Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 21 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

O hábito de julgar os outros
Lc 6.37-38,41-42

1— Não julguem, para que vocês não sejam julgados. 2Pois com o critério com que vocês julgarem vocês serão julgados; e com a medida com que vocês tiverem medido vocês também serão medidos.

3— Por que você vê o cisco no olho do seu irmão, mas não repara na trave que está no seu próprio? 4Ou como você dirá a seu irmão: “Deixe que eu tire o cisco do seu olho”, quando você tem uma trave no seu próprio? 5Hipócrita! Tire primeiro a trave do seu olho e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.

6— Não deem aos cães o que é santo, nem joguem as suas pérolas diante dos porcos, para que estes não as pisem com os pés e aqueles, voltando-se, não estraçalhem vocês.

Jesus encoraja a oração
Lc 11.9-13

7— Peçam e lhes será dado; busquem e acharão; batam, e a porta será aberta para vocês. 8Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, a porta será aberta. 9Ou quem de vocês, se o filho pedir pão, lhe dará uma pedra? 10Ou, se pedir um peixe, lhe dará uma cobra? 11Ora, se vocês, que são maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos, quanto mais o Pai de vocês, que está nos céus, dará coisas boas aos que lhe pedirem?

12— Portanto, tudo o que vocês querem que os outros façam a vocês, façam também vocês a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.

A porta estreita
Lc 13.24

13— Entrem pela porta estreita! Porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela. 14Estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que o encontram.

Os falsos profetas
Lc 6.43-44

15— Cuidado com os falsos profetas, que se apresentam a vocês disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos vorazes. 16Pelos seus frutos vocês os conhecerão. Por acaso se colhem uvas de espinheiros ou figos de ervas daninhas? 17Assim, toda árvore boa produz frutos bons, porém a árvore má produz frutos maus. 18A árvore boa não pode produzir frutos maus, e a árvore má não pode produzir frutos bons. 19Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e jogada no fogo. 20Assim, pois, pelos seus frutos vocês os conhecerão.

Quem entra no Reino dos Céus
Lc 13.25-27

21— Nem todo o que me diz: “Senhor, Senhor!” entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22Muitos, naquele dia, vão me dizer: “Senhor, Senhor, nós não profetizamos em seu nome? E em seu nome não expulsamos demônios? E em seu nome não fizemos muitos milagres?” 23Então lhes direi claramente: “Eu nunca conheci vocês. Afastem-se de mim, vocês que praticam o mal.”

Os dois fundamentos
Lc 6.47-49

24— Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. 25Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e bateram com força contra aquela casa, e ela não desabou, porque tinha sido construída sobre a rocha. 26E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que construiu a sua casa sobre a areia. 27Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e bateram com força contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.

O fim do sermão do monte

28Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, as multidões estavam maravilhadas com a sua doutrina, 29porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os escribas.

Mateus 7NAAAbrir na Bíblia

A cura de um leproso

Mc 1.40-45; Lc 5.12-16

1Quando Jesus desceu do monte, grandes multidões o seguiram. 2E eis que um leproso aproximou-se e o adorou, dizendo:

— Senhor, se quiser, pode me purificar.

3E Jesus, estendendo a mão, tocou nele, dizendo:

— Quero, sim. Fique limpo!

E, no mesmo instante, ele ficou limpo da sua lepra. 4Então Jesus lhe disse:

— Olhe, não conte isso a ninguém, mas vá, apresente-se ao sacerdote e faça a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho ao povo.

A cura do servo de um centurião

Lc 7.1-10

5Tendo Jesus entrado em Cafarnaum, um centurião se aproximou dele, implorando:

6— Senhor, o meu servo está na minha casa, de cama, paralítico, sofrendo horrivelmente.

7Jesus lhe disse:

— Eu vou lá curá-lo.

8Mas o centurião respondeu:

— Senhor, não sou digno de recebê-lo em minha casa. Mas apenas mande com uma palavra, e o meu servo será curado. 9Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, tenho soldados às minhas ordens e digo a este: “Vá”, e ele vai; e a outro: “Venha”, e ele vem; e ao meu servo: “Faça isto”, e ele o faz.

10Ao ouvir isso, Jesus ficou admirado e disse aos que o acompanhavam:

— Em verdade lhes digo que nem mesmo em Israel encontrei fé como esta. 11Digo a vocês que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugar à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no Reino dos Céus. 12Mas os filhos do Reino serão lançados para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes.

13Então Jesus disse ao centurião:

— Vá! E seja feito conforme você crê.

E, naquela mesma hora, o servo do centurião foi curado.

A cura da sogra de Pedro

Mc 1.29-31; Lc 4.38-39

14Tendo Jesus chegado à casa de Pedro, viu a sogra deste acamada, com febre. 15Mas Jesus tomou-a pela mão, e a febre a deixou. Ela se levantou e passou a servi-lo.

Muitas outras curas

Mc 1.32-34; Lc 4.40-41

16Ao cair da tarde, trouxeram a Jesus muitos endemoniados. E apenas com a palavra expulsou os espíritos e curou todos os que estavam doentes, 17para se cumprir o que foi dito por meio do profeta Isaías:

“Ele mesmo tomou

as nossas enfermidades

e carregou as nossas doenças.”

Jesus põe à prova os que querem segui-lo

Lc 9.57-62

18Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem para a outra margem. 19Então, aproximando-se dele um escriba, disse a Jesus:

— Mestre, vou segui-lo para onde quer que o senhor for.

20Mas Jesus lhe respondeu:

— As raposas têm as suas tocas e as aves do céu têm os seus ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.

21E outro dos discípulos lhe disse:

— Senhor, deixe-me ir primeiro sepultar o meu pai.

22Mas Jesus respondeu:

— Siga-me e deixe que os mortos sepultem os seus mortos.

Jesus acalma uma tempestade

Mc 4.35-41; Lc 8.22-25

23Jesus entrou no barco e os seus discípulos o seguiram. 24E eis que levantou-se no mar uma grande tempestade, de modo que as ondas cobriam o barco. Jesus, porém, estava dormindo. 25Mas os discípulos foram acordá-lo, dizendo:

— Senhor, salve-nos! Estamos perecendo!

26Então Jesus perguntou:

— Por que vocês são tão medrosos, homens de pequena fé?

E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e tudo ficou bem calmo. 27E aqueles homens ficaram admirados, dizendo:

— Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?

A cura de dois endemoniados gadarenos

Mc 5.1-20; Lc 8.26-39

28Quando Jesus chegou à outra margem, à terra dos gadarenos, dois endemoniados foram ao seu encontro, saindo dentre os túmulos. Eles eram tão furiosos, que ninguém podia passar por aquele caminho. 29E eis que gritaram:

— O que você quer conosco, Filho de Deus? Você veio aqui nos atormentar antes do tempo?

30Ora, uma grande manada de porcos estava pastando não longe deles. 31Então os demônios pediram a Jesus com insistência:

— Se você vai nos expulsar, mande-nos para a manada de porcos.

32Jesus disse:

— Pois vão.

E eles, saindo, entraram nos porcos; e eis que toda a manada se precipitou, despenhadeiro abaixo, para dentro do mar, e morreram nas águas.

33Os que tratavam dos porcos fugiram e, chegando à cidade, anunciaram todas estas coisas e o que tinha acontecido com os endemoniados. 34Então a cidade toda saiu para encontrar-se com Jesus. E, ao vê-lo, pediram-lhe com insistência que se retirasse da terra deles.

Mateus 8NAAAbrir na Bíblia

Os sacrifícios pacíficos

1— Se a oferta de alguém for sacrifício pacífico, se a fizer de gado, seja macho ou fêmea, terá de oferecê-la sem defeito diante do Senhor. 2Porá a mão sobre a cabeça da sua oferta e matará o animal diante da porta da tenda do encontro; e os filhos de Arão, os sacerdotes, aspergirão o sangue sobre o altar, ao redor. 3Do sacrifício pacífico apresentará como oferta queimada ao Senhor a gordura que cobre as entranhas e toda a gordura que fica no meio das entranhas, 4os dois rins, a gordura que está sobre eles e junto aos lombos, e a membrana sobre o fígado, que tirará junto com os rins. 5E os filhos de Arão queimarão tudo isso sobre o altar, em cima do holocausto, que estará sobre a lenha no fogo; é oferta queimada, de aroma agradável ao Senhor.

6— Se a oferta por sacrifício pacífico ao Senhor for de gado miúdo, seja macho ou fêmea, terá de oferecê-la sem defeito. 7Se trouxer um cordeiro por sua oferta, a pessoa deve oferecê-lo diante do Senhor. 8Porá a mão sobre a cabeça da sua oferta e matará o animal diante da tenda do encontro; e os filhos de Arão aspergirão o sangue sobre o altar, ao redor. 9Então do sacrifício pacífico trará ao Senhor por oferta queimada a sua gordura: a cauda toda, a qual tirará rente ao espinhaço, a gordura que cobre as entranhas, toda a gordura que está no meio das entranhas, 10os dois rins, a gordura que está sobre eles e junto aos lombos, e a membrana sobre o fígado, que tirará junto com os rins. 11E o sacerdote queimará tudo isso sobre o altar como oferta de alimento ao Senhor.

12— Se a oferta da pessoa for uma cabra, diante do Senhor a trará. 13Porá a mão sobre a cabeça da cabra e a matará diante da tenda do encontro; e os filhos de Arão aspergirão o sangue sobre o altar, ao redor. 14Depois, trará dela a sua oferta, por oferta queimada ao Senhor: a gordura que cobre as entranhas e toda a gordura que está no meio das entranhas, 15os dois rins, a gordura que está sobre eles e junto aos lombos, e a membrana sobre o fígado, que tirará junto com os rins. 16E o sacerdote queimará tudo isso sobre o altar como oferta de alimento, de aroma agradável. Toda a gordura será do Senhor. 17Este é um estatuto perpétuo durante as gerações de vocês, onde quer que morarem: vocês não comerão nem a gordura nem o sangue.

Levítico 3NAAAbrir na Bíblia

A consagração de Arão e de seus filhos

Êx 29.1-37

1O Senhor disse a Moisés:

2— Leve Arão e os filhos dele, as vestes, o óleo da unção, o novilho da oferta pelo pecado, os dois carneiros e o cesto dos pães sem fermento 3e reúna toda a congregação à porta da tenda do encontro.

4Moisés fez como o Senhor lhe havia ordenado, e a congregação se reuniu à porta da tenda do encontro. 5Então Moisés disse à congregação:

— Isto é o que o Senhor ordenou que se fizesse.

6E fez com que Arão e os filhos dele se aproximassem e mandou que se lavassem com água. 7Vestiu Arão com a túnica, cingiu-o com o cinto e pôs sobre ele a sobrepeliz. Também pôs sobre ele a estola sacerdotal, cingiu-o com o cinto de obra esmerada da estola sacerdotal e o ajustou com esse cinto. 8Depois, colocou-lhe o peitoral, pondo no peitoral o Urim e o Tumim; 9e lhe pôs a mitra na cabeça e, na mitra, na sua parte dianteira, pôs a lâmina de ouro, a coroa sagrada, como o Senhor havia ordenado a Moisés.

10Então Moisés pegou o óleo da unção, ungiu o tabernáculo e tudo o que havia nele e o consagrou. 11Sete vezes ele aspergiu do óleo sobre o altar e ungiu o altar e todos os seus utensílios, bem como a bacia e o seu suporte, para os consagrar. 12Depois, derramou do óleo da unção sobre a cabeça de Arão e ungiu-o, para consagrá-lo. 13Também Moisés fez chegar os filhos de Arão, vestiu-lhes as túnicas, cingiu-os com o cinto e atou-lhes os turbantes, como o Senhor lhe havia ordenado.

14Então fez chegar o novilho da oferta pelo pecado; e Arão e os seus filhos puseram as mãos sobre a cabeça do novilho da oferta pelo pecado. 15Moisés matou o novilho, pegou um pouco do sangue, pôs isso, com o dedo, sobre os chifres do altar ao redor e purificou o altar. Depois, derramou o resto do sangue na base do altar e o consagrou, para fazer expiação por ele. 16Depois, pegou toda a gordura que está sobre as entranhas, a membrana do fígado, os dois rins e sua gordura; e Moisés os queimou sobre o altar. 17Mas queimou o novilho com o seu couro, a sua carne e o seu excremento fora do arraial, como o Senhor havia ordenado a Moisés.

18Depois, fez chegar o carneiro do holocausto; e Arão e seus filhos puseram as mãos sobre a cabeça do carneiro. 19Moisés matou o carneiro e aspergiu o sangue sobre o altar, ao redor. 20Cortou também o carneiro em pedaços; e Moisés queimou a cabeça, os pedaços e a gordura. 21Porém as entranhas e as pernas lavou com água; e Moisés queimou todo o carneiro sobre o altar; era holocausto de aroma agradável, oferta queimada ao Senhor, como o Senhor havia ordenado a Moisés.

22Então fez chegar o outro carneiro, o carneiro da consagração; e Arão e seus filhos puseram as mãos sobre a cabeça do carneiro. 23Moisés matou o carneiro, pegou um pouco do sangue e o pôs sobre a ponta da orelha direita de Arão, sobre o polegar da sua mão direita e sobre o polegar do seu pé direito. 24Também fez chegar os filhos de Arão; pôs daquele sangue sobre a ponta da orelha direita deles, sobre o polegar da mão direita e sobre o polegar do pé direito; e Moisés aspergiu o resto do sangue sobre o altar, ao redor. 25Pegou a gordura, a cauda, toda a gordura que está nas entranhas, a membrana do fígado, ambos os rins, a sua gordura e a coxa direita. 26Também do cesto dos pães sem fermento, que estava diante do Senhor, pegou um bolo sem fermento, um bolo de pão azeitado e um pãozinho achatado e os pôs sobre a gordura e sobre a coxa direita. 27E tudo isso pôs nas mãos de Arão e de seus filhos e o moveu por oferta movida diante do Senhor. 28Depois, Moisés o tomou das mãos deles e o queimou no altar sobre o holocausto; era uma oferta da consagração, por aroma agradável, oferta queimada ao Senhor. 29Moisés pegou o peito e moveu-o por oferta movida diante do Senhor; era a porção que cabia a Moisés, do carneiro da consagração, como o Senhor lhe havia ordenado.

30Moisés pegou também um pouco do óleo da unção e um pouco do sangue que estava sobre o altar e aspergiu sobre Arão e as suas vestes, bem como sobre os filhos de Arão e as suas vestes; e consagrou Arão e as vestes dele bem como os filhos de Arão e as vestes deles. 31Moisés disse a Arão e aos seus filhos:

— Cozinhem a carne diante da porta da tenda do encontro e a comam ali junto com o pão que está no cesto da consagração, como tenho ordenado, dizendo: “Arão e seus filhos a comerão. 32Mas o que restar da carne e do pão vocês devem queimar.” 33Não se afastem da porta da tenda do encontro por sete dias, até o dia em que se cumprirem os dias da consagração de vocês; porque o Senhor consagrará vocês durante sete dias. 34Como se fez neste dia, assim o Senhor ordenou que se fizesse, em expiação por vocês. 35Fiquem, pois, à porta da tenda do encontro dia e noite, por sete dias, e observem as prescrições do Senhor, para que não morram; porque assim me foi ordenado.

36E Arão e seus filhos fizeram todas as coisas que o Senhor havia ordenado por meio de Moisés.

Levítico 8NAAAbrir na Bíblia

1O vinho é zombador

e a bebida forte causa alvoroço;

todo aquele que é vencido por eles

não é sábio.

2A fúria do rei

é como o rugido do leão;

quem o provoca

peca contra a própria vida.

3É uma honra para alguém

ficar longe de conflitos,

mas os insensatos

envolvem-se neles.

4O preguiçoso não ara as terras

porque é inverno;

por isso, no tempo da colheita,

procura e não encontra nada.

5Os propósitos do coração humano

são como águas profundas,

mas quem é inteligente

sabe como trazê-los à tona.

6Muitos proclamam

a sua própria bondade,

mas alguém que é digno

de confiança, quem o achará?

7O justo anda na sua integridade;

felizes são os seus filhos

depois dele.

8Quando o rei se assenta

no trono para julgar,

com os seus olhos

dispersa todo mal.

9Quem pode dizer:

“Purifiquei o meu coração;

estou limpo do meu pecado”?

10O Senhor detesta o uso

de dois pesos e duas medidas;

ele detesta tanto uma coisa

quanto a outra.

11Até a criança se dá a conhecer

pelas suas ações,

se o que faz é puro e reto.

12O ouvido que ouve

e o olho que vê,

o Senhor os fez,

tanto um como o outro.

13Não ame o sono,

para que você não empobreça;

abra os olhos

e você terá pão de sobra.

14“Não presta! Não vale tanto!” —

diz o comprador;

mas, quando vai embora,

então se gaba do negócio que fez.

15Há ouro e abundância

de pérolas,

mas palavras que transmitem

conhecimento são joia preciosa.

16Que se tome a roupa

daquele que fica

por fiador de um estranho;

que ela sirva de penhor,

quando ele se compromete

por estrangeiros.

17O pão que se ganha com fraude

pode ser gostoso,

mas depois a boca

se encherá de areia.

18Os planos são estabelecidos

mediante os conselhos;

faça a guerra com prudência.

19O mexeriqueiro

revela os segredos;

portanto, não se meta

com quem fala demais.

20Se alguém amaldiçoa o seu pai

ou a sua mãe,

a sua lâmpada se apagará

na mais densa escuridão.

21A posse antecipada

de uma herança

no fim não será abençoada.

22Não diga:

“Vou me vingar do mal”;

espere no Senhor, e ele o livrará.

23O Senhor detesta

o uso de dois pesos,

e uma balança desonesta

não é boa.

24Os passos de cada pessoa

são dirigidos pelo Senhor;

como poderá alguém entender

o seu próprio caminho?

25É uma armadilha dizer

precipitadamente:

“Isto é santo!”,

e só refletir depois de fazer o voto.

26O rei sábio peneira os maus

e faz passar sobre eles a roda.

27O espírito do ser humano

é a lâmpada do Senhor,

a qual examina

o mais profundo do seu ser.

28Bondade e fidelidade

preservam o rei;

é com bondade que ele sustém

o seu trono.

29A glória dos jovens é a sua força,

e a beleza dos velhos

são os seus cabelos brancos.

30Os vergões das feridas

purificam do mal,

e os açoites limpam

o mais íntimo do corpo.

Provérbios 20NAAAbrir na Bíblia

1Mais vale o bom nome

do que as muitas riquezas;

ser estimado é melhor

do que a prata e o ouro.

2O rico e o pobre

têm algo em comum:

o Senhor fez

tanto um como o outro.

3O prudente vê o mal

e se esconde;

mas os ingênuos seguem em frente

e sofrem as consequências.

4A recompensa da humildade

e do temor do Senhor

são riquezas, honra e vida.

5No caminho do perverso

há espinhos e armadilhas;

quem quer guardar a sua vida

afasta-se deles.

6Ensine a criança no caminho

em que deve andar,

e ainda quando for velho

não se desviará dele.

7O rico domina sobre o pobre,

e o que pede emprestado

é servo de quem empresta.

8O que semeia a injustiça

colhe a desgraça,

e a vara da sua indignação

será destruída.

9O generoso será abençoado,

porque reparte o seu pão

com os pobres.

10Mande embora o zombador,

e com ele se irá a discórdia;

cessarão as discussões

e a vergonha.

11Quem ama a pureza do coração

e é habilidoso no falar

terá a amizade do rei.

12Os olhos do Senhor

preservam o conhecimento,

mas ele subverte

as palavras dos infiéis.

13O preguiçoso diz:

“Um leão está lá fora!

Serei morto no meio da rua!”

14Cova profunda

é a boca da mulher estranha;

aquele contra quem

o Senhor se irar cairá nela.

15A tolice está ligada

ao coração da criança,

mas a vara da disciplina

a afastará dela.

16Quem oprime o pobre

para enriquecer a si

ou o que dá presentes ao rico

certamente empobrecerá.

Trinta provérbios dos sábios

17Preste atenção e ouça

as palavras dos sábios;

aplique o coração

aos meus ensinamentos.

18Porque será agradável

se você os guardar

em seu coração

e se tiver todos eles presentes

nos seus lábios.

19Quero que a sua confiança

esteja no Senhor;

por isso, hoje dou esta instrução

a você — a você mesmo.

20Por acaso, não lhe escrevi

trinta provérbios

de conselhos e conhecimentos?

21Fiz isso para que você

tenha certeza

das palavras da verdade,

a fim de que possa responder

claramente aos que

lhe fizerem perguntas.

— 1 —

22Não roube o pobre,

porque é pobre,

nem oprima o necessitado

no tribunal,

23porque o Senhor defenderá

a causa deles

e tirará a vida

daqueles que os exploram.

— 2 —

24Não faça amizade com quem

facilmente fica irado,

nem ande na companhia

de quem é agressivo,

25para que você não aprenda

os seus caminhos

e, assim, fique preso

numa armadilha.

— 3 —

26Não esteja entre os que

se comprometem

e ficam por fiadores de dívidas,

27pois, se você não tiver

com que pagar,

vão acabar lhe tirando até mesmo

a cama em que costuma

se deitar!

— 4 —

28Não remova os marcos antigos

que os seus pais colocaram.

— 5 —

29Você está vendo alguém

que é habilidoso

naquilo que faz?

Ele será posto diante de reis;

não estará a serviço da plebe.

Provérbios 22NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: