Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 364

Texto(s) da Bíblia

A cura de um endemoniado em Cafarnaum

31E Jesus foi a Cafarnaum, cidade da Galileia, e os ensinava no sábado. 32E maravilhavam-se com a sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade.

33E apareceu na sinagoga um homem possuído de um espírito de demônio imundo, o qual gritou em alta voz:

34— Ah! O que você quer conosco, Jesus Nazareno? Você veio para nos destruir? Sei muito bem quem você é: o Santo de Deus!

35Mas Jesus o repreendeu, dizendo:

— Cale-se e saia desse homem.

O demônio, depois de o ter jogado no chão no meio de todos, saiu daquele homem sem lhe fazer mal. 36Todos ficaram admirados e comentavam entre si:

— Que palavra é esta? Pois, com autoridade e poder, ele ordena aos espíritos imundos, e eles saem.

37E a fama de Jesus se espalhava por todos os lugares daquela região.

A cura da sogra de Pedro

38Deixando a sinagoga, Jesus foi para a casa de Simão. A sogra de Simão estava doente, com febre muito alta, e pediram a Jesus em favor dela. 39E inclinando-se para ela, Jesus repreendeu a febre, e esta a deixou. E imediatamente ela se levantou e passou a servi-los.

Muitas outras curas

40Ao pôr do sol, todos os que tinham enfermos, com diferentes tipos de doença, os trouxeram a Jesus. E ele os curava, impondo as mãos sobre cada um deles. 41Também de muitos saíam demônios, gritando e dizendo:

— Você é o Filho de Deus!

Ele, porém, os repreendia para que não falassem, pois sabiam que ele era o Cristo.

Jesus prega nas sinagogas

42Quando amanheceu, Jesus saiu e foi para um lugar deserto. As multidões o procuravam, foram até junto dele e não queriam deixar que ele fosse embora. 43Jesus, porém, lhes disse:

— É necessário que eu anuncie o evangelho do Reino de Deus também nas outras cidades, pois é para isso que fui enviado.

44E pregava nas sinagogas da Judeia.

Lucas 4:31-44NAAAbrir na Bíblia

Nos sábados e Festas da Lua Nova

1— Assim diz o Senhor Deus: O portão do átrio interior, que dá para o leste, estará fechado durante os seis dias de trabalho, mas será aberto no sábado e também na Festa da Lua Nova. 2O príncipe entrará de fora pelo vestíbulo do portão e permanecerá junto ao batente do portão. Os sacerdotes prepararão o holocausto dele e os seus sacrifícios pacíficos; ele se prostrará no limiar do portão e sairá. Mas o portão não será fechado até a tarde. 3O povo da terra adorará na entrada do mesmo portão, nos sábados e nas Festas da Lua Nova, diante do Senhor. 4O holocausto que o príncipe oferecer ao Senhor será, no dia de sábado, seis cordeiros sem defeito e um carneiro sem defeito. 5A oferta de cereais será de dezessete litros e meio para cada carneiro; para cada cordeiro, a oferta de cereais será o que ele puder dar; e, para cada medida de cereais, três litros e meio de azeite. 6Mas, na Festa da Lua Nova, será um novilho sem defeito e seis cordeiros e um carneiro; eles serão sem defeito. 7Preparará por oferta de cereais dezessete litros e meio para cada novilho e dezessete litros e meio para cada carneiro, mas, pelos cordeiros, segundo as suas posses; e, para cada medida de cereais, três litros e meio de azeite. 8Quando o príncipe entrar, entrará pelo vestíbulo do portão e sairá pelo mesmo caminho.

Instruções referentes às ofertas

9— Mas, quando o povo da terra comparecer diante do Senhor, nas festas fixas, aquele que entrar pelo portão do norte, para adorar, sairá pelo portão do sul; e aquele que entrar pelo portão do sul sairá pelo portão do norte. Não sairá pelo mesmo portão pelo qual entrou, mas sairá pelo portão oposto. 10O príncipe estará no meio deles, quando eles entrarem; quando eles saírem, ele sairá. 11Nas solenidades e nas festas fixas, a oferta de cereais será de dezessete litros e meio para cada novilho e dezessete litros e meio para cada carneiro; mas, pelos cordeiros, será o que puder dar; e, para cada medida de cereais, três litros e meio de azeite.

12— Quando o príncipe quiser oferecer um holocausto ou sacrifícios pacíficos, como oferta voluntária ao Senhor, então lhe abrirão o portão que dá para o leste, e ele oferecerá o seu holocausto e os seus sacrifícios pacíficos, como costuma fazer no dia de sábado. Ele sairá, e o portão será fechado depois que ele sair.

13— Prepare um cordeiro de um ano, sem defeito, em holocausto ao Senhor, cada dia. Esta oferta deverá ser feita todas as manhãs. 14Juntamente com ele, prepare todas as manhãs uma oferta de cereais para o Senhor: três litros de farinha e, para misturar com ela, um litro de azeite. Isto é estatuto perpétuo e contínuo. 15Assim prepararão o cordeiro, a oferta de cereais e o azeite todas as manhãs, em holocausto contínuo.

16— Assim diz o Senhor Deus: Se o príncipe der um presente de sua herança a um dos seus filhos, ele pertencerá aos filhos; será propriedade deles por herança. 17Mas, se ele der um presente da sua herança a um dos seus servos, isso será dele até o ano da liberdade, quando voltará a ser do príncipe. Porque aos seus filhos, e somente a eles, pertencerá a herança. 18O príncipe não tomará nada da herança do povo, expulsando-os das suas propriedades. Da sua própria propriedade deixará herança aos seus filhos, para que o meu povo não seja espalhado, cada um para longe da sua propriedade.

As cozinhas do templo

19Depois disto, o homem me levou, pela entrada que estava ao lado do portão, para as câmaras santas dos sacerdotes, as quais davam para o norte; e eis que havia um lugar nos fundos, para o lado oeste. 20Ele me disse:

— Este é o lugar onde os sacerdotes cozinharão a oferta pela culpa e a oferta pelo pecado e onde assarão as ofertas de cereais, para que não tragam nada para o átrio exterior e assim santifiquem o povo.

21Então ele me levou para fora, para o átrio exterior, e me fez passar pelos quatro cantos do átrio; e eis que em cada canto do átrio havia outro átrio. 22Nos quatro cantos do átrio havia átrios pequenos, menores, de vinte metros de comprimento por quinze de largura. Os quatro tinham as mesmas dimensões. 23Havia um muro ao redor dos átrios, ao redor dos quatro, e havia lugares para cozinhar ao pé dos muros ao redor. 24Então ele me disse:

— São estas as cozinhas, onde os ministros do templo cozinharão os sacrifícios do povo.

Ezequiel 46NAAAbrir na Bíblia

As águas que saem do templo

1Depois disto, o homem me fez voltar à entrada do templo, e eis que água saía de debaixo do limiar do templo e corria na direção do leste. Porque a fachada do templo dava para o leste. A água vinha de debaixo do lado direito do templo, do lado sul do altar. 2Ele me fez sair pelo portão do norte, para dar uma volta por fora, até o portão exterior, que dá para o leste; e eis que a água borbulhava do lado direito.

3O homem saiu para o leste, tendo na mão um cordel de medir. Mediu quinhentos metros e me fez passar pela água, que me dava pelos tornozelos. 4Mediu mais quinhentos metros e me fez passar pela água, que me dava pelos joelhos. Mediu mais quinhentos metros e me fez passar pela água, que agora me dava pela cintura. 5Mediu ainda outros quinhentos metros, e era já um rio que eu não podia atravessar, porque as águas tinham crescido. Eram águas em que se podia nadar, um rio pelo qual não se podia passar andando. 6Então ele me perguntou:

— Você viu isso, filho do homem?

Então o homem me levou de volta à margem do rio. 7Quando cheguei lá, eis que à margem do rio havia grande abundância de árvores, dos dois lados do rio. 8Então me disse:

— Estas águas correm para a região leste, descem ao vale do Jordão e entram no mar, cujas águas ficarão saudáveis. 9Todos os seres vivos que povoam os lugares por onde este rio passar terão vida. E haverá muitíssimo peixe, porque essas águas chegaram lá. As águas do mar Morto se tornarão saudáveis, e tudo viverá por onde quer que esse rio passar. 10Junto a ele se acharão pescadores. Desde En-Gedi até En-Eglaim haverá lugar para estender e secar as redes. Os peixes serão de muitas espécies, como os peixes do mar Grande. 11Mas os seus charcos e os seus pântanos não se tornarão saudáveis; serão deixados para o sal. 12Nas duas margens do rio nascerá todo tipo de árvore frutífera. As folhas dessas árvores não murcharão, e elas nunca deixarão de dar o seu fruto. Produzirão frutos novos todos os meses, porque são regadas pelas águas que saem do santuário. Os seus frutos servirão de alimento, e as suas folhas, de remédio.

As fronteiras da terra de Israel

13— Assim diz o Senhor Deus: Estas serão as fronteiras pelas quais vocês repartirão a terra como herança para as doze tribos de Israel. José terá duas partes. 14Repartam a terra em partes iguais, pois jurei dá-la aos pais de vocês. Assim, esta mesma terra lhes será dada como herança.

15— Este será o limite da terra: do lado norte, desde o mar Grande, pelo caminho de Hetlom, até a entrada de Zedade, 16Hamate, Berota, Sibraim, que ficam na fronteira entre Damasco e Hamate, até Hazer-Haticom, que está na fronteira de Haurã. 17Assim, a fronteira será desde o mar até Hazar-Enom, na fronteira de Damasco, ao norte, que é também a fronteira de Hamate. Esta será a fronteira do lado norte.

18— No lado leste, a fronteira será entre Haurã e Damasco; entre Gileade e a terra de Israel, será o Jordão; vocês medirão desde o limite do norte até o mar Morto. Esta será a fronteira do lado leste.

19— No lado sul, a fronteira irá desde Tamar até as águas de Meribá-Cades, e então seguindo o ribeiro do Egito até o mar Grande. Esta será a fronteira do lado sul.

20— No lado oeste, a fronteira será o mar Grande, subindo até diante da entrada de Hamate. Esta será a fronteira do lado oeste.

21— Repartam esta terra entre vocês, segundo as tribos de Israel. 22Vocês devem reparti-la como herança para vocês e para os estrangeiros que moram no meio de vocês, que gerarem filhos no meio de vocês. Eles deverão ser considerados como naturais entre os filhos de Israel; junto com vocês, eles receberão uma herança no meio das tribos de Israel. 23Na tribo em que o estrangeiro estiver morando, ali vocês lhe darão a sua herança, diz o Senhor Deus.

Ezequiel 47NAAAbrir na Bíblia

Os rebeldes serão rejeitados

1“Fui buscado pelos que

não perguntavam por mim;

fui achado por aqueles que

não me buscavam.

A um povo que não se chamava

pelo meu nome,

eu disse: ‘Eis-me aqui!

Eis-me aqui!’

2Todo o dia estendi as mãos

a um povo rebelde,

que anda por um caminho

que não é bom,

seguindo os seus próprios

pensamentos.

3É um povo que de contínuo

me irrita abertamente,

sacrificando em jardins

e queimando incenso

sobre altares de tijolos.

4Eles se assentam

entre as sepulturas

e passam as noites

em lugares misteriosos.

Comem carne de porco

e nos seus pratos têm ensopado

de carne abominável.

5É um povo que diz:

‘Fique onde você está!

Não se aproxime de mim,

porque sou mais santo

do que você.’

Estes são como fumaça

no meu nariz,

como fogo que queima o dia todo.

6Eis que está escrito

diante de mim:

‘Não me calarei, mas retribuirei;

farei retribuição total

7pelas iniquidades de vocês

e também pelas iniquidades

dos seus pais’”,

diz o Senhor.

“Eles queimaram incenso

nos montes

e me afrontaram nas colinas;

por isso, eu os farei pagar

integralmente

pelas suas obras antigas.”

Deus poupará os seus servos

8Assim diz o Senhor:

“Como quando se acha suco

num cacho de uvas

e se diz: ‘Não o destruam,

pois há bênção nele’,

assim farei por amor

de meus servos

e não destruirei todos eles.

9Farei sair de Jacó descendência

e de Judá, um herdeiro

que possua os meus montes.

Os meus eleitos herdarão a terra,

e os meus servos habitarão nela.

10Sarom servirá de pasto

para as ovelhas,

e o vale de Acor, de lugar

de repouso para o gado,

para o meu povo que me buscar.”

11“Mas quanto a vocês

que se afastam do Senhor,

que se esquecem

do meu santo monte,

que preparam uma mesa

para a deusa Fortuna

e misturam vinho

para o deus Destino,

12eu os destinarei à espada,

e todos vocês se encurvarão

à matança.

Porque eu chamei,

e vocês não responderam;

falei, e não atenderam,

mas fizeram o que é mau

aos meus olhos

e escolheram aquilo

em que eu não tenho prazer.”

13Portanto,

assim diz o Senhor Deus:

“Eis que os meus servos comerão,

mas vocês passarão fome;

os meus servos beberão,

mas vocês terão sede;

os meus servos se alegrarão,

mas vocês passarão vergonha;

14os meus servos cantarão

por terem o coração alegre,

mas vocês gritarão

pela tristeza do coração

e uivarão pela angústia de espírito.”

15“O nome de vocês será deixado

como fórmula de maldição

para os meus eleitos.

O Senhor Deus fará com que

vocês morram,

e aos servos dele chamará

por outro nome.

16Assim, quem quiser

ser abençoado na terra,

será abençoado

pelo Deus da verdade;

e quem jurar na terra,

jurará pelo Deus da verdade.

Porque as angústias passadas

serão esquecidas

e ficarão escondidas

dos meus olhos.”

Novos céus e nova terra

17“Pois eis que eu crio

novos céus e nova terra;

e não haverá lembrança

das coisas passadas,

jamais haverá memória delas.

18Exultem e alegrem-se

para sempre no que eu crio;

porque eis que crio

para Jerusalém alegria

e para o seu povo, exultação.

19Eu me alegrarei

por causa de Jerusalém

e exultarei no meu povo,

e nunca mais se ouvirá nela

nem voz de choro nem de clamor.

20Não haverá mais nela criança

que viva somente alguns dias,

nem velho que não complete

os seus dias.

Porque morrer aos cem anos

será morrer ainda jovem,

e quem pecar só aos cem anos

será amaldiçoado.”

21“Eles construirão casas

e nelas habitarão;

plantarão vinhas

e comerão o seu fruto.

22Não construirão

para que outros habitem,

nem plantarão

para que outros comam.

Porque a longevidade do meu povo

será como a da árvore,

e os meus eleitos desfrutarão

ao máximo

as obras das suas próprias mãos.

23Não farão o seu trabalho

em vão,

nem irão gerar filhos

para a calamidade,

porque são a descendência

dos benditos do Senhor,

e os seus filhos estarão com eles.

24Antes mesmo que clamem,

eu responderei;

estando eles ainda falando,

eu os ouvirei.

25O lobo e o cordeiro

pastarão juntos,

e o leão comerá palha como o boi;

pó será a comida da serpente.

Não se fará mal nem dano algum

em todo o meu santo monte”,

diz o Senhor.

Isaías 65NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: