Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 51

Texto(s) da Bíblia

A visita dos magos

1Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. 2E perguntavam:

— Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo.

3Ao ouvir isso, o rei Herodes ficou alarmado, e, com ele, toda a Jerusalém. 4Então Herodes convocou todos os principais sacerdotes e escribas do povo e lhes perguntou onde o Cristo deveria nascer. 5Eles responderam:

— Em Belém da Judeia, porque assim está escrito por meio do profeta:

6“E você, Belém, terra de Judá,

de modo nenhum é a menor

entre as principais de Judá;

porque de você sairá o Guia

que apascentará

o meu povo, Israel.”

7Com isto, Herodes, tendo chamado os magos para uma reunião secreta, perguntou-lhes sobre o tempo exato em que a estrela havia aparecido. 8E, enviando-os a Belém, disse-lhes:

— Vão e busquem informações precisas a respeito do menino; e, quando o tiverem encontrado, avisem-me, para eu também ir adorá-lo.

9Depois de ouvirem o rei, os magos partiram; e eis que a estrela que viram no Oriente ia adiante deles, até que, chegando, parou sobre onde o menino estava. 10E, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo. 11Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra.

12E, tendo sido avisados por Deus em sonho para não voltarem à presença de Herodes, os magos seguiram por outro caminho para a sua terra.

A fuga para o Egito

13Depois que os magos foram embora, um anjo do Senhor apareceu em sonho a José e disse:

— Levante-se, tome o menino e a sua mãe e fuja para o Egito. Fique por lá até que eu avise você; porque Herodes há de procurar o menino para matá-lo.

14Levantando-se José, tomou de noite o menino e a sua mãe e partiu para o Egito, 15onde ficou até a morte de Herodes. Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelo Senhor, por meio do profeta: “Do Egito chamei o meu Filho.”

A matança dos meninos de Belém

16Vendo-se iludido pelos magos, Herodes ficou muito furioso e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme as informações que havia recebido dos magos a respeito do tempo em que a estrela havia aparecido. 17Então se cumpriu o que foi dito por meio do profeta Jeremias:

18“Ouviu-se um clamor em Ramá,

pranto e grande lamento;

era Raquel chorando

por seus filhos

e inconsolável porque eles

já não existem.”

A volta do Egito

19Depois da morte de Herodes, um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, e lhe disse:

20— Levante-se, tome o menino e a sua mãe e vá para a terra de Israel, porque os que queriam matar o menino já morreram.

21Levantando-se José, tomou o menino e a sua mãe e voltou para a terra de Israel. 22Porém, ouvindo que Arquelau reinava na Judeia em lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. E, tendo sido avisado por Deus em sonho, José foi para a região da Galileia. 23E foi morar numa cidade chamada Nazaré, para se cumprir o que foi dito por meio dos profetas: “Ele será chamado Nazareno.”

Mateus 2NAAAbrir na Bíblia

Leis a respeito da propriedade

1— Se alguém furtar um boi ou uma ovelha e abater ou vender o animal, por um boi pagará cinco bois, e quatro ovelhas por uma ovelha.

2— Se um ladrão for achado arrombando uma casa e, sendo ferido, morrer, quem o feriu não será culpado do sangue. 3Se, porém, já havia sol quando isso aconteceu, quem o feriu será culpado do sangue. O ladrão deverá fazer restituição total. Se não tiver com que pagar, será vendido por seu furto. 4Se aquilo que roubou for achado vivo em seu poder, seja boi, jumento ou ovelha, pagará o dobro.

5— Se alguém fizer pastar o seu animal num campo ou numa vinha e o largar para comer em campo de outra pessoa, pagará com o melhor do seu próprio campo e o melhor da sua própria vinha.

6— Se irromper fogo, e pegar nos espinheiros, e destruir os feixes de cereal colhido, ou a plantação que já estiver madura, ou o campo todo, aquele que acendeu o fogo pagará totalmente o queimado.

7— Se alguém der ao seu próximo dinheiro ou objetos para guardar, e isso for furtado àquele que o recebeu, o ladrão, se for achado, pagará o dobro. 8Se o ladrão não for achado, então o dono da casa será levado diante dos juízes, a ver se não meteu a mão nos bens do próximo.

9— Em todo negócio fraudulento, seja a respeito de boi, ou de jumento, ou de ovelhas, ou de roupas, ou de qualquer coisa perdida, de que uma das partes diz: “Isto é meu”, a causa de ambas as partes será levada diante dos juízes; aquele a quem os juízes condenarem pagará o dobro ao seu próximo.

10— Se alguém der ao seu próximo um animal para que tome conta dele, seja jumento, boi, ovelha ou outro animal qualquer, e este morrer, ficar aleijado ou for afugentado, sem que ninguém o veja, 11então haverá juramento do Senhor entre ambos, de que não meteu a mão nos bens do seu próximo; o dono aceitará o juramento, e o outro não fará restituição. 12Porém, se, de fato, o animal tiver sido furtado, terá de pagá-lo ao seu dono. 13Se for dilacerado, trará o que restou em testemunho disso e não pagará o animal dilacerado.

14— Se alguém pedir emprestado a seu próximo um animal, e este ficar aleijado ou morrer, não estando presente o dono, aquele que pediu emprestado terá de pagá-lo ao seu dono. 15Se o dono esteve presente, não o pagará; se foi alugado, o preço do aluguel será o pagamento.

Leis civis e religiosas

16— Se alguém seduzir uma virgem que ainda não foi prometida em casamento e tiver relações com ela, pagará seu dote e a tomará por mulher. 17Se o pai dela definitivamente não quiser dar-lhe a moça em casamento, aquele que a seduziu pagará em dinheiro conforme o dote das virgens.

18— A feiticeira você não deixará viver.

19— Quem tiver coito com animal será morto.

20— Quem sacrificar aos deuses e não somente ao Senhor será destruído.

21— Não maltrate o estrangeiro, nem o oprima; porque vocês foram estrangeiros na terra do Egito. 22Não maltratem as viúvas nem os órfãos. 23Se de algum modo os maltratarem, e eles clamarem a mim, eu lhes ouvirei o clamor; 24a minha ira se acenderá, e eu matarei vocês à espada; as suas mulheres ficarão viúvas, e os seus filhos ficarão órfãos.

25— Se você emprestar dinheiro a alguém do meu povo, ao pobre que está com você, não trate com ele como um credor que impõe juros. 26Se você pegar o manto do seu próximo como penhor, devolva-o antes do pôr do sol, 27porque é com ele que se cobre, é a roupa do seu corpo; em que ele se deitaria? Quando ele clamar a mim, eu o ouvirei, porque sou misericordioso.

28— Não blasfeme contra Deus, nem amaldiçoe uma autoridade do seu povo.

29— Não demore em trazer ofertas do melhor das suas colheitas e das suas vinhas; entregue-me o primogênito dos seus filhos. 30Faça o mesmo com as suas vacas e com as suas ovelhas; deixe que a cria fique sete dias com a mãe, mas no oitavo dia você a entregará para mim.

31— Vocês serão homens consagrados a mim; portanto, não comam carne de animais dilacerados no campo; joguem essa carne aos cães.

Êxodo 22NAAAbrir na Bíblia

Justiça e misericórdia

1— Não espalhe notícias falsas e não entre em acordo com o ímpio, para ser testemunha maldosa. 2Não siga a multidão para fazer o mal e, num processo, não deponha com a maioria, para torcer a justiça. 3Não seja parcial nem mesmo com o pobre nas suas demandas.

4— Se você encontrar desgarrado o boi ou o jumento do seu inimigo, leve-o sem falta de volta para ele. 5Se você vir prostrado debaixo da sua carga o jumento daquele que odeia você, não o abandone, mas ajude o dono a erguer o animal.

Deveres dos juízes

Dt 16.18-20

6— Não perverta o direito do pobre que vem até você com a sua causa. 7Fique longe da falsa acusação. Não mate o inocente e o justo, porque não justificarei o ímpio. 8Não aceite suborno, porque o suborno cega até o perspicaz e perverte as palavras dos justos.

9— Não oprima o estrangeiro; vocês sabem o que é ser estrangeiro, pois foram estrangeiros na terra do Egito.

O sétimo ano e o sétimo dia

Lv 25.1-7; 23.3

10— Durante seis anos você semeará a sua terra e recolherá os seus frutos. 11Porém, no sétimo ano, deixe a terra descansar e não a cultive, para que os pobres do seu povo achem o que comer e os animais do campo comam do que sobrar. Faça o mesmo com a sua vinha e com o seu olival.

12— Seis dias você fará o seu trabalho, mas, no sétimo dia, descanse, para que descanse também o seu boi e o seu jumento, e para que o filho da sua escrava e o estrangeiro se revigorem.

13— Deem atenção a tudo o que eu tenho dito a vocês. O nome de outros deuses não deve ser lembrado nem pronunciado por vocês.

As três festas

Êx 34.18-26; Lv 23.4-21,33-44; Dt 16.1-17

14— Três vezes no ano celebrem uma festa para mim. 15Celebrem a Festa dos Pães sem Fermento; durante sete dias vocês comerão pães sem fermento, como ordenei a vocês. Façam isso no tempo indicado no mês de abibe, porque nesse mês vocês saíram do Egito. Ninguém apareça diante de mim de mãos vazias. 16Celebrem a Festa da Ceifa, dos primeiros frutos do seu trabalho, do que vocês semeiam no campo, e a Festa da Colheita, ao final do ano, quando vocês recolhem do campo o fruto do seu trabalho. 17Três vezes por ano, todo homem deve comparecer diante do Senhor Deus.

18— Não ofereçam o sangue do meu sacrifício com pão fermentado, nem deixem que a gordura da minha festa fique durante a noite até a manhã seguinte. 19Tragam as primícias dos frutos de sua terra à casa do Senhor, seu Deus. Não cozinhem o cabrito no leite da sua própria mãe.

Deus promete a posse da terra

20— Eis que eu envio um Anjo adiante de vocês, para que os guarde pelo caminho e os leve ao lugar que tenho preparado. 21Deem atenção a ele e ouçam o que ele diz. Não se rebelem contra ele, porque não perdoará a transgressão de vocês; pois nele está o meu nome. 22Mas, se vocês ouvirem atentamente o que ele disser e fizerem tudo o que eu ordeno, então serei inimigo dos que são inimigos de vocês e adversário dos que são adversários de vocês. 23Porque o meu Anjo irá adiante de vocês e os levará aos amorreus, aos heteus, aos ferezeus, aos cananeus, aos heveus e aos jebuseus; e eu os destruirei. 24Não se curvem diante dos deuses deles, nem os adorem, nem sigam os costumes deles; pelo contrário, destruam totalmente esses ídolos e despedacem as suas colunas. 25Adorem o Senhor, o Deus de vocês, e ele abençoará o pão e a água de vocês. Tirarei as enfermidades do meio de vocês. 26Na sua terra não haverá mulher que aborte, nem estéril. Darei a vocês uma vida longa.

27— Enviarei o meu terror diante de vocês, confundindo todos os povos que vocês encontrarem. Farei com que todos os seus inimigos virem as costas e fujam de vocês. 28Também enviarei vespas diante de vocês, que expulsem os heveus, os cananeus e os heteus de diante de vocês. 29Não os expulsarei de diante de vocês num só ano, para que a terra não se torne em desolação, e as feras do campo não se multipliquem contra vocês. 30Pouco a pouco os expulsarei de diante de vocês, até que vocês se multipliquem e tomem posse da terra. 31Porei as suas fronteiras desde o mar Vermelho até o mar dos filisteus e desde o deserto até o Eufrates; porque entregarei nas suas mãos os moradores da terra, para que vocês os expulsem de diante de vocês. 32Não façam nenhuma aliança com eles, nem com os deuses deles. 33Eles não habitarão na sua terra, para que não façam com que vocês pequem contra mim; se adorarem os deuses deles, isso será uma cilada para vocês.

Êxodo 23NAAAbrir na Bíblia

O justo em contraste com o ímpio

1Provérbios de Salomão.

O filho sábio

é a alegria do seu pai,

mas o filho tolo

é a tristeza da sua mãe.

2Os tesouros conseguidos

de forma iníqua

não servem para nada,

mas a justiça livra da morte.

3O Senhor não deixa

o justo passar fome,

mas rechaça a avidez dos ímpios.

4Quem trabalha

com a mão ociosa fica pobre,

mas o que trabalha

com diligência enriquece.

5Quem ajunta no verão

é filho sábio,

mas o que dorme

no tempo da colheita

é filho que envergonha.

6Sobre a cabeça do justo

há bênçãos,

mas na boca dos ímpios

mora a violência.

7A memória do justo

é abençoada,

mas o nome dos ímpios

irá apodrecer.

8Quem tem coração sábio aceita

os mandamentos,

mas o que fala tolices

acaba em ruína.

9Quem anda com integridade

anda seguro,

mas o que perverte

os seus caminhos

será descoberto.

10Quem pisca os olhos

traz desgosto,

e o que fala tolices acaba em ruína.

11A boca do justo

é manancial de vida,

mas na boca dos ímpios

mora a violência.

12O ódio provoca conflitos,

mas o amor cobre

todas as transgressões.

13Nos lábios do sábio

se acha sabedoria,

mas a vara é para as costas

de quem não tem juízo.

14Os sábios acumulam

conhecimento,

mas a fala dos insensatos

é ruína iminente.

15Os bens do rico

são a sua fortaleza;

o que leva os pobres à ruína

é a sua pobreza.

16A obra do justo conduz à vida,

e o rendimento do ímpio

leva ao pecado.

17O caminho para a vida

é de quem guarda o ensino,

mas o que abandona a repreensão

anda errante.

18O que encobre o ódio

tem lábios mentirosos,

e o que difama é tolo.

19Quem fala demais acaba caindo

em transgressão,

mas quem controla a língua

é sábio.

20A fala dos justos

é prata escolhida,

mas o coração dos ímpios

vale muito pouco.

21As palavras dos justos

alimentam muitos,

mas os insensatos

morrem por falta de juízo.

22A bênção do Senhor enriquece,

e ele não acrescenta

nenhum desgosto a ela.

23Praticar a maldade

é como um divertimento

para o insensato;

o homem inteligente

se diverte com a sabedoria.

24Aquilo que o ímpio teme,

isso lhe sobrevém;

o que os justos desejam

Deus lhes concede.

25O ímpio desaparece assim

como passa a tempestade,

mas o justo

tem um alicerce eterno.

26Como vinagre para os dentes

e fumaça para os olhos,

assim é o preguiçoso

para aqueles que o enviam.

27O temor do Senhor prolonga

os dias da vida,

mas o tempo dos ímpios

será abreviado.

28A esperança dos justos é alegria,

mas a expectativa dos ímpios

perecerá.

29O caminho do Senhor

é fortaleza para os íntegros,

mas ruína para os que praticam

a iniquidade.

30O justo nunca será abalado,

mas os ímpios

não habitarão na terra.

31A boca do justo

produz sabedoria,

mas a língua da perversidade

será arrancada.

32Os lábios do justo

sabem o que agrada,

mas da boca dos ímpios

só saem perversidades.

Provérbios 10NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.20.14
SIGA A SBB: