Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 124

Texto(s) da Bíblia

Paulo leva Timóteo consigo

1Paulo chegou também a Derbe e a Listra. Havia ali um discípulo chamado Timóteo, filho de uma judia crente, mas de pai grego. 2Os irmãos em Listra e Icônio davam bom testemunho dele. 3Paulo queria que Timóteo fosse em sua companhia e, por isso, circuncidou-o por causa dos judeus daqueles lugares; pois todos sabiam que o pai dele era grego. 4Ao passar pelas cidades, entregavam aos irmãos as decisões tomadas pelos apóstolos e presbíteros de Jerusalém, para que as observassem. 5Assim, as igrejas eram fortalecidas na fé e, dia a dia, aumentavam em número.

A visão em Trôade

6E percorreram a região frígio-gálata, tendo sido impedidos pelo Espírito Santo de pregar a palavra na província da Ásia. 7Chegando perto de Mísia, tentaram ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu. 8E, tendo contornado Mísia, foram a Trôade. 9À noite, Paulo teve uma visão na qual um homem da Macedônia estava em pé e lhe rogava, dizendo:

— Passe à Macedônia e ajude-nos.

10Assim que Paulo teve a visão, imediatamente procuramos partir para aquele destino, concluindo que Deus nos havia chamado para lhes anunciar o evangelho.

Paulo em Filipos. A conversão de Lídia

11Tendo, pois, navegado de Trôade, fomos diretamente para Samotrácia e, no dia seguinte, a Neápolis. 12Dali fomos a Filipos, cidade da Macedônia, primeira do distrito e colônia romana. Nesta cidade, permanecemos alguns dias. 13No sábado, saímos da cidade para a beira do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que haviam se reunido ali. 14Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia. 15Depois de ser batizada, ela e toda a sua casa, nos fez este pedido:

— Se julgam que eu sou fiel ao Senhor, venham ficar na minha casa.

E nos constrangeu a isso.

Atos 16:1-15NAAAbrir na Bíblia

Deus repreende os israelitas

1O Anjo do Senhor foi de Gilgal a Boquim e disse:

— Eu tirei vocês do Egito e os trouxe à terra que, sob juramento, havia prometido aos seus pais. Eu disse: “Nunca invalidarei a minha aliança com vocês. 2Quanto a vocês, não façam nenhuma aliança com os moradores desta terra; pelo contrário, derrubem os seus altares.” No entanto, vocês não obedeceram à minha voz. O que é isso que vocês fizeram? 3Por isso, também eu disse: “Não expulsarei esses povos da presença de vocês; pelo contrário, eles serão seus adversários, e os deuses deles serão uma armadilha para vocês.”

4Quando o Anjo do Senhor acabou de falar estas palavras a todos os filhos de Israel, o povo levantou a sua voz e chorou. 5Por isso aquele lugar foi chamado de Boquim. E ali ofereceram sacrifícios ao Senhor.

A morte de Josué

Js 24.29-31

6Depois que Josué despediu o povo, os filhos de Israel se foram, cada um à sua herança, para possuírem a terra. 7O povo serviu o Senhor todos os dias de Josué e todos os dias dos anciãos que ainda sobreviveram por muito tempo depois de Josué e que viram todas as grandes obras que o Senhor tinha feito por Israel.

8Josué, filho de Num, servo do Senhor, morreu com a idade de cento e dez anos. 9Foi sepultado em sua própria herança, em Timnate-Heres, na região montanhosa de Efraim, ao norte do monte Gaás.

10Toda aquela geração também morreu e foi reunida aos seus pais. E, depois dela, se levantou uma nova geração, que não conhecia o Senhor, nem as obras que ele havia feito por Israel. 11Então os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do Senhor, servindo os baalins. 12Deixaram o Senhor, Deus de seus pais, que os havia tirado da terra do Egito, e seguiram outros deuses, os deuses dos povos que havia ao redor deles, e os adoraram, e provocaram o Senhor à ira. 13Porque deixaram o Senhor e serviram Baal e Astarote. 14A ira do Senhor se acendeu contra Israel e ele os entregou nas mãos de ladrões que os despojavam do que possuíam. Ele os entregou nas mãos dos seus inimigos ao redor; e não puderam mais resistir a eles. 15Por onde quer que fossem, a mão do Senhor estava contra eles para seu mal, como o Senhor lhes tinha dito e como lhes havia jurado. E estavam em grande aperto.

16Então o Senhor suscitou juízes, que os livraram das mãos dos que os atacavam e roubavam. 17Mas eles não obedeceram aos seus juízes; pelo contrário, se prostituíram com outros deuses e os adoraram. Depressa se desviaram do caminho por onde andaram seus pais na obediência aos mandamentos do Senhor; e não fizeram como eles.

18Quando o Senhor lhes suscitava juízes, o Senhor estava com o juiz e os livrava das mãos dos seus inimigos, todos os dias daquele juiz; porque o Senhor se compadecia deles ante os seus gemidos, por causa dos que os afligiam e oprimiam. 19Mas, quando o juiz morria, eles voltavam a viver como antes e se tornavam piores do que os seus pais, seguindo outros deuses, servindo-os e adorando-os. Não abandonavam nenhuma das suas práticas, nem a sua obstinação. 20Por isso a ira do Senhor se acendeu contra Israel, e ele disse:

— Porque este povo transgrediu a minha aliança que eu havia ordenado a seus pais e não deu ouvidos à minha voz, 21também eu não expulsarei mais de diante deles nenhuma das nações que Josué deixou quando morreu. 22Por meio delas vou pôr Israel à prova, para ver se o povo guardará ou não o caminho do Senhor, como seus pais o guardaram.

23Assim, o Senhor deixou que aquelas nações ficassem e não as expulsou logo, nem as entregou nas mãos de Josué.

Juízes 2NAAAbrir na Bíblia

Povos pagãos no meio de Israel

1São estas as nações que o Senhor deixou ficar para, por meio delas, pôr Israel à prova, isto é, para provar todos os israelitas que não sabiam de todas as guerras de Canaã. 2Ele fez isso tão somente para que as gerações dos filhos de Israel conhecessem a guerra, para lhes ensinar a guerra, pelo menos às gerações que, anteriormente, não sabiam disso. 3Os que ficaram foram: cinco governantes dos filisteus, todos os cananeus, sidônios e heveus que habitavam as montanhas do Líbano, desde o monte de Baal-Hermom até a entrada de Hamate. 4Estes ficaram para, por meio deles, o Senhor pôr Israel à prova, para saber se dariam ouvidos aos mandamentos que havia ordenado a seus pais por meio de Moisés. 5Assim, os filhos de Israel moravam no meio dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus. 6Tomaram de suas filhas para si por mulheres e deram as suas próprias aos filhos deles; e rendiam culto a seus deuses.

Otniel

7Os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do Senhor e se esqueceram do Senhor, seu Deus; e renderam culto aos baalins e ao poste da deusa Aserá. 8Então a ira do Senhor se acendeu contra Israel, e ele os entregou nas mãos de Cusã-Risataim, rei da Mesopotâmia; e os filhos de Israel serviram Cusã-Risataim durante oito anos.

9Os filhos de Israel clamaram ao Senhor, e o Senhor lhes suscitou um libertador, que os libertou: Otniel, filho de Quenaz, que era irmão de Calebe e mais novo do que ele. 10O Espírito do Senhor veio sobre ele, e ele se tornou juiz de Israel. Foi para a guerra, e o Senhor lhe entregou nas mãos Cusã-Risataim, rei da Mesopotâmia, contra o qual ele prevaleceu.

11Então a terra ficou em paz durante quarenta anos. Otniel, filho de Quenaz, morreu.

Eúde

12Os filhos de Israel tornaram a fazer o que era mau aos olhos do Senhor. Por isso, o Senhor deu poder a Eglom, rei dos moabitas, contra Israel, porque fizeram o que era mau aos olhos do Senhor. 13Eglom se juntou com os filhos de Amom e os amalequitas, foi e derrotou Israel. E eles se apoderaram da cidade das palmeiras. 14E os filhos de Israel serviram Eglom, rei dos moabitas, durante dezoito anos.

15Então os filhos de Israel clamaram ao Senhor, e o Senhor lhes suscitou um libertador: Eúde, homem canhoto, filho de Gera, benjamita. Por meio dele, os filhos de Israel enviaram tributo a Eglom, rei dos moabitas. 16Eúde fez para si um punhal de dois gumes, do comprimento de quase meio metro; e cingiu-o debaixo da sua roupa, do lado direito. 17Então ele levou o tributo a Eglom, rei dos moabitas. Eglom era um homem muito gordo. 18Depois de entregar o tributo, Eúde saiu com os carregadores do tributo. 19Ele, porém, voltou do ponto em que estavam as imagens de escultura ao pé de Gilgal e disse ao rei:

— Tenho uma palavra secreta para o senhor, ó rei.

O rei disse:

— Cale-se.

Então todos os que estavam com o rei saíram de sua presença. 20Eúde entrou numa sala de verão, que o rei tinha só para si, e onde ele estava sentado. Eúde disse:

— Tenho uma palavra de Deus para o senhor.

E Eglom se levantou da cadeira. 21Então Eúde estendeu a mão esquerda, puxou o seu punhal do lado direito e o cravou na barriga do rei, 22de tal maneira que entrou também o cabo com a lâmina; e, porque não tirou o punhal da barriga, a gordura se fechou sobre ele. Eúde saiu por uma portinhola, 23passou para a antessala, depois de fechar e trancar as portas atrás de si. 24Quando ele tinha saído, vieram os servos do rei e viram que as portas da sala de verão estavam trancadas. E disseram:

— Sem dúvida ele está fazendo as necessidades na sala de verão.

25Esperaram até cansar; e, como o rei não abria a porta da sala, pegaram a chave e a abriram; e eis que o seu senhor estava morto, caído no chão. 26Eúde escapou enquanto eles se demoravam e, tendo passado pelas imagens de escultura, foi para Seirá. 27Tendo chegado, tocou a trombeta nas montanhas de Efraim; e os filhos de Israel desceram com ele das montanhas, indo ele à frente. 28E lhes disse:

— Sigam-me, porque o Senhor entregou nas mãos de vocês os seus inimigos, os moabitas.

Eles seguiram Eúde e tomaram os vaus do Jordão contra os moabitas, e a nenhum deles deixaram passar. 29Naquele tempo, mataram uns dez mil homens moabitas, todos robustos e valentes; e não escapou nem sequer um. 30Assim, naquele dia, Moabe foi subjugado por Israel.

E a terra ficou em paz durante oitenta anos.

Sangar

31Depois de Eúde veio Sangar, filho de Anate, que matou seiscentos filisteus com uma aguilhada de bois; e também ele libertou Israel.

Juízes 3NAAAbrir na Bíblia

Segunda fala de Eliú

Cap. 34

1Eliú disse mais:

2“Vocês que são sábios,

ouçam as minhas palavras;

vocês que são instruídos,

escutem o que vou dizer.

3Porque o ouvido

avalia as palavras,

assim como o paladar

prova a comida.

4Escolhamos para nós

o que é direito;

conheçamos entre nós

o que é bom.”

Deus não perverte o direito

5“Porque Jó disse: ‘Sou justo,

e Deus tirou o meu direito.

6Apesar do meu direito,

sou considerado mentiroso;

a minha ferida é incurável,

embora não tenha cometido

nenhum pecado.’”

7“Será que existe outro homem

semelhante a Jó

que bebe a zombaria

como se fosse água?

8Ele segue o caminho

dos que praticam a iniquidade

e anda com homens perversos.

9Pois disse: ‘De nada adianta

ao homem

ter o seu prazer em Deus.’”

10“Por isso, vocês que têm

entendimento, me escutem:

longe de Deus o praticar ele

a maldade,

e longe do Todo-Poderoso

o cometer injustiça.

11Pois Deus retribui ao homem

segundo as suas obras

e paga a cada um

conforme o seu caminho.

12Na verdade,

Deus não pratica o mal;

o Todo-Poderoso

não perverte o direito.

13Quem lhe entregou

o governo da terra?

Quem lhe confiou o universo?

14Se Deus pensasse

apenas em si mesmo

e fizesse voltar para si

o seu espírito e o seu sopro,

15toda a humanidade morreria

ao mesmo tempo,

e o homem voltaria para o pó.”

Deus é justo e poderoso

16“Portanto, se você

tem entendimento, escute isto;

dê ouvidos ao som

das minhas palavras.

17Se Deus odiasse o direito,

será que poderia governar?

E será que você quer condenar

aquele que é justo e poderoso?

18Será que alguém diria a um rei:

‘Você não vale nada!’?

Ou diria aos príncipes:

‘Seus perversos!’?

19Quanto menos dirá isso

àquele que não privilegia

os príncipes,

e que não favorece

o rico em prejuízo do pobre;

porque todos

são obra de suas mãos.

20De repente, morrem;

no meio da noite, as pessoas

são abaladas e passam,

e os poderosos são levados

por uma força invisível.

21Os olhos de Deus estão

sobre os caminhos do homem

e veem todos os seus passos.

22Não há trevas nem sombra

profunda o bastante,

onde os que praticam a iniquidade

possam se esconder.

23Pois Deus não precisa observar

o homem por muito tempo

antes de o fazer comparecer

em juízo diante dele.

24Deus arrasa os poderosos,

sem os inquirir,

e põe outros em seu lugar.

25Porque ele conhece

as obras deles;

de noite, os transtorna

e eles são esmagados.

26Ele os castiga

como se fossem ímpios,

à vista de todos,

27porque se afastaram de Deus,

e não quiseram compreender

nenhum de seus caminhos,

28e assim fizeram com que

o grito dos pobres

subisse até Deus,

e este ouviu o lamento dos aflitos.”

29“Se ele se calar,

quem o condenará?

Se encobrir o rosto,

quem poderá vê-lo?

Mas ele está acima dos povos

e das pessoas,

30para que o ímpio não reine,

e não haja quem iluda o povo.”

Você prometeu parar de praticar injustiça?

31“Se alguém se dirige a Deus,

dizendo:

‘Sofri, não vou pecar mais;

32ensina-me o que

não consigo ver;

se cometi injustiça,

jamais voltarei a praticá-la’,

33será que Deus deve

recompensá-lo segundo

o que você quer ou não quer?

Será que ele deve dizer:

‘Escolha você, e não eu;

diga o que você sabe; fale’?”

34“Os homens que têm

entendimento me responderão,

o sábio que me ouve dirá:

35‘Jó falou sem conhecimento,

e nas palavras dele

não há sabedoria.’

36Quem dera Jó

fosse provado até o fim,

porque ele respondeu

como homem iníquo.

37Pois ao seu pecado

acrescenta rebelião;

entre nós, em tom de zombaria,

bate palmas

e multiplica as suas palavras

contra Deus.”

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: