Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 251

Texto(s) da Bíblia

Jesus fala da sua morte

27— Agora a minha alma está angustiada, e o que direi? “Pai, salva-me desta hora”? Não, pois foi precisamente com este propósito que eu vim para esta hora. 28Pai, glorifica o teu nome.

Então veio uma voz do céu:

— Eu já o glorifiquei e ainda o glorificarei.

29A multidão que ali estava e que ouviu aquela voz dizia ter havido um trovão. Outros diziam:

— Foi um anjo que lhe falou.

30Então Jesus explicou:

— Não foi por minha causa que veio esta voz, e sim por causa de vocês. 31Chegou o momento de este mundo ser julgado, e agora o seu príncipe será expulso. 32E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim.

33Ele dizia isto, significando com que tipo de morte estava para morrer. 34A multidão disse:

— Nós ouvimos da Lei que o Cristo permanece para sempre. Como, então, você diz que é necessário que o Filho do Homem seja levantado? Quem é esse Filho do Homem?

35Jesus respondeu:

— Ainda por um pouco a luz está com vocês. Andem enquanto vocês têm a luz, para que não sejam surpreendidos pelas trevas. E quem anda nas trevas não sabe para onde vai. 36Enquanto vocês têm a luz, creiam na luz, para que se tornem filhos da luz.

A incredulidade dos judeus

Depois de dizer isso, Jesus foi embora e ocultou-se deles. 37E, embora tivesse feito tantos sinais na presença deles, não creram nele, 38para se cumprir a palavra do profeta Isaías, que diz:

“Senhor, quem creu

em nossa pregação?

E a quem foi revelado

o braço do Senhor?”

39Por isso, não podiam crer, porque Isaías disse ainda:

40“Cegou os olhos deles

e endureceu-lhes o coração,

para que não vejam com os olhos,

nem entendam com o coração,

e se convertam,

e sejam por mim curados.”

41Isaías disse isso porque viu a glória dele e falou a respeito dele. 42No entanto, muitos dentre as próprias autoridades creram em Jesus, mas, por causa dos fariseus, não o confessavam, para não serem expulsos da sinagoga. 43Porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.

O resumo do ensino de Jesus

44E Jesus clamou, dizendo:

— Quem crê em mim crê não em mim, mas naquele que me enviou. 45E quem vê a mim vê aquele que me enviou. 46Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. 47Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, eu não o julgo. Porque eu não vim para julgar o mundo, e sim para salvá-lo. 48Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que falei, essa o julgará no último dia. 49Porque eu não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, esse me ordenou o que dizer e o que anunciar. 50E sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, as coisas que eu digo, digo exatamente assim como o Pai me falou.

João 12:27-50NAAAbrir na Bíblia

Asa faz aliança com o rei da Síria

1Rs 15.16-22

1No trigésimo sexto ano do reinado de Asa, Baasa, rei de Israel, invadiu Judá e começou a edificar a cidade de Ramá, para impedir a entrada e a saída do território de Asa, rei de Judá. 2Então Asa tirou prata e ouro dos tesouros da Casa do Senhor e dos tesouros do palácio real e enviou servos a Ben-Hadade, rei da Síria, que morava em Damasco, dizendo:

3— Que haja uma aliança entre mim e você, como houve entre o meu pai e o seu pai. Eis que estou lhe enviando prata e ouro. Vá e anule a sua aliança com Baasa, rei de Israel, para que ele se retire do meu território.

4Ben-Hadade deu ouvidos ao rei Asa e enviou os capitães dos seus exércitos contra as cidades de Israel. Eles conquistaram Ijom, Dã, Abel-Maim e todas as cidades-armazéns de Naftali. 5Quando Baasa soube disso, deixou de edificar Ramá e não continuou a sua obra. 6Então o rei Asa reuniu todo o povo de Judá, e trouxeram de Ramá as pedras e a madeira que Baasa havia usado para edificá-la. Com elas Asa edificou Geba e Mispa.

Asa repreendido por Hanani

7Naquele tempo, o vidente Hanani foi falar com Asa, rei de Judá, e lhe disse:

— Você confiou no rei da Síria e não confiou no Senhor, seu Deus, e por isso o exército do rei da Síria escapou das suas mãos. 8Não é verdade que os etíopes e os líbios formavam um grande exército, com muitos carros de guerra e cavaleiros? Mas, porque você confiou no Senhor, ele os entregou nas suas mãos. 9Porque, quanto ao Senhor, os seus olhos passam por toda a terra, para dar força àqueles cujo coração é totalmente dele. Nisto você cometeu uma loucura. Por isso, de agora em diante haverá guerras contra você.

10Porém Asa se indignou contra o profeta e o lançou na prisão, porque estava enfurecido contra ele por causa disso. Na mesma ocasião, Asa oprimiu alguns do povo.

A morte de Asa

1Rs 15.23-24

11Eis que os demais atos de Asa, tanto os primeiros como os últimos, está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá e de Israel. 12No trigésimo nono ano do seu reinado, Asa contraiu uma doença nos pés, e essa doença era muito grave. Porém, na sua enfermidade ele não recorreu ao Senhor, mas confiou nos médicos. 13Asa morreu no quadragésimo primeiro ano do seu reinado. 14Foi sepultado no túmulo que ele tinha mandado abrir para si na Cidade de Davi. Puseram-no sobre um leito cheio de perfumes e de várias especiarias, preparados segundo a arte dos perfumistas. Depois fizeram uma grande fogueira em honra dele.

2Crônicas 16NAAAbrir na Bíblia

O reinado de Josafá, de Judá

1Em lugar de Asa, reinou o seu filho Josafá, que se fortificou contra Israel. 2Ele pôs tropas em todas as cidades fortificadas de Judá e estabeleceu guarnições na terra de Judá e nas cidades de Efraim, que Asa, seu pai, havia conquistado. 3O Senhor esteve com Josafá, porque ele andou nos primeiros caminhos de Davi, seu pai, e não buscou os baalins. 4Pelo contrário, buscou o Deus de seu pai e andou nos seus mandamentos, e não segundo as obras de Israel. 5O Senhor confirmou o reino nas suas mãos, e todo o Judá deu presentes a Josafá, de modo que ele teve riquezas e glória em abundância. 6O coração dele se tornou ousado em seguir os caminhos do Senhor, e ainda tirou os lugares altos e os postes da deusa Aserá que havia em Judá.

7No terceiro ano do seu reinado, Josafá enviou os seus oficiais Ben-Hail, Obadias, Zacarias, Natanael e Micaías, para ensinarem nas cidades de Judá. 8Com eles enviou os levitas Semaías, Netanias, Zebadias, Asael, Semiramote, Jônatas, Adonias, Tobias e Tobe-Adonias. E, com estes levitas, enviou os sacerdotes Elisama e Jeorão. 9Eles ensinaram em Judá, tendo consigo o Livro da Lei do Senhor; percorriam todas as cidades de Judá e ensinavam o povo.

10O terror do Senhor veio sobre todos os reinos das terras que estavam ao redor de Judá, de maneira que não fizeram guerra contra Josafá. 11Alguns dos filisteus trouxeram presentes a Josafá e prata como tributo. Também os árabes lhe trouxeram sete mil e setecentos carneiros e sete mil e setecentos bodes. 12Josafá se tornou cada vez mais poderoso, e construiu fortalezas e cidades-armazéns em Judá. 13Empreendeu muitas obras nas cidades de Judá e tinha, em Jerusalém, gente de guerra e homens valentes. 14Este é o número deles segundo as suas famílias: em Judá, eram capitães de mil: o chefe Adna e, com ele, trezentos mil homens valentes; 15depois dele, o capitão Joanã e, com ele, duzentos e oitenta mil homens; 16e, depois, Amasias, filho de Zicri, que voluntariamente se ofereceu ao serviço do Senhor, e, às suas ordens, duzentos mil homens valentes. 17De Benjamim, Eliada, homem valente, e, com ele, duzentos mil homens, armados de arco e de escudo; 18depois dele, Jozabade, com cento e oitenta mil homens armados para a guerra. 19Estes estavam a serviço do rei, além dos que o rei tinha posto nas cidades fortificadas por todo o Judá.

2Crônicas 17NAAAbrir na Bíblia

Deus e o seu povo

Salmo didático de Asafe

1Meu povo, escute a minha lei;

dê ouvidos às palavras

da minha boca.

2Abrirei os meus lábios

para proferir parábolas

e publicarei enigmas

dos tempos antigos.

3O que ouvimos e aprendemos,

o que os nossos pais

nos contaram,

4não o encobriremos

a seus filhos;

contaremos à geração vindoura

os louvores do Senhor,

e o seu poder,

e as maravilhas que fez.

5Ele estabeleceu

um testemunho em Jacó,

e instituiu uma lei em Israel,

e ordenou aos nossos pais

que os transmitissem a seus filhos,

6a fim de que a nova geração

os conhecesse,

e os filhos que ainda hão de nascer

se levantassem e, por sua vez,

os contassem

aos seus descendentes;

7para que pusessem

a sua confiança em Deus

e não se esquecessem

dos feitos de Deus,

mas lhe observassem

os mandamentos;

8e que não fossem,

como seus pais,

geração obstinada e rebelde,

geração de coração inconstante,

e cujo espírito não foi fiel a Deus.

9Os filhos de Efraim,

embora armados com arcos,

bateram em retirada

no dia do combate.

10Não guardaram

a aliança de Deus,

não quiseram andar na sua lei;

11esqueceram-se das suas obras

e das maravilhas

que lhes havia mostrado.

12Deus fez prodígios

na presença de seus pais

na terra do Egito, no campo de Zoã.

13Dividiu o mar

e os fez passar por ele;

fez parar as águas

como um montão.

14Durante o dia,

os guiou com uma nuvem

e de noite,

com um clarão de fogo.

15No deserto, fendeu rochas

e lhes deu de beber

abundantemente

como de abismos.

16Da pedra fez brotar torrentes,

fez manar água como rios.

17Mas, ainda assim, continuaram

a pecar contra ele

e se rebelaram, no deserto,

contra o Altíssimo.

18Tentaram a Deus no seu coração,

pedindo alimento

que lhes fosse do gosto.

19Falaram contra Deus, dizendo:

“Será que Deus pode preparar-nos

uma mesa no deserto?

20É verdade que ele feriu a rocha,

e dela manaram águas,

transbordaram as torrentes.

Mas será que ele pode

dar-nos pão também?

Ou fornecer carne

para o seu povo?”

Salmos 78:1-20NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: