Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 299

Texto(s) da Bíblia

A vinda do Senhor é certa e repentina

1Irmãos, no que se refere aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu lhes escreva. 2Porque vocês sabem perfeitamente que o Dia do Senhor vem como ladrão à noite. 3Quando andarem dizendo: “Paz e segurança”, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à mulher que está para dar à luz; e de modo nenhum escaparão.

A necessidade de vigilância

4Mas vocês, irmãos, não estão em trevas, para que esse Dia os apanhe de surpresa como ladrão. 5Porque vocês todos são filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. 6Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. 7Ora, os que dormem é de noite que dormem, e os que se embriagam é de noite que se embriagam. 8Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da couraça da fé e do amor e tomando como capacete a esperança da salvação. 9Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo, 10que morreu por nós para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos em união com ele. 11Portanto, consolem uns aos outros e edifiquem-se mutuamente, como vocês têm feito até agora.

Conselhos finais

12Irmãos, pedimos que vocês tenham em grande apreço os que trabalham entre vocês, que os presidem no Senhor e os admoestam. 13Tenham essas pessoas em máxima consideração, com amor, por causa do trabalho que realizam. Vivam em paz uns com os outros.

14Também exortamos vocês, irmãos, a que admoestem os que vivem de forma desordenada, consolem os desanimados, amparem os fracos e sejam pacientes com todos. 15Tenham cuidado para que ninguém retribua aos outros mal por mal; pelo contrário, procurem sempre o bem uns dos outros e o bem de todos. 16Estejam sempre alegres. 17Orem sem cessar. 18Em tudo, deem graças, porque esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.

19Não apaguem o Espírito. 20Não desprezem as profecias. 21Examinem todas as coisas, retenham o que é bom. 22Abstenham-se de toda forma de mal.

23O mesmo Deus da paz os santifique em tudo. E que o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 24Fiel é aquele que os chama, o qual também o fará.

Saudações

25Irmãos, orem também por nós.

26Saúdem todos os irmãos com um beijo santo. 27Peço, com insistência, em nome do Senhor, que esta carta seja lida para todos os irmãos.

Bênção

28A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com vocês!

1Tessalonicenses 5NAAAbrir na Bíblia

Profecia contra Tiro

1Sentença contra Tiro.

Lamentem, navios de Társis,

porque Tiro foi destruída,

a ponto de não haver nela

casa nenhuma,

nem ancoradouro.

Da terra de Chipre

lhes foi revelado isto.

2Calem-se, moradores do litoral,

vocês que foram enriquecidos

pelos mercadores de Sidom,

navegando pelo mar.

3Através das vastas águas,

você recebeu

o cereal dos canais do Egito

e a colheita do Nilo,

e você, ó Tiro, se tornou

a feira das nações.

4Fique envergonhada, ó Sidom,

porque o mar, a fortaleza do mar,

fala, dizendo:

“Não tive dores de parto,

não dei à luz,

não criei rapazes,

nem eduquei moças.”

5Quando a notícia a respeito de Tiro

chegar ao Egito,

eles ficarão angustiados.

6Fujam para Társis!

Lamentem, moradores do litoral.

7É esta a cidade de vocês

que andava exultante,

cuja origem é de tempos antigos,

cujos pés a levaram até longe

para se estabelecer?

8Quem decretou isso contra Tiro,

a cidade distribuidora de coroas,

cujos mercadores são príncipes

e cujos negociantes

são os mais nobres da terra?

9O Senhor dos Exércitos

decretou isso,

para abater o orgulho de toda beleza

e humilhar os mais nobres da terra.

10Percorra livremente

como o rio Nilo a sua terra,

ó filha de Társis;

já não há quem a restrinja.

11O Senhor estendeu a mão

sobre o mar

e abalou os reinos;

deu ordens contra Canaã,

para que as suas fortalezas

fossem destruídas.

12Ele disse: “Nunca mais

você irá se alegrar,

ó oprimida virgem filha de Sidom!

Levante-se, vá até Chipre,

mas nem ali você terá descanso.”

13Eis a terra dos caldeus, povo que não existe mais e que a Assíria havia destinado para os animais do deserto. Eles levantaram suas torres, arrasaram os palácios de Tiro e a deixaram em ruínas.

14Lamentem, navios de Társis,

porque aquela que era

a fortaleza de vocês

foi destruída!

15Naquele dia, Tiro ficará no esquecimento por setenta anos, o tempo de vida de um rei. Mas no fim dos setenta anos acontecerá com Tiro o que diz a canção da prostituta:

16“Pegue a harpa, rodeie a cidade,

ó prostituta esquecida;

toque bem, cante muitas canções,

para que se lembrem de você.”

17Passados os setenta anos, o Senhor se lembrará de Tiro, e ela voltará ao seu ofício e se prostituirá com todos os reinos da terra. 18O ganho e o salário de sua impureza serão dedicados ao Senhor. Não serão armazenados, nem guardados, mas o seu ganho será para os que habitam diante do Senhor, para que tenham comida em abundância e roupas finas.

Isaías 23NAAAbrir na Bíblia

O Senhor vai castigar o mundo

1Eis que o Senhor vai devastar

e desolar a terra,

vai transtornar a sua superfície

e dispersar os seus moradores.

2O mesmo vai acontecer com todos:

com o povo e com o sacerdote;

com o servo e com o seu senhor;

com a serva e com a sua dona;

com o comprador

e com o vendedor;

com o que empresta

e com o que toma emprestado;

com o credor e com o devedor.

3A terra será completamente

devastada

e totalmente saqueada,

porque o Senhor

é quem proferiu esta palavra.

4A terra pranteia e murcha;

o mundo enfraquece e murcha;

enfraquecem os mais nobres

do povo da terra.

5A terra está contaminada

por causa dos seus moradores,

porque transgridem as leis,

violam os estatutos

e quebram a aliança eterna.

6Por isso, a maldição

consome a terra,

e os que habitam nela

se tornam culpados.

Por isso, os moradores da terra

serão queimados,

e poucas pessoas restarão.

7O vinho pranteia,

a videira murcha,

e gemem todos os que estavam

de coração alegre.

8Cessou o som alegre

dos tamborins,

acabou o ruído dos que exultam,

cessou o som alegre da harpa.

9Já não se bebe vinho

entre canções;

a bebida forte é amarga

para os que a bebem.

10A cidade caótica está demolida;

todas as casas estão fechadas,

e ninguém consegue entrar.

11Gritam por vinho nas ruas;

todo o riso desapareceu;

a alegria foi banida da terra.

12Na cidade, só restou a desolação,

e o portão está em pedaços.

13O que acontecerá na terra,

no meio dos povos,

é como o sacudir da oliveira

no tempo da colheita

e o rebuscar das parreiras

depois de acabada a vindima.

A alegria dos justos e a ruína dos transgressores

14Eles levantam a voz

e cantam com alegria;

por causa da glória do Senhor,

exultam desde o mar.

15Por isso, no Oriente

deem glória ao Senhor

e, nas terras do mar,

glorifiquem o nome do Senhor,

o Deus de Israel.

16Dos confins da terra

ouvimos cantar:

“Glória ao Justo!”

Mas eu digo: “Estou definhando!

Estou definhando! Ai de mim!

Os traidores estão traindo;

sim, os traidores

só tramam traições.”

17Terror, buracos e armadilhas

esperam por vocês,

moradores da terra.

18Aquele que fugir da voz do terror

cairá no buraco,

e, se sair do buraco,

será apanhado na armadilha.

Porque as represas do alto

se abrem,

e tremem os fundamentos da terra.

19A terra será totalmente quebrada,

a terra ficará completamente

despedaçada,

a terra será violentamente sacudida.

20A terra vai cambalear

como um bêbado

e balançar como uma cabana;

a sua transgressão pesa sobre ela,

ela cairá e nunca mais se levantará.

21Naquele dia, o Senhor castigará,

nas alturas, os exércitos celestiais,

e, na terra, castigará os reis da terra.

22Serão ajuntados

como presos em masmorra

e encerrados num cárcere;

e, depois de muitos dias,

serão castigados.

23A lua ficará corada de vergonha

e o sol se envergonhará

quando o Senhor dos Exércitos

reinar no monte Sião

e em Jerusalém;

e diante dos seus anciãos

haverá glória.

Isaías 24NAAAbrir na Bíblia

Salmo de gratidão

1Amo o Senhor, porque ele ouve

a minha voz e as minhas súplicas.

2Porque inclinou para mim

os seus ouvidos,

eu o invocarei por toda a minha vida.

3Laços de morte me cercaram,

e angústias do inferno

se apoderaram de mim;

fiquei aflito e triste.

4Então invoquei

o nome do Senhor:

“Ó Senhor, livra a minha alma.”

5Compassivo e justo é o Senhor;

o nosso Deus é misericordioso.

6O Senhor vela pelos simples;

quando eu estava prostrado,

ele me salvou.

7Ó minha alma,

volte ao seu sossego,

pois o Senhor tem sido bom

para você.

8Pois livraste da morte

a minha alma,

das lágrimas, os meus olhos,

da queda, os meus pés.

9Andarei na presença do Senhor,

na terra dos viventes.

10Eu cria, mesmo quando eu disse:

“Estou muito aflito.”

11Eu disse na minha perturbação:

“Todas as pessoas são mentirosas.”

12Que darei ao Senhor

por todos os seus benefícios

para comigo?

13Erguerei o cálice da salvação

e invocarei o nome do Senhor.

14Cumprirei os meus votos

ao Senhor,

na presença de todo o seu povo.

15Preciosa é aos olhos do Senhor

a morte dos seus santos.

16Senhor, eu sou de fato teu servo;

eu sou teu servo, filho da tua serva;

quebraste as correntes

que me prendiam.

17A ti oferecerei sacrifícios

de ações de graças

e invocarei o nome do Senhor.

18Cumprirei os meus votos

ao Senhor,

na presença de todo o seu povo,

19nos átrios da Casa do Senhor,

em seu meio, ó Jerusalém.

Aleluia!

Salmos 116NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: