Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 9 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

Os tropeços

Mt 18.6-7; Mc 9.42-50

1Jesus disse aos seus discípulos:

— É inevitável que existam pedras de tropeço, mas ai de quem é responsável por elas! 2Seria melhor para esse que uma pedra de moinho fosse pendurada ao seu pescoço e fosse atirado no mar do que fazer tropeçar um destes pequeninos.

O perdão e a fé

Mt 18.21-22

3— Tenham cuidado. Se o seu irmão pecar, repreenda-o; se ele se arrepender, perdoe-lhe. 4Se pecar contra você sete vezes num dia e sete vezes vier para lhe dizer: “Estou arrependido”, perdoe-lhe.

5Então os apóstolos disseram ao Senhor:

— Aumente-nos a fé.

6Ao que o Senhor respondeu:

— Se vocês tivessem fé como um grão de mostarda, diriam a esta amoreira: “Arranque-se e transplante-se no mar.” E ela obedeceria.

7— Qual de vocês, tendo um servo ocupado na lavoura ou em guardar o gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: “Venha agora mesmo e sente-se à mesa”? 8Não é verdade que, ao contrário, lhe dirá: “Prepare o meu jantar. Apronte-se e sirva-me enquanto eu como e bebo. Depois, você pode comer e beber”? 9Será que ele terá de agradecer ao servo por ter feito o que lhe havia ordenado? 10Assim também vocês, depois de terem feito tudo o que lhes foi ordenado, digam: “Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer.”

A cura de dez leprosos

11De caminho para Jerusalém, Jesus passava pelo meio de Samaria e da Galileia. 12Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, 13que ficaram de longe e gritaram:

— Jesus, Mestre, tenha compaixão de nós!

14Ao vê-los, Jesus disse:

— Vão e apresentem-se aos sacerdotes.

Aconteceu que, indo eles, foram purificados. 15Um dos dez, vendo que estava curado, voltou dando glória a Deus em alta voz 16e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe. E este era samaritano. 17Então Jesus perguntou:

— Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? 18Não se achou quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?

19E lhe disse:

— Levante-se e vá; a sua fé salvou você.

A vinda do Reino de Deus

Mt 24.23-28,37-41

20Indagado pelos fariseus sobre quando viria o Reino de Deus, Jesus lhes respondeu:

— O Reino de Deus não vem com visível aparência. 21Nem dirão: “Ele está aqui!” Ou: “Lá está ele!” Porque o Reino de Deus está entre vocês.

22A seguir, Jesus disse aos seus discípulos:

— Virá o tempo em que vocês desejarão ver um dos dias do Filho do Homem, mas não verão. 23E dirão a vocês: “Ele está aqui!” Ou: “Lá está ele!” Não saiam nem sigam essa gente. 24Porque assim como o relâmpago, que resplandece e brilha de uma extremidade do céu até a outra, assim será, no seu dia, o Filho do Homem. 25Mas é necessário que primeiro ele padeça muitas coisas e seja rejeitado por esta geração. 26Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do Homem: 27comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, veio o dilúvio e destruiu todos. 28O mesmo aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; 29mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre e destruiu todos. 30Assim será no dia em que o Filho do Homem se manifestar.

31— Naquele dia, quem estiver no terraço e tiver os seus bens em casa não desça para tirá-los; e, de igual modo, quem estiver no campo não volte para trás. 32Lembrem-se da mulher de Ló. 33Quem tentar preservar a sua vida a perderá; e quem a perder, esse a salvará. 34Digo a vocês que, naquela noite, duas pessoas estarão numa cama: uma será levada, e a outra será deixada. 35Duas mulheres estarão juntas moendo trigo: uma será tomada, e a outra será deixada. 36[Dois estarão no campo: um será tomado, e o outro será deixado.]

37Então perguntaram a Jesus:

— Onde será isso, Senhor?

Ele respondeu:

— Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão também os abutres.

Lucas 17NAAAbrir na Bíblia

A parábola do juiz iníquo

1Jesus lhes contou uma parábola para mostrar que deviam orar sempre e nunca desanimar:

2— Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus, nem respeitava ninguém. 3Havia também, naquela mesma cidade, uma viúva que sempre o procurava, dizendo: “Julgue a minha causa contra o meu adversário.” 4Por algum tempo, ele não a quis atender, mas depois pensou assim: “É bem verdade que eu não temo a Deus, nem respeito ninguém. 5Porém, como esta viúva fica me incomodando, vou julgar a sua causa, para não acontecer que, por fim, venha a molestar-me.”

6Então o Senhor disse:

— Ouçam bem o que diz este juiz iníquo. 7Será que Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que a ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los? 8Digo a vocês que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando o Filho do Homem vier, será que ainda encontrará fé sobre a terra?

A parábola do fariseu e do publicano

9Jesus também contou esta parábola para alguns que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros:

10— Dois homens foram ao templo para orar: um era fariseu e o outro era publicano. 11O fariseu ficou em pé e orava de si para si mesmo, desta forma: “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano. 12Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo o que ganho.” 13O publicano, estando em pé, longe, nem mesmo ousava levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: “Ó Deus, tem pena de mim, que sou pecador!” 14Digo a vocês que este desceu justificado para a sua casa, e não aquele. Porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado.

Jesus abençoa as crianças

Mt 19.13-15; Mc 10.13-16

15Traziam também as crianças a Jesus para que ele as abençoasse, mas os discípulos, ao verem isso, os repreendiam. 16Jesus, porém, chamando as crianças para junto de si, disse:

— Deixem que os pequeninos venham a mim e não os impeçam, porque dos tais é o Reino de Deus. 17Em verdade lhes digo: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele.

O jovem rico

Mt 19.16-22; Mc 10.17-22

18Certo homem de destaque perguntou a Jesus:

— Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?

19Jesus respondeu:

— Por que você me chama de bom? Ninguém é bom, a não ser um, que é Deus. 20Você conhece os mandamentos: “Não cometa adultério”, “não mate”, “não furte”, “não dê falso testemunho”, “honre o seu pai e a sua mãe”.

21Então o homem disse:

— Tudo isso tenho observado desde a minha juventude.

22Ouvindo isso, Jesus lhe disse:

— Uma coisa ainda falta a você: venda tudo o que tem, dê o dinheiro aos pobres e você terá um tesouro nos céus; depois, venha e siga-me.

23Mas, ouvindo ele estas palavras, ficou muito triste, porque era riquíssimo.

O perigo das riquezas

Mt 19.23-30; Mc 10.23-31

24Jesus, vendo-o assim triste, disse:

— Como é difícil para os que têm riquezas entrar no Reino de Deus! 25Porque é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus.

26Os que ouviram isto perguntaram:

— Sendo assim, quem pode ser salvo?

27Mas Jesus respondeu:

— O que é impossível para o ser humano é possível para Deus.

28Então Pedro disse:

— Eis que nós deixamos nossa casa e seguimos o senhor.

29Jesus lhes respondeu:

— Em verdade lhes digo que não há ninguém que tenha deixado casa, mulher, irmãos, pais ou filhos, por causa do Reino de Deus, 30que não receba, no presente, muitas vezes mais e, no mundo por vir, receberá a vida eterna.

Jesus outra vez prediz sua morte e ressurreição

Mt 20.17-19; Mc 10.32-34

31Chamando os doze para um lado, Jesus lhes disse:

— Eis que subimos para Jerusalém, onde se cumprirá tudo o que está escrito por meio dos profetas a respeito do Filho do Homem. 32Ele será entregue aos gentios, que vão zombar dele, insultá-lo e cuspir nele. 33Depois de açoitá-lo, eles o matarão, mas, ao terceiro dia, ressuscitará.

34Eles, porém, não entenderam nada disso. O significado dessas palavras lhes era encoberto, e eles não sabiam do que Jesus estava falando.

A cura do cego de Jericó

Mt 20.29-34; Mc 10.46-52

35Aconteceu que, quando Jesus se aproximava de Jericó, um cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmolas. 36E, ouvindo o barulho da multidão que passava, perguntou o que era aquilo. 37Anunciaram-lhe que Jesus, o Nazareno, estava passando. 38Então ele gritou:

— Jesus, Filho de Davi, tenha compaixão de mim!

39E os que iam na frente o repreendiam para que se calasse. Mas ele gritava cada vez mais:

— Filho de Davi, tenha compaixão de mim!

40Jesus parou e mandou que trouxessem o cego. E, tendo ele chegado, Jesus perguntou:

41— O que você quer que eu lhe faça?

Ele respondeu:

— Senhor, que eu possa ver de novo.

42Jesus lhe disse:

— Pois, então, veja! A sua fé salvou você.

43Imediatamente ele passou a ver de novo e seguia Jesus, glorificando a Deus. Também todo o povo, vendo isto, dava louvores a Deus.

Lucas 18NAAAbrir na Bíblia

1Também Jacó seguiu o seu caminho, e anjos de Deus foram encontrar-se com ele. 2Quando Jacó os viu, disse:

— Este é o acampamento de Deus.

E deu àquele lugar o nome de Maanaim.

Jacó se reconcilia com Esaú

3Então Jacó enviou mensageiros adiante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, território de Edom. 4E lhes deu esta ordem:

— Assim vocês falarão a meu senhor Esaú: “O seu servo Jacó manda dizer isto: ‘Como estrangeiro morei com Labão, em cuja companhia fiquei até agora. 5Tenho bois, jumentos, rebanhos, servos e servas. Envio este comunicado a meu senhor, para encontrar favor na sua presença.’”

6Os mensageiros voltaram a Jacó, dizendo:

— Fomos até o seu irmão Esaú. Também ele está vindo para se encontrar com o senhor, e quatrocentos homens estão com ele.

7Então Jacó teve medo e ficou angustiado. Dividiu em dois grupos o povo que estava com ele, e também os rebanhos, os bois e os camelos. 8Pois pensou: “Se Esaú vier e atacar um grupo, o outro grupo escapará.”

9E Jacó orou:

— Deus de meu pai Abraão e Deus de meu pai Isaque, ó Senhor, que me disseste: “Volte para a sua terra e para a sua parentela, e eu farei bem a você”, 10sou indigno de todas as misericórdias e de toda a fidelidade que tens usado para com o teu servo. Pois com apenas o meu cajado atravessei este Jordão; já agora sou dois grupos. 11Livra-me das mãos de meu irmão Esaú, porque temo que ele venha e ataque a mim e às mães com os filhos. 12Pois tu disseste: “Certamente serei bondoso com você e lhe darei uma descendência como a areia do mar, que, de tão numerosa, não se pode contar.”

13Depois de passar ali aquela noite, Jacó separou do que tinha consigo um presente para o seu irmão Esaú: 14duzentas cabras e vinte bodes, duzentas ovelhas e vinte carneiros, 15trinta camelas de leite com as suas crias, quarenta vacas e dez touros, vinte jumentas e dez jumentinhos. 16Entregou-os aos seus servos, cada rebanho à parte. Então disse aos servos:

— Vão à minha frente e deixem espaço entre rebanho e rebanho.

17Ordenou ao primeiro servo, dizendo:

— Quando Esaú, meu irmão, se encontrar com você e perguntar: “De quem você é, para onde você vai, de quem são estes animais que você vem trazendo?”, 18responda: “São do seu servo Jacó. É um presente que ele está enviando ao meu senhor Esaú. E eis que ele mesmo vem vindo atrás de nós.”

19Jacó ordenou também ao segundo, ao terceiro e a todos os que vinham conduzindo os rebanhos:

— É assim que vocês devem falar com Esaú, quando se encontrarem com ele. 20Também dirão: “Eis que o seu servo Jacó vem vindo atrás de nós.” Porque Jacó pensava assim: “Eu o aplacarei com o presente que me antecede. Depois eu o verei pessoalmente e talvez ele me dê boa acolhida.”

21Assim, mandou os presentes à sua frente. Ele, porém, ficou aquela noite no acampamento.

Jacó luta em Peniel

22Naquela mesma noite, Jacó se levantou, tomou suas duas mulheres, suas duas servas e seus onze filhos e transpôs o vau do Jaboque. 23Reuniu todos e fez com que passassem o ribeiro. Também fez passar tudo o que lhe pertencia. 24Jacó ficou sozinho, e um homem lutava com ele, até o romper do dia. 25Vendo este que não podia com Jacó, tocou-lhe na articulação da coxa, de modo que a junta da coxa de Jacó se deslocou, na luta com o homem. 26Então o homem disse:

— Deixe-me ir, pois já rompeu o dia.

Jacó respondeu:

— Não o deixarei ir se você não me abençoar.

27Então o homem perguntou:

— Como você se chama?

Ele respondeu:

— Jacó.

28Então disse:

— Seu nome não será mais Jacó, e sim Israel, pois você lutou com Deus e com os homens e prevaleceu.

29Jacó disse:

— Por favor, diga-me como você se chama.

Ele respondeu:

— Por que você pergunta pelo meu nome?

E o abençoou ali. 30Jacó deu àquele lugar o nome de Peniel, pois disse: “Vi Deus face a face, e a minha vida foi salva.”

31Nasceu-lhe o sol, quando ele atravessava Peniel. E mancava por causa da coxa. 32Por isso, os filhos de Israel não comem, até hoje, o nervo do quadril, na articulação da coxa, porque o homem tocou a articulação da coxa de Jacó no nervo do quadril.

Gênesis 32NAAAbrir na Bíblia

Descendentes de Esaú

1Cr 1.35-37

1São estes os descendentes de Esaú, que é Edom. 2Esaú tomou por mulheres dentre as filhas de Canaã: Ada, filha de Elom, heteu; Oolibama, filha de Aná, filho de Zibeão, heveu; 3e Basemate, filha de Ismael, irmã de Nebaiote. 4De Ada teve Esaú um filho chamado Elifaz e de Basemate lhe nasceu Reuel. 5A Oolibama nasceu Jeús, Jalão e Corá. Estes são os filhos de Esaú, que lhe nasceram na terra de Canaã.

6Esaú tomou as suas mulheres, os seus filhos, as suas filhas, todas as pessoas de sua casa, o seu rebanho, todo o seu gado, todos os bens, tudo o que havia adquirido na terra de Canaã e os levou para outra terra, longe de seu irmão Jacó. 7Porque os bens deles eram muitos para habitarem juntos e a terra de suas peregrinações não os podia sustentar por causa do seu gado. 8Então Esaú, que é Edom, habitou no monte Seir.

9Esta é a descendência de Esaú, pai dos edomitas, no monte Seir. 10São estes os nomes dos filhos de Esaú: Elifaz, filho de Ada, mulher de Esaú; Reuel, filho de Basemate, mulher de Esaú. 11Os filhos de Elifaz foram: Temã, Omar, Zefô, Gaetã e Quenaz. 12Timna era concubina de Elifaz, filho de Esaú; ela deu à luz Amaleque. Estes são os filhos de Ada, mulher de Esaú. 13E os filhos de Reuel são estes: Naate, Zerá, Samá e Mizá; estes foram os filhos de Basemate, mulher de Esaú. 14E são estes os filhos de Oolibama, filha de Aná, filho de Zibeão, mulher de Esaú; ela deu a Esaú: Jeús, Jalão e Corá.

15São estes os chefes dos filhos de Esaú; os filhos de Elifaz, o primogênito de Esaú: os chefes Temã, Omar, Zefô, Quenaz, 16Corá, Gaetã, Amaleque. Estes são os chefes que nasceram a Elifaz na terra de Edom; são os filhos de Ada.

17São estes os filhos de Reuel, filho de Esaú: os chefes Naate, Zerá, Samá e Mizá. Estes são os chefes que nasceram a Reuel na terra de Edom; são os filhos de Basemate, mulher de Esaú.

18São estes os filhos de Oolibama, mulher de Esaú: os chefes Jeús, Jalão e Corá. Estes são os chefes que descendem de Oolibama, filha de Aná e mulher de Esaú. 19São estes os filhos de Esaú, isto é, Edom, e esses são os seus chefes.

Descendentes de Seir

1Cr 1.38-42

20São estes os filhos de Seir, o horeu, moradores da terra: Lotã, Sobal, Zibeão e Aná, 21Disom, Eser e Disã. Estes são os chefes dos horeus, filhos de Seir na terra de Edom.

22Os filhos de Lotã são Hori e Homã; a irmã de Lotã é Timna.

23São estes os filhos de Sobal: Alvã, Manaate, Ebal, Sefô e Onã.

24São estes os filhos de Zibeão: Aiá e Aná; este é o Aná que achou as fontes termais no deserto, quando apascentava os jumentos de Zibeão, seu pai.

25São estes os filhos de Aná: Disom e Oolibama, a filha de Aná. 26Estes são os filhos de Disom: Hendã, Esbã, Itrã e Querã.

27São estes os filhos de Eser: Bilã, Zaavã e Acã.

28São estes os filhos de Disã: Uz e Arã.

29São estes os chefes dos horeus: Lotã, Sobal, Zibeão, Aná, 30Disom, Eser e Disã. Estes são os chefes dos horeus na terra de Seir.

Reis e chefes de Edom

1Cr 1.43-54

31São estes os reis que reinaram na terra de Edom, antes que houvesse rei sobre os filhos de Israel. 32Em Edom reinou Belá, filho de Beor, e o nome da sua cidade era Dinabá. 33Belá morreu, e, em seu lugar, reinou Jobabe, filho de Zerá, de Bozra. 34Morreu Jobabe, e, em seu lugar, reinou Husão, da terra dos temanitas. 35Morreu Husão, e, em seu lugar, reinou Hadade, filho de Bedade, o que derrotou Midiã no campo de Moabe. O nome da sua cidade era Avite. 36Morreu Hadade, e, em seu lugar, reinou Samlá, de Masreca. 37Morreu Samlá, e, em seu lugar, reinou Saul, de Reobote, junto ao Eufrates. 38Morreu Saul, e, em seu lugar, reinou Baal-Hanã, filho de Acbor. 39Morreu Baal-Hanã, filho de Acbor, e, em seu lugar, reinou Hadar. O nome de sua cidade era Paú, e o de sua mulher era Meetabel, filha de Matrede, filha de Me-Zaabe.

40São estes os nomes dos chefes de Esaú, segundo as suas famílias, os seus lugares e os seus nomes: os chefes Timna, Alva, Jetete, 41Oolibama, Elá, Pinom, 42Quenaz, Temã, Mibzar, 43Magdiel e Irã. Estes são os chefes de Edom, segundo as suas habitações na terra que possuíam. Este é Esaú, pai dos edomitas.

Gênesis 36NAAAbrir na Bíblia

Oração por auxílio divino

De Davi

1A ti, Senhor, elevo a minha alma.

2Deus meu, em ti confio.

Não seja eu envergonhado,

nem exultem sobre mim

os meus inimigos.

3Na verdade,

dos que em ti esperam,

ninguém será envergonhado;

envergonhados serão

os que, sem motivo,

procedem traiçoeiramente.

4Faze-me conhecer

os teus caminhos, Senhor;

ensina-me as tuas veredas.

5Guia-me na tua verdade

e ensina-me,

pois tu és o Deus

da minha salvação,

em quem eu espero todo o dia.

6Lembra-te, Senhor,

das tuas misericórdias

e das tuas bondades,

que são desde a eternidade.

7Não te lembres dos meus

pecados da mocidade,

nem das minhas transgressões.

Lembra-te de mim,

segundo a tua misericórdia,

por causa da tua bondade,

ó Senhor.

8Bom e reto é o Senhor,

por isso aponta o caminho

aos pecadores.

9Guia os humildes na justiça

e ensina aos mansos

o seu caminho.

10Todas as veredas do Senhor

são misericórdia e verdade

para os que guardam a sua aliança

e os seus testemunhos.

11Por causa do teu nome, Senhor,

perdoa a minha iniquidade,

que é grande.

12Àquele que teme o Senhor,

ele o instruirá no caminho

que deve escolher.

13Na prosperidade

repousará a sua alma,

e a sua descendência

herdará a terra.

14O Senhor confia o seu segredo

aos que o temem,

aos quais ele dará a conhecer

a sua aliança.

15Os meus olhos se elevam

continuamente ao Senhor,

pois ele tirará os meus pés do laço.

16Volta-te para mim

e tem compaixão,

porque estou sozinho e aflito.

17Alivia-me as tribulações

do coração;

tira-me das minhas angústias.

18Considera as minhas aflições

e o meu sofrimento

e perdoa todos os meus pecados.

19Considera os meus inimigos,

pois são muitos

e têm por mim um ódio mortal.

20Guarda a minha alma e livra-me;

não seja eu envergonhado,

pois em ti me refugio.

21Que a sinceridade

e a retidão me preservem,

porque em ti espero.

22Ó Deus, redime Israel

de todas as suas tribulações.

Salmos 25NAAAbrir na Bíblia

Com Deus não temeremos

Salmo de Davi

1O Senhor é a minha luz

e a minha salvação;

de quem terei medo?

O Senhor é a fortaleza

da minha vida;

a quem temerei?

2Quando malfeitores

me sobrevêm

para me destruir,

meus opressores e inimigos,

eles é que tropeçam e caem.

3Ainda que um exército

se acampe contra mim,

não se atemorizará

o meu coração;

e, se estourar contra mim a guerra,

ainda assim terei confiança.

4Uma coisa peço ao Senhor

e a buscarei:

que eu possa morar

na Casa do Senhor

todos os dias da minha vida,

para contemplar

a beleza do Senhor

e meditar no seu templo.

5Pois, no dia da adversidade,

ele me ocultará no seu abrigo;

no interior do seu tabernáculo,

me acolherá;

ele me porá no alto de uma rocha.

6Agora, será exaltada

a minha cabeça

acima dos inimigos

que me cercam.

No seu tabernáculo, oferecerei

sacrifícios de júbilo;

cantarei e salmodiarei ao Senhor.

7Ouve, Senhor, a minha voz;

eu clamo;

tem compaixão de mim

e responde-me.

8Ao meu coração me ocorre:

“Busquem a minha presença.”

Buscarei, pois, Senhor,

a tua presença.

9Não me escondas, Senhor,

a tua face;

não rejeites com ira o teu servo.

Tu és o meu auxílio;

não me deixes,

nem me abandones,

ó Deus da minha salvação.

10Porque, se o meu pai

e a minha mãe

me abandonarem,

o Senhor me acolherá.

11Ensina-me, Senhor,

o teu caminho

e guia-me por vereda plana,

por causa dos meus inimigos.

12Não me entregues à vontade

dos meus adversários;

pois contra mim se levantam

falsas testemunhas

e os que só respiram crueldade.

13Eu creio que verei

a bondade do Senhor

na terra dos viventes.

14Espere no Senhor.

Anime-se, e fortifique-se

o seu coração;

espere, pois, no Senhor.

Salmos 27NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: