Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 184

Texto(s) da Bíblia

A parábola dos lavradores maus

1Depois Jesus começou a falar-lhes por parábola:

— Um homem plantou uma vinha. Pôs uma cerca em volta dela, construiu um lagar, edificou uma torre e arrendou a vinha a uns lavradores. Depois, ausentou-se do país. 2No tempo da colheita, mandou um servo para que recebesse dos lavradores a sua parte dos frutos da vinha. 3Mas os lavradores o agarraram, espancaram e o despacharam de mãos vazias. 4De novo, enviou-lhes outro servo, e eles bateram na cabeça dele e o insultaram. 5Mandou ainda outro servo, e a este mataram. Muitos outros lhes enviou, dos quais espancaram uns e mataram outros.

6— Restava-lhe ainda um: o seu filho amado. Por fim, mandou o filho, pensando: “O meu filho eles respeitarão.” 7Mas os tais lavradores disseram entre si: “Este é o herdeiro; venham, vamos matá-lo, e a herança será nossa.” 8E, agarrando o filho, mataram-no e o lançaram fora da vinha.

9— Que fará, pois, o dono da vinha? Virá, exterminará aqueles lavradores e entregará a vinha a outros. 10Vocês ainda não leram este trecho da Escritura:

“A pedra que os construtores

rejeitaram,

essa veio a ser a pedra angular.

11Isto procede do Senhor

e é maravilhoso

aos nossos olhos”?

12E procuravam prender Jesus, porque entenderam que ele havia contado essa parábola contra eles; mas temiam o povo. Então eles o deixaram e foram embora.

A questão do imposto

13E enviaram a Jesus alguns dos fariseus e dos herodianos, para que o apanhassem em alguma palavra. 14Chegando, disseram-lhe:

— Mestre, sabemos que o senhor é verdadeiro e não se importa com a opinião dos outros, porque não olha a aparência das pessoas, mas, segundo a verdade, ensina o caminho de Deus; é lícito pagar imposto a César ou não? Devemos ou não devemos pagar?

15Mas Jesus, percebendo a hipocrisia deles, respondeu:

— Por que vocês estão me pondo à prova? Tragam-me um denário para que eu o veja.

16Eles trouxeram. E Jesus lhes perguntou:

— De quem é esta figura e esta inscrição?

Eles responderam:

— De César.

17Então Jesus disse:

— Deem a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

E muito se admiraram dele.

Os saduceus e a ressurreição

18Então alguns saduceus, que dizem não haver ressurreição, aproximaram-se de Jesus e lhe perguntaram:

19— Mestre, Moisés nos deixou escrito que, se um homem morrer e deixar mulher sem filhos, o irmão desse homem deve casar com a viúva e gerar descendentes para o falecido. 20Havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu sem deixar filhos; 21o segundo casou com a viúva e morreu, também sem deixar descendência; e o terceiro, da mesma forma. 22E, assim, os sete não deixaram descendência. Por fim, depois de todos, morreu também a mulher. 23Na ressurreição, quando eles ressuscitarem, de qual deles ela será a esposa? Porque os sete casaram com ela.

24Jesus respondeu:

— Será que o erro de vocês não está no fato de não conhecerem as Escrituras nem o poder de Deus? 25Pois, quando ressuscitarem dentre os mortos, nem casarão, nem se darão em casamento, mas serão como os anjos nos céus. 26Quanto aos mortos, que eles de fato ressuscitam, vocês nunca leram no Livro de Moisés, no trecho referente à sarça, como Deus lhe falou: “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó”? 27Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos. Vocês estão completamente enganados.

Marcos 12:1-27NAAAbrir na Bíblia

Salomão casa com a filha de Faraó

1Salomão aliou-se com Faraó, rei do Egito, pois tomou por mulher a filha de Faraó. Ele a trouxe à Cidade de Davi, até que acabasse a construção do seu palácio, da Casa do Senhor e da muralha em volta de Jerusalém. 2Entretanto, o povo oferecia sacrifícios nos lugares altos, porque até aqueles dias ainda não se tinha edificado templo ao nome do Senhor.

Salomão pede a Deus sabedoria

2Cr 1.2-13

3Salomão amava o Senhor, andando nos preceitos de Davi, seu pai; porém oferecia sacrifícios e queimava incenso nos lugares altos.

4O rei foi a Gibeão para lá oferecer sacrifícios, porque era o lugar alto mais importante. Naquele altar, Salomão ofereceu mil holocaustos. 5Em Gibeão, o Senhor apareceu a Salomão de noite, em sonhos. E Deus lhe disse:

— Peça o que você quer que eu lhe dê.

6Salomão respondeu:

— Foste muito bondoso com o teu servo Davi, meu pai, porque ele andou contigo em fidelidade, em justiça e em retidão de coração, diante da tua face. Mantiveste para com ele esta grande bondade e lhe deste um filho que se assentasse no seu trono, como hoje se vê. 7E agora, ó Senhor, meu Deus, tu fizeste reinar teu servo em lugar de Davi, meu pai. Mas eu não passo de uma criança, não sei como devo agir. 8Teu servo está no meio do teu povo que escolheste, povo grande, tão numeroso que não se pode contar. 9Dá, pois, ao teu servo coração compreensivo para governar o teu povo, para que, com prudência, saiba discernir entre o bem e o mal. Pois quem seria capaz de governar este teu grande povo?

10Estas palavras agradaram ao Senhor, por haver Salomão pedido tal coisa. 11E Deus lhe disse:

— Já que você pediu isso e não me pediu longevidade, nem riquezas, nem a morte de seus inimigos, mas pediu entendimento, para discernir o que é justo, 12eis que farei como você pediu. Eu lhe dou um coração sábio e inteligente, de maneira que antes de você nunca houve ninguém igual a você, nem haverá depois de você. 13Também lhe dou o que você não me pediu, tanto riquezas como glória, de modo que, entre os reis, não haverá ninguém semelhante a você durante os dias da sua vida. 14Se você andar nos meus caminhos e guardar os meus estatutos e os meus mandamentos, como fez Davi, seu pai, eu prolongarei os seus dias.

15Salomão acordou, e eis que era um sonho. Voltou para Jerusalém, pôs-se diante da arca da aliança do Senhor, ofereceu holocaustos, apresentou ofertas pacíficas e deu um banquete a todos os seus oficiais.

Salomão julga a causa de duas mulheres

16Então duas prostitutas foram falar com o rei Salomão. Apresentaram-se diante dele 17e uma das mulheres disse:

— Ah! Meu senhor, eu e esta mulher moramos na mesma casa, onde dei à luz um filho. 18No terceiro dia, depois do meu parto, também esta mulher teve um filho. Estávamos juntas. Não havia nenhuma outra pessoa conosco na casa; somente nós duas estávamos ali. 19De noite, o filho desta mulher morreu, porque ela se deitou sobre ele. 20Ela levantou-se no meio da noite e, enquanto esta sua serva dormia, tirou o meu filho, que estava do meu lado, e o pôs na cama dela; depois colocou o filho dela, morto, nos meus braços. 21Quando eu me levantei de madrugada para dar de mamar ao meu filho, eis que ele estava morto. Porém, quando reparei nele pela manhã, eis que não era o filho que eu tinha dado à luz.

22Então a outra mulher disse:

— Não! O que está vivo é o meu filho; o seu é o que está morto.

Porém a primeira mulher respondeu:

— Não! O que está morto é o seu filho; o meu é o que está vivo.

E assim elas falaram diante do rei.

23Então o rei Salomão disse:

— Esta diz: “O que está vivo é o meu filho, e o seu filho é o que está morto”; e a outra responde: “Não, o que está morto é o seu filho, e o meu filho é o que está vivo.”

24E o rei continuou:

— Tragam-me uma espada.

E trouxeram uma espada diante do rei. 25Então o rei disse:

— Cortem o menino que está vivo em duas partes e deem metade a uma e metade a outra.

26Então se aguçou o amor materno da mulher cujo filho estava vivo e ela disse ao rei:

— Ah! Meu senhor, deem a ela o menino vivo! Não o matem de jeito nenhum!

Porém a outra dizia:

— Ele não será nem meu nem seu. Podem cortá-lo ao meio!

27Então o rei disse:

— Entreguem o menino vivo à primeira mulher. Não o matem. Ela é a mãe do menino.

28Todo o Israel ouviu a sentença que o rei havia proferido. E todos tiveram profundo respeito ao rei, porque viram que havia nele a sabedoria de Deus, para fazer justiça.

1Reis 3NAAAbrir na Bíblia

Arrependimento fingido

1“Venham e voltemos

para o Senhor!

Porque ele nos despedaçou,

mas vai nos curar;

ele nos feriu,

mas vai atar as feridas.

2Depois de dois dias,

nos dará vida;

ao terceiro dia, nos ressuscitará,

e viveremos diante dele.

3Conheçamos e prossigamos

em conhecer o Senhor!

Como o amanhecer,

a sua vinda é certa;

ele descerá sobre nós

como a chuva,

como chuva fora de época

que rega a terra.”

4“Que farei com você, Efraim?

Que farei com você, Judá?

Porque o amor de vocês é

como a névoa da manhã

e como o orvalho da madrugada,

que logo desaparece.

5Por isso, os abati

por meio dos profetas;

pela palavra da minha boca,

os matei;

e os meus juízos sairão como a luz.

6Pois quero misericórdia,

e não sacrifício;

conhecimento de Deus,

mais do que holocaustos.”

7“Mas eles transgrediram

a aliança, como Adão;

eles foram infiéis a mim.

8Gileade é a cidade

dos que praticam a injustiça,

manchada de sangue.

9Como bandos de assaltantes

que espreitam alguém,

assim é a companhia

dos sacerdotes,

pois matam no caminho

para Siquém;

praticam perversidades.

10Vejo uma coisa horrenda

na casa de Israel:

ali está a prostituição de Efraim;

Israel se contaminou.”

11“Também você, Judá,

será ceifado,

quando eu remover o cativeiro

do meu povo.

Oseias 6NAAAbrir na Bíblia

1Quando tento sarar Israel,

se descobre a iniquidade de Efraim

e a maldade de Samaria,

porque praticam a falsidade;

ladrões invadem as casas

e bandos assaltam nas ruas.

2Não se dão conta de que

eu me lembro de todas

as suas maldades.

Agora estão rodeados

pelas suas más ações,

que estão sempre diante de mim.

Oseias 7:1-2NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.8
SIGA A SBB: