Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 43

Texto(s) da Bíblia

O santuário terrestre

1Ora, a primeira aliança também tinha preceitos de culto divino e o seu santuário terrestre. 2Porque foi edificado um tabernáculo, cuja parte da frente, onde estavam o candelabro, a mesa e os pães da proposição, se chama o Santo Lugar. 3Por trás do segundo véu se encontrava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, 4ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, o bordão de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança. 5Sobre a arca estavam os querubins de glória, que, com a sua sombra, cobriam o propiciatório. Mas dessas coisas não falaremos, agora, com mais detalhes.

6Ora, depois que foram feitos todos esses preparativos, os sacerdotes entram continuamente no primeiro tabernáculo para realizar os serviços sagrados. 7Mas, no segundo, o sumo sacerdote entra sozinho uma vez por ano, não sem sangue, que oferece por si e pelos pecados de ignorância do povo. 8Com isto o Espírito Santo quer dar a entender que o caminho do Santuário ainda não se manifestou, enquanto o primeiro tabernáculo continua erguido. 9Isso é uma parábola para a época presente, na qual se oferecem dons e sacrifícios, embora estes, no que diz respeito à consciência, sejam ineficazes para aperfeiçoar aquele que presta culto, 10pois não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, bebidas e diversas cerimônias de purificação, impostas até o tempo oportuno de reforma.

O sacrifício de Cristo é perfeito e eficaz

11Quando, porém, Cristo veio como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos humanas, quer dizer, não desta criação, 12e não pelo sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santuário, uma vez por todas, e obteve uma eterna redenção. 13Portanto, se o sangue de bodes e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam quanto à purificação da carne, 14muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!

15Por isso mesmo, ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que os que foram chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que houve uma morte para remissão das transgressões que foram cometidas sob a primeira aliança. 16Porque, onde há um testamento, é necessário constatar a morte de quem o fez. 17Sim, porque um testamento só é confirmado depois da morte de quem o fez, pois de maneira nenhuma um testamento tem força de lei enquanto ainda vive quem o fez. 18Por isso, nem a primeira aliança foi estabelecida sem sangue. 19Porque, havendo Moisés proclamado a todo o povo todos os mandamentos conforme a lei, pegou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, lã tingida de escarlate e hissopo e aspergiu não só o próprio livro, como também todo o povo, 20dizendo: “Este é o sangue da aliança que Deus ordenou para vocês.” 21Igualmente também aspergiu com sangue o tabernáculo e todos os utensílios do serviço sagrado. 22De fato, segundo a lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.

Hebreus 9:1-22NAAAbrir na Bíblia

Moisés fala novamente a Faraó

28No dia em que o Senhor falou a Moisés na terra do Egito, 29o Senhor disse a Moisés:

— Eu sou o Senhor; diga a Faraó, rei do Egito, tudo o que eu digo a você.

30Porém Moisés respondeu na presença do Senhor:

— Eu não sei falar bem. Como é que Faraó vai me ouvir?

Êxodo 6:28-30NAAAbrir na Bíblia

1Então o Senhor disse a Moisés:

— Veja, eu o constituí como Deus sobre Faraó, e o seu irmão Arão será o seu profeta. 2Você falará tudo o que eu lhe ordenar e Arão, seu irmão, falará a Faraó, para que deixe sair da sua terra os filhos de Israel. 3Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas. 4Faraó não vai ouvir vocês; e eu porei a mão sobre o Egito e farei sair os meus exércitos, o meu povo, os filhos de Israel, da terra do Egito, com grandes manifestações de juízo. 5Os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando eu estender a mão sobre o Egito e tirar do meio deles os filhos de Israel.

6Assim fizeram Moisés e Arão; como o Senhor lhes havia ordenado, assim fizeram. 7Moisés tinha oitenta anos, e Arão, oitenta e três, quando falaram com Faraó.

8O Senhor falou a Moisés e a Arão:

9— Quando Faraó lhes disser: “Façam um milagre”, você, Moisés, dirá a Arão: “Pegue o seu bordão e jogue-o diante de Faraó”; e o bordão virará uma serpente.

10Então Moisés e Arão foram até Faraó e fizeram como o Senhor lhes havia ordenado. Arão jogou o seu bordão diante de Faraó e diante dos seus oficiais, e ele virou uma serpente. 11Faraó, porém, mandou vir os sábios e encantadores, e eles, os sábios do Egito, fizeram também o mesmo com as suas ciências ocultas. 12Pois cada um deles jogou o seu bordão, e eles viraram serpentes; mas o bordão de Arão devorou os bordões deles. 13No entanto, o coração de Faraó se endureceu, e não os ouviu, como o Senhor tinha dito.

Primeira praga: águas viram sangue

14O Senhor disse a Moisés:

— O coração de Faraó está obstinado. Ele não quer deixar o povo ir. 15Vá falar com Faraó pela manhã. Ele sairá às águas e você estará à espera dele na beira do rio. Leve o bordão que virou serpente 16e diga a Faraó: “O Senhor, o Deus dos hebreus, me enviou para dizer-lhe: ‘Deixe o meu povo ir, para que me adore no deserto.’ Mas até agora você não quis ouvir. 17Assim diz o Senhor: ‘Nisto você saberá que eu sou o Senhor: com este bordão que tenho na mão ferirei as águas do rio, e elas vão virar sangue. 18Os peixes que estão no rio vão morrer, o rio vai cheirar mal, e os egípcios terão nojo de beber água do rio.’”

19O Senhor disse ainda a Moisés:

— Diga a Arão que pegue o seu bordão e estenda a mão sobre as águas do Egito, sobre os seus rios, sobre os seus canais, sobre as suas lagoas e sobre todos os seus reservatórios, para que virem sangue. E haverá sangue em toda a terra do Egito, tanto nas vasilhas de madeira como nas de pedra.

20Moisés e Arão fizeram como o Senhor lhes havia ordenado: Arão, levantando o bordão, feriu as águas que estavam no rio, à vista de Faraó e seus oficiais; e toda a água do rio virou sangue. 21Os peixes que estavam no rio morreram, o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber a água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito. 22Porém os magos do Egito fizeram o mesmo com as suas ciências ocultas, de maneira que o coração de Faraó se endureceu, e não os ouviu, como o Senhor tinha dito. 23Faraó virou-se e foi para casa, sem dar atenção ao que havia acontecido. 24Todos os egípcios cavaram junto ao rio para encontrar água para beber, pois das águas do rio não podiam beber. 25Assim se passaram sete dias, depois que o Senhor feriu o rio.

Êxodo 7NAAAbrir na Bíblia

Segunda praga: rãs

1Depois o Senhor disse a Moisés:

— Vá falar com Faraó e diga-lhe: Assim diz o Senhor: “Deixe o meu povo ir, para que me adore. 2Se você não quiser deixá-lo ir, eis que castigarei com rãs todo o seu território. 3O rio produzirá rãs em abundância, que subirão e entrarão em sua casa, no seu quarto de dormir, sobre a sua cama, nas casas dos seus oficiais, sobre o seu povo, nos seus fornos e nas suas amassadeiras. 4As rãs virão sobre você, sobre o seu povo e sobre todos os seus oficiais.”

5O Senhor disse ainda a Moisés:

— Diga a Arão que estenda a mão com o seu bordão sobre os rios, sobre os canais e sobre as lagoas e faça subir rãs sobre a terra do Egito.

6Arão estendeu a mão sobre as águas do Egito, e subiram rãs e cobriram a terra do Egito. 7Então os magos fizeram o mesmo com as suas ciências ocultas e fizeram aparecer rãs sobre a terra do Egito.

8Faraó chamou Moisés e Arão e lhes disse:

— Peçam ao Senhor que tire as rãs de mim e do meu povo; então deixarei que o povo vá e ofereça sacrifícios ao Senhor.

9Moisés disse a Faraó:

— Tenha a bondade de me dizer quando é que devo orar por você, pelos seus oficiais e pelo seu povo, para que as rãs sejam retiradas de você e das suas casas e fiquem somente no rio.

10Faraó respondeu:

— Amanhã.

Moisés disse:

— Seja conforme a sua palavra, para que você saiba que não há ninguém como o Senhor, nosso Deus. 11As rãs se afastarão de você, das suas casas, dos seus oficiais e do seu povo; ficarão somente no rio.

12Então Moisés e Arão saíram da presença de Faraó. E Moisés clamou ao Senhor por causa das rãs, conforme havia combinado com Faraó. 13E o Senhor fez conforme a palavra de Moisés: morreram as rãs nas casas, nos pátios e nos campos. 14Os egípcios ajuntaram as rãs em montões e montões, e a terra cheirou mal. 15Vendo, porém, Faraó que havia alívio, continuou de coração endurecido e não os ouviu, como o Senhor tinha dito.

Terceira praga: piolhos

16O Senhor disse a Moisés:

— Diga a Arão que estenda o seu bordão e bata no pó da terra, para que se transforme em piolhos por toda a terra do Egito.

17Eles assim fizeram. Arão estendeu a mão com seu bordão e bateu no pó da terra, e houve muitos piolhos nas pessoas e no gado; todo o pó da terra se transformou em piolhos por toda a terra do Egito. 18E os magos fizeram o mesmo com as suas ciências ocultas para produzirem piolhos, mas não conseguiram. E havia piolhos nas pessoas e no gado. 19Então os magos disseram a Faraó:

— Isto é o dedo de Deus.

Porém o coração de Faraó se endureceu, e não os ouviu, como o Senhor tinha dito.

Quarta praga: moscas

20O Senhor disse a Moisés:

— Levante-se de manhã cedo e apresente-se a Faraó. Eis que ele sairá às águas. Diga-lhe: Assim diz o Senhor: “Deixe o meu povo ir, para que me adore. 21Se você não deixar o meu povo ir, eis que eu enviarei enxames de moscas sobre você, sobre os seus oficiais, sobre o seu povo e nas suas casas. As casas dos egípcios se encherão destes enxames, e também a terra em que eles estiverem. 22Naquele dia, separarei a terra de Gósen, onde mora o meu povo, para que nela não haja enxames de moscas, e você saiba que eu sou o Senhor no meio desta terra. 23Farei distinção entre o meu povo e o seu povo; amanhã se dará este sinal.”

24Assim fez o Senhor, e vieram grandes enxames de moscas à casa de Faraó, às casas dos seus oficiais e sobre toda a terra do Egito. E a terra ficou arruinada com estes enxames.

25Faraó chamou Moisés e Arão e disse:

— Vão e ofereçam sacrifícios ao seu Deus, mas sem sair desta terra.

26Moisés respondeu:

— Não convém que façamos assim porque ofereceríamos ao Senhor, nosso Deus, sacrifícios que são abomináveis aos egípcios. Se oferecermos tais sacrifícios diante dos seus olhos, não é verdade que eles nos apedrejarão? 27Temos de ir caminho de três dias ao deserto e ofereceremos sacrifícios ao Senhor, nosso Deus, como ele nos disser.

28Então Faraó disse:

— Eu os deixarei ir, para que ofereçam sacrifícios ao Senhor, seu Deus, no deserto. Só que vocês não devem ir muito longe. E orem também por mim.

29Moisés respondeu:

— Eis que saio da sua presença e orarei ao Senhor. Amanhã, estes enxames de moscas se afastarão de Faraó, dos seus oficiais e do seu povo. Só que Faraó não deve me enganar outra vez, não deixando o povo ir para que ofereça sacrifícios ao Senhor.

30Então Moisés saiu da presença de Faraó e orou ao Senhor. 31E o Senhor fez conforme a palavra de Moisés, e os enxames de moscas se afastaram de Faraó, dos seus oficiais e do seu povo; não ficou uma só mosca. 32Mas ainda desta vez Faraó endureceu o coração e não deixou o povo ir.

Êxodo 8NAAAbrir na Bíblia

A excelência da sabedoria

1Meu filho, se você aceitar

as minhas palavras

e guardar no seu coração

os meus mandamentos;

2se você der ouvidos

à sabedoria

e inclinar o seu coração

ao entendimento;

3sim, se você pedir inteligência

e gritar por entendimento;

4se buscar a sabedoria

como a prata

e a procurar como se procuram

tesouros escondidos,

5então você entenderá

o temor do Senhor

e achará o conhecimento de Deus.

6Porque o Senhor dá a sabedoria,

e da sua boca vem o conhecimento

e a inteligência.

7Ele reserva a verdadeira

sabedoria para os retos;

é escudo para os que andam

com integridade,

8guardando as veredas da justiça

e conservando o caminho

dos seus santos.

9Então você entenderá

a justiça, o juízo

e a equidade — todas

as boas veredas.

10Porque a sabedoria

entrará no seu coração,

e o conhecimento

será agradável à sua alma.

11O discernimento o guardará

e o entendimento o protegerá.

12A sabedoria o livrará

do caminho do mal

e do homem que diz

coisas perversas;

13dos que abandonam

as veredas da retidão,

para andarem pelos caminhos

das trevas;

14dos que têm prazer

em fazer o mal

e se alegram com as perversidades

dos maus,

15cujas veredas são tortuosas

e que se desviam

em seus caminhos.

16A sabedoria também o livrará

da mulher adúltera,

da estranha que lisonjeia

com palavras,

17que abandona o amigo

da sua mocidade

e se esquece da aliança

do seu Deus;

18porque a casa dela

se inclina para a morte,

e as suas veredas conduzem

para o mundo dos mortos.

19Todos os que se dirigem

a essa mulher não voltarão

e não encontrarão

as veredas da vida.

20Tendo a sabedoria, você andará

pelo caminho

dos homens de bem

e guardará as veredas dos justos.

21Porque os retos

habitarão a terra,

e os íntegros permanecerão nela.

22Mas os perversos

serão eliminados da terra,

e os infiéis serão dela arrancados.

Provérbios 2NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: