Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 163

Texto(s) da Bíblia

Paulo recomenda Febe

1Recomendo-lhes a nossa irmã Febe, que está servindo na igreja de Cencreia, 2para que vocês a recebam no Senhor como convém aos santos e a ajudem em tudo o que de vocês vier a precisar; porque ela tem sido protetora de muitos, inclusive de mim.

Saudações pessoais

3Saúdem Priscila e Áquila, meus cooperadores em Cristo Jesus, 4os quais pela minha vida arriscaram a sua própria cabeça; e isto lhes agradeço, não somente eu, mas também todas as igrejas dos gentios. 5Saúdem igualmente a igreja que se reúne na casa deles. Saúdem meu querido Epêneto, primeiro fruto da fé em Cristo na província da Ásia. 6Saúdem Maria, que muito trabalhou por vocês. 7Saúdem Andrônico e Júnias, meus parentes e companheiros de prisão, os quais são bem conhecidos entre os apóstolos e estavam em Cristo antes de mim.

8Saúdem Amplíato, meu querido amigo no Senhor. 9Saúdem Urbano, que é nosso cooperador em Cristo, e também meu amado Estáquis. 10Saúdem Apeles, aprovado em Cristo. Saúdem os da casa de Aristóbulo. 11Saúdem meu parente Herodião. Saúdem os da casa de Narciso, que estão no Senhor. 12Saúdem Trifena e Trifosa, as quais trabalham no Senhor. Saúdem a querida Pérside, que também muito trabalhou no Senhor. 13Saúdem Rufo, eleito no Senhor, e igualmente a mãe dele, que também tem sido mãe para mim. 14Saúdem Asíncrito, Flegonte, Hermes, Pátrobas, Hermas e os irmãos que se reúnem com eles. 15Saúdem Filólogo, Júlia, Nereu e sua irmã, e também Olimpas e todos os santos que se reúnem com eles. 16Saúdem uns aos outros com um beijo santo. Todas as igrejas de Cristo mandam saudações.

Conselhos finais

17Irmãos, peço que notem bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que vocês aprenderam. Afastem-se deles, 18porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre. Com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração das pessoas simples. 19Pois a obediência de vocês é conhecida por todos; por isso, me alegro por causa de vocês. Quero que sejam sábios no que diz respeito ao bem e simples no que diz respeito ao mal. 20E o Deus da paz, em breve, esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês. A graça de nosso Senhor Jesus esteja com vocês.

21Timóteo, meu cooperador, manda saudações, assim como Lúcio, Jasom e Sosípatro, meus parentes.

22Eu, Tércio, que escrevi esta carta, mando saudações no Senhor.

23Gaio, meu hospedeiro e de toda a igreja, manda saudações. Também mandam saudações Erasto, tesoureiro da cidade, e o irmão Quarto. 24[A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vocês. Amém!]

Doxologia

25Ora, ao Deus que é poderoso para confirmar vocês segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio desde os tempos eternos, 26e que, agora, tornou-se manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência da fé, entre todas as nações, 27a este Deus único e sábio seja dada glória, por meio de Jesus Cristo, para sempre. Amém!

Romanos 16NAAAbrir na Bíblia

Davi recebe a notícia da morte de Saul

1Depois da morte de Saul, quando Davi tinha voltado de derrotar os amalequitas e já estava dois dias em Ziclague, 2aconteceu que, no terceiro dia, veio do arraial de Saul um homem com as roupas rasgadas e terra sobre a cabeça. Ao chegar diante de Davi, ele se inclinou, prostrando-se em terra. 3Davi lhe perguntou:

— De onde você vem?

Ele respondeu:

— Fugi do arraial de Israel.

4Então Davi disse:

— Como foi isso? Conte-me o que aconteceu.

O moço respondeu:

— O povo fugiu da batalha, e muitos foram mortos. Saul e seu filho Jônatas também morreram.

5Davi perguntou ao moço que lhe trazia as notícias:

— Como você sabe que Saul e Jônatas, seu filho, estão mortos?

6Então o moço portador das notícias disse:

— Cheguei, por acaso, ao monte Gilboa, e eis que Saul estava apoiado sobre a sua lança. E os carros de guerra e a cavalaria se aproximavam dele. 7Olhando ele para trás, me viu e me chamou. Eu disse: “Eis-me aqui.” 8Ele me perguntou: “Quem é você?” Eu respondi: “Eu sou amalequita.” 9Então ele me disse: “Venha aqui e me mate, pois me sinto vencido de cãibra, embora ainda esteja bem lúcido.” 10Então me aproximei dele e o matei, porque eu sabia que ele não viveria depois de ter caído. Peguei a coroa que ele tinha na cabeça e o bracelete e os trouxe aqui ao meu senhor.

Davi manda matar o amalequita

11Então Davi rasgou as suas próprias roupas, e todos os homens que estavam com ele fizeram o mesmo. 12Prantearam, choraram e jejuaram até a tarde por Saul, por Jônatas, seu filho, pelo povo do Senhor e pela casa de Israel, porque tinham caído à espada. 13Então Davi perguntou ao moço portador das notícias:

— De onde você é?

Ele respondeu:

— Sou filho de um homem estrangeiro, amalequita.

14Davi lhe disse:

— Como você não temeu estender a mão para matar o ungido do Senhor?

15Então Davi chamou um dos moços e lhe disse:

— Vá até lá e mate-o.

Ele foi e o matou, 16enquanto Davi dizia:

— O seu sangue caia sobre a sua cabeça, porque a sua própria boca testificou contra você, dizendo: “Matei o ungido do Senhor.”

A lamentação de Davi por Saul e Jônatas

17Davi pranteou Saul e seu filho Jônatas com esta lamentação. 18E ele ordenou que se ensinasse aos filhos de Judá o Hino ao Arco, que está escrito no Livro dos Justos.

19“A sua glória, ó Israel,

foi morta sobre os seus montes!

Como caíram os valentes!

20Não anunciem isso em Gate,

nem o publiquem

nas ruas de Asquelom,

para que não se alegrem

as filhas dos filisteus,

nem saltem de contentamento

as filhas dos incircuncisos.

21Montes de Gilboa,

que sobre vocês não caia

nem orvalho, nem chuva,

nem haja aí campos

que produzam ofertas,

pois neles foi profanado

o escudo dos valentes,

o escudo de Saul,

que nunca mais será

ungido com óleo.

22Sem sangue dos feridos,

sem gordura dos valentes,

nunca se recolheu

o arco de Jônatas,

nem voltou vazia a espada de Saul.

23Saul e Jônatas,

queridos e amáveis,

nem na vida nem na morte

se separaram!

Eram mais ligeiros

do que as águias,

mais fortes do que os leões.”

24“Filhas de Israel, chorem por Saul!

Ele as vestia de rico escarlate,

e enfeitava com ouro

as roupas de vocês.

25Como caíram os valentes

no meio da batalha!

Jônatas sobre os montes foi morto!

26Estou angustiado por sua causa,

meu irmão Jônatas;

você era amabilíssimo

para comigo!

Excepcional era o seu amor,

ultrapassando

o amor de mulheres.

27Como caíram os valentes,

e pereceram as armas de guerra!”

2Samuel 1NAAAbrir na Bíblia

O rei justo e o seu reinado eterno

Salmo de Salomão

1Concede ao rei, ó Deus,

os teus juízos

e a tua justiça, ao filho do rei.

2Que ele julgue o teu povo

com justiça

e os teus aflitos, com retidão.

3Os montes trarão paz ao povo;

também as colinas a trarão,

com justiça.

4Que o rei julgue

os aflitos do povo,

salve os filhos dos necessitados

e esmague o opressor.

5Ele permanecerá

enquanto existir o sol

e enquanto durar a lua,

através das gerações.

6Seja ele como chuva que desce

sobre a campina ceifada,

como aguaceiros que regam a terra.

7Que em seus dias

floresçam os justos,

e haja abundância de paz

até que cesse de haver lua.

8Domine ele de mar a mar

e desde o rio

até os confins da terra.

9Curvem-se diante dele

os habitantes do deserto,

e os seus inimigos lambam o pó.

10Que os reis de Társis e das ilhas

lhe paguem tributo;

os reis de Sabá e de Sebá

lhe ofereçam presentes.

11E todos os reis se prostrem

diante dele;

todas as nações o sirvam.

12Porque ele livra os necessitados

que pedem socorro,

e também os aflitos e aqueles

que não têm quem os ajude.

13Ele se compadece dos fracos

e dos necessitados

e salva a alma dos que precisam

de auxílio.

14Ele os redime da opressão

e da violência,

e precioso lhe é o sangue deles.

15Viva o rei! E que lhe deem

ouro de Sabá!

Que continuamente

se faça por ele oração,

e o bendigam todos os dias.

16Haja na terra

abundância de cereais,

que ondulem

até o alto dos montes.

Sejam os seus frutos

como os do Líbano,

e das cidades floresçam

os habitantes

como a erva da terra.

17Que o nome do rei permaneça

para sempre,

e que prospere

enquanto o sol brilhar!

Que todos sejam abençoados

por meio dele,

e que todas as nações lhe chamem

bem-aventurado.

18Bendito seja o Senhor Deus,

o Deus de Israel,

o único que faz maravilhas!

19Bendito para sempre

o seu glorioso nome,

e da sua glória se encha

toda a terra.

Amém e amém!

20Aqui terminam as orações

de Davi, filho de Jessé.

Salmos 72NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.8
SIGA A SBB: