Sociedade Bíblica do Brasil

40 dias para a Ressurreição – dia 37

Precisamos nos enxergar naquela multidão que gritava pedindo a crucificiação de Jesus. Precisamos nos enxergar nos discípulos medrosos que fugiram ou se esconderam. Precisamos nos enxergar entre os bandidos da cruz. Só assim poderemos nos enxergar em Jesus. Medite sobre o momento em que tudo se completou.

Texto(s) da Bíblia

14E era a preparação da Páscoa, por volta do meio-dia. E Pilatos disse aos judeus:

— Eis aqui o rei de vocês.

15Eles, porém, clamavam:

— Fora! Fora! Crucifique-o!

Então Pilatos perguntou:

— Devo crucificar o rei de vocês?

Os principais sacerdotes responderam:

— Não temos rei, senão César!

16Então Pilatos entregou Jesus para ser crucificado, e eles o levaram.

A crucificação de Jesus

17Jesus, carregando ele mesmo a sua cruz, saiu para o lugar chamado Calvário, Gólgota em hebraico. 18Ali o crucificaram e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio. 19Pilatos escreveu também um título e o colocou no alto da cruz. E o que estava escrito era: “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus”. 20Muitos judeus leram este título, porque o lugar em que Jesus havia sido crucificado era perto da cidade; e estava escrito em hebraico, latim e grego. 21Os principais sacerdotes dos judeus disseram a Pilatos:

— Não escreva: “Rei dos judeus”, e sim: “Ele disse: Sou o rei dos judeus.”

22Pilatos respondeu:

— O que escrevi escrevi.

23Os soldados, pois, quando crucificaram Jesus, pegaram as roupas dele e dividiram em quatro partes, uma parte para cada soldado; e pegaram também a túnica. A túnica, porém, era sem costura, toda tecida de alto a baixo. 24Por isso, os soldados disseram uns aos outros:

— Não a rasguemos, mas vamos tirar a sorte para ver quem ficará com ela.

Isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz:

“Repartiram entre si

as minhas roupas

e sobre a minha túnica

lançaram sortes.”

E foi isso que os soldados fizeram.

25E junto à cruz estavam a mãe de Jesus, a irmã dela, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. 26Vendo Jesus a sua mãe e junto dela o discípulo amado, disse:

— Mulher, eis aí o seu filho.

27Depois, disse ao discípulo:

— Eis aí a sua mãe.

Dessa hora em diante, o discípulo a tomou para casa.

A morte de Jesus

28Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado, para que se cumprisse a Escritura, disse:

— Tenho sede!

29Estava ali um vaso cheio de vinagre. Embeberam de vinagre uma esponja e, fixando-a num caniço de hissopo, aproximaram a esponja da boca de Jesus. 30Quando Jesus tomou o vinagre, disse:

— Está consumado!

E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

Um soldado abre o lado de Jesus com uma lança

31Então, para que os corpos não ficassem na cruz durante o sábado, visto que era o dia da preparação e era grande o dia daquele sábado, os judeus pediram a Pilatos que fossem quebradas as pernas dos crucificados e fossem tirados das cruzes. 32Os soldados quebraram as pernas dos homens que tinham sido crucificados com Jesus, primeiro de um, depois do outro. 33Quando, porém, chegaram a Jesus, vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas. 34Mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. 35Aquele que viu isso dá testemunho, e o testemunho dele é verdadeiro. E ele sabe que diz a verdade, para que também vocês creiam. 36E isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura: “Nenhum dos seus ossos será quebrado.” 37E outra vez diz a Escritura: “Olharão para aquele a quem traspassaram.”

João 19:14-37NAAAbrir na Bíblia
Sociedade Bíblica do Brasilv.4.20.15
SIGA A SBB: