Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 91 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

Prefácio e saudação

1Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, para promover a fé que é dos eleitos de Deus e o pleno conhecimento da verdade segundo a piedade. 2Escrevo na esperança da vida eterna que o Deus que não pode mentir prometeu antes dos tempos eternos 3e, no momento oportuno, manifestou a sua palavra mediante a pregação que me foi confiada por ordem de Deus, nosso Salvador, 4a Tito, verdadeiro filho, segundo a fé comum.

Que a graça e a paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Salvador, estejam com você.

Deveres e qualificações dos ministros

5Foi por esta causa que deixei você em Creta: para que pusesse em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísse presbíteros, conforme prescrevi a você: 6alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de devassidão, nem são insubordinados.

7Porque é indispensável que o bispo, por ser encarregado das coisas de Deus, seja irrepreensível, não arrogante, alguém que não se irrita facilmente, não apegado ao vinho, não violento, nem ganancioso. 8Pelo contrário, o bispo deve ser hospitaleiro, amigo do bem, sensato, justo, piedoso, deve ter domínio de si, 9ser apegado à palavra fiel, que está de acordo com a doutrina, para que possa exortar pelo reto ensino e convencer os que contradizem este ensino.

Os falsos mestres e as falsas doutrinas

10Porque existem muitos, especialmente os da circuncisão, que são insubordinados, falam coisas sem sentido e enganam os outros. 11É preciso fazer com que se calem, porque andam pervertendo casas inteiras, ensinando o que não devem, movidos por vergonhosa ganância. 12Foi um dos cretenses, um próprio profeta deles, que disse: “Os cretenses são sempre mentirosos, feras terríveis, comilões preguiçosos.” 13Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreenda-os severamente, para que sejam sadios na fé 14e não se ocupem com fábulas judaicas, nem com mandamentos de gente que se desvia da verdade. 15Todas as coisas são puras para os puros; mas, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas. 16Afirmam que conhecem a Deus, mas o negam por meio do que fazem; é por isso que são abomináveis, desobedientes e reprovados para qualquer boa obra.

A salvação pela graça leva às boas obras

1Lembre a todos que se sujeitem aos governantes e às autoridades, que sejam obedientes e estejam prontos para toda boa obra. 2Que não difamem ninguém. Que sejam pacíficos, cordiais, dando provas de toda cortesia para com todos. 3Pois nós também, no passado, éramos insensatos, desobedientes, desgarrados, escravos de todo tipo de paixões e prazeres, vivendo em maldade e inveja, sendo odiados e odiando-nos uns aos outros. 4Mas quando se manifestou a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor por todos, 5ele nos salvou, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo a sua misericórdia. Ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, 6que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, 7a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.

8Fiel é esta palavra, e quero que você fale ousadamente a respeito dessas coisas, para que os que creem em Deus se empenhem na prática de boas obras. Estas coisas são excelentes e proveitosas para todas as pessoas. 9Evite discussões tolas, genealogias, controvérsias e debates sobre a lei; porque são inúteis e sem valor. 10Evite a pessoa que provoca divisões, depois de admoestá-la uma ou duas vezes, 11pois você sabe que tal pessoa está pervertida, vive pecando e por si mesma está condenada.

Recomendações particulares

12Quando eu lhe enviar Ártemas ou Tíquico, faça o possível para vir ao meu encontro em Nicópolis. Estou resolvido a passar o inverno ali. 13Ajude, da melhor maneira possível, Zenas, o intérprete da lei, e também Apolo, para que não lhes falte nada para a viagem. 14E, quanto aos nossos, que aprendam também a se empenhar na prática de boas obras a favor dos necessitados, para não se tornarem infrutíferos.

Saudações

15Todos os que estão comigo mandam saudações a você. Dê saudações àqueles que nos amam na fé.

Bênção

A graça esteja com todos vocês.

Prefácio e saudação

1Paulo, prisioneiro de Cristo Jesus, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom, que é também nosso colaborador, 2à igreja que se reúne em sua casa, à irmã Áfia e a Arquipo, nosso companheiro de lutas.

3Que a graça e a paz de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo estejam com vocês.

Ação de graças

4Dou graças ao meu Deus, lembrando sempre de você nas minhas orações, 5porque tenho ouvido falar da fé que você tem no Senhor Jesus e do seu amor por todos os santos. 6Oro para que a comunhão da sua fé se torne eficaz no pleno conhecimento de todo o bem que há em nós, para com Cristo. 7Pois, irmão, o seu amor me trouxe grande alegria e consolo, visto que o coração dos santos tem sido reanimado por você.

Paulo intercede em favor de Onésimo

8Pois bem, ainda que eu sinta plena liberdade em Cristo para ordenar a você o que convém ser feito, 9prefiro, no entanto, pedir em nome do amor, sendo o que sou, Paulo, o velho, e agora também prisioneiro de Cristo Jesus. 10Faço um pedido em favor de meu filho Onésimo, que gerei entre algemas. 11Antes, ele era inútil para você; atualmente, porém, é útil, para você e para mim.

12Eu o estou mandando de volta a você — ele, quero dizer, o meu próprio coração. 13Eu queria conservá-lo comigo, para que ele me servisse em seu lugar nas algemas que carrego por causa do evangelho. 14Mas não quis fazer nada sem o seu consentimento, para que a sua bondade não venha a ser como que uma obrigação, mas algo que é feito de livre vontade. 15Talvez ele tenha sido afastado de você temporariamente, a fim de que você o receba para sempre, 16não como escravo, mas, muito mais do que escravo, como irmão caríssimo, especialmente de mim e, com maior razão, de você, quer como ser humano, quer como irmão no Senhor.

17Portanto, se você me considera companheiro, receba-o como receberia a mim. 18E, se ele causou algum dano a você ou lhe deve alguma coisa, ponha tudo na minha conta. 19Eu, Paulo, de próprio punho, escrevo isto: Eu pagarei. É claro que não preciso dizer que você me deve a própria vida. 20Sim, irmão, que eu receba de você, no Senhor, este benefício. Reanime o meu coração em Cristo.

21Certo, como estou, da sua obediência, eu escrevo a você, sabendo que fará mais do que estou pedindo. 22E, ao mesmo tempo, prepare-me também pousada, pois espero que, por meio das orações de vocês, eu lhes seja restituído.

Saudações

23Epafras, prisioneiro comigo, em Cristo Jesus, 24Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus colaboradores, mandam saudações a você.

Bênção

25A graça do Senhor Jesus Cristo esteja com o espírito de todos vocês.

Filemom 1NAAAbrir na Bíblia

Profecia contra os maus pastores

1— Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto! — diz o Senhor. 2Portanto, assim diz o Senhor, o Deus de Israel, a respeito dos pastores que apascentam o meu povo: “Vocês dispersaram as minhas ovelhas e as afugentaram, e não cuidaram delas. Mas eu tratarei de castigar vocês por causa das maldades que praticaram, diz o Senhor. 3Eu mesmo recolherei o remanescente das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver dispersado, e as farei voltar aos seus apriscos; serão fecundas e se multiplicarão. 4Porei sobre elas pastores que as apascentem, e elas jamais terão medo, nem ficarão assustadas; nem uma delas faltará, diz o Senhor.”

Profecia sobre o Renovo de Davi

Jr 33.14-16

5— Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, como rei que é, reinará, agirá com sabedoria e executará o juízo e a justiça na terra. 6Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro. E este será o nome pelo qual será chamado: “Senhor, Justiça Nossa”.

7— Portanto, eis que vêm dias, diz o Senhor, em que nunca mais dirão: “Tão certo como vive o Senhor, que tirou os filhos de Israel da terra do Egito”, 8mas: “Tão certo como vive o Senhor, que tirou e trouxe a descendência da casa de Israel da terra do Norte e de todas as terras para onde os tinha dispersado”. E habitarão na sua própria terra.

Contra os falsos profetas

9A respeito dos profetas:

“O meu coração está partido

dentro de mim.

Todos os meus ossos estremecem.

Sou como um homem embriagado

e como um homem

vencido pelo vinho,

por causa do Senhor

e por causa

das suas santas palavras.

10Porque a terra

está cheia de adúlteros

e chora por causa

da maldição divina;

os pastos do deserto estão secos.

Porque o modo de vida deles

é mau,

e seu uso da força não é reto.”

11“Pois tanto o profeta

como o sacerdote

estão contaminados;

até na minha casa

achei a sua maldade”,

diz o Senhor.

12“Portanto, o caminho deles será

como lugares escorregadios

na escuridão,

para a qual serão empurrados

e na qual cairão.

Porque trarei sobre eles

a calamidade,

o ano da sua punição”,

diz o Senhor.

13“Nos profetas de Samaria

vi algo que causa desgosto:

profetizaram por Baal

e fizeram o meu povo de Israel

andar errante.

14Mas nos profetas de Jerusalém

vejo coisa horrenda:

cometem adultério,

andam com falsidade

e fortalecem as mãos

dos malfeitores,

para que não se convertam

da sua maldade.

Para mim, todos eles se tornaram

como Sodoma,

e os moradores de Jerusalém,

como Gomorra.

15Portanto, assim diz

o Senhor dos Exércitos

a respeito dos profetas:

Eis que os alimentarei com absinto

e lhes darei de beber

água envenenada;

porque dos profetas de Jerusalém

se derramou a impiedade

sobre toda a terra.”

16Assim diz o Senhor dos Exércitos:

— Não deem ouvidos às palavras dos profetas que profetizam entre vocês e que os enchem de falsas esperanças; falam as visões do seu coração, não o que vem da boca do Senhor. 17Dizem continuamente aos que me desprezam: “O Senhor disse: Vocês terão paz”; e a todos os que andam segundo a dureza do seu coração dizem: “Nenhum mal lhes sobrevirá.”

18Porque quem esteve

no conselho do Senhor,

e viu, e ouviu a sua palavra?

Quem esteve atento à sua palavra

e a ouviu?

19Eis a tempestade do Senhor!

O furor saiu, e um vendaval passou

sobre a cabeça dos ímpios.

20A ira do Senhor não se desviará

até que ele execute e cumpra

os desígnios do seu coração.

Nos últimos dias, vocês entenderão isso

claramente.

21“Não mandei esses profetas,

mas eles foram correndo;

não lhes falei,

mas eles profetizaram.

22Mas, se tivessem estado

no meu conselho,

teriam anunciado

as minhas palavras ao meu povo

e o teriam feito voltar

do seu mau caminho

e da maldade das suas ações.”

23— Sou eu Deus apenas de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe? 24Pode alguém se ocultar em esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz o Senhor. Não encho eu os céus e a terra? — diz o Senhor. 25Tenho ouvido o que dizem aqueles profetas, proclamando mentiras em meu nome, dizendo: “Sonhei, sonhei.” 26Até quando acontecerá isso no coração dos profetas que proclamam mentiras, que proclamam só o engano do próprio coração? 27Até quando tentarão fazer com que o meu povo se esqueça do meu nome por meio dos sonhos que contam uns aos outros, assim como os pais deles se esqueceram do meu nome, por causa de Baal? 28O profeta que tem um sonho conte-o como um simples sonho. Mas aquele em quem está a minha palavra fale a minha palavra com verdade. O que é que a palha tem a ver com o trigo? — diz o Senhor. 29Não é a minha palavra como fogo, diz o Senhor, e como um martelo que despedaça a rocha? 30Portanto, eis que eu sou contra esses profetas, diz o Senhor, que roubam as minhas palavras uns dos outros. 31Eis que eu sou contra esses profetas, diz o Senhor, que pregam a sua própria palavra e afirmam: “Ele disse.” 32Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz o Senhor, e os contam, e com as suas mentiras e leviandades fazem o meu povo andar errante. Eu não os enviei, nem lhes dei ordem alguma; e eles não trazem nenhum proveito a este povo, diz o Senhor.

33— Quando, pois, este povo ou um profeta ou um sacerdote perguntar a você, Jeremias: “Qual é a sentença pesada do Senhor?”, responda: “Vocês são o peso, e eu os lançarei fora”, diz o Senhor. 34E, se um profeta, um sacerdote, ou alguém do povo disser: “Sentença pesada do Senhor”, castigarei esse homem e a sua casa. 35Em vez disso, cada um deveria perguntar ao seu companheiro e ao seu irmão: “O que o Senhor respondeu? O que foi que o Senhor falou?” 36Mas nunca mais vocês devem fazer menção das palavras “sentença pesada do Senhor”, pois o que se tornará um peso para alguém é a própria palavra que ele falou. Porque vocês torcem as palavras do Deus vivo, do Senhor dos Exércitos, o nosso Deus. 37O que você deve perguntar a um profeta é: “O que foi que o Senhor lhe respondeu? O que foi que o Senhor falou?” 38Mas, porque vocês dizem: “Sentença pesada do Senhor”, assim diz o Senhor: Porque vocês continuam a usar as palavras “sentença pesada do Senhor”, quando eu lhes havia proibido de fazer isso, 39eu os levantarei e os lançarei fora da minha presença, tanto vocês como a cidade que dei a vocês e aos seus pais. 40Porei sobre vocês perpétuo desprezo e eterna vergonha, que jamais serão esquecidos.

Jeremias 23NAAAbrir na Bíblia

Deus promete restaurar o seu povo

1Palavra que foi dita a Jeremias da parte do Senhor:

2— Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Escreva num livro todas as palavras que eu lhe falei. 3Porque eis que vêm dias, diz o Senhor, em que mudarei a sorte do meu povo de Israel e de Judá, diz o Senhor. Farei com que voltem para a terra que dei aos seus pais, e eles a possuirão.

4São estas as palavras que o Senhor falou a respeito de Israel e de Judá:

5Assim diz o Senhor:

“Ouvimos um grito de terror,

um grito de medo e não de paz.

6Perguntem e vejam se um homem

pode dar à luz uma criança?

Por que, então,

vejo todos esses homens

com as mãos na cintura,

como se fossem uma mulher

que está dando à luz?

E por que se tornaram pálidos

todos os rostos?

7Ah! Que grande é aquele dia,

e não há outro semelhante!

É tempo de angústia para Jacó,

mas ele será salvo dela.”

8— Naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, eu quebrarei o jugo que está sobre o pescoço de vocês e despedaçarei as correias. E nunca mais estrangeiros irão escravizar este povo, 9que servirá ao Senhor, seu Deus, e também a Davi, que lhes darei como rei.

10“Portanto, não tenha medo,

meu servo Jacó”,

diz o Senhor,

“nem se atemorize, ó Israel.

Pois eis que eu o livrarei

dessa terra distante

e salvarei a sua descendência

da terra do exílio.

Jacó voltará e ficará tranquilo

e sossegado;

e não haverá quem o atemorize.

11Porque eu estou com você

para salvá-lo”,

diz o Senhor.

“Por isso, destruirei

completamente

todas as nações

por onde o espalhei.

A você eu não destruirei

completamente,

mas castigarei em justa medida;

de modo nenhum

deixarei você impune.”

12Porque assim diz o Senhor:

“A sua ferida é incurável,

o seu ferimento é grave.

13Não há quem defenda

a sua causa;

não há remédio nem cura

para a sua ferida.

14Todos os seus amantes

se esqueceram de você;

já não perguntam por você.

Porque eu a feri

como se você fosse um inimigo;

o castigo foi cruel,

por causa da grandeza

da sua maldade

e da multidão dos seus pecados.

15Por que você grita

por causa da sua ferida?

Essa sua dor é incurável.

Por causa da grandeza

de sua maldade

e da multidão dos seus pecados

é que eu fiz estas coisas.

16Por isso, todos os que a devoram

serão devorados,

e todos os seus inimigos

serão levados,

cada um deles para o cativeiro.

Aqueles que a despojam

serão despojados,

e entregarei ao saque

todos os que a saqueiam.

17Porque restaurarei a sua saúde

e curarei as suas feridas”,

diz o Senhor.

“Porque chamaram você

de repudiada, dizendo:

‘É Sião, ninguém mais

pergunta por ela.’”

18Assim diz o Senhor:

“Eis que restaurarei a sorte

das tendas de Jacó

e me compadecerei

das suas moradas.

A cidade será reedificada

sobre o seu montão de ruínas,

e o palácio será habitado outra vez.

19De lá sairão ações de graças

e os gritos dos que se alegram.

Eu os multiplicarei,

e não serão diminuídos;

eu os glorificarei,

e não serão desprezados.

20Os seus filhos serão

como antigamente,

e a sua congregação será firmada

diante de mim;

e castigarei

todos os seus opressores.

21O seu príncipe procederá deles,

do meio deles sairá aquele

que há de reinar.

Farei com que ele se aproxime,

e ele chegará perto de mim;

pois quem por si mesmo ousaria

aproximar-se de mim?” —

diz o Senhor.

22“Vocês serão o meu povo,

e eu serei o seu Deus.”

23Eis a tempestade do Senhor!

O furor saiu,

uma tempestade passou

sobre a cabeça dos ímpios.

24O furor da ira do Senhor

não se desviará

até que ele execute e cumpra

os desígnios do seu coração.

Nos últimos dias,

vocês entenderão isso.

Jeremias 30NAAAbrir na Bíblia

Das profundezas clamo a ti

Cântico de peregrinação

1Das profundezas

clamo a ti, Senhor.

2Escuta, Senhor, a minha voz;

estejam alertas os teus ouvidos

às minhas súplicas.

3Se tu, Senhor,

observares iniquidades,

quem, Senhor, poderá escapar?

4Mas contigo está o perdão,

para que sejas temido.

5Aguardo o Senhor,

a minha alma o aguarda;

eu espero na sua palavra.

6A minha alma anseia pelo Senhor

mais do que os guardas anseiam

pelo romper da manhã.

Mais do que os guardas

pelo romper da manhã,

7espere Israel no Senhor,

pois no Senhor há misericórdia;

nele, temos ampla redenção.

8É ele quem redime Israel

de todas as suas iniquidades.

Salmos 130NAAAbrir na Bíblia

A excelência da união fraternal

Cântico de peregrinação. De Davi

1Oh! Como é bom e agradável

viverem unidos os irmãos!

2É como o óleo precioso

sobre a cabeça,

o qual desce pela barba,

a barba de Arão,

e desce para a gola de suas vestes.

3É como o orvalho do Hermom,

que desce sobre os montes de Sião.

Ali o Senhor ordena a sua bênção

e a vida para sempre.

Salmos 133NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.20.15
SIGA A SBB: