Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Dia 54 na Palavra

Texto(s) da Bíblia

O futuro de Israel

1Então eu pergunto: será que Deus rejeitou o seu povo? De modo nenhum! Porque eu também sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim. 2Deus não rejeitou o seu povo, a quem de antemão conheceu. Ou vocês não sabem o que a Escritura diz a respeito de Elias, como pediu com insistência diante de Deus contra Israel, dizendo: 3“Senhor, mataram os teus profetas, derrubaram os teus altares. Sou o único que sobrou, e procuram tirar-me a vida.” 4Mas qual foi a resposta divina? Foi esta: “Reservei para mim sete mil homens que não dobraram os joelhos diante de Baal.” 5Assim também nos dias de hoje sobrevive um remanescente segundo a eleição da graça. 6E, se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça.

7Que diremos, então? O que Israel buscava, isso não alcançou; mas a eleição conseguiu isso. Os demais foram endurecidos, 8como está escrito:

“Deus lhes deu um espírito

de profundo sono,

olhos para não ver

e ouvidos para não ouvir,

até o dia de hoje.”

9E Davi disse:

“Que a mesa deles se transforme

em laço e armadilha,

em tropeço e punição;

10que os olhos deles se escureçam,

para que não vejam,

e fiquem para sempre encurvadas

as suas costas.”

11Então eu pergunto: será que eles tropeçaram para que caíssem? De modo nenhum! Mas, pela transgressão deles, a salvação chegou aos gentios, para fazer com que os judeus ficassem com ciúmes. 12Ora, se a transgressão deles resultou em riqueza para o mundo, e a diminuição deles resultou em riqueza para os gentios, quanto mais a plenitude deles!

13Dirijo-me a vocês que são gentios. Visto que eu sou apóstolo dos gentios, glorifico o meu ministério, 14para ver se de algum modo posso fazer com que os do meu povo fiquem com ciúmes e alguns deles se salvem. 15Porque, se o fato de eles terem sido rejeitados trouxe reconciliação ao mundo, que será o seu restabelecimento, senão vida dentre os mortos? 16E, se forem santas as primícias da massa, igualmente será santa a sua totalidade; se for santa a raiz, também os ramos o serão.

17Se, porém, alguns dos ramos foram quebrados, e você, sendo oliveira brava, foi enxertado no meio deles e se tornou participante da raiz e da seiva da oliveira, 18não se glorie contra os ramos. Mas, se você se gloriar, lembre que não é você que sustenta a raiz, mas é a raiz que sustenta você.

19Então você dirá: “Alguns ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado.” 20Correto! Eles foram quebrados por causa da incredulidade, mas você continua firme mediante a fé. Não fique orgulhoso, mas tema. 21Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, também não poupará você.

22Considere, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas, para com você, a bondade de Deus, desde que você permaneça nessa bondade. Do contrário, também você será cortado. 23Eles também, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; pois Deus é poderoso para os enxertar de novo. 24Pois, se você foi cortado daquela que, por natureza, era uma oliveira brava e, contra a natureza, foi enxertado numa oliveira boa, quanto mais esses, que são ramos naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!

A bondade de Deus para com todos

25Porque não quero, irmãos, que vocês ignorem este mistério, para que não fiquem pensando que são sábios: veio um endurecimento em parte a Israel, até que tenha entrado a plenitude dos gentios. 26E, assim, todo o Israel será salvo, como está escrito:

“O Libertador virá de Sião

e afastará de Jacó as impiedades.

27Esta é a minha aliança com eles,

quando eu tirar os seus pecados.”

28Quanto ao evangelho, eles são inimigos por causa de vocês; mas quanto à eleição, amados por causa dos patriarcas; 29porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis. 30Porque assim como no passado vocês foram desobedientes a Deus, mas agora alcançaram misericórdia à vista da desobediência deles, 31assim também estes agora foram desobedientes, para que também eles alcancem misericórdia, à vista da que foi concedida a vocês. 32Porque Deus encerrou todos na desobediência, a fim de mostrar a sua misericórdia a todos.

Louvor a Deus

33Ó profundidade da riqueza,

tanto da sabedoria como

do conhecimento de Deus!

Quão inexplicáveis são os seus juízos,

e quão insondáveis são

os seus caminhos!

34“Pois quem conheceu

a mente do Senhor?

Ou quem foi o seu conselheiro?

35Ou quem primeiro deu

alguma coisa a Deus

para que isso lhe seja restituído?”

36Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre. Amém!

Romanos 11NAAAbrir na Bíblia

A obediência às autoridades

1Que todos estejam sujeitos às autoridades superiores. Porque não há autoridade que não proceda de Deus, e as autoridades que existem foram por ele instituídas. 2Assim, aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus, e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. 3Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Você quer viver sem medo da autoridade? Faça o bem e você terá louvor dela, 4pois a autoridade é ministro de Deus para o seu bem. Mas, se você fizer o mal, então tenha medo, porque não é sem motivo que a autoridade traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar quem pratica o mal. 5Portanto, é necessário que vocês se sujeitem à autoridade, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência.

6É por isso também que vocês pagam impostos, porque as autoridades são ministros de Deus, atendendo constantemente a este serviço. 7Paguem a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.

O amor ao próximo é o cumprimento da lei

8Não fiquem devendo nada a ninguém, exceto o amor de uns para com os outros. Pois quem ama o próximo cumpre a lei. 9Pois estes mandamentos: “Não cometa adultério”, “não mate”, “não furte”, “não cobice”, e qualquer outro mandamento que houver, todos se resumem nesta palavra: “Ame o seu próximo como você ama a si mesmo.” 10O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o cumprimento da lei é o amor.

O dia está próximo

11E digo isto a vocês que conhecem o tempo: já é hora de despertarem do sono, porque a nossa salvação está agora mais perto do que quando no princípio cremos. 12Vai alta a noite, e o dia vem chegando. Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz. 13Vivamos dignamente, como em pleno dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidades e libertinagem, não em discórdias e ciúmes. 14Mas revistam-se do Senhor Jesus Cristo e não façam nada que venha a satisfazer os desejos da carne.

Romanos 13NAAAbrir na Bíblia

Outra vez Davi poupa a vida de Saul

1Os zifeus foram falar com Saul, em Gibeá, e disseram:

— Não é verdade que Davi está escondido no monte Haquila, em frente de Jesimom?

2Então Saul se levantou e foi ao deserto de Zife, em busca de Davi, levando consigo três mil homens escolhidos de Israel. 3Saul acampou no monte Haquila, em frente de Jesimom, junto ao caminho, porém Davi ficou no deserto. Quando ouviu dizer que Saul vinha à sua procura no deserto, 4enviou espias e soube que Saul, de fato, tinha chegado. 5Davi se levantou e foi ao lugar onde Saul estava acampado. Viu o lugar onde dormiam Saul e Abner, filho de Ner, comandante do seu exército. Saul dormia dentro do acampamento, e o povo estava acampado ao redor dele.

6Davi perguntou a Aimeleque, o heteu, e a Abisai, filho de Zeruia, irmão de Joabe:

— Quem irá comigo ao arraial de Saul?

Abisai respondeu:

— Eu irei com você.

7Assim, Davi e Abisai foram, de noite, ao acampamento. E eis que Saul estava deitado, dormindo. A lança dele estava fincada na terra, perto da sua cabeça. Abner e o povo estavam deitados ao redor dele. 8Então Abisai disse a Davi:

— Hoje Deus entregou o seu inimigo nas suas mãos. Deixe que eu vá, agora, encravá-lo com a lança, ao chão, com um só golpe; não será preciso um segundo golpe.

9Davi, porém, respondeu a Abisai:

— Não o mate, pois quem pode estender a mão contra o ungido do Senhor e ficar inocente?

10Davi continuou:

— Tão certo como vive o Senhor Deus, ele mesmo o matará; ou chegará o dia de sua morte, ou, indo para a guerra, será morto em combate. 11O Senhor me livre de estender a mão contra o seu ungido! Agora, porém, pegue a lança que está perto da cabeça dele e o jarro de água, e vamos embora.

12Então Davi pegou a lança e o jarro de água que estavam perto da cabeça de Saul, e eles foram embora. Ninguém viu, nem ficou sabendo, nem acordou. Todos dormiam, porque havia caído sobre eles um profundo sono, vindo da parte do Senhor.

13Quando Davi tinha passado para o outro lado, pôs-se no alto do monte ao longe, de maneira que havia uma grande distância entre eles. 14Então gritou para o povo e para Abner, filho de Ner, dizendo:

— Você não vai responder, Abner?

Então Abner respondeu:

— Quem é você, que está aí gritando para o rei?

15Davi respondeu:

— Você não é homem? E quem é igual a você em Israel? Então por que não protegeu o seu senhor, o rei? Porque alguém do povo foi até aí para matar o rei, seu senhor. 16Não é bom isso que você fez! Tão certo como vive o Senhor Deus, vocês merecem morrer, vocês que não protegeram seu senhor, o ungido do Senhor Deus. Agora vejam onde está a lança do rei e o jarro de água que estava perto da cabeça dele.

Saul, outra vez, se reconcilia com Davi

17Então Saul reconheceu a voz de Davi e disse:

— É esta a sua voz, meu filho Davi?

E Davi respondeu:

— Sim, é a minha voz, ó rei, meu senhor.

18Disse mais:

— Por que o meu senhor está perseguindo o seu servo? O que foi que eu fiz? E que maldade se acha nas minhas mãos? 19E agora, ó rei, meu senhor, por favor escute as palavras deste seu servo. Se é o Senhor Deus que o está incitando contra mim, que ele aceite uma oferta. Mas, se são os filhos dos homens, que sejam malditos diante do Senhor! Porque eles me expulsaram hoje, para que eu não tenha parte na herança do Senhor, como que dizendo: “Vá e sirva outros deuses.” 20Agora, que o meu sangue não seja derramado longe desta terra do Senhor. Porque o rei de Israel saiu em busca de uma pulga, como quem persegue uma perdiz nos montes.

21Então Saul disse:

— Pequei! Volte, meu filho Davi, pois não mais lhe farei mal, porque hoje a minha vida foi preciosa aos seus olhos. Eu tenho agido como um louco e cometi um erro muito grande.

22Davi respondeu:

— Aqui está a lança, ó rei. Que um dos seus rapazes venha aqui pegá-la. 23E que o Senhor Deus recompense cada um pela sua justiça e lealdade. Porque hoje o Senhor Deus o havia entregado nas minhas mãos, porém eu não quis estendê-las contra o ungido do Senhor. 24Assim como hoje a sua vida foi de grande valor aos meus olhos, assim também seja a minha vida aos olhos do Senhor Deus, e que ele me livre de toda a angústia.

25Então Saul disse a Davi:

— Bendito seja você, meu filho Davi! Porque você fará grandes coisas e certamente será bem-sucedido.

Então Davi seguiu o seu caminho, e Saul voltou para casa.

1Samuel 26NAAAbrir na Bíblia

A derrota de Israel e a morte de Saul

1Cr 10.1-7

1Os filisteus lutaram contra Israel. E os homens de Israel, fugindo da presença dos filisteus, caíram mortos no monte Gilboa. 2Os filisteus seguiram de perto Saul e seus filhos e mataram Jônatas, Abinadabe e Malquisua, filhos de Saul. 3A batalha se intensificou contra Saul. Os flecheiros o avistaram e ele foi ferido gravemente. 4Então Saul disse ao seu escudeiro:

— Arranque a sua espada e atravesse-me com ela, para que não venham esses incircuncisos, me atravessem com a espada e zombem de mim.

Mas o seu escudeiro não quis fazer isso, porque estava com muito medo. Então Saul pegou a sua própria espada e se lançou sobre ela. 5Quando o escudeiro viu que Saul estava morto, também se lançou sobre a sua espada e morreu com ele. 6E assim morreram juntamente naquele dia Saul, os seus três filhos, o seu escudeiro e todos os seus soldados. 7Quando os homens de Israel que estavam no outro lado do vale e no outro lado do Jordão viram que o exército de Israel fugiu e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as cidades e fugiram. E vieram os filisteus e habitaram nelas.

O sepultamento de Saul

1Cr 10.8-12

8E aconteceu que no dia seguinte, quando os filisteus foram tirar os despojos dos mortos, encontraram Saul e os seus três filhos caídos no monte Gilboa. 9Cortaram a cabeça de Saul e o despojaram das suas armas. Enviaram mensageiros pela terra dos filisteus, ao redor, para levar as boas-novas ao templo dos seus ídolos e ao povo. 10Puseram as armas de Saul no templo de Astarote, e o seu corpo afixaram na muralha de Bete-Seã.

11Quando os moradores de Jabes-Gileade ouviram o que os filisteus haviam feito com Saul, 12todos os homens valentes se levantaram, caminharam toda a noite, tiraram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos da muralha de Bete-Seã e os levaram a Jabes, onde os queimaram. 13Depois pegaram os ossos deles e os sepultaram debaixo de um arvoredo, em Jabes. E jejuaram sete dias.

1Samuel 31NAAAbrir na Bíblia

Um grito de angústia

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Os lírios”. De Davi

1Salva-me, ó Deus,

porque as águas me sobem

até a alma.

2Estou atolado

num profundo lamaçal,

que não dá pé.

Entrei em águas profundas,

e estou sendo arrastado

pela correnteza.

3Estou cansado de clamar,

e a minha garganta secou;

os meus olhos esmorecem

de tanto esperar por meu Deus.

4Os que, sem razão, me odeiam

são mais numerosos

do que os cabelos

da minha cabeça;

são poderosos os que querem

me destruir,

os que com falsos motivos

são meus inimigos;

por isso, tenho de restituir

o que não roubei.

5Tu, ó Deus, bem conheces

a minha insensatez,

e as minhas culpas

não te são ocultas.

6Não sejam envergonhados

por minha causa

os que esperam em ti,

ó Senhor, Deus dos Exércitos;

nem por minha causa

sofram vexame

os que te buscam,

ó Deus de Israel.

7Pois tenho suportado afrontas

por amor de ti,

e o meu rosto se cobre

de vergonha.

8Tornei-me um estranho

para os meus irmãos

e um desconhecido para os filhos

da minha mãe.

9Pois o zelo da tua casa

me consumiu,

e as ofensas dos que te insultam

caem sobre mim.

10Chorei, jejuei,

mas até isto se tornou motivo

de deboche para mim.

11Pus um pano de saco por roupa

e me tornei motivo de provérbio

para eles.

12Os que se assentam

junto ao portão da cidade

falam de mim,

e sou motivo para cantigas

de bêbados.

13Quanto a mim, porém, Senhor,

faço a ti, em tempo favorável,

a minha oração.

Responde-me, ó Deus,

pela riqueza da tua graça.

Pela tua fidelidade em socorrer,

14livra-me do lamaçal,

para que eu não me afunde;

que eu seja salvo

dos que me odeiam

e das profundezas das águas.

15Não deixes que

a corrente das águas

me arraste,

nem que as profundezas do abismo

me engulam,

nem que se feche sobre mim

a boca do poço.

16Responde-me, Senhor,

pois compassiva é a tua graça;

volta-te para mim

segundo a riqueza

das tuas misericórdias.

17Não escondas o rosto

ao teu servo,

pois estou angustiado;

responde-me depressa.

18Aproxima-te de minha alma

e redime-a;

resgata-me por causa

dos meus inimigos.

19Tu conheces a minha afronta,

a minha vergonha e o meu vexame;

todos os meus adversários

estão à tua vista.

20As afrontas partiram

o meu coração,

e desfaleci.

Esperei por piedade,

mas foi em vão.

Esperei por consoladores,

mas não apareceu ninguém.

21Por alimento me deram fel

e na minha sede

me deram a beber vinagre.

22Que a mesa deles se torne

em laço diante deles,

e a prosperidade, em armadilha.

23Que os olhos deles se escureçam,

para que não vejam;

e faze com que as suas costas

não parem de tremer.

24Derrama sobre eles

a tua indignação,

e que o furor da tua ira os alcance.

25Fique deserta a sua morada,

e não haja quem habite

nas suas tendas.

26Pois perseguem a quem tu feriste

e ficam falando

sobre as dores daqueles

a quem golpeaste.

27Soma-lhes iniquidade

à iniquidade,

e que não tenham acesso

à tua justiça.

28Sejam riscados

do Livro dos Vivos

e não sejam incluídos

na lista dos justos.

29Quanto a mim, porém,

estou sofrendo e aflito;

que a tua salvação, ó Deus,

me ponha num alto refúgio.

30Louvarei com cânticos

o nome de Deus;

quero exaltá-lo

com ações de graças.

31Isso será muito mais agradável

ao Senhor

do que um boi ou um novilho

com chifres e cascos.

32Que os aflitos vejam isso

e se alegrem;

quanto a vocês

que buscam a Deus,

que o seu coração se reanime.

33Porque o Senhor

ouve os necessitados

e não despreza os seus prisioneiros.

34Louvem-no os céus e a terra,

os mares e tudo

o que neles se move.

35Porque Deus salvará Sião

e edificará as cidades de Judá;

habitarão ali

e tomarão posse de Sião.

36Também a descendência

dos seus servos a herdará,

e nela habitarão os que amam

o nome de Deus.

Salmos 69NAAAbrir na Bíblia

Súplicas de um ancião

1Em ti, Senhor, me refugio;

não seja eu jamais envergonhado.

2Livra-me por tua justiça

e resgata-me;

inclina-me os ouvidos e salva-me.

3Sê tu para mim

uma rocha habitável

em que eu sempre possa

me refugiar.

Ordenaste que eu me salve,

pois tu és a minha rocha

e a minha fortaleza.

4Livra-me, Deus meu,

das mãos do ímpio,

das garras do homem injusto

e cruel.

5Pois tu és a minha esperança,

Senhor Deus,

a minha confiança

desde a minha mocidade.

6Em ti eu tenho me apoiado

desde o meu nascimento;

tu me tiraste do ventre materno.

A ti se dirige constantemente

o meu louvor.

7Para muitos sou motivo

de espanto,

mas tu és o meu forte refúgio.

8Os meus lábios estão repletos

do teu louvor

e da tua glória continuamente.

9Não me rejeites

na minha velhice;

quando me faltarem as forças,

não me desampares.

10Pois os meus inimigos

falam contra mim;

e os que querem matar-me

conspiram,

11dizendo: “Deus o abandonou.

Persigam-no e prendam-no,

pois não há quem o possa livrar.”

12Ó Deus, não te ausentes de mim;

Deus meu, apressa-te

em me socorrer.

13Que sejam envergonhados

e consumidos

os que são adversários

de minha alma;

cubram-se de vergonha

e de vexame

os que procuram o meu mal.

14Quanto a mim, esperarei sempre

e te louvarei cada vez mais.

15A minha boca proclamará

a tua justiça;

o dia inteiro contarei

os feitos da tua salvação,

ainda que eu não saiba

o seu número.

16Irei na força do Senhor Deus;

anunciarei a tua justiça,

a tua somente.

17Tu me tens ensinado, ó Deus,

desde a minha mocidade;

e até agora tenho anunciado

as tuas maravilhas.

18Não me desampares, ó Deus,

agora que estou velho

e de cabelos brancos,

até que eu tenha declarado

à presente geração a tua força

e às gerações vindouras o teu poder.

19A tua justiça, ó Deus,

se eleva até os céus.

Grandes coisas tens feito, ó Deus;

quem é semelhante a ti?

20Tu, que me tens feito ver

muitas angústias e males,

me restaurarás ainda a vida

e de novo me tirarás

dos abismos da terra.

21Aumenta a minha grandeza

e consola-me novamente.

22Eu também te louvo com a lira

por tua verdade,

ó Deus meu;

cantarei louvores a ti

ao som da harpa,

ó Santo de Israel.

23Os meus lábios exultarão

quando eu cantar louvores a ti;

também exultará a minha alma,

que remiste.

24Igualmente a minha língua

celebrará a tua justiça

todo o dia;

pois estão envergonhados

e confundidos

os que procuram o meu mal.

Salmos 71NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.21.8
SIGA A SBB: