, davam atenção às coisas que Filipe dizia, ouvindo-as e vendo os sinais que ele fazia. 7Pois os espíritos imundos, gritando em alta voz, saíam de muitos que estavam possuídos por eles; e muitos paralíticos e coxos foram curados. 8E houve grande alegria naquela cidade.

Simão, o mago

9Havia naquela cidade um homem chamado Simão, que praticava artes mágicas e deixava o povo de Samaria admirado. Dizia ser alguém muito importante, 10e todos lhe davam ouvidos, do menor ao maior, dizendo:

— Este homem é o poder de Deus, chamado “o Grande Poder”.

11Davam atenção a ele porque durante muito tempo os havia impressionado com as suas artes mágicas. 12Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do Reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, tanto homens como mulheres. 13O próprio Simão abraçou a fé e, tendo sido batizado, acompanhava Filipe de perto, observando extasiado os sinais e grandes milagres praticados.

Pedro e João em Samaria

14Quando os apóstolos, que estavam em Jerusalém, ouviram que o povo de Samaria tinha recebido a palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João. 15Chegando ali, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo, 16pois o Espírito ainda não havia descido sobre nenhum deles. Tinham apenas sido batizados em nome do Senhor Jesus. 17Então lhes impuseram as mãos, e eles receberam o Espírito Santo.

18Quando Simão viu que, pelo fato de os apóstolos imporem as mãos, era concedido o Espírito Santo, ofereceu-lhes dinheiro, 19dizendo:

— Deem também a mim este poder, para que a pessoa sobre a qual eu impuser as mãos receba o Espírito Santo.

20Mas Pedro respondeu:

— Que o seu dinheiro seja destruído junto com você, pois você pensou que com ele poderia adquirir o dom de Deus! 21Não existe porção nem parte para você neste ministério, porque o seu coração não é reto diante de Deus. 22Portanto, arrependa-se desse mal e ore ao Senhor. Talvez ele o perdoe por esse intento do seu coração. 23Pois vejo que você está cheio de inveja e preso em sua maldade.

24Simão disse aos apóstolos:

— Peço que vocês orem ao Senhor por mim, para que não me sobrevenha nada do que vocês disseram.

25Eles, porém, tendo dado o seu testemunho e pregado a palavra do Senhor, voltaram para Jerusalém e evangelizavam muitas aldeias dos samaritanos.

Atos 8:1-25NAAAbrir na Bíblia

A bênção de Moisés

1Esta é a bênção que Moisés, homem de Deus, deu aos filhos de Israel, antes da sua morte. 2Ele disse:

“O Senhor veio do Sinai

e lhes alvoreceu de Seir;

resplandeceu desde o monte Parã.

Ele veio das miríades de santos;

à sua direita, havia para eles o fogo da lei.

3Na verdade, amas os povos;

todos os teus santos estão na tua mão;

eles se colocam a teus pés

e aprendem das tuas palavras.

4Moisés nos deu a Lei,

a herança da congregação de Jacó.

5O Senhor se tornou rei em Jesurum,

quando se congregaram os chefes do povo

com as tribos de Israel.”

6“Que Rúben viva e não morra;

e que não sejam poucos os seus homens!”

7Isto é o que disse de Judá:

“Ouve, ó Senhor, a voz de Judá

e faze com que volte ao seu povo;

com as tuas mãos, luta por ele

e sê tu ajuda contra os seus inimigos.”

8De Levi disse:

“Dá, ó Deus, o teu Tumim e o teu Urim

para o homem fidedigno,

que tu provaste em Massá,

com quem discutiste nas águas de Meribá;

9aquele que disse a seu pai e a sua mãe:

‘Nunca os vi’;

e que não conheceu os seus irmãos

e não estimou os seus filhos,

pois guardou a tua palavra

e observou a tua aliança.

10Ensina os teus juízos a Jacó

e a tua lei, a Israel;

oferece incenso às tuas narinas

e holocausto, sobre o teu altar.

11Abençoa o seu poder, ó Senhor,

e aceita a obra das suas mãos;

fere os lombos dos que se levantam contra ele e o odeiam,

para que nunca mais se levantem.”

12De Benjamim disse:

“O amado do Senhor habitará seguro com ele;

todo o dia o Senhor o protegerá,

e ele descansará nos seus braços.”

13De José disse:

“Bendita do Senhor seja a sua terra,

com o que é mais excelente dos céus,

do orvalho e das profundezas;

14com o que é mais excelente daquilo que o sol amadurece

e daquilo que os meses produzem;

15com o que é mais excelente dos montes antigos

e mais excelente das colinas eternas;

16com o que é mais excelente da terra e da sua plenitude

e da bondade daquele que apareceu na sarça.

Que tudo isto venha sobre a cabeça de José,

sobre a cabeça do príncipe entre seus irmãos.

17Ele tem a imponência do primogênito de um touro,

e os seus chifres são como os de um boi selvagem;

com eles rechaçará todos os povos

até as extremidades da terra.

Tais, pois, são as miríades de Efraim,

e tais são os milhares de Manassés.”

18De Zebulom disse:

“Alegre-se, Zebulom, nas suas viagens,

e você, Issacar, nas suas tendas.

19Os dois chamarão os povos ao monte;

ali oferecerão sacrifícios aceitáveis,

porque sugam a abundância dos mares

e os tesouros escondidos da areia.”

20De Gade disse:

“Bendito aquele que expande o território de Gade!

Como leoa ele fica à espreita

e despedaça o braço e o alto da cabeça.

21Ficou com a melhor parte,

porque ali estava escondida a porção que cabe ao chefe;

ele veio com os chefes do povo,

executou a justiça do Senhor

e os seus juízos para com Israel.”

22De Dã disse:

“Dã é um leãozinho

que vem saltando de Basã.”

23De Naftali disse:

“Naftali receberá favores

e, cheio da bênção do Senhor,

possuirá o lago e o Sul.”

24De Aser disse:

“Bendito seja Aser entre os filhos de Jacó!

Que ele seja favorecido pelos seus irmãos

e banhe em azeite os seus pés.

25Sejam de ferro e de bronze os seus ferrolhos,

e que a sua paz dure como os seus dias.”

26“Não há ninguém como Deus, ó Jesurum!

Ele cavalga sobre os céus para ajudar você

e com a sua alteza, sobre as nuvens.

27O Deus eterno é a sua habitação

e, por baixo de você, ele estende os braços eternos.

Ele expulsou os inimigos de diante de você

e disse: ‘Destrua-os’.

28Israel, pois, habitará seguro,

a fonte de Jacó habitará a sós

numa terra de cereal e de vinho;

e os seus céus destilarão orvalho.”

29“Feliz é você, ó Israel!

Quem é como você?

Povo salvo pelo Senhor,

que é o escudo que o socorre,

a espada que lhe dá alteza.

Assim, os seus inimigos se sujeitarão a você,

e você pisará os seus altos.”

Deuteronômio 33NAAAbrir na Bíblia

A morte de Moisés

1Então Moisés subiu das campinas de Moabe ao monte Nebo, ao alto do monte Pisga, que está em frente de Jericó. E o Senhor lhe mostrou toda a terra de Gileade até Dã; 2e todo o Naftali, e a terra de Efraim e Manassés; e toda a terra de Judá até o mar ocidental; 3e o Neguebe e a campina do vale de Jericó, a cidade das palmeiras, até a região de Zoar. 4E o Senhor disse a Moisés:

— Esta é a terra que, sob juramento, prometi a Abraão, a Isaque e a Jacó, dizendo que a daria à descendência deles. Estou permitindo que você a veja com os seus próprios olhos, mas você não entrará nela.

5Assim Moisés, servo do Senhor, morreu ali, na terra de Moabe, segundo a palavra do Senhor. 6Este o sepultou num vale, na terra de Moabe, diante de Bete-Peor, mas até hoje ninguém sabe o lugar da sua sepultura. 7Moisés tinha cento e vinte anos quando morreu, mas os seus olhos não se haviam enfraquecido, e ele não havia perdido o vigor. 8Os filhos de Israel prantearam Moisés durante trinta dias, nas campinas de Moabe; então se cumpriram os dias do pranto do luto por Moisés.

9Josué, filho de Num, estava cheio do espírito de sabedoria, porque Moisés havia imposto as mãos sobre ele. Assim, os filhos de Israel lhe deram ouvidos e fizeram como o Senhor havia ordenado a Moisés.

10Nunca mais se levantou em Israel um profeta como Moisés, com quem o Senhor tratava face a face. 11Nunca houve ninguém que fizesse todos os sinais e maravilhas que, por ordem do Senhor, ele fez na terra do Egito, a Faraó, a todos os seus oficiais e a toda a sua terra. 12Nunca houve quem tivesse tanto poder e fizesse os grandes e terríveis feitos que Moisés realizou à vista de todo o Israel.

Deuteronômio 34NAAAbrir na Bíblia

Segunda fala de Zofar

Cap. 20

1Então Zofar, o naamatita, tomou a palavra e disse:

2“Visto que os meus pensamentos

me impõem resposta,

eu me apresso.

3Eu ouvi a repreensão,

que me envergonha,

mas o meu espírito

me obriga a responder

segundo o meu entendimento.”

O júbilo dos ímpios é breve

4“Será que você não sabe

que desde todos os tempos,

desde que o ser humano

foi posto sobre a terra,

5o júbilo dos ímpios é breve,

e a alegria dos maus

é momentânea?

6Ainda que a sua presunção

chegue aos céus,

e a sua cabeça atinja as nuvens,

7como o seu próprio esterco,

ele apodrecerá para sempre,

e os que o conheceram

perguntarão: ‘Onde está ele?’

8Voará como um sonho

e não será encontrado;

será afugentado

como uma visão da noite.

9Os olhos que o viram

não o verão mais,

e o lugar onde ele estava

não o verá outra vez.

10Os seus filhos procurarão

aplacar os pobres,

e com as suas mãos

ele lhes devolverá os seus bens.

11Ainda que os seus ossos

estejam cheios do vigor

da sua juventude,

esse vigor se deitará

com ele no pó.”

O mal é veneno

12“Ainda que o mal seja doce

na sua boca,

e ele o esconda debaixo da língua,

13e o saboreie,

e não o queira largar,

mas o retenha em sua boca,

14o fato é que a sua comida

se transformará

no seu estômago;

será veneno de cobra

no seu interior.

15Engoliu riquezas,

mas terá de vomitá-las;

Deus o obrigará a lançá-las

de seu ventre.

16Sugou veneno de cobra;

a mordedura da víbora o matará.

17Não se deliciará

com a vista dos ribeiros

e dos rios transbordantes de mel

e de leite.

18Devolverá o fruto

do seu trabalho

e não o engolirá;

do lucro dos seus negócios

não tirará prazer nenhum.

19Porque oprimiu

e desamparou os pobres,

roubou casas que não construiu.

20Por não haver limites

à sua cobiça,

não chegará a salvar

as coisas por ele desejadas.

21Nada escapou

à sua cobiça insaciável;

por isso a sua prosperidade

não durará.

22Na plenitude da sua riqueza,

ficará angustiado;

toda a força da miséria

virá sobre ele.”

A ira de Deus sobre o ímpio

23“Para encher-lhe a barriga,

Deus mandará sobre ele

o furor da sua ira,

que, por alimento,

mandará chover sobre ele.

24Se fugir das armas de ferro,

uma flecha de bronze

o atravessará.

25Ele arranca a flecha

das suas costas,

e esta vem brilhando com o seu fel;

e o pavor tomará conta dele.

26Todas as calamidades

serão reservadas

contra os seus tesouros;

um fogo não aceso

por mãos humanas o consumirá

e devorará o que ficar

na sua tenda.”

27“Os céus manifestarão

a sua iniquidade;

e a terra se levantará contra ele.

28As riquezas de sua casa

serão levadas embora;

como água serão derramadas

no dia da ira de Deus.

29Esta é, da parte de Deus,

a sorte do ímpio;

esta é a herança

decretada por Deus.”

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: