Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 160

Texto(s) da Bíblia

Tolerância com os fracos na fé

1Acolham quem é fraco na fé, não, porém, para discutir opiniões. 2Um crê que pode comer de tudo, mas quem é fraco na fé come legumes. 3Quem come de tudo não deve desprezar o que não come; e o que não come não deve julgar o que come de tudo, porque Deus o acolheu. 4Quem é você para julgar o servo alheio? Para o seu próprio dono é que ele está em pé ou cai; mas ficará em pé, porque o Senhor é poderoso para o manter em pé.

5Alguns pensam que certos dias são mais importantes do que os demais, mas outros pensam que todos os dias são iguais. Cada um tenha opinião bem-definida em sua própria mente. 6Quem pensa que certos dias são mais importantes faz isso para o Senhor. Quem come de tudo faz isso para o Senhor, porque dá graças a Deus. E quem não come de tudo é para o Senhor que não come e dá graças a Deus. 7Porque nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. 8Porque, se vivemos, é para o Senhor que vivemos; se morremos, é para o Senhor que morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor.

9Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e tornou a viver: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos. 10Você, porém, por que julga o seu irmão? E você, por que despreza o seu irmão? Pois todos temos de comparecer diante do tribunal de Deus. 11Como está escrito:

“Por minha vida, diz o Senhor,

diante de mim

se dobrará todo joelho,

e toda língua

dará louvores a Deus.”

12Assim, pois, cada um de nós prestará contas de si mesmo diante de Deus.

A liberdade e o amor

13Portanto, deixemos de julgar uns aos outros. Pelo contrário, tomem a decisão de não pôr tropeço ou escândalo diante do irmão. 14Eu sei e estou persuadido, no Senhor Jesus, de que nada é impuro em si mesmo, a não ser para aquele que pensa que alguma coisa é impura; para esse é impura. 15Se o seu irmão fica triste por causa do que você come, você já não anda segundo o amor. Não faça perecer, por causa daquilo que você come, aquele por quem Cristo morreu. 16Não seja, pois, difamado aquilo que vocês consideram bom. 17Porque o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo. 18Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelas pessoas.

19Assim, pois, sigamos as coisas que contribuem para a paz e também as que são para a edificação mútua. 20Não destrua a obra de Deus por causa da comida. Todas as coisas, na verdade, são puras, mas não é bom quando alguém come algo que causa escândalo. 21É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve um irmão a tropeçar. 22A fé que você tem, guarde-a para você mesmo diante de Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova. 23Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, pois o que ele faz não provém de fé; e tudo o que não provém de fé é pecado.

Romanos 14NAAAbrir na Bíblia

Outra vez Davi poupa a vida de Saul

1Os zifeus foram falar com Saul, em Gibeá, e disseram:

— Não é verdade que Davi está escondido no monte Haquila, em frente de Jesimom?

2Então Saul se levantou e foi ao deserto de Zife, em busca de Davi, levando consigo três mil homens escolhidos de Israel. 3Saul acampou no monte Haquila, em frente de Jesimom, junto ao caminho, porém Davi ficou no deserto. Quando ouviu dizer que Saul vinha à sua procura no deserto, 4enviou espias e soube que Saul, de fato, tinha chegado. 5Davi se levantou e foi ao lugar onde Saul estava acampado. Viu o lugar onde dormiam Saul e Abner, filho de Ner, comandante do seu exército. Saul dormia dentro do acampamento, e o povo estava acampado ao redor dele.

6Davi perguntou a Aimeleque, o heteu, e a Abisai, filho de Zeruia, irmão de Joabe:

— Quem irá comigo ao arraial de Saul?

Abisai respondeu:

— Eu irei com você.

7Assim, Davi e Abisai foram, de noite, ao acampamento. E eis que Saul estava deitado, dormindo. A lança dele estava fincada na terra, perto da sua cabeça. Abner e o povo estavam deitados ao redor dele. 8Então Abisai disse a Davi:

— Hoje Deus entregou o seu inimigo nas suas mãos. Deixe que eu vá, agora, encravá-lo com a lança, ao chão, com um só golpe; não será preciso um segundo golpe.

9Davi, porém, respondeu a Abisai:

— Não o mate, pois quem pode estender a mão contra o ungido do Senhor e ficar inocente?

10Davi continuou:

— Tão certo como vive o Senhor Deus, ele mesmo o matará; ou chegará o dia de sua morte, ou, indo para a guerra, será morto em combate. 11O Senhor me livre de estender a mão contra o seu ungido! Agora, porém, pegue a lança que está perto da cabeça dele e o jarro de água, e vamos embora.

12Então Davi pegou a lança e o jarro de água que estavam perto da cabeça de Saul, e eles foram embora. Ninguém viu, nem ficou sabendo, nem acordou. Todos dormiam, porque havia caído sobre eles um profundo sono, vindo da parte do Senhor.

13Quando Davi tinha passado para o outro lado, pôs-se no alto do monte ao longe, de maneira que havia uma grande distância entre eles. 14Então gritou para o povo e para Abner, filho de Ner, dizendo:

— Você não vai responder, Abner?

Então Abner respondeu:

— Quem é você, que está aí gritando para o rei?

15Davi respondeu:

— Você não é homem? E quem é igual a você em Israel? Então por que não protegeu o seu senhor, o rei? Porque alguém do povo foi até aí para matar o rei, seu senhor. 16Não é bom isso que você fez! Tão certo como vive o Senhor Deus, vocês merecem morrer, vocês que não protegeram seu senhor, o ungido do Senhor Deus. Agora vejam onde está a lança do rei e o jarro de água que estava perto da cabeça dele.

Saul, outra vez, se reconcilia com Davi

17Então Saul reconheceu a voz de Davi e disse:

— É esta a sua voz, meu filho Davi?

E Davi respondeu:

— Sim, é a minha voz, ó rei, meu senhor.

18Disse mais:

— Por que o meu senhor está perseguindo o seu servo? O que foi que eu fiz? E que maldade se acha nas minhas mãos? 19E agora, ó rei, meu senhor, por favor escute as palavras deste seu servo. Se é o Senhor Deus que o está incitando contra mim, que ele aceite uma oferta. Mas, se são os filhos dos homens, que sejam malditos diante do Senhor! Porque eles me expulsaram hoje, para que eu não tenha parte na herança do Senhor, como que dizendo: “Vá e sirva outros deuses.” 20Agora, que o meu sangue não seja derramado longe desta terra do Senhor. Porque o rei de Israel saiu em busca de uma pulga, como quem persegue uma perdiz nos montes.

21Então Saul disse:

— Pequei! Volte, meu filho Davi, pois não mais lhe farei mal, porque hoje a minha vida foi preciosa aos seus olhos. Eu tenho agido como um louco e cometi um erro muito grande.

22Davi respondeu:

— Aqui está a lança, ó rei. Que um dos seus rapazes venha aqui pegá-la. 23E que o Senhor Deus recompense cada um pela sua justiça e lealdade. Porque hoje o Senhor Deus o havia entregado nas minhas mãos, porém eu não quis estendê-las contra o ungido do Senhor. 24Assim como hoje a sua vida foi de grande valor aos meus olhos, assim também seja a minha vida aos olhos do Senhor Deus, e que ele me livre de toda a angústia.

25Então Saul disse a Davi:

— Bendito seja você, meu filho Davi! Porque você fará grandes coisas e certamente será bem-sucedido.

Então Davi seguiu o seu caminho, e Saul voltou para casa.

1Samuel 26NAAAbrir na Bíblia

Um grito de angústia

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Os lírios”. De Davi

1Salva-me, ó Deus,

porque as águas me sobem

até a alma.

2Estou atolado

num profundo lamaçal,

que não dá pé.

Entrei em águas profundas,

e estou sendo arrastado

pela correnteza.

3Estou cansado de clamar,

e a minha garganta secou;

os meus olhos esmorecem

de tanto esperar por meu Deus.

4Os que, sem razão, me odeiam

são mais numerosos

do que os cabelos

da minha cabeça;

são poderosos os que querem

me destruir,

os que com falsos motivos

são meus inimigos;

por isso, tenho de restituir

o que não roubei.

5Tu, ó Deus, bem conheces

a minha insensatez,

e as minhas culpas

não te são ocultas.

6Não sejam envergonhados

por minha causa

os que esperam em ti,

ó Senhor, Deus dos Exércitos;

nem por minha causa

sofram vexame

os que te buscam,

ó Deus de Israel.

7Pois tenho suportado afrontas

por amor de ti,

e o meu rosto se cobre

de vergonha.

8Tornei-me um estranho

para os meus irmãos

e um desconhecido para os filhos

da minha mãe.

9Pois o zelo da tua casa

me consumiu,

e as ofensas dos que te insultam

caem sobre mim.

10Chorei, jejuei,

mas até isto se tornou motivo

de deboche para mim.

11Pus um pano de saco por roupa

e me tornei motivo de provérbio

para eles.

12Os que se assentam

junto ao portão da cidade

falam de mim,

e sou motivo para cantigas

de bêbados.

13Quanto a mim, porém, Senhor,

faço a ti, em tempo favorável,

a minha oração.

Responde-me, ó Deus,

pela riqueza da tua graça.

Pela tua fidelidade em socorrer,

14livra-me do lamaçal,

para que eu não me afunde;

que eu seja salvo

dos que me odeiam

e das profundezas das águas.

15Não deixes que

a corrente das águas

me arraste,

nem que as profundezas do abismo

me engulam,

nem que se feche sobre mim

a boca do poço.

16Responde-me, Senhor,

pois compassiva é a tua graça;

volta-te para mim

segundo a riqueza

das tuas misericórdias.

17Não escondas o rosto

ao teu servo,

pois estou angustiado;

responde-me depressa.

18Aproxima-te de minha alma

e redime-a;

resgata-me por causa

dos meus inimigos.

19Tu conheces a minha afronta,

a minha vergonha e o meu vexame;

todos os meus adversários

estão à tua vista.

20As afrontas partiram

o meu coração,

e desfaleci.

Esperei por piedade,

mas foi em vão.

Esperei por consoladores,

mas não apareceu ninguém.

21Por alimento me deram fel

e na minha sede

me deram a beber vinagre.

22Que a mesa deles se torne

em laço diante deles,

e a prosperidade, em armadilha.

23Que os olhos deles se escureçam,

para que não vejam;

e faze com que as suas costas

não parem de tremer.

24Derrama sobre eles

a tua indignação,

e que o furor da tua ira os alcance.

25Fique deserta a sua morada,

e não haja quem habite

nas suas tendas.

26Pois perseguem a quem tu feriste

e ficam falando

sobre as dores daqueles

a quem golpeaste.

27Soma-lhes iniquidade

à iniquidade,

e que não tenham acesso

à tua justiça.

28Sejam riscados

do Livro dos Vivos

e não sejam incluídos

na lista dos justos.

29Quanto a mim, porém,

estou sofrendo e aflito;

que a tua salvação, ó Deus,

me ponha num alto refúgio.

30Louvarei com cânticos

o nome de Deus;

quero exaltá-lo

com ações de graças.

31Isso será muito mais agradável

ao Senhor

do que um boi ou um novilho

com chifres e cascos.

32Que os aflitos vejam isso

e se alegrem;

quanto a vocês

que buscam a Deus,

que o seu coração se reanime.

33Porque o Senhor

ouve os necessitados

e não despreza os seus prisioneiros.

34Louvem-no os céus e a terra,

os mares e tudo

o que neles se move.

35Porque Deus salvará Sião

e edificará as cidades de Judá;

habitarão ali

e tomarão posse de Sião.

36Também a descendência

dos seus servos a herdará,

e nela habitarão os que amam

o nome de Deus.

Salmos 69NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: