Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 162

Texto(s) da Bíblia

A explicação de Paulo

14E eu mesmo, meus irmãos, estou certo de que vocês estão cheios de bondade, têm todo o conhecimento e são aptos para admoestar uns aos outros. 15Entretanto, eu lhes escrevi, em parte mais ousadamente, como para fazer com que vocês se lembrem disso outra vez, por causa da graça que me foi dada por Deus, 16para que eu seja ministro de Cristo Jesus entre os gentios, no sagrado encargo de anunciar o evangelho de Deus, de modo que a oferta deles seja aceitável, uma vez santificada pelo Espírito Santo. 17Tenho, pois, motivo de gloriar-me em Cristo Jesus nas coisas concernentes a Deus. 18Porque não ousarei falar sobre coisa alguma, a não ser sobre aquelas que Cristo fez por meio de mim, para conduzir os gentios à obediência, por palavra e por obras, 19por força de sinais e prodígios, pelo poder do Espírito de Deus. Assim, desde Jerusalém e arredores até o Ilírico, tenho divulgado o evangelho de Cristo, 20esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já foi anunciado, para não edificar sobre alicerce alheio. 21Pelo contrário, como está escrito:

“Aqueles que não tiveram

notícia dele o verão,

e os que nada tinham ouvido

a respeito dele o entenderão.”

Os planos de Paulo

22Essa foi a razão por que também, muitas vezes, fui impedido de visitá-los. 23Mas, agora, não tendo mais campo de atividade nestas regiões e desejando há muitos anos visitá-los, 24penso em fazê-lo quando em viagem para a Espanha. Pois espero que, de passagem, eu possa vê-los e que vocês me encaminhem para lá, depois de haver primeiro desfrutado um pouco a companhia de vocês. 25Mas agora estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos. 26Porque a Macedônia e a Acaia resolveram levantar uma coleta em benefício dos pobres dentre os santos que vivem em Jerusalém. 27Isto lhes pareceu bem, e de fato lhes são devedores. Porque, se os gentios têm sido participantes dos valores espirituais dos judeus, devem também servi-los com bens materiais. 28Tendo, pois, concluído isto e havendo-lhes consignado este fruto, irei à Espanha, passando por aí. 29E bem sei que, ao visitá-los, irei na plenitude da bênção de Cristo.

Paulo pede as orações

30Irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e também pelo amor do Espírito, peço que lutem juntamente comigo nas orações a Deus a meu favor, 31para que eu me veja livre dos rebeldes que vivem na Judeia, e que este meu serviço em Jerusalém seja bem-aceito pelos santos. 32Isto para que, pela vontade de Deus, eu chegue à presença de vocês com alegria e possa ter algum descanso na companhia de vocês. 33E o Deus da paz esteja com todos vocês. Amém!

Romanos 15:14-33NAAAbrir na Bíblia

Os filisteus desconfiam de Davi

1Os filisteus reuniram todos os seus exércitos em Afeca, enquanto os israelitas acamparam junto à fonte que está em Jezreel. 2Os governantes dos filisteus se foram para lá com centenas e com milhares. Davi e os seus homens iam com Aquis, na retaguarda. 3Então os chefes dos filisteus perguntaram:

— O que estes hebreus estão fazendo aqui?

Aquis respondeu:

— Não é este Davi, o servo de Saul, rei de Israel, que está comigo há muitos dias ou anos? E desde que desertou e passou para o meu lado até o dia de hoje não encontrei nada de errado nele.

4Porém os comandantes dos filisteus se indignaram contra Aquis e lhe disseram:

— Mande este homem embora, para que volte ao lugar que você lhe designou. Ele não deve entrar conosco na batalha, para que não se torne nosso adversário no combate. Pois de que outro modo se reconciliaria com o seu senhor? Não seria, por acaso, com as cabeças destes homens? 5Não é este aquele Davi, de quem cantavam nas danças, dizendo:

“Saul matou os seus milhares,

porém Davi, os seus dez milhares”?

6Então Aquis chamou Davi e lhe disse:

— Tão certo como vive o Senhor, você é um homem correto, e me parece bem que você tome parte comigo nesta campanha. Porque não encontrei nenhum mal em você, desde o dia em que você veio para junto de mim até o dia de hoje. Mas os governantes não se agradaram de você. 7Portanto, agora volte e vá em paz, para que você não desagrade aos governantes dos filisteus.

8Então Davi disse a Aquis:

— Mas o que foi que eu fiz? Ou o que você encontrou de errado neste seu servo, desde o dia em que entrei para o seu serviço até hoje, para que eu não possa lutar contra os inimigos do rei, meu senhor?

9Aquis respondeu:

— Eu sei que aos meus olhos você é bom como um anjo de Deus. Mas os comandantes dos filisteus disseram: “Ele não deve ir conosco à batalha.” 10Portanto, levante-se amanhã de madrugada com os seus servos, que vieram com você. E ao se levantarem, logo que amanhecer, vão embora daqui.

11Então Davi se levantou de madrugada, ele e os seus homens, para voltar à terra dos filisteus. E os filisteus foram para Jezreel.

1Samuel 29NAAAbrir na Bíblia

Ziclague é saqueada pelos amalequitas

1Aconteceu que, ao terceiro dia, quando Davi e os seus homens chegaram a Ziclague, os amalequitas já tinham invadido o Sul e a cidade de Ziclague. Tomaram Ziclague e a incendiaram. 2Levaram cativas as mulheres que lá estavam, mas não mataram ninguém, nem pequenos nem grandes; tão somente os levaram consigo e foram embora. 3Davi e os seus homens chegaram à cidade, e viram que tinha sido queimada, e que as suas mulheres, os seus filhos e as suas filhas haviam sido levados cativos. 4Então Davi e o povo que estava com ele ergueram a voz e choraram, até não terem mais forças para chorar. 5Também as duas mulheres de Davi tinham sido levadas: Ainoã, a jezreelita, e Abigail, a viúva de Nabal, o carmelita. 6Davi ficou muito angustiado, pois o povo falava de apedrejá-lo, porque todos estavam amargurados, cada um por causa de seus filhos e suas filhas. Mas Davi se reanimou no Senhor, seu Deus.

Davi livra os cativos

7Davi disse a Abiatar, o sacerdote, filho de Aimeleque:

— Traga aqui a estola sacerdotal.

E Abiatar a trouxe a Davi. 8Então Davi consultou o Senhor, dizendo:

— Devo perseguir esse bando? Conseguirei alcançá-lo?

O Senhor respondeu:

— Persiga o bando, porque você certamente o alcançará e libertará os cativos.

9Então Davi partiu, ele e os seiscentos homens que com ele estavam, e chegaram ao ribeiro de Besor, onde os retardatários ficaram. 10Davi e quatrocentos homens continuaram a perseguição, mas duzentos ficaram atrás, por não poderem passar o ribeiro de Besor, de tão cansados que estavam.

11Encontraram no campo um homem egípcio e o trouxeram a Davi. Deram-lhe pão, e ele comeu, e deram-lhe água para beber. 12Deram-lhe também um pedaço de pasta de figos secos e dois cachos de passas, e ele comeu. Assim, recobrou as forças, pois havia três dias e três noites que não comia pão, nem bebia água. 13Então Davi lhe perguntou:

— De quem você é e de onde você vem?

O moço egípcio respondeu:

— Sou servo de um amalequita, e meu senhor me deixou aqui, porque adoeci há três dias. 14Nós invadimos o lado sul dos queretitas, o território de Judá e o lado sul de Calebe e pusemos fogo em Ziclague.

15Então Davi lhe perguntou:

— Você poderia me levar até esse bando?

Ele respondeu:

— Jure por Deus que não vai me matar, nem me entregar nas mãos de meu senhor, e eu o levarei até esse bando.

16E ele levou Davi até lá. Eis que os amalequitas estavam espalhados por toda a região, comendo, bebendo e fazendo festa por todo aquele grande despojo que tomaram da terra dos filisteus e da terra de Judá. 17Davi os atacou e lutou contra eles, desde o crepúsculo até a tarde do dia seguinte, e nenhum deles escapou, a não ser quatrocentos moços que montaram em camelos e fugiram. 18Assim, Davi salvou tudo o que os amalequitas tinham levado. Também salvou as suas duas mulheres. 19Não lhes faltou coisa alguma, nem pequena nem grande, nem os filhos, nem as filhas, nem o despojo, nada do que lhes haviam tomado: Davi trouxe tudo de volta. 20Davi também tomou todas as ovelhas e o gado. Então levaram esses animais diante de Davi e disseram:

— Este é o despojo de Davi.

A lei a respeito da divisão da presa

21Quando Davi se aproximou dos duzentos homens que, de tão cansados que estavam, não o puderam seguir e ficaram no ribeiro de Besor, estes saíram ao encontro de Davi e do povo que vinha com ele. Davi se aproximou deles e os saudou cordialmente. 22Então todos os perversos e malignos, dentre os homens que tinham ido com Davi, disseram:

— Uma vez que não foram conosco, não lhes daremos nada do despojo que salvamos. Que cada um leve a sua mulher e os seus filhos e se vá embora.

23Porém Davi disse:

— Meus irmãos, não façam isto com o que o Senhor nos deu. Ele nos guardou e entregou em nossas mãos o bando que vinha contra nós. 24E quem lhes daria ouvidos nisso? Porque a mesma parte que cabe aos que foram à batalha será também a parte dos que ficaram com a bagagem; receberão partes iguais.

25E assim, desde aquele dia em diante, isso foi estabelecido por estatuto e direito em Israel, até o dia de hoje.

26Quando Davi chegou a Ziclague, enviou parte do despojo aos anciãos de Judá, seus amigos, dizendo:

— Este é um presente para vocês, tirado do despojo dos inimigos do Senhor.

27Ele enviou esse presente aos anciãos de Betel, de Ramote do Neguebe, de Jatir, 28de Aroer, de Sifmote, de Estemoa, 29de Racal, das cidades dos jerameelitas e dos queneus, 30de Horma, de Borasã, de Atace, 31de Hebrom e de todos os lugares em que Davi tinha passado, ele e os seus homens.

1Samuel 30NAAAbrir na Bíblia

A derrota de Israel e a morte de Saul

1Cr 10.1-7

1Os filisteus lutaram contra Israel. E os homens de Israel, fugindo da presença dos filisteus, caíram mortos no monte Gilboa. 2Os filisteus seguiram de perto Saul e seus filhos e mataram Jônatas, Abinadabe e Malquisua, filhos de Saul. 3A batalha se intensificou contra Saul. Os flecheiros o avistaram e ele foi ferido gravemente. 4Então Saul disse ao seu escudeiro:

— Arranque a sua espada e atravesse-me com ela, para que não venham esses incircuncisos, me atravessem com a espada e zombem de mim.

Mas o seu escudeiro não quis fazer isso, porque estava com muito medo. Então Saul pegou a sua própria espada e se lançou sobre ela. 5Quando o escudeiro viu que Saul estava morto, também se lançou sobre a sua espada e morreu com ele. 6E assim morreram juntamente naquele dia Saul, os seus três filhos, o seu escudeiro e todos os seus soldados. 7Quando os homens de Israel que estavam no outro lado do vale e no outro lado do Jordão viram que o exército de Israel fugiu e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as cidades e fugiram. E vieram os filisteus e habitaram nelas.

O sepultamento de Saul

1Cr 10.8-12

8E aconteceu que no dia seguinte, quando os filisteus foram tirar os despojos dos mortos, encontraram Saul e os seus três filhos caídos no monte Gilboa. 9Cortaram a cabeça de Saul e o despojaram das suas armas. Enviaram mensageiros pela terra dos filisteus, ao redor, para levar as boas-novas ao templo dos seus ídolos e ao povo. 10Puseram as armas de Saul no templo de Astarote, e o seu corpo afixaram na muralha de Bete-Seã.

11Quando os moradores de Jabes-Gileade ouviram o que os filisteus haviam feito com Saul, 12todos os homens valentes se levantaram, caminharam toda a noite, tiraram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos da muralha de Bete-Seã e os levaram a Jabes, onde os queimaram. 13Depois pegaram os ossos deles e os sepultaram debaixo de um arvoredo, em Jabes. E jejuaram sete dias.

1Samuel 31NAAAbrir na Bíblia

Súplicas de um ancião

1Em ti, Senhor, me refugio;

não seja eu jamais envergonhado.

2Livra-me por tua justiça

e resgata-me;

inclina-me os ouvidos e salva-me.

3Sê tu para mim

uma rocha habitável

em que eu sempre possa

me refugiar.

Ordenaste que eu me salve,

pois tu és a minha rocha

e a minha fortaleza.

4Livra-me, Deus meu,

das mãos do ímpio,

das garras do homem injusto

e cruel.

5Pois tu és a minha esperança,

Senhor Deus,

a minha confiança

desde a minha mocidade.

6Em ti eu tenho me apoiado

desde o meu nascimento;

tu me tiraste do ventre materno.

A ti se dirige constantemente

o meu louvor.

7Para muitos sou motivo

de espanto,

mas tu és o meu forte refúgio.

8Os meus lábios estão repletos

do teu louvor

e da tua glória continuamente.

9Não me rejeites

na minha velhice;

quando me faltarem as forças,

não me desampares.

10Pois os meus inimigos

falam contra mim;

e os que querem matar-me

conspiram,

11dizendo: “Deus o abandonou.

Persigam-no e prendam-no,

pois não há quem o possa livrar.”

12Ó Deus, não te ausentes de mim;

Deus meu, apressa-te

em me socorrer.

13Que sejam envergonhados

e consumidos

os que são adversários

de minha alma;

cubram-se de vergonha

e de vexame

os que procuram o meu mal.

14Quanto a mim, esperarei sempre

e te louvarei cada vez mais.

15A minha boca proclamará

a tua justiça;

o dia inteiro contarei

os feitos da tua salvação,

ainda que eu não saiba

o seu número.

16Irei na força do Senhor Deus;

anunciarei a tua justiça,

a tua somente.

17Tu me tens ensinado, ó Deus,

desde a minha mocidade;

e até agora tenho anunciado

as tuas maravilhas.

18Não me desampares, ó Deus,

agora que estou velho

e de cabelos brancos,

até que eu tenha declarado

à presente geração a tua força

e às gerações vindouras o teu poder.

19A tua justiça, ó Deus,

se eleva até os céus.

Grandes coisas tens feito, ó Deus;

quem é semelhante a ti?

20Tu, que me tens feito ver

muitas angústias e males,

me restaurarás ainda a vida

e de novo me tirarás

dos abismos da terra.

21Aumenta a minha grandeza

e consola-me novamente.

22Eu também te louvo com a lira

por tua verdade,

ó Deus meu;

cantarei louvores a ti

ao som da harpa,

ó Santo de Israel.

23Os meus lábios exultarão

quando eu cantar louvores a ti;

também exultará a minha alma,

que remiste.

24Igualmente a minha língua

celebrará a tua justiça

todo o dia;

pois estão envergonhados

e confundidos

os que procuram o meu mal.

Salmos 71NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: