Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 325

Texto(s) da Bíblia

Vida segundo a vontade de Deus

1Ora, tendo Cristo sofrido na carne, estejam também vocês armados do mesmo pensamento. Pois aquele que sofreu na carne rompeu com o pecado, 2para que, no tempo que lhes resta na carne, vocês não vivam mais de acordo com as paixões humanas, mas segundo a vontade de Deus. 3Porque basta que, no passado, vocês tenham feito a vontade dos gentios, tendo andado em práticas libertinas, desejos carnais, bebedeiras, orgias, embriaguez e em detestáveis idolatrias. 4Por isso, falando mal de vocês, estranham que vocês não se juntam com eles no mesmo excesso de devassidão, 5eles que terão de prestar contas àquele que é competente para julgar vivos e mortos. 6Pois, para este fim, o evangelho foi pregado também a mortos, para que, mesmo julgados na carne segundo os homens, vivam em espírito segundo Deus.

Bons administradores da graça de Deus

7O fim de todas as coisas está próximo; portanto, sejam criteriosos e sóbrios para poderem orar. 8Acima de tudo, porém, tenham muito amor uns para com os outros, porque o amor cobre a multidão de pecados. 9Sejam mutuamente hospitaleiros, sem murmuração. 10Sirvam uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como encarregados de administrar bem a multiforme graça de Deus. 11Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus lhe dá, para que, em todas as coisas, Deus seja glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio para todo o sempre. Amém!

Coparticipantes dos sofrimentos de Cristo

12Amados, não estranhem o fogo que surge no meio de vocês, destinado a pô-los à prova, como se alguma coisa extraordinária estivesse acontecendo. 13Pelo contrário, alegrem-se na medida em que são coparticipantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vocês se alegrem, exultando. 14Se são insultados por causa do nome de Cristo, vocês são bem-aventurados, porque o Espírito da glória, que é o Espírito de Deus, repousa sobre vocês. 15Que nenhum de vocês sofra como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se mete na vida dos outros. 16Mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe; pelo contrário, glorifique a Deus por causa disso.

17Porque chegou o tempo de começar o juízo pela casa de Deus; e, se começa por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? 18E, “se é com dificuldade que o justo é salvo, que será do ímpio e do pecador?”

19Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus entreguem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem.

1Pedro 4NAAAbrir na Bíblia

Jeremias na prisão

1Zedequias, filho de Josias, a quem Nabucodonosor, rei da Babilônia, havia constituído rei na terra de Judá, reinou em lugar de Conias, filho de Jeoaquim. 2Mas nem ele, nem os seus servos, nem o povo da terra deram ouvidos às palavras do Senhor, que ele falou por meio do profeta Jeremias.

3Contudo, o rei Zedequias mandou que Jucal, filho de Selemias, e o sacerdote Sofonias, filho de Maaseias, fossem falar com o profeta Jeremias, para dizer:

— Por favor, ore ao Senhor, nosso Deus, por nós.

4Jeremias andava livremente entre o povo, porque ainda não tinha sido preso. 5O exército de Faraó tinha vindo do Egito. Quando os caldeus, que sitiavam Jerusalém, ouviram isso, retiraram-se dela.

6Então a palavra do Senhor veio ao profeta Jeremias, dizendo:

7— Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Digam ao rei de Judá, que pediu que vocês viessem a mim, para me consultar: “Eis que o exército de Faraó, que saiu do Egito para socorrer vocês, voltará para a sua terra, no Egito. 8Então os caldeus voltarão a esta cidade. Eles lutarão contra ela, tomarão a cidade e a queimarão. 9Assim diz o Senhor: Não se enganem, dizendo: ‘Sem dúvida, os caldeus irão embora.’ Porque eles não irão embora. 10Porque, ainda que vocês derrotassem todo o exército dos caldeus, que está lutando contra vocês, e ficassem deles apenas homens feridos, eles se levantariam, cada um na sua tenda, e queimariam esta cidade.”

11Quando o exército dos caldeus se havia retirado de Jerusalém, por causa do exército de Faraó, 12Jeremias saiu de Jerusalém, a fim de ir à terra de Benjamim, para receber a sua parte de uma herança que tinha no meio do povo. 13Ao chegar ao Portão de Benjamim, achava-se ali um capitão da guarda, cujo nome era Jerias, filho de Selemias, filho de Hananias. O capitão prendeu o profeta Jeremias, dizendo:

— Você está fugindo para o lado dos caldeus.

14Jeremias respondeu:

— É mentira! Não estou fugindo para o lado dos caldeus.

Mas Jerias não lhe deu ouvidos; prendeu Jeremias e o levou às autoridades. 15As autoridades, iradas contra Jeremias, açoitaram-no e o prenderam na casa de Jônatas, o escrivão. Essa casa tinha sido transformada em prisão.

16Assim, Jeremias foi levado às celas do calabouço, onde ficou por muitos dias. 17O rei Zedequias mandou trazê-lo para sua casa e, em secreto, lhe perguntou:

— Há alguma palavra do Senhor?

Jeremias respondeu:

— Há.

E continuou:

— O senhor, ó rei, será entregue nas mãos do rei da Babilônia.

18Então Jeremias perguntou ao rei Zedequias:

— Em que pequei contra o senhor, ó rei, ou contra os seus servos, ou contra este povo, para que me pusessem na prisão? 19Onde estão agora os profetas que lhes profetizavam, dizendo: “O rei da Babilônia não virá contra vocês, nem contra esta terra”? 20E agora, ó rei, meu senhor, escute, e que a minha humilde súplica seja bem-acolhida! Não me mande de volta à casa de Jônatas, o escrivão, para que eu não venha a morrer ali.

21Então o rei Zedequias ordenou que pusessem Jeremias no pátio da guarda. E, cada dia, davam-lhe um pão da Rua dos Padeiros, até acabar-se todo o pão da cidade. Assim Jeremias ficou no pátio da guarda.

Jeremias 37NAAAbrir na Bíblia

Jeremias na cisterna

1Sefatias, filho de Matã, Gedalias, filho de Pasur, Jucal, filho de Selemias, e Pasur, filho de Malquias, ouviram as palavras que Jeremias anunciava a todo o povo, dizendo:

2— Assim diz o Senhor: “Quem ficar nesta cidade morrerá à espada, de fome e de peste; mas aquele que sair e se render aos caldeus viverá; porque a vida lhe será por despojo, e viverá.” 3Assim diz o Senhor: “Esta cidade infalivelmente será entregue nas mãos do exército do rei da Babilônia, e este a tomará.”

4Então as autoridades disseram ao rei:

— Este homem tem de ser morto, porque, dizendo essas palavras, desfalece as mãos dos homens de guerra que restam nesta cidade e as mãos de todo o povo. Este homem não procura o bem-estar do povo, e sim o mal.

5O rei Zedequias respondeu:

— Eis que ele está nas mãos de vocês, pois o rei nada pode fazer contra vocês.

6Então eles pegaram Jeremias e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que ficava no pátio da guarda. Desceram Jeremias com cordas. Na cisterna não havia água, apenas lama; e Jeremias se atolou na lama.

7Ebede-Meleque, o etíope, eunuco que estava na casa do rei, ouviu que tinham colocado Jeremias na cisterna. Quando o rei estava sentado junto ao Portão de Benjamim, 8Ebede-Meleque saiu da casa do rei e lhe falou:

9— Ó rei, meu senhor, aqueles homens agiram mal em tudo o que fizeram ao profeta Jeremias, que eles lançaram na cisterna. No lugar onde ele está, morrerá de fome, pois já não há mais pão na cidade.

10Então o rei deu ordem a Ebede-Meleque, o etíope, dizendo:

— Leve com você trinta homens e tire da cisterna o profeta Jeremias, antes que morra.

11Ebede-Meleque levou os homens consigo e foi à casa do rei, a um lugar debaixo da tesouraria, e pegou algumas roupas usadas e trapos, e os desceu a Jeremias na cisterna, por meio de cordas. 12Ebede-Meleque, o etíope, disse a Jeremias:

— Ponha agora essas roupas usadas e esses trapos nas axilas, por debaixo das cordas.

Jeremias o fez. 13Puxaram Jeremias com as cordas e o tiraram da cisterna; e Jeremias ficou no pátio da guarda.

Zedequias consulta o profeta

14Então o rei Zedequias mandou trazer o profeta Jeremias à sua presença, à terceira entrada na Casa do Senhor, e lhe disse:

— Eu quero perguntar algo a você; não esconda nada de mim.

15Jeremias disse a Zedequias:

— Se eu disser algo, por acaso o senhor, ó rei, não me matará? E mesmo que eu lhe dê conselhos, o senhor não me escutará.

16Então Zedequias jurou secretamente a Jeremias, dizendo:

— Tão certo como vive o Senhor, que nos deu a vida, não o matarei, nem o entregarei nas mãos desses homens que querem matá-lo.

17Então Jeremias disse a Zedequias:

— Assim diz o Senhor, o Deus dos Exércitos, Deus de Israel: “Se você se render voluntariamente aos oficiais do rei da Babilônia, então a sua vida será poupada, esta cidade não será queimada, e você e a sua casa ficarão vivos. 18Mas, se você não se render aos oficiais do rei da Babilônia, então esta cidade será entregue nas mãos dos caldeus, eles a queimarão, e você não escapará das mãos deles.”

19O rei Zedequias disse a Jeremias:

— Tenho receio dos judeus que passaram para o lado dos caldeus. Pode acontecer que os caldeus me entreguem nas mãos desses judeus, e eles zombem de mim.

20Mas Jeremias respondeu:

— Eles não o entregarão. Ouça a voz do Senhor no que estou lhe dizendo. Então tudo lhe correrá bem, e a sua vida será poupada. 21Mas, se o senhor, ó rei, não quiser se render, isto é o que o Senhor Deus me mostrou: 22Todas as mulheres que ficaram na casa do rei de Judá serão levadas aos oficiais do rei da Babilônia e dirão:

“Os seus bons amigos, ó rei,

o enganaram e dominaram.

Mas, agora que os pés do rei

se atolaram na lama,

eles o abandonaram.”

23— Assim, todas as suas mulheres e os seus filhos serão levados aos caldeus. O senhor, ó rei, não escapará das mãos deles, mas será prisioneiro na mão do rei da Babilônia, e esta cidade será queimada.

24Então Zedequias disse a Jeremias:

— Que ninguém saiba desta conversa, e você não morrerá. 25Se as autoridades souberem que falei com você, vierem procurá-lo e lhe disserem: “Conte-nos o que foi que você disse ao rei e o que ele disse a você; não esconda nada de nós, e nós não mataremos você”, 26diga: “Apresentei a minha humilde súplica diante do rei para que não me mandasse de volta à casa de Jônatas, para que eu não venha a morrer ali.”

27Quando todas as autoridades se dirigiram a Jeremias e o interrogaram, ele lhes falou como o rei havia ordenado. Então o deixaram em paz, porque ninguém mais ficou sabendo o que foi conversado. 28Jeremias ficou no pátio da guarda, até o dia em que Jerusalém foi tomada.

Jeremias 38NAAAbrir na Bíblia

Saudades de Sião

1Às margens dos rios da Babilônia,

nós nos assentávamos

e chorávamos,

lembrando-nos de Sião.

2Nos salgueiros que lá havia,

pendurávamos as nossas harpas,

3pois aqueles que

nos levaram cativos

nos pediam canções,

e os nossos opressores queriam

que fôssemos alegres, dizendo:

“Cantem para nós

um dos cânticos de Sião.”

4Mas como poderíamos entoar

um cântico ao Senhor

em terra estranha?

5Se eu me esquecer de você,

ó Jerusalém,

que a minha mão direita

se resseque.

6Que a minha língua fique colada

ao céu da boca,

se eu não me lembrar de você,

se eu não preferir Jerusalém

à minha maior alegria.

7Contra os filhos de Edom,

lembra-te, Senhor,

do dia em que Jerusalém

foi tomada,

pois diziam: “Arrasem!

Arrasem Jerusalém

até os seus alicerces!”

8Filha da Babilônia,

você que será destruída,

feliz aquele que lhe retribuir

o mal que você nos fez.

9Feliz aquele que pegar

os seus filhos

e esmagá-los contra a pedra.

Salmos 137NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: