Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 287

Texto(s) da Bíblia

O cântico dos cento e quarenta e quatro mil

1Olhei, e eis que o Cordeiro estava em pé sobre o monte Sião. Com ele estavam cento e quarenta e quatro mil, que tinham escrito na testa o nome do Cordeiro e o nome de seu Pai. 2Ouvi uma voz do céu como som de muitas águas, como som de um forte trovão. A voz que ouvi era como de harpistas quando tocam as suas harpas. 3Entoavam um cântico novo diante do trono, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos. E ninguém podia aprender o cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra. 4Estes são os que não se macularam com mulheres, porque são virgens. Eles seguem o Cordeiro por onde quer que ele vá. São os que foram comprados dentre todos os seres humanos, primícias para Deus e para o Cordeiro; 5e não se achou mentira na sua boca; não têm mácula.

As mensagens dos três anjos

6Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que habitam na terra, e a cada nação, tribo, língua e povo, 7dizendo com voz forte:

— Temam a Deus e deem glória a ele, pois é chegada a hora em que ele vai julgar. E adorem aquele que fez o céu, a terra, o mar e as fontes das águas.

8Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo:

— Caiu! Caiu a grande Babilônia que fez com que todas as nações bebessem o vinho do furor da sua prostituição.

9Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo com voz forte:

— Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na testa ou na mão, 10também esse beberá do vinho do furor de Deus, preparado, sem mistura, no cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. 11A fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre. E os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do nome da besta não têm descanso algum, nem de dia nem de noite. 12Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

Uma voz do céu

13Então ouvi uma voz do céu, dizendo:

— Escreva: “Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor.”

— Sim — diz o Espírito —, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham.

A colheita do fim dos tempos

14Olhei, e eis uma nuvem branca, e sentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem, tendo na cabeça uma coroa de ouro e na mão uma foice afiada. 15Outro anjo saiu do santuário, gritando com voz forte para aquele que estava sentado sobre a nuvem:

— Pegue a sua foice e comece a colher, pois chegou a hora da colheita, visto que os campos da terra já amadureceram!

16E aquele que estava sentado sobre a nuvem passou a sua foice sobre a terra e fez a colheita.

17Então outro anjo saiu do santuário que se encontra no céu, tendo também ele uma foice afiada. 18Ainda outro anjo saiu do altar, o anjo que tem autoridade sobre o fogo, e clamou com voz forte ao que tinha a foice afiada, dizendo:

— Pegue a sua foice afiada e ajunte os cachos da videira da terra, porque as suas uvas estão maduras!

19Então o anjo passou a sua foice na terra, ajuntou os cachos da videira da terra e os lançou no grande lagar da ira de Deus. 20O lagar foi pisado fora da cidade. E correu sangue do lagar, chegando até a altura dos freios dos cavalos, numa extensão de cerca de trezentos quilômetros.

Apocalipse 14NAAAbrir na Bíblia

Ester convida o rei e Hamã para um banquete

1No terceiro dia, Ester se aprontou com os seus trajes reais e se pôs no pátio interior do palácio real, em frente à residência do rei. O rei estava sentado no seu trono real, voltado para a porta da residência. 2Quando o rei viu a rainha Ester parada no pátio, ela alcançou favor diante dele, e o rei estendeu-lhe o cetro de ouro que tinha na mão. Ester se aproximou e tocou na ponta do cetro. 3Então o rei perguntou:

— O que é que você tem, rainha Ester? Qual é o seu pedido? Até a metade do reino lhe será dado.

4Ester respondeu:

— Se for do seu agrado, venha hoje com Hamã ao banquete que preparei para o rei.

5Então o rei disse:

— Peçam a Hamã que venha depressa, para que possamos atender ao pedido de Ester.

Assim, o rei e Hamã foram ao banquete que Ester havia preparado. 6Enquanto bebiam vinho, o rei disse a Ester:

— Qual é o seu pedido? Peça, e lhe será dado. O que você quer? Será dado, mesmo que seja metade do reino.

7Ester respondeu:

— Meu pedido e o meu desejo são o seguinte: 8se achei favor diante do rei, e se for do agrado do rei conceder o meu pedido e cumprir o meu desejo, então que o rei venha com Hamã ao banquete que vou preparar para eles amanhã. Então farei o pedido que o rei me concede.

9Naquele dia, Hamã saiu alegre e animado. Mas ficou furioso ao encontrar Mordecai junto à porta do rei e ver que ele não se levantava nem tremia diante dele. 10Porém Hamã se conteve e foi para casa. Depois mandou vir os seus amigos e Zeres, sua mulher. 11Hamã falou sobre a glória das suas riquezas, a multidão de seus filhos, tudo em que o rei o tinha engrandecido e como o tinha exaltado sobre os oficiais e servos do rei. 12E Hamã acrescentou:

— A própria rainha Ester a ninguém mais convidou para vir com o rei ao banquete que tinha preparado, a não ser a mim. E também para amanhã estou convidado por ela, juntamente com o rei. 13Porém tudo isto não me satisfaz, enquanto eu vir o judeu Mordecai sentado junto à porta do rei.

14Então Zeres, a mulher de Hamã, e todos os amigos dele disseram:

— Mande fazer uma forca de vinte e dois metros de altura e, pela manhã, diga ao rei que nela enforquem Mordecai. Então vá alegre com o rei ao banquete.

A sugestão foi bem-aceita por Hamã, que mandou levantar a forca.

Ester 5NAAAbrir na Bíblia

Hamã é forçado a honrar Mordecai

1Naquela noite, o rei não pôde dormir. Então mandou buscar o Livro dos Feitos Memoráveis, que foi lido diante do rei. 2Achou-se escrito que Mordecai é quem havia denunciado Bigtã e Teres, os dois eunucos do rei, guardas da porta, que tinham planejado matar o rei Assuero. 3Então o rei perguntou:

— Que honras e distinções foram conferidas a Mordecai por ter feito isso?

Os servos do rei que o serviam responderam:

— Ele não recebeu nenhuma recompensa!

4O rei perguntou:

— Quem está no pátio?

Ora, Hamã tinha entrado no pátio exterior do palácio real, para pedir ao rei que Mordecai fosse pendurado na forca que ele, Hamã, lhe havia preparado. 5Os servos do rei lhe disseram:

— Hamã está no pátio.

Então o rei mandou que ele entrasse. 6Hamã entrou. E o rei lhe perguntou:

— O que você acha que deveria ser feito ao homem a quem o rei deseja honrar?

Então Hamã pensou assim: “A quem mais o rei poderia querer honrar a não ser a mim?” 7Por isso ele respondeu ao rei:

— Quanto ao homem a quem o rei gostaria de honrar, 8que sejam trazidos os trajes reais, que o rei costuma usar, e o cavalo em que o rei costuma andar montado e sobre cuja cabeça tenha sido colocada uma coroa real. 9Que os trajes e o cavalo sejam entregues a um dos mais nobres oficiais do rei, para que se encarregue de vestir aquele a quem o rei deseja honrar. Depois, que o leve a cavalo pela praça da cidade, proclamando em voz alta: “É isto que se faz ao homem a quem o rei deseja honrar.”

10Então o rei disse a Hamã:

— Vá depressa, pegue os trajes e o cavalo, e faça com o judeu Mordecai tudo o que você falou. Ele está sentado junto à porta do rei. E não omita coisa nenhuma de tudo o que você falou.

11Hamã pegou os trajes e o cavalo, vestiu Mordecai, e o levou a cavalo pela praça da cidade, proclamando em voz alta: “É isto que se faz ao homem a quem o rei deseja honrar.”

12Depois disto, Mordecai voltou para a porta do rei, enquanto Hamã foi correndo para casa, angustiado e de cabeça coberta. 13Hamã contou a Zeres, sua mulher, e a todos os seus amigos tudo o que tinha acontecido com ele. Então os seus amigos, que eram sábios, e Zeres, sua mulher, disseram:

— Se Mordecai, diante do qual você já começou a cair, é da descendência dos judeus, você não conseguirá fazer nada contra ele. Você certamente será derrotado.

Ester 6:1-13NAAAbrir na Bíblia

24Também desprezaram

a terra aprazível

e não deram crédito

à palavra de Deus;

25pelo contrário, murmuraram

em suas tendas

e não ouviram a voz do Senhor.

26Então lhes jurou, de mão erguida,

que os havia de arrasar no deserto;

27e também espalharia

entre as nações

a sua descendência

e os dispersaria por outras terras.

28Também se juntaram a Baal-Peor

e comeram os sacrifícios

dos ídolos mortos.

29Assim, com tais ações,

provocaram a ira do Senhor;

e a peste se espalhou entre eles.

30Então se levantou Fineias

e executou o juízo;

e a peste cessou.

31Isso lhe foi atribuído

como justiça,

de geração em geração,

para sempre.

32Depois, provocaram Deus

nas águas de Meribá,

e, por causa deles, aconteceu

uma desgraça com Moisés,

33pois foram rebeldes

ao Espírito de Deus,

e Moisés falou sem refletir.

34Não exterminaram os povos,

como o Senhor

lhes havia ordenado.

35Em vez disso, se mesclaram

com as nações

e aprenderam os seus costumes.

36Adoraram os seus ídolos,

os quais se tornaram

armadilha para eles.

37Sacrificaram seus filhos

e suas filhas aos demônios.

38Derramaram sangue inocente,

o sangue de seus filhos e filhas,

que sacrificaram

aos ídolos de Canaã;

e a terra foi contaminada

com sangue.

39Assim se contaminaram

com as suas obras

e se prostituíram nos seus feitos.

40Por isso, acendeu-se a ira

do Senhor contra o seu povo,

e ele abominou

a sua própria herança

41e os entregou

ao poder das nações;

sobre eles dominaram

os que os odiavam.

42Também os oprimiram

os seus inimigos,

sob cujo poder foram subjugados.

43Muitas vezes os libertou,

mas eles o provocaram

com os seus planos

e, na sua iniquidade,

foram abatidos.

44Mas Deus olhou para eles

quando estavam angustiados

e lhes ouviu o clamor;

45lembrou-se, a favor deles,

de sua aliança

e se compadeceu,

segundo a multidão

de suas misericórdias.

46Fez também com que deles

tivessem compaixão

todos os que os levaram cativos.

47Salva-nos, Senhor, nosso Deus,

e congrega-nos dentre as nações,

para que demos graças

ao teu santo nome

e nos gloriemos no teu louvor.

48Bendito seja o Senhor,

Deus de Israel,

de eternidade a eternidade;

e todo o povo diga: “Amém!”

Aleluia!

Salmos 106:24-48NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.19.1
SIGA A SBB: