Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 55

Texto(s) da Bíblia

Ensino a respeito da ira

21— Vocês ouviram o que foi dito aos antigos: “Não mate.” E ainda: “Quem matar estará sujeito a julgamento.” 22Eu, porém, lhes digo que todo aquele que se irar contra o seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem insultar o seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem o chamar de tolo estará sujeito ao inferno de fogo. 23Portanto, se você estiver trazendo a sua oferta ao altar e lá se lembrar que o seu irmão tem alguma coisa contra você, 24deixe diante do altar a sua oferta e vá primeiro reconciliar-se com o seu irmão; e então volte e faça a sua oferta.

25— Entre em acordo sem demora com o seu adversário, enquanto você está com ele a caminho, para que o adversário não entregue você ao juiz, o juiz entregue você ao oficial de justiça, e você seja jogado na prisão. 26Em verdade lhe digo que você não sairá dali enquanto não pagar o último centavo.

Ensino a respeito do adultério

27— Vocês ouviram o que foi dito: “Não cometa adultério.” 28Eu, porém, lhes digo: todo o que olhar para uma mulher com intenção impura, já cometeu adultério com ela no seu coração.

29— Se o seu olho direito leva você a tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que ter o corpo inteiro lançado no inferno. 30E, se a sua mão direita leva você a tropeçar, corte-a e jogue-a fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que o corpo inteiro ir para o inferno.

Ensino a respeito do divórcio

31— Também foi dito: “Aquele que repudiar a sua mulher deve dar-lhe uma carta de divórcio.” 32Eu, porém, lhes digo: quem repudiar a sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a se tornar adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério.

Ensino a respeito de juramentos

33— Vocês também ouviram o que foi dito aos antigos: “Não faça juramento falso, mas cumpra rigorosamente para com o Senhor o que você jurou.” 34Eu, porém, lhes digo: não jurem de modo nenhum; nem pelo céu, por ser o trono de Deus; 35nem pela terra, por ser estrado de seus pés; nem por Jerusalém, por ser a cidade do grande Rei. 36Não jure pela sua cabeça, porque você não pode fazer com que um só cabelo fique branco ou preto. 37Que a palavra de vocês seja: Sim, sim; não, não. O que passar disto vem do Maligno.

Ensino a respeito da vingança

38— Vocês ouviram o que foi dito: “Olho por olho, dente por dente.” 39Eu, porém, lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém lhe der um tapa na face direita, ofereça-lhe também a face esquerda. 40Se alguém quer processar você e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa. 41Se alguém obrigar você a andar uma milha, vá com ele duas. 42Dê a quem lhe pede e não volte as costas ao que quer lhe pedir emprestado.

O amor aos inimigos

43— Vocês ouviram o que foi dito: “Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo.” 44Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês, 45para demonstrarem que são filhos do Pai de vocês, que está nos céus. Porque ele faz o seu sol nascer sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. 46Porque, se vocês amam aqueles que os amam, que recompensa terão? Os publicanos também não fazem o mesmo? 47E, se saudarem somente os seus irmãos, o que é que estão fazendo de mais? Os gentios também não fazem o mesmo? 48Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu.

Mateus 5:21-48NAAAbrir na Bíblia

O altar do incenso

Êx 37.25-28

1— Faça também um altar para queimar incenso; faça-o de madeira de acácia. 2Será quadrado, tendo quarenta e cinco centímetros de comprimento e quarenta e cinco de largura; a altura será de noventa centímetros. Os chifres formarão uma só peça com ele. 3Revista-o de ouro puro, a parte superior, as paredes ao redor e os chifres; ponha também um remate de ouro ao redor. 4Faça também duas argolas de ouro e coloque-as debaixo do remate; coloque-as de ambos os lados. Por essas argolas serão passados os cabos, quando o altar for transportado. 5Faça esses cabos de madeira de acácia, revestindo-os de ouro. 6Ponha o altar em frente do véu que está diante da arca do testemunho, diante do propiciatório que está sobre o testemunho, onde me encontrarei com você. 7Arão queimará o incenso aromático sobre o altar; cada manhã, quando preparar as lâmpadas, o queimará. 8Quando, ao crepúsculo da tarde, acender as lâmpadas, o queimará; será incenso contínuo diante do Senhor, de geração em geração. 9Não ofereçam incenso estranho sobre esse altar, nem holocausto, nem ofertas de cereais. Também não ofereçam libações sobre ele.

10— Uma vez por ano, Arão fará expiação sobre os chifres do altar com o sangue da oferta pelo pecado; uma vez por ano, fará expiação sobre ele, de geração em geração; é altar santíssimo ao Senhor.

O pagamento do resgate

11O Senhor disse mais a Moisés:

12— Quando você fizer recenseamento dos filhos de Israel, cada um deles dará ao Senhor o resgate de si próprio, quando você fizer a contagem; para que não haja entre eles praga nenhuma, quando você fizer a contagem. 13Todo aquele que for incluído na lista dará isto: seis gramas, segundo o peso padrão do santuário, que é de doze gramas. Esses seis gramas são a oferta ao Senhor. 14Todo aquele que for incluído na lista, de vinte anos para cima, dará a oferta ao Senhor. 15O rico não dará mais de seis gramas, nem o pobre dará menos, quando derem a oferta ao Senhor, para fazerem expiação pela vida de vocês. 16Você receberá o dinheiro das expiações dos filhos de Israel e o usará para o serviço da tenda do encontro; e será para memória aos filhos de Israel diante do Senhor, para fazerem expiação pela vida de vocês.

A bacia de bronze

Êx 38.8

17O Senhor disse mais a Moisés:

18— Faça também uma bacia de bronze com o seu suporte de bronze, para lavar. Coloque-a entre a tenda do encontro e o altar e ponha água dentro dela. 19Nela, Arão e seus filhos lavarão as mãos e os pés. 20Quando entrarem na tenda do encontro, eles se lavarão com água, para que não morram. Também quando se aproximarem do altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor, 21lavarão as mãos e os pés, para que não morram. E isto lhes será por estatuto perpétuo, a ele e à sua posteridade, através de suas gerações.

O óleo sagrado para a unção

Êx 37.29

22O Senhor disse mais a Moisés:

23— Pegue as mais excelentes especiarias: seis quilos de mirra líquida; a metade, a saber, três quilos de cinamomo aromático; três quilos de cálamo aromático; 24seis quilos de cássia, segundo o peso padrão do santuário; e três litros e meio de azeite de oliveira. 25Disto você fará o óleo sagrado para a unção, o perfume composto segundo a arte do perfumista; este será o óleo sagrado da unção. 26Com ele você ungirá a tenda do encontro, a arca do testemunho, 27a mesa com todos os seus utensílios, o candelabro com os seus utensílios, o altar do incenso, 28o altar do holocausto com todos os utensílios e a bacia com o seu suporte. 29Assim você consagrará estas coisas, para que sejam santíssimas; tudo o que tocar nelas será santo. 30Você ungirá também Arão e os seus filhos e os consagrará para que me sirvam como sacerdotes. 31Diga aos filhos de Israel: “Este me será o óleo sagrado da unção de geração em geração. 32Não se ungirá com ele o corpo de quem não for sacerdote. Não façam outro óleo semelhante, da mesma composição; é óleo santo e será santo para vocês. 33Quem preparar óleo igual a este ou com ele ungir um estranho será eliminado do meio do seu povo.”

O incenso santo

34O Senhor disse a Moisés:

— Pegue a mesma quantidade de substâncias aromáticas, estoraque, ônica, gálbano e incenso puro, 35e com isto faça incenso, perfume segundo a arte do perfumista, temperado com sal, puro e santo. 36Moa uma parte desse incenso e coloque-o diante da arca do testemunho na tenda do encontro, onde me encontrarei com você. Esse incenso será coisa santíssima para vocês. 37Porém o incenso que vocês farão, segundo a composição deste, não o façam para seu uso pessoal; santo será para o Senhor. 38Quem fizer incenso igual a este para o cheirar será eliminado do meio do seu povo.

Êxodo 30NAAAbrir na Bíblia

Os artífices da obra do tabernáculo

Êx 35.30—36.1

1O Senhor disse mais a Moisés:

2— Eis que chamei pelo nome Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, 3e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício, 4para elaborar desenhos e trabalhar em ouro, prata e bronze, 5para lapidação de pedras de engaste, para entalho de madeira, para todo tipo de trabalho artesanal. 6Escolhi Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, para trabalhar com ele. Também dei habilidade a todos os homens hábeis, para que me façam tudo o que tenho ordenado: 7a tenda do encontro, a arca do testemunho, o propiciatório que está por cima dela e todos os pertences da tenda; 8a mesa com os seus utensílios, o candelabro de ouro puro com todos os seus utensílios e o altar do incenso; 9o altar do holocausto com todos os seus utensílios e a bacia com o seu suporte; 10as vestes finamente tecidas, as vestes sagradas do sacerdote Arão e as vestes de seus filhos, para servirem como sacerdotes; 11o óleo da unção e o incenso aromático para o santuário; eles farão tudo segundo tenho ordenado.

O sábado santo e as duas tábuas do testemunho

12Disse mais o Senhor a Moisés:

13— Fale aos filhos de Israel e diga-lhes o seguinte: “Certamente vocês guardarão os meus sábados, pois é sinal entre mim e vocês de geração em geração, para que vocês saibam que eu sou o Senhor, que os santifica. 14Portanto, guardem o sábado, porque é santo para vocês. Aquele que o profanar morrerá; quem nesse dia fizer alguma obra será eliminado do meio do seu povo. 15Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do repouso solene, santo ao Senhor; quem fizer alguma obra no dia do sábado morrerá. 16Os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua de geração em geração. 17Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre; porque, em seis dias, o Senhor fez os céus e a terra e, no sétimo dia, descansou e tomou alento.”

18Quando o Senhor acabou de falar com Moisés no monte Sinai, deu a ele as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.

Êxodo 31NAAAbrir na Bíblia

O bezerro de ouro

Dt 9.6-21

1O povo viu que Moisés demorava para descer do monte. Então reuniu-se em volta de Arão e lhe disse:

— Levante-se, faça para nós deuses que vão adiante de nós; pois, quanto a este Moisés, o homem que nos tirou do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.

2Arão respondeu:

— Tirem as argolas de ouro das orelhas de suas mulheres, de seus filhos e de suas filhas e tragam para mim.

3Então todo o povo tirou das orelhas as argolas e as trouxe a Arão. 4Este, recebendo-as das mãos deles, trabalhou o ouro com buril e fez dele um bezerro de metal fundido. Então disseram:

— São estes, ó Israel, os seus deuses, que tiraram você da terra do Egito.

5Arão, vendo isso, edificou um altar diante do bezerro e fez a seguinte proclamação:

— Amanhã haverá festa ao Senhor.

6No dia seguinte, madrugaram, ofereceram holocaustos e trouxeram ofertas pacíficas. E o povo sentou-se para comer e beber e levantou-se para se divertir.

7Então o Senhor disse a Moisés:

— Vá, desça; porque o seu povo, o povo que você tirou do Egito, se corrompeu 8e depressa se desviou do caminho que eu lhe havia ordenado; fez para si um bezerro de metal fundido, o adorou e lhe ofereceu sacrifícios, dizendo: “São estes, ó Israel, os seus deuses, que tiraram você da terra do Egito.”

9O Senhor disse ainda a Moisés:

— Tenho visto este povo, e eis que é povo teimoso. 10Agora, pois, deixe-me, para que se acenda contra eles o meu furor, e eu os consuma; e de você farei uma grande nação.

Moisés intercede pelo povo

Êx 32.30-34; Dt 9.25-29

11Porém Moisés suplicou ao Senhor, seu Deus, dizendo:

— Ó Senhor, por que se acende a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande poder e forte mão? 12Por que deixar que os egípcios digam: “Ele os tirou de lá com más intenções, para matá-los nos montes e para eliminá-los da face da terra”? Deixa de lado o furor da tua ira e muda de ideia quanto a este mal contra o teu povo. 13Lembra-te de Abraão, de Isaque e de Israel, teus servos, aos quais por ti mesmo juraste, dizendo: “Multiplicarei a descendência de vocês como as estrelas do céu, e toda esta terra de que tenho falado, eu a darei à sua descendência, para que a possuam por herança eternamente.”

14Então o Senhor mudou de ideia quanto ao mal que ele tinha dito que traria sobre o povo.

15Moisés voltou-se e desceu do monte com as duas tábuas do testemunho nas mãos, tábuas escritas de ambos os lados; de um e de outro lado estavam escritas. 16As tábuas eram obra de Deus; também o que estava escrito tinha sido escrito pelo próprio Deus, esculpido nas tábuas.

17Quando Josué ouviu a voz do povo que gritava, disse a Moisés:

— Há um alarido de guerra no arraial.

18Moisés respondeu:

— O que ouço não é alarido de vencedores nem de vencidos, mas o alarido de pessoas cantando.

19Logo que se aproximou do arraial e viu o bezerro e as danças, Moisés ficou muito irado. Arremessou as tábuas de pedra das suas mãos e quebrou-as ao pé do monte. 20E, pegando o bezerro que tinham feito, queimou-o e o reduziu a pó, que espalhou sobre a água, e deu de beber aos filhos de Israel. 21Depois, Moisés perguntou a Arão:

— O que foi que esse povo fez a você, para que você trouxesse sobre ele tão grande pecado?

22Arão respondeu:

— Não fique irado, meu senhor. Você sabe que este povo é propenso para o mal. 23Pois me disseram: “Faça para nós deuses que vão adiante de nós; pois, quanto a este Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.” 24Então eu lhes disse: “Quem tem ouro, tire-o.” Eles o deram para mim, eu o lancei no fogo, e saiu este bezerro.

Moisés manda matar os idólatras

25Quando Moisés viu que o povo estava sem controle, pois Arão o tinha deixado à solta para vergonha no meio dos seus inimigos, 26pôs-se em pé à entrada do arraial e disse:

— Quem é do Senhor venha até mim.

Então se juntaram a ele todos os filhos de Levi, 27aos quais ele disse:

— Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: “Cada um ponha a espada na cintura. Passem e tornem a passar pelo arraial de porta em porta, e cada um mate o seu irmão, o seu amigo e o seu vizinho.”

28E os filhos de Levi fizeram segundo a palavra de Moisés e, naquele dia, morreram uns três mil homens. 29Pois Moisés tinha dito: “Consagrem-se hoje ao Senhor, cada um contra o seu filho e contra o seu irmão, para que hoje Deus lhes conceda uma bênção.”

Moisés intercede pelo povo

Êx 32.11-14; Dt 9.25-29

30No dia seguinte, Moisés disse ao povo:

— Vocês cometeram um grande pecado. Agora, porém, subirei ao Senhor; talvez eu possa fazer propiciação pelo pecado de vocês.

31Moisés voltou ao Senhor e disse:

— Ah! O povo cometeu grande pecado, fazendo para si deuses de ouro. 32Agora, pois, perdoa-lhe o pecado; ou, se não, peço-te que me risques do livro que escreveste.

33Então o Senhor disse a Moisés:

— Riscarei do meu livro todo aquele que pecar contra mim. 34Vá, pois, agora, e conduza o povo para o lugar do qual falei a você. Eis que o meu Anjo irá adiante de você. Porém, no dia da minha visitação, eu os castigarei pelo pecado que cometeram.

35Assim, o Senhor feriu o povo, porque fizeram o bezerro — aquele que Arão tinha feito.

Êxodo 32NAAAbrir na Bíblia

1A mulher sábia edifica a sua casa,

mas a insensata a derruba

com as próprias mãos.

2Quem anda na retidão

teme o Senhor,

mas o que anda

em caminhos tortuosos,

esse o despreza.

3Na boca do tolo

está a vara

para a sua própria soberba,

mas os lábios dos sábios

os protegerão.

4Quando não há bois,

o celeiro fica vazio,

mas pela força do boi

há abundância de colheitas.

5A testemunha verdadeira

não mente,

mas a testemunha falsa despeja mentiras.

6O zombador procura a sabedoria

e não a encontra,

mas o sábio adquire

o conhecimento com facilidade.

7Fuja da presença do insensato,

porque nele você não encontrará

palavras de conhecimento.

8A sabedoria do prudente

é entender

o seu próprio caminho,

mas a insensatez dos tolos

é enganadora.

9Os insensatos

zombam do pecado,

mas entre os retos há boa vontade.

10O coração conhece

a sua própria amargura,

e da alegria que ele sente

os estranhos

não poderão participar.

11A casa dos ímpios será destruída,

mas a tenda dos retos florescerá.

12Há caminho que ao ser humano

parece direito,

mas o fim dele

é caminho de morte.

13Até no riso

o coração pode ter dor,

e o fim da alegria

pode ser a tristeza.

14O infiel de coração

sofre as consequências

dos seus próprios caminhos,

mas quem é de bem

é recompensado

pelo seu próprio proceder.

15O ingênuo dá crédito

a tudo o que se diz,

mas o prudente reflete

antes de dar um passo.

16O sábio é cauteloso

e se desvia do mal,

mas o tolo é afoito

e se dá por seguro.

17Quem logo se irrita

comete loucuras,

e aquele que tem más intenções

será odiado.

18Os ingênuos herdam a tolice,

mas os prudentes

se coroam de conhecimento.

19Os maus se inclinarão

diante dos bons,

e os ímpios farão súplicas

junto às portas do justo.

20O pobre é odiado

até pelo seu vizinho,

mas o rico tem muitos amigos.

21Quem despreza o seu vizinho

peca,

mas o que se compadece

dos pobres é feliz.

22Por acaso não se afastam

do caminho

os que planejam o mal?

Mas haverá amor e fidelidade

para os que planejam o bem.

23Em todo trabalho há proveito;

meras palavras, porém,

levam à pobreza.

24Para os sábios a riqueza é coroa,

mas a tolice dos insensatos

não passa de tolice.

25A testemunha verdadeira

salva vidas,

mas quem profere mentiras

é enganador.

26Quem teme o Senhor

tem forte amparo,

e isso é refúgio para os seus filhos.

27O temor do Senhor

é fonte de vida

para evitar os laços da morte.

28Na multidão do povo

está a glória do rei,

mas na falta de povo

está a ruína do príncipe.

29Quem tarda em irar-se

é grande em entendimento,

mas o que facilmente

perde a calma

faz um elogio à loucura.

30O ânimo sereno

é a vida do corpo,

mas a inveja

é a podridão dos ossos.

31Quem oprime o pobre

insulta aquele que o criou,

mas o que se compadece

do necessitado honra a Deus.

32O ímpio é derrubado

pela sua maldade,

mas o justo, até na morte

tem esperança.

33No coração do prudente

repousa a sabedoria,

mas o que há no interior dos tolos

logo se manifesta.

34A justiça é a glória da nação,

mas o pecado é a vergonha

dos povos.

35O servo prudente

recebe o favor do rei,

mas o que causa vergonha

é objeto do seu furor.

Provérbios 14NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: