Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 85

Texto(s) da Bíblia

A parábola da festa de casamento

1De novo Jesus lhes falou por parábolas, dizendo:

2— O Reino dos Céus é semelhante a um rei que preparou uma festa de casamento para seu filho. 3Enviou os seus servos a chamar os convidados para a festa, mas estes não quiseram vir. 4Enviou ainda outros servos, dizendo: “Digam aos convidados: Eis que já preparei o meu banquete; os meus bois e animais da engorda já foram abatidos, e tudo está pronto; venham para a festa.” 5Mas os convidados não se importaram e se foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio. 6Outros, agarrando os servos, os maltrataram e mataram.

7— O rei ficou furioso e, enviando as suas tropas, exterminou aqueles assassinos e incendiou a cidade deles. 8Então disse aos seus servos: “A festa está pronta, mas os convidados não eram dignos. 9Vão, pois, para as encruzilhadas dos caminhos e convidem para o banquete todos os que vocês encontrarem.” 10E, saindo aqueles servos pelas estradas, reuniram todos os que encontraram, maus e bons; e a sala do banquete ficou cheia de convidados.

11— Mas, quando o rei entrou para ver os que estavam à mesa, notou ali um homem que não trazia veste nupcial 12e perguntou-lhe: “Amigo, como você entrou aqui sem veste nupcial?” E ele emudeceu. 13Então o rei ordenou aos serventes: “Amarrem os pés e as mãos dele e atirem-no para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes.” 14Porque muitos são chamados, mas poucos são escolhidos.

A questão do imposto

15Então os fariseus se retiraram e consultaram entre si como surpreenderiam Jesus em alguma palavra. 16E enviaram-lhe discípulos, juntamente com os herodianos, para lhe dizer:

— Mestre, sabemos que o senhor é verdadeiro e que ensina o caminho de Deus de acordo com a verdade, sem se importar com a opinião dos outros, porque não olha para a aparência das pessoas. 17Assim sendo, diga-nos o que o senhor acha: é lícito pagar imposto a César ou não?

18Mas Jesus, percebendo a maldade deles, respondeu:

— Hipócritas, por que vocês estão me pondo à prova? 19Mostrem-me a moeda do imposto.

Trouxeram-lhe um denário. 20E Jesus lhes perguntou:

— De quem é esta figura e esta inscrição?

21Eles responderam:

— De César.

Então Jesus lhes disse:

— Deem, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

22Ouvindo isto, se admiraram e, deixando-o, foram embora.

Mateus 22:1-22NAAAbrir na Bíblia

A derrota do rei de Arade

1O rei cananeu de Arade, que habitava no Neguebe, ouviu que Israel vinha pelo caminho de Atarim. Ele atacou os israelitas e levou alguns deles cativos. 2Então Israel fez um voto ao Senhor, dizendo:

— Se, de fato, entregares este povo nas minhas mãos, destruirei totalmente as suas cidades.

3O Senhor ouviu o pedido de Israel e lhe entregou os cananeus. Os israelitas os destruíram totalmente, tanto eles como as suas cidades; e aquele lugar foi chamado de Horma.

A serpente de bronze

4Então os israelitas partiram do monte Hor, pelo caminho do mar Vermelho, para rodear a terra de Edom. Mas o povo se tornou impaciente no caminho 5e falou contra Deus e contra Moisés, dizendo:

— Por que vocês nos tiraram do Egito, para que morramos neste deserto, onde não há pão nem água? Já estamos enjoados dessa comida ruim.

6Então o Senhor mandou para o meio do povo cobras venenosas, que mordiam o povo; e morreram muitos do povo de Israel. 7Então o povo foi a Moisés e disse:

— Nós pecamos, porque falamos contra o Senhor Deus e contra você. Ore ao Senhor, pedindo que tire de nós as cobras.

Então Moisés orou pelo povo. 8O Senhor disse a Moisés:

— Faça uma serpente e coloque-a sobre uma haste. Quem for mordido e olhar para ela viverá.

9Moisés fez uma serpente de bronze e a pôs sobre uma haste. Quando alguém era mordido por alguma cobra, se olhava para a serpente de bronze, ficava curado.

Jornadas dos israelitas

10Então os filhos de Israel partiram e acamparam em Obote. 11Depois, partiram de Obote e acamparam em Ijé-Abarim, no deserto que está diante de Moabe, para o nascente. 12Dali, partiram e acamparam no vale de Zerede. 13E, dali, partiram e acamparam na outra margem do Arnom, que está no deserto que se estende do território dos amorreus. O rio Arnom é a fronteira de Moabe, entre Moabe e os amorreus. 14Por isso se diz no Livro das Guerras do Senhor:

“Vaebe, em Sufa,

e os vales do Arnom,

15e o declive dos vales

que se estende para a sede de Ar

e se encosta na fronteira

de Moabe.”

16Dali partiram para Beer. Este é o poço do qual o Senhor disse a Moisés:

— Reúna o povo, e lhe darei água.

17Então Israel cantou este cântico:

“Brote, ó poço!

Entoem cânticos para ele!

18Poço que os príncipes cavaram,

que os nobres do povo abriram,

com o cetro

e com os seus bordões.”

Do deserto, partiram para Matana. 19E, de Matana, para Naaliel e, de Naaliel, para Bamote. 20De Bamote, ao vale que está no campo de Moabe, no alto do monte Pisga, que olha para o deserto.

A vitória sobre Seom, rei de Hesbom

Dt 2.26-36

21Então Israel mandou mensageiros a Seom, rei dos amorreus, dizendo:

22— Deixe-nos passar pela sua terra. Não nos desviaremos pelos campos nem pelas vinhas. As águas dos poços não beberemos. Iremos pela estrada real até que tenhamos passado pelo seu país.

23Porém Seom não deixou Israel passar pelo seu país. Pelo contrário, reuniu todo o seu povo e saiu ao encontro de Israel no deserto. Veio até Jaza, e lutou contra Israel. 24Mas Israel o matou a fio de espada e tomou posse de sua terra, desde o Arnom até o Jaboque, até os filhos de Amom, cuja fronteira era fortificada. 25Assim Israel tomou todas estas cidades dos amorreus e habitou em todas elas, em Hesbom e em todas as suas aldeias. 26Porque Hesbom era cidade de Seom, rei dos amorreus, que tinha lutado contra o antigo rei dos moabitas, de cuja mão havia tomado toda a sua terra até o rio Arnom. 27Por isso os poetas dizem:

“Venham a Hesbom! Edifique-se,

estabeleça-se a cidade de Seom!

28Porque fogo saiu de Hesbom,

e chama, da cidade de Seom,

e consumiu Ar, de Moabe,

e os senhores dos altos do Arnom.

29Ai de você, Moabe!

Você está perdido,

povo de Quemos;

entregou seus filhos como fugitivos

e suas filhas, como cativas

a Seom, rei dos amorreus.

30Nós os ferimos com flechas;

estão destruídos

desde Hesbom até Dibom;

e os assolamos até Nofa

e com fogo, até Medeba.”

A vitória sobre Ogue, rei de Basã

Dt 3.1-11

31Assim, Israel habitou na terra dos amorreus. 32Depois, Moisés mandou espiar a cidade de Jazer. Tomaram as suas aldeias e expulsaram os amorreus que estavam ali. 33Então voltaram e subiram o caminho de Basã. E Ogue, rei de Basã, saiu contra eles, ele e todo o seu povo, para atacá-los em Edrei. 34O Senhor disse a Moisés:

— Não tenha medo dele, porque eu o entreguei na sua mão, junto com todo o povo e a terra dele. E você fará com ele como fez com Seom, rei dos amorreus, que habitava em Hesbom.

35De tal maneira o derrotaram, a ele, a seus filhos e a todo o seu povo, que nenhum deles escapou. E tomaram posse da terra dele.

Números 21NAAAbrir na Bíblia

1Cântico dos cânticos de Salomão.

Primeiro cântico

Esposa

2Beije-me com os beijos

de sua boca!

Porque o seu amor

é melhor do que o vinho.

3Suave é o aroma

dos seus perfumes;

como perfume derramado

é o seu nome.

Por isso, as donzelas o amam.

4Leve-me com você!

Vamos depressa!

O rei me introduziu

nos seus aposentos.

Coro

Exultaremos e nos alegraremos

por sua causa;

do seu amor nos lembraremos,

mais do que do vinho.

Não é sem razão que o amam.

Esposa

5Eu sou morena e bonita,

ó filhas de Jerusalém,

como as tendas de Quedar,

como as cortinas de Salomão.

6Não olhem para a minha

pele morena,

porque o sol me queimou.

Os filhos de minha mãe

se indignaram contra mim

e me puseram por guarda

das vinhas;

mas a minha vinha,

que me pertence,

não a guardei.

7Diga-me, ó amado

de minha alma:

Onde você apascenta

o seu rebanho?

Onde você o faz repousar

ao meio-dia?

Diga, para que eu

não ande vagando

junto ao rebanho

dos seus companheiros.

Esposo

8Se você, a mais bela

das mulheres, não o sabe,

siga as pisadas dos rebanhos

e apascente os seus cabritos

junto às tendas dos pastores.

9Comparo você, minha querida,

com as éguas das carruagens

de Faraó.

10O seu rosto fica lindo

com os enfeites,

o seu pescoço, com os colares.

11Faremos para você

enfeites de ouro,

com incrustações de prata.

Esposa

12Enquanto o rei está assentado

à sua mesa,

o meu nardo exala o seu perfume.

13O meu amado é para mim

como um sachê de mirra,

posto entre os meus seios.

14O meu amado é para mim

como um ramalhete

de flores de hena

nas vinhas de En-Gedi.

Esposo

15Como você é bela,

minha querida!

Como você é bela!

Os seus olhos são como pombas.

Esposa

16Como você é belo, meu amado!

Como é encantador!

O nosso leito é de viçosa relva.

17As vigas da nossa casa

são os cedros,

e o nosso teto são os ciprestes.

Cântico dos Cânticos 1NAAAbrir na Bíblia

1Eu sou a rosa de Sarom,

o lírio dos vales.

Esposo

2Como um lírio entre os espinhos,

assim é a minha querida

entre as donzelas.

Esposa

3Como a macieira

entre as árvores do bosque,

assim é o meu amado

entre os jovens.

Desejo muito a sua sombra

e debaixo dela me assento,

e o seu fruto é doce

ao meu paladar.

4Ele me levou à sala do banquete,

e o seu estandarte sobre mim

é o amor.

5Sustentem-me com passas,

confortem-me com maçãs,

pois estou morrendo de amor.

6A sua mão esquerda

está debaixo da minha cabeça,

e a direita me abraça.

7Filhas de Jerusalém,

jurem pelas gazelas

e pelas corças selvagens

que vocês não acordarão

nem despertarão o amor,

até que este o queira.

Cântico dos Cânticos 2:1-7NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: