Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 106

Texto(s) da Bíblia

A perseguição aos apóstolos

17Levantando-se, porém, o sumo sacerdote e todos os que estavam com ele, isto é, o partido dos saduceus, ficaram com muita inveja, 18prenderam os apóstolos e os recolheram à prisão pública. 19Mas, de noite, um anjo do Senhor abriu as portas da prisão e, levando-os para fora, lhes disse:

20— Vão ao templo e digam ao povo todas as palavras desta Vida.

21Tendo ouvido isto, logo ao amanhecer entraram no templo e ensinavam.

Quando chegaram o sumo sacerdote e os que estavam com ele, convocaram o Sinédrio e todo o conselho dos anciãos do povo de Israel e mandaram buscar os apóstolos na prisão. 22Mas, quando os guardas chegaram lá, não os encontraram no cárcere. E, voltando, relataram, 23dizendo:

— Encontramos a prisão fechada com toda a segurança e as sentinelas nos seus postos junto às portas; mas, abrindo as portas, não encontramos ninguém dentro.

24Quando o capitão do templo e os principais sacerdotes ouviram estas informações, ficaram perplexos a respeito deles e do que viria a ser isto. 25Nesse momento, alguém chegou e lhes comunicou:

— Vejam! Os homens que os senhores prenderam estão no templo ensinando o povo.

26Então o capitão e os guardas foram e os trouxeram sem violência, porque temiam ser apedrejados pelo povo. 27Trouxeram os apóstolos, apresentando-os ao Sinédrio. E o sumo sacerdote os interrogou, 28dizendo:

— Não é verdade que ordenamos expressamente que vocês não ensinassem nesse nome? No entanto, vocês encheram Jerusalém com a doutrina de vocês e ainda querem lançar sobre nós o sangue desse homem.

29Então Pedro e os demais apóstolos afirmaram:

— É mais importante obedecer a Deus do que aos homens. 30O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vocês mataram, pendurando-o num madeiro. 31Deus, porém, com a sua mão direita, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados. 32E nós somos testemunhas destes fatos — nós e o Espírito Santo, que Deus deu aos que lhe obedecem.

33Eles, porém, ouvindo isso, se enfureceram e queriam matá-los.

O parecer de Gamaliel

34Mas, levantando-se no Sinédrio um fariseu chamado Gamaliel, mestre da lei, respeitado por todo o povo, mandou que os apóstolos fossem levados para fora, por um momento. 35Então disse ao Sinédrio:

— Israelitas, tenham cuidado com o que vão fazer a estes homens. 36Porque algum tempo atrás se levantou Teudas, dizendo ser alguém muito importante, ao qual se juntaram cerca de quatrocentos homens. Mas ele foi morto, e todos os que lhe obedeciam se dispersaram e foram reduzidos a nada. 37Depois desse, levantou-se Judas, o galileu, nos dias do recenseamento, e levou muitos consigo. Também este foi morto, e todos os que lhe obedeciam foram dispersos. 38Neste caso de agora, digo a vocês: Não façam nada contra esses homens. Deixem que vão embora, porque, se este plano ou esta obra vem de homens, será destruído; 39mas, se vem de Deus, vocês não poderão destruí-los e correm o risco de estar lutando contra Deus.

E os membros do Sinédrio concordaram com Gamaliel. 40Então chamaram os apóstolos e os açoitaram. E, ordenando-lhes que não falassem no nome de Jesus, os soltaram. 41E eles se retiraram do Sinédrio muito alegres por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome. 42E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar que Jesus é o Cristo.

Atos 5:17-42NAAAbrir na Bíblia

A pena de açoites

1— Quando houver desentendimento entre dois homens, e vierem a juízo, os juízes os julgarão, justificando o inocente e condenando o culpado. 2Se o culpado merecer açoites, o juiz mandará que ele se deite no chão e seja açoitado, na sua presença, com o número de açoites que o caso exigir. 3Poderá ordenar quarenta açoites, não mais; do contrário, se ordenasse mais do que isso, um compatriota seria humilhado aos olhos de vocês.

4— Não amarrem a boca do boi quando estiver pisando o trigo.

O levirato

5— Se dois irmãos morarem juntos, e um deles morrer sem filhos, a mulher do que morreu não se casará com um estranho, alguém de fora da família; seu cunhado a tomará, a receberá por mulher e exercerá para com ela a obrigação de cunhado. 6O primogênito que ela lhe der será sucessor do nome do seu irmão falecido, para que o nome deste não se apague em Israel.

7— Porém, se o homem não quiser se casar com a cunhada, ela irá ao portão da cidade para falar com os anciãos, e dirá: “Meu cunhado se recusa a dar continuidade ao nome de seu irmão em Israel; não quer exercer para comigo a obrigação de cunhado.” 8Então os anciãos da cidade devem chamá-lo e falar com ele. Se ele persistir e disser: “Não quero casar com ela”, 9então a cunhada chegará perto dele, na presença dos anciãos, e lhe descalçará a sandália do pé, e lhe cuspirá no rosto, e protestará, dizendo: “Assim se fará com o homem que não quer edificar a casa de seu irmão.” 10E, em Israel, se dará à casa daquele homem o nome de “A casa do descalçado”.

11— Quando dois homens estiverem brigando, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar o marido da mão daquele que o fere, e ela estender a mão, e o pegar pelo órgão genital, 12vocês devem cortar a mão dela; não olhem para ela com piedade.

Pesos e medidas justos

13— Não levem na bolsa pesos diferentes, um grande e um pequeno. 14Não tenham em casa dois tipos de medidas, um grande e um pequeno. 15Usem um peso integral e justo, e uma medida integral e justa; para que se prolonguem os seus dias na terra que o Senhor, seu Deus, lhes dá. 16Porque todo aquele que pratica tal injustiça é abominação ao Senhor, o Deus de vocês.

A ordem para destruir os amalequitas

17— Lembrem-se do que os amalequitas fizeram no caminho, quando vocês estavam saindo do Egito. 18Eles saíram ao encontro de vocês no caminho e, quando vocês estavam abatidos e cansados, atacaram na retaguarda todos os desfalecidos que vinham atrás; e não temeram a Deus. 19Portanto, quando o Senhor, seu Deus, lhes houver dado sossego de todos os seus inimigos ao redor, na terra que o Senhor, seu Deus, lhes dá por herança, para que dela tomem posse, apaguem a memória dos amalequitas da face da terra; não se esqueçam disto.

Deuteronômio 25NAAAbrir na Bíblia

As primícias da terra

1— Ao entrar na terra que o Senhor, seu Deus, lhe dá por herança, ao possuí-la e morar nela, 2você deve pegar as primícias de todos os frutos que colheu na terra que o Senhor, seu Deus, lhe deu, colocá-las num cesto e ir ao lugar que o Senhor, seu Deus, escolher para ali fazer habitar o seu nome. 3Você chegará ao sacerdote que estiver de serviço naqueles dias e lhe dirá: “Hoje declaro ao Senhor, seu Deus, que entrei na terra que o Senhor, sob juramento, prometeu dar aos nossos pais.” 4O sacerdote pegará o cesto e o colocará diante do altar do Senhor, seu Deus. 5Então você testificará diante do Senhor, seu Deus, dizendo: “Meu pai foi um arameu prestes a perecer. Ele foi para o Egito, e ali viveu como estrangeiro com pouca gente; e ali veio a ser uma nação grande, forte e numerosa. 6Mas os egípcios nos maltrataram, oprimiram e nos impuseram dura servidão. 7Clamamos ao Senhor, Deus de nossos pais; e o Senhor ouviu a nossa voz e viu a nossa angústia, o nosso trabalho e a nossa opressão. 8E o Senhor nos tirou do Egito com mão poderosa, com braço estendido, com grande espanto, com sinais e com milagres. 9Ele nos trouxe a este lugar e nos deu esta terra, terra que mana leite e mel. 10Eis que, agora, trago as primícias dos frutos da terra que tu, ó Senhor, me deste.” Então você as colocará diante do Senhor, seu Deus, e se prostrará diante dele. 11Você se alegrará por todo o bem que o Senhor, seu Deus, tem dado a você e à sua casa. E também se alegrarão os levitas e os estrangeiros que morarem onde você vive.

Os dízimos

12— Quando, no terceiro ano, que é o ano dos dízimos, você acabar de separar todos os dízimos da colheita, você os dará aos levitas, aos estrangeiros, aos órfãos e às viúvas, para que comam até se fartarem nas cidades de vocês. 13Depois, diante do Senhor, seu Deus, você dirá: “Tirei de minha casa o que é consagrado e dei também aos levitas, aos estrangeiros, aos órfãos, às viúvas, segundo todos os mandamentos que me tens ordenado; nada transgredi dos teus mandamentos, nem deles me esqueci. 14Dos dízimos não comi quando estava de luto e deles nada tirei estando impuro, nem deles dei para a casa de algum morto; obedeci à voz do Senhor, meu Deus; segundo tudo o que me ordenaste, assim eu fiz. 15Olha desde a tua santa habitação, desde o céu, e abençoa Israel, o teu povo, e a terra que nos deste, como juraste aos nossos pais, terra que mana leite e mel.”

Exortação à obediência

16— Hoje o Senhor, seu Deus, ordena que vocês cumpram estes estatutos e juízos; portanto, vocês devem guardar e cumpri-los de todo o seu coração e de toda a sua alma. 17Hoje vocês declararam que o Senhor será o seu Deus, e que vocês andarão nos seus caminhos, guardarão os seus estatutos, os seus mandamentos e os seus juízos e que darão ouvidos à sua voz. 18E hoje o Senhor declarou que vocês serão o seu povo próprio, como ele prometeu, e que vocês devem guardar todos os seus mandamentos. 19Assim ele os exaltará em louvor, renome e glória sobre todas as nações que fez e fará de vocês um povo santo ao Senhor, seu Deus, como ele falou.

Deuteronômio 26NAAAbrir na Bíblia

O terceiro discurso de Moisés

27.1—28.68

Promulgação solene da lei

1Moisés e os anciãos de Israel deram ordens ao povo, dizendo:

— Guardem todos estes mandamentos que hoje lhes ordeno. 2No dia em que vocês passarem o Jordão e entrarem na terra que o Senhor, seu Deus, lhes dá, levantem pedras grandes e pintem-nas com cal. 3Ao passarem, escrevam nessas pedras todas as palavras desta lei, para que vocês entrem na terra que o Senhor, seu Deus, lhes dá, terra que mana leite e mel, como o Senhor, o Deus dos seus pais, lhes prometeu. 4Quando vocês tiverem passado o Jordão, levantem essas pedras no monte Ebal, como hoje lhes ordeno, e pintem-nas com cal. 5Ali vocês devem construir um altar ao Senhor, seu Deus, altar de pedras que não tenham sido trabalhadas com instrumentos de ferro. 6Construam o altar do Senhor, seu Deus, com pedras toscas e sobre este altar lhe ofereçam holocaustos. 7Também sacrifiquem ofertas pacíficas; comam ali e alegrem-se na presença do Senhor, seu Deus. 8Nessas pedras, escrevam, de forma bem nítida, todas as palavras desta lei.

9Moisés, juntamente com os sacerdotes levitas, disse ainda a todo o Israel:

— Fique em silêncio e escute, ó Israel! Hoje vocês vieram a ser o povo do Senhor, seu Deus. 10Portanto, obedeçam à voz do Senhor, seu Deus, e cumpram os mandamentos e os estatutos que hoje lhes ordeno.

Maldições do monte Ebal

11Naquele dia, Moisés deu ordem ao povo, dizendo:

12— Quando vocês tiverem passado o Jordão, estas tribos devem se colocar sobre o monte Gerizim, para abençoar o povo: Simeão, Levi, Judá, Issacar, José e Benjamim. 13E estas tribos estarão sobre o monte Ebal, para amaldiçoar o povo: Rúben, Gade, Aser, Zebulom, Dã e Naftali. 14Os levitas testificarão a todo o povo de Israel em alta voz e dirão:

15— “Maldito o homem que fizer imagem de escultura ou de fundição, abominável ao Senhor, obra de artífice, e a puser em lugar oculto.” E todo o povo responderá: “Amém!”

16— “Maldito aquele que desprezar o seu pai ou a sua mãe.” E todo o povo dirá: “Amém!”

17— “Maldito aquele que mudar os marcos de divisa do seu próximo.” E todo o povo dirá: “Amém!”

18— “Maldito aquele que fizer o cego errar o caminho.” E todo o povo dirá: “Amém!”

19— “Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva.” E todo o povo dirá: “Amém!”

20— “Maldito aquele que tiver relações sexuais com a madrasta, porque profanaria o leito de seu pai.” E todo o povo dirá: “Amém!”

21— “Maldito aquele que tiver relações sexuais com um animal.” E todo o povo dirá: “Amém!”

22— “Maldito aquele que tiver relações sexuais com a sua irmã, filha de seu pai ou filha de sua mãe.” E todo o povo dirá: “Amém!”

23— “Maldito aquele que tiver relações sexuais com sua sogra.” E todo o povo dirá: “Amém!”

24— “Maldito aquele que matar o seu próximo às escondidas.” E todo o povo dirá: “Amém!”

25— “Maldito aquele que aceitar suborno para matar pessoa inocente.” E todo o povo dirá: “Amém!”

26— “Maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei, não as cumprindo.” E todo o povo dirá: “Amém!”

Deuteronômio 27NAAAbrir na Bíblia

Resposta de Jó

Caps.16—17

Um montão de palavras

1Então Jó respondeu:

2“Tenho ouvido muitas coisas

como estas.

Todos vocês são consoladores

que só aumentam

o meu sofrimento.

3Será que não terão fim

essas palavras vazias?

Ou o que é que instiga você

a responder assim?

4Eu também poderia falar

como vocês falam.

Se vocês estivessem em meu lugar,

eu poderia dirigir-lhes

um montão de palavras

e balançar a cabeça

na presença de vocês.

5Poderia fortalecê-los

com as minhas palavras,

e a consolação dos meus lábios

abrandaria a dor de vocês.

6Se eu falar,

a minha dor não cessa;

se me calar, qual é o meu alívio?”

Deus me esmagou

7“Na verdade, esgotaste

as minhas forças;

tu, ó Deus, destruíste

toda a minha família.

8Testemunha disto

é que me deixaste enrugado;

a minha magreza

já se levanta contra mim

e me acusa cara a cara.”

9“Na sua ira me despedaçou

e me perseguiu;

rangeu os dentes contra mim

e, como meu adversário,

aguça os olhos.

10Homens abrem a sua boca

contra mim,

com desprezo me esbofeteiam;

todos se ajuntam contra mim.

11Deus me entrega aos ímpios

e me faz cair nas mãos

dos perversos.

12Eu vivia em paz,

porém ele me esmagou;

pegou-me pelo pescoço

e me despedaçou;

ele fez de mim o seu alvo.

13As suas flechas me atingem

de todos os lados;

atravessa-me os rins,

e não me poupa,

derrama o meu fel sobre a terra.

14Ele me fere com golpes

e mais golpes;

arremete contra mim

como um guerreiro.”

15“Costurei uma roupa

feita de pano de saco

sobre a minha pele

e enterrei o meu orgulho no pó.

16O meu rosto está vermelho

de tanto chorar,

e sobre as minhas pálpebras

está a sombra da morte,

17embora não haja violência

nas minhas mãos,

e seja pura a minha oração.”

A minha testemunha está no céu

18“Ó terra, não cubra

o meu sangue,

e não haja lugar em que se oculte

o meu clamor!

19Já agora a minha testemunha

está no céu,

e nas alturas se encontra

quem advoga a minha causa.

20Os meus amigos

zombam de mim,

mas os meus olhos se desfazem

em lágrimas diante de Deus,

21para que ele mantenha

o direito do homem

contra o próprio Deus

e o do filho do homem

contra o seu próximo.

22Porque dentro de poucos anos

eu seguirei o caminho

de onde não voltarei.”

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: