Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 218

Texto(s) da Bíblia

Nenhuma comunhão com os descrentes

14Não se ponham em jugo desigual com os descrentes. Pois que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão existe entre a luz e as trevas? 15Que harmonia pode haver entre Cristo e o Maligno? Ou que união existe entre o crente e o descrente? 16Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivo, como ele próprio disse:

“Habitarei e andarei entre eles;

serei o seu Deus,

e eles serão o meu povo.”

17Por isso, o Senhor diz:

“Saiam do meio deles

e separem-se deles.

Não toquem em coisa impura,

e eu os receberei.”

18“Serei o Pai de vocês,

e vocês serão meus filhos

e minhas filhas”,

diz o Senhor Todo-Poderoso.

2Coríntios 6:14-18NAAAbrir na Bíblia

1Portanto, meus amados, tendo tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.

A alegria de Paulo pelos coríntios

2Pedimos que vocês nos acolham em seu coração. Não tratamos ninguém com injustiça, não prejudicamos ninguém, não exploramos ninguém. 3Não falo para condenar vocês. Porque eu já disse que vocês estão em nosso coração para, juntos, morrermos e vivermos. 4Estou sendo bem franco com vocês e tenho muito orgulho de vocês. Sinto-me grandemente confortado e transbordo de alegria em meio a toda a nossa tribulação.

A chegada de Tito

5Porque, quando chegamos à Macedônia, não tivemos nenhum alívio. Pelo contrário, em tudo fomos atribulados: lutas por fora, temores por dentro. 6Porém Deus, que consola os abatidos, nos consolou com a chegada de Tito. 7E não somente com a chegada dele, mas também pelo consolo que recebeu de vocês. Ele nos falou da saudade, do pranto e do zelo que vocês têm por mim, aumentando, assim, a minha alegria.

8Porque, mesmo que eu tenha entristecido vocês com a minha carta, não me arrependo — embora já tenha me arrependido, pois vi que aquela carta os deixou tristes, ainda que por breve tempo. 9Mas agora me alegro, não porque vocês ficaram tristes, mas porque essa tristeza os levou ao arrependimento. Pois vocês foram entristecidos segundo Deus, para que, de nossa parte, não sofressem nenhum dano. 10Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte. 11Vejam quanto cuidado produziu em vocês o fato de serem entristecidos segundo Deus! Que defesa, que indignação, que temor, que saudade, que zelo, que desejo de punir o culpado! Em tudo vocês se mostraram inocentes neste assunto.

12Portanto, embora eu tenha escrito aquela carta, não foi por causa daquele que fez o mal, nem por causa daquele que sofreu a afronta, mas para que fosse manifesto entre vocês, diante de Deus, o cuidado que vocês têm por nós. 13Foi por isso que nos sentimos consolados.

E, acima desta nossa consolação, muito mais nos alegramos pelo contentamento de Tito, porque todos vocês trouxeram refrigério ao espírito dele. 14Porque, se falei a ele com certo orgulho a respeito de vocês, não fiquei envergonhado. Pelo contrário, como tudo que falamos a vocês era verdade, também os elogios que, na presença de Tito, fizemos a respeito de vocês se mostraram verdadeiros. 15E o grande afeto que ele tem por vocês aumenta cada vez mais, quando ele se lembra da obediência de todos vocês, de como o receberam com temor e tremor. 16Alegro-me porque, em tudo, posso confiar em vocês.

2Coríntios 7NAAAbrir na Bíblia

Ezequias consulta Isaías

Is 37.1-7

1Quando o rei Ezequias ouviu isto, rasgou as suas roupas, cobriu-se de pano de saco e entrou na Casa do Senhor. 2Então ele mandou que Eliaquim, o responsável pelo palácio, Sebna, o escrivão, e os anciãos dos sacerdotes, todos vestidos de pano de saco, fossem falar com o profeta Isaías, filho de Amoz. 3Eles lhe disseram:

— Assim diz Ezequias: “Este dia é dia de angústia, de castigo e de vergonha. Como se costuma dizer, chegou a hora de a criança nascer, mas a mãe não tem forças para dar à luz. 4É bem possível que o Senhor, seu Deus, tenha ouvido todas as palavras de Rabsaqué, a quem o rei da Assíria, seu senhor, enviou para afrontar o Deus vivo, e repreenda as palavras que ouviu. Portanto, ore pelo resto que ficou.”

5Os servos do rei Ezequias foram falar com Isaías, 6que lhes disse:

— Digam ao rei o seguinte: Assim diz o Senhor: “Não tenha medo por causa das palavras que você ouviu, com as quais os servos do rei da Assíria blasfemaram contra mim. 7Eis que porei nele um espírito, e ele, ao ouvir certo rumor, voltará para a sua terra; e lá eu farei com que ele seja morto à espada.”

A carta do rei da Assíria

Is 37.8-13

8Rabsaqué voltou e encontrou o rei da Assíria lutando contra Libna, pois tinha ouvido que o rei já se havia retirado de Laquis. 9Quando o rei ouviu dizer que Tiraca, rei da Etiópia, havia saído para guerrear contra ele, mandou de novo mensageiros a Ezequias, com esta missão:

10— Digam a Ezequias, rei de Judá: “Não deixe que o seu Deus, em quem você confia, o engane, ao dizer: ‘Jerusalém não será entregue nas mãos do rei da Assíria.’ 11Você já ouviu o que os reis da Assíria fizeram com todas as terras, como as destruíram totalmente. E você pensa que poderá escapar? 12Será que os deuses das nações livraram os povos que os meus pais destruíram, Gozã, Harã e Rezefe e os filhos de Éden, que estavam em Telassar? 13Onde está o rei de Hamate, o rei de Arpade e o rei da cidade de Sefarvaim, de Hena e de Iva?”

A oração de Ezequias

Is 37.14-20

14Ezequias recebeu a carta das mãos dos mensageiros e a leu. Então Ezequias subiu à Casa do Senhor e estendeu a carta diante do Senhor. 15E Ezequias orou diante do Senhor, dizendo:

— Ó Senhor, Deus de Israel, que estás entronizado acima dos querubins, somente tu és o Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra. 16Inclina, ó Senhor, os ouvidos e ouve; abre, Senhor, os olhos e vê; ouve as palavras de Senaqueribe, as quais ele enviou para afrontar o Deus vivo. 17É verdade, Senhor, que os reis da Assíria assolaram todas as nações e suas terras 18e lançaram no fogo os deuses deles, porque não eram deuses, mas objetos de madeira e pedra, feitos por mãos humanas; por isso, os destruíram. 19Agora, ó Senhor, nosso Deus, livra-nos das mãos dele, para que todos os reinos da terra saibam que só tu, ó Senhor, és Deus.

O profeta conforta Ezequias

Is 37.21-35

20Então Isaías, filho de Amoz, mandou dizer a Ezequias:

— Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: “Eu ouvi a oração que você me fez a respeito de Senaqueribe, rei da Assíria.” 21E esta é a palavra que o Senhor falou a respeito dele:

“A virgem, a filha de Sião,

desdenha e zomba de você;

a filha de Jerusalém

meneia a cabeça atrás de você.

22A quem você afrontou

e de quem blasfemou?

E contra quem você levantou a voz

e ergueu os olhos com arrogância?

Contra o Santo de Israel.

23Por meio dos seus mensageiros,

você afrontou o Senhor e disse:

‘Com a multidão

dos meus carros de guerra

eu subi ao alto dos montes,

ao mais interior do Líbano.

Cortei os seus altos cedros

e os seus melhores ciprestes;

cheguei aos seus abrigos

mais distantes,

ao seu denso bosque.

24Eu mesmo cavei e bebi

as águas de estrangeiros;

com as plantas de meus pés

sequei todos os rios do Egito.’”

25“Por acaso, você não ouviu

que há muito tempo

eu, o Senhor,

determinei estas coisas,

e que já desde os dias remotos

as tinha planejado?

Agora eu as faço acontecer.

Eu quis que você reduzisse

a montões de ruínas

as cidades fortificadas.

26Por isso, os seus moradores,

debilitados,

andaram cheios de temor

e envergonhados;

tornaram-se como

a erva do campo,

a erva verde,

o capim dos telhados

e o cereal queimado

antes de amadurecer.”

27“Mas eu sei onde você está;

conheço o seu sair e o seu entrar,

e o seu furor contra mim.

28Por causa do seu furor

contra mim

e porque a sua arrogância subiu

até os meus ouvidos,

eis que porei

o meu anzol no seu nariz

e o meu freio na sua boca

e farei você voltar pelo caminho

por onde veio.”

29— E isto será o sinal para você, rei Ezequias: neste ano, se comerá o que nascer espontaneamente e, no segundo ano, o que daí proceder. Mas no terceiro ano semeiem e colham, plantem vinhas e comam os seus frutos. 30Aqueles da casa de Judá que escaparam e ficaram como remanescente tornarão a lançar raízes e a dar frutos. 31Porque de Jerusalém sairá o remanescente, e do monte Sião, o que escapou. O zelo do Senhor fará isto.

32— Portanto, assim diz o Senhor a respeito do rei da Assíria:

“Ele não entrará nesta cidade,

nem lançará nela flecha alguma.

Não virá diante dela com escudo,

nem construirá rampas de ataque

contra ela.

33Pelo caminho por onde vier,

por esse voltará;

mas nesta cidade não entrará”,

diz o Senhor.

34“Porque eu defenderei

esta cidade, para a livrar,

por amor de mim

e por amor de meu servo Davi.”

A destruição do exército dos assírios

2Cr 32.21; Is 37.36-38

35Naquela mesma noite, o Anjo do Senhor saiu e matou cento e oitenta e cinco mil homens no arraial dos assírios. De manhã, quando os restantes se levantaram, lá estavam todos aqueles cadáveres. 36Então Senaqueribe, rei da Assíria, levantou acampamento, foi embora, voltou para Nínive e por lá ficou. 37Certo dia, quando ele estava adorando no templo de seu deus Nisroque, os seus filhos Adrameleque e Sarezer o mataram à espada; depois fugiram para a terra de Ararate. E Esar-Hadom, filho de Senaqueribe, reinou em seu lugar.

2Reis 19NAAAbrir na Bíblia

1Sentença contra Nínive. Livro da visão de Naum, da cidade de Elcos.

A ira e a misericórdia de Deus

2O Senhor é Deus zeloso

e vingador,

o Senhor é vingador

e cheio de ira;

o Senhor toma vingança

contra os seus adversários

e reserva indignação

para os seus inimigos.

3O Senhor é tardio em irar-se,

mas grande em poder

e jamais inocenta o culpado.

O Senhor tem o seu caminho

na tormenta e na tempestade,

e as nuvens são a poeira

dos seus pés.

4Repreende o mar, e ele seca;

faz com que todos os rios

fiquem secos.

Basã e o Carmelo desfalecem,

e as flores do Líbano murcham.

5Os montes tremem diante dele,

e as colinas se derretem.

A terra se levanta diante dele,

sim, o mundo

e todos os seus moradores.

6Quem pode suportar

a sua indignação?

E quem subsistirá diante do furor

da sua ira?

A sua cólera se derrama

como fogo,

e as rochas são por ele demolidas.

7O Senhor é bom,

é fortaleza no dia da angústia

e conhece os que nele se refugiam.

8Mas, com inundação

transbordante,

acabará de uma vez

com o lugar dessa cidade;

com trevas, o Senhor perseguirá

os seus inimigos.

9O que é que vocês estão

planejando contra o Senhor?

Ele mesmo os

consumirá completamente;

a angústia não se levantará

duas vezes!

10Porque, ainda que eles

se entrelacem

como os espinhos

e se saturem de vinho

como bêbados,

serão inteiramente consumidos

como palha seca.

11De você, Nínive, saiu um

que planeja o mal contra o Senhor,

alguém que aconselha a maldade.

12Assim diz o Senhor:

“Por mais seguros que estejam

e por mais numerosos que eles sejam,

ainda assim serão exterminados

e passarão.

Meu povo, embora eu

o tenha afligido,

não o afligirei mais.

13Quebrarei o jugo deles

que pesa sobre você

e romperei os laços

que o prendem.”

14Porém contra você, Assíria,

o Senhor deu ordem

para que não haja posteridade

que leve o seu nome;

do templo dos seus deuses

exterminarei as imagens

de escultura

e de fundição.

Farei a sua sepultura,

porque você é desprezível.

15Eis sobre os montes

os pés do que anuncia boas-novas,

do que anuncia a paz!

Celebre as suas festas, ó Judá,

cumpra os seus votos,

porque o ímpio

não mais passará por você;

ele foi inteiramente exterminado.

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.8
SIGA A SBB: