Sociedade Bíblica do Brasil
Sociedade Bíblica do Brasil

Plano de leitura da Bíblia – dia 203

Texto(s) da Bíblia

A liberdade e os direitos do apóstolo Paulo

1Será que eu não sou um homem livre? Não sou apóstolo? Não vi Jesus, nosso Senhor? Por acaso vocês não são fruto do meu trabalho no Senhor? 2Se não sou apóstolo para outros, certamente o sou para vocês! Porque vocês são o selo do meu apostolado no Senhor.

3A minha defesa diante dos que me questionam é esta: 4será que nós não temos o direito de comer e beber? 5Será que não temos o direito de levar conosco uma esposa crente, como fazem os demais apóstolos, os irmãos do Senhor e Cefas? 6Ou será que somente eu e Barnabé temos de trabalhar para viver? 7Quem é que vai à guerra às suas próprias custas? Quem planta uma vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta um rebanho e não se alimenta do leite do rebanho?

8Será que eu digo isso apenas como homem? Não é verdade que a lei também o diz? 9Porque na Lei de Moisés está escrito: “Não amarre a boca do boi quando ele pisa o trigo.” Por acaso Deus está preocupado com bois? 10Será que não é certamente por nossa causa que ele está dizendo isso? É claro que é por nossa causa que isso está escrito. Pois quem lavra deve fazê-lo com esperança e o que colhe deve fazê-lo na esperança de receber a parte que lhe é devida. 11Se nós semeamos entre vocês as coisas espirituais, será muito recolhermos de vocês bens materiais? 12Se outros participam desse direito sobre vocês, não o temos nós em maior medida?

Entretanto, não fizemos uso desse direito. Pelo contrário, suportamos tudo, para não criarmos qualquer obstáculo ao evangelho de Cristo. 13Vocês não sabem que os que prestam serviços sagrados se alimentam do próprio templo e que os que servem ao altar participam do que é oferecido sobre o altar? 14Assim também o Senhor ordenou aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho.

15Eu, porém, não tenho feito uso de nenhuma destas coisas e não escrevo isto para que assim se faça comigo. Preferiria morrer a deixar que alguém me tire esta glória. 16Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho! 17Se o faço de livre vontade, tenho recompensa; mas, se o faço por obrigação, é porque uma responsabilidade me foi confiada. 18Nesse caso, qual é a minha recompensa? É que, anunciando o evangelho, eu o apresente de graça, para não me valer do direito que ele me dá.

19Porque, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível. 20Para com os judeus, fiz-me como judeu, a fim de ganhar os judeus; para os que vivem sob o regime da Lei, como se eu mesmo assim vivesse, para ganhar os que vivem debaixo da Lei, embora eu não esteja debaixo da Lei. 21Aos sem lei, como se eu mesmo o fosse, não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo, para ganhar os que vivem fora do regime da lei. 22Fiz-me fraco para com os fracos, a fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, a fim de, por todos os modos, salvar alguns.

23Tudo faço por causa do evangelho, para ser também participante dele. 24Vocês não sabem que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Corram de tal maneira que ganhem o prêmio. 25Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. 26Assim corro também eu, não sem meta; assim luto, não como desferindo golpes no ar. 27Mas esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado.

1Coríntios 9NAAAbrir na Bíblia

Acazias e o profeta Elias

1Depois da morte de Acabe, o rei dos moabitas se revoltou contra Israel.

2E o rei Acazias caiu pelas grades de um quarto do andar superior, em Samaria, e ficou ferido. Então enviou mensageiros e lhes disse:

— Vão consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom, para saber se vou sarar desta doença.

3Mas o Anjo do Senhor disse a Elias, o tesbita:

— Levante-se, vá encontrar-se com os mensageiros do rei de Samaria e pergunte-lhes: “Será que não há Deus em Israel, para que vocês estejam indo consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom?” 4Por isso, assim diz o Senhor: “Da cama em que está deitado você não sairá mais. Você certamente morrerá!”

Então Elias foi embora.

5Os mensageiros voltaram para o rei, e este lhes perguntou:

— O que houve? Por que voltaram?

6Eles responderam:

— Um homem veio ao nosso encontro e nos disse que deveríamos voltar para o rei que nos havia mandado e dizer o seguinte: Assim diz o Senhor: “Será que não há Deus em Israel, para que você esteja mandando consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom? Portanto, da cama em que está deitado você não sairá mais. Você certamente morrerá!”

7Então o rei perguntou:

— Qual era a aparência do homem que veio ao encontro de vocês e falou tais palavras?

8Eles responderam:

— Era um homem vestido de pelos, com um cinto de couro na cintura.

Então o rei disse:

— É Elias, o tesbita.

9Então o rei enviou um capitão de cinquenta, com seus cinquenta soldados, em busca de Elias. O capitão subiu o monte, em cujo topo Elias estava sentado, e lhe disse:

— Homem de Deus, o rei está ordenando que você desça daí.

10Mas Elias respondeu ao capitão de cinquenta:

— Se eu sou homem de Deus, que desça fogo do céu e consuma você e os seus cinquenta soldados.

Então desceu fogo do céu e consumiu o capitão e os seus cinquenta soldados.

11O rei enviou outro capitão de cinquenta, com os seus cinquenta soldados. Ele subiu o monte e disse a Elias:

— Homem de Deus, o rei está ordenando que você desça daí imediatamente.

12Elias respondeu:

— Se eu sou homem de Deus, que desça fogo do céu e consuma você e os seus cinquenta soldados.

Então fogo de Deus desceu do céu e consumiu o capitão e os seus cinquenta soldados.

13O rei enviou um terceiro capitão de cinquenta, com os seus cinquenta soldados. Este terceiro capitão de cinquenta subiu o monte, pôs-se de joelhos diante de Elias e lhe suplicou:

— Homem de Deus, peço, por favor, que a minha vida e a vida destes seus servos, os cinquenta soldados, seja preciosa aos seus olhos. 14Porque desceu fogo do céu e consumiu aqueles dois primeiros capitães de cinquenta, com os seus cinquenta soldados. Agora, porém, que a minha vida seja preciosa aos seus olhos.

15Então o Anjo do Senhor disse a Elias:

— Desça com este; não tenha medo.

Ele se levantou, desceu com ele e se apresentou ao rei. 16Elias disse ao rei:

— Assim diz o Senhor: “Por que você enviou mensageiros para consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom? É porque não há Deus em Israel, cuja palavra se possa consultar? Portanto, da cama em que está deitado você não sairá mais. Você certamente morrerá!”

17E assim Acazias morreu, segundo a palavra do Senhor, anunciada por Elias. E Jorão, irmão de Acazias, começou a reinar em seu lugar, no segundo ano do reinado de Jeorão, filho de Josafá, rei de Judá. Isto porque Acazias não tinha filhos.

18Quanto aos demais atos de Acazias e ao que fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel?

2Reis 1NAAAbrir na Bíblia

Eliseu é sucessor de Elias

1Quando o Senhor estava para tomar Elias ao céu num redemoinho, Elias saiu de Gilgal em companhia de Eliseu. 2E Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui, porque o Senhor me enviou a Betel.

Mas Eliseu disse:

— Tão certo como vive o Senhor, e como você vive, não o deixarei ir sozinho.

E, assim, foram até Betel. 3Os discípulos dos profetas que estavam em Betel saíram ao encontro de Eliseu e lhe perguntaram:

— Você sabia que hoje o Senhor levará o seu mestre, elevando-o por sobre a sua cabeça?

Ele respondeu:

— Sim, também eu já sei. Mas não digam nada.

4Então Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui, porque o Senhor me enviou a Jericó.

Mas Eliseu disse:

— Tão certo como vive o Senhor, e como você vive, não o deixarei ir sozinho.

E, assim, foram a Jericó. 5Então os discípulos dos profetas que estavam em Jericó se aproximaram de Eliseu e lhe perguntaram:

— Você sabia que hoje o Senhor levará o seu mestre, elevando-o por sobre a sua cabeça?

Ele respondeu:

— Sim, também eu já sei. Mas não digam nada.

6Mais uma vez Elias disse a Eliseu:

— Fique aqui, porque o Senhor me enviou ao Jordão.

Mas Eliseu disse:

— Tão certo como vive o Senhor, e como você vive, não o deixarei ir sozinho.

E, assim, os dois foram juntos. 7Cinquenta homens dos discípulos dos profetas foram e ficaram a certa distância, quando ambos pararam junto ao Jordão. 8Então Elias pegou o seu manto, enrolou-o e bateu com ele nas águas, as quais se dividiram para os dois lados; e ambos passaram em seco.

Elias é elevado ao céu

9Quando eles tinham passado o Jordão, Elias disse a Eliseu:

— Diga o que você quer que eu faça por você, antes que eu seja levado embora.

Eliseu disse:

— Quero receber por herança porção dobrada do seu espírito.

10Elias respondeu:

— Você fez um pedido difícil. Mas, se você me vir quando eu for levado embora, será como você pede; porém, se você não me vir, não será assim.

11Enquanto iam caminhando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro, e Elias subiu ao céu num redemoinho. 12Ao ver isso, Eliseu gritou:

— Meu pai, meu pai! Carros de Israel e seus cavaleiros!

E nunca mais ele viu Elias. E, pegando a sua própria roupa, rasgou-a em duas partes. 13Então levantou o manto de Elias, que havia caído, e voltou para a margem do Jordão. 14Pegou o manto de Elias, que havia caído, bateu com ele nas águas e disse:

— Onde está o Senhor, Deus de Elias?

Quando ele bateu nas águas, elas se dividiram para os dois lados, e Eliseu passou.

Os discípulos dos profetas procuram Elias

15Os discípulos dos profetas que estavam defronte, em Jericó, viram isso e disseram:

— O espírito de Elias repousa sobre Eliseu.

Foram ao encontro de Eliseu e se prostraram diante dele em terra. 16E disseram a Eliseu:

— Eis que entre os seus servos há cinquenta homens valentes. Deixe-os ir em procura do seu mestre. Pode ser que o Espírito do Senhor o tenha levado e lançado em algum dos montes ou em algum dos vales.

Porém ele respondeu:

— Não! Não mandem ninguém.

17Mas eles insistiram com ele, até que, constrangido, lhes disse:

— Podem enviar os homens.

E enviaram cinquenta homens, que o procuraram durante três dias, porém não o acharam. 18Então voltaram para junto de Eliseu, que tinha ficado em Jericó. E ele lhes disse:

— Eu não disse que vocês não deveriam ir?

Eliseu torna saudáveis as águas de Jericó

19Os homens da cidade disseram a Eliseu:

— Eis que esta cidade é bem-situada, como o senhor pode ver, porém a água não é boa, e a terra é estéril.

20Ele disse:

— Tragam-me um prato novo e ponham nele sal.

E eles trouxeram. 21Então Eliseu foi até a fonte e jogou o sal na água. E disse:

— Assim diz o Senhor: “Tornei saudável esta água; ela não será mais causa de morte nem de esterilidade.”

22E aquela água ficou saudável, até o dia de hoje, segundo a palavra que Eliseu tinha dito.

Rapazinhos zombam de Eliseu

23Então Eliseu partiu dali para ir a Betel. Estando ele a caminho, uns rapazinhos saíram da cidade, e zombavam dele, dizendo:

— Suba, seu careca! Suba, seu careca!

24Eliseu se virou para trás, viu os rapazinhos e os amaldiçoou em nome do Senhor. Então duas ursas saíram do bosque e despedaçaram quarenta e dois deles. 25Dali Eliseu foi para o monte Carmelo, de onde voltou para Samaria.

2Reis 2NAAAbrir na Bíblia

A visão do gafanhoto, do fogo e do prumo

1O Senhor Deus me mostrou o seguinte: eis que ele formava uma nuvem de gafanhotos no momento em que começavam a brotar as plantas da entressafra, ou seja, a cultura tardia que vinha depois de concluída a colheita reservada ao rei. 2Quando tinham acabado de comer toda a plantação, eu disse:

— Senhor Deus, perdoa, por favor! Como poderá Jacó sobreviver? Pois ele é pequeno.

3Então o Senhor mudou de ideia em relação a isso e falou:

— Isso não vai acontecer.

4Depois, o Senhor Deus me mostrou o seguinte: eis que o Senhor Deus chamou o fogo para exercer a sua justiça. Este fogo consumiu o grande abismo e começava a devorar a terra. 5Então eu disse:

— Senhor Deus, para, por favor! Como poderá Jacó sobreviver? Pois ele é pequeno.

6E o Senhor mudou de ideia em relação a isso e falou:

— Também isso não vai acontecer, diz o Senhor Deus.

7Mostrou-me também isto: eis que o Senhor estava sobre um muro levantado a prumo, e tinha um prumo na mão. 8O Senhor me perguntou:

— O que você está vendo, Amós?

Respondi:

— Um prumo.

Então o Senhor disse:

— Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo de Israel; não posso mais ignorar o que fazem. 9Os lugares altos de Isaque serão assolados, e os santuários de Israel serão destruídos. E eu me levantarei com a espada contra a casa de Jeroboão.

Amós e o sacerdote Amazias

10Então Amazias, o sacerdote de Betel, mandou dizer a Jeroboão, rei de Israel:

— Amós está conspirando contra o rei no meio da casa de Israel. A terra não pode suportar todas as suas palavras. 11Porque assim diz Amós: “Jeroboão morrerá à espada, e Israel certamente será levado para fora de sua terra, em cativeiro.”

12Depois Amazias disse a Amós:

— Saia daqui, vidente! Fuja para a terra de Judá e vá ganhar a vida por lá. Em Judá você pode profetizar. 13Mas em Betel, daqui em diante, você não poderá profetizar, porque este é o santuário do rei e o templo do reino.

14Amós respondeu e disse a Amazias:

— Eu não sou profeta nem discípulo de profeta. Eu cuido de gado e colho sicômoros. 15Mas o Senhor me tirou do trabalho de andar atrás do gado e me disse: “Vá e profetize ao meu povo de Israel.” 16Portanto, agora ouça a palavra do Senhor. Você diz: “Não profetize contra Israel nem fale contra a casa de Isaque.” 17Pois bem, assim diz o Senhor:

“A sua mulher se prostituirá

na cidade,

e os seus filhos e as suas filhas

cairão à espada.

A sua terra será repartida a cordel,

e você morrerá numa terra impura.

E Israel certamente

será levado cativo

para fora da sua terra.”

Amós 7NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.18.6
SIGA A SBB: