Sociedade Bíblica do Brasil

Diretor-executivo da SBB é o novo coordenador das Sociedades Bíblicas Lusófonas

O encontro é promovido anualmente e será realizado no Brasil, em 2025

O diretor-executivo da Sociedade Bíblica do Brasil, Rev. Erní Walter Seibert, participou do encontro das Sociedades Bíblicas Lusófonas, que ocorreu na capital da Coreia do Sul, em Seul, dos dias 2 a 9 de junho. Na ocasião, ele foi indicado pela segunda vez como Coordenador do grupo e o Brasil foi escolhido como destino do encontro do próximo ano.

O grupo reúne as Sociedades Bíblicas de Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe. O elo principal de ligação do grupo é a língua portuguesa e o desejo de disseminar o conteúdo da Bíblia Sagrada nesses países. A reunião foi realizada na Sociedade Bíblica da Coreia, que historicamente apoia o trabalho bíblico nesses países e que se dispôs a sediar o encontro em suas instalações neste ano.

O encontro foi dividido em duas partes. Na primeira, uma equipe das Sociedades Bíblicas Unidas ministrou um curso sobre como administrar a provisão de Escrituras numa Sociedade Bíblica. Esse aspecto do trabalho de uma Sociedade Bíblica é muito importante. Depende dele a possibilidade de distribuição de Bíblias e material bíblico no país e depende dele a disponibilidade da Bíblia como ferramenta de trabalho nos diversos programas e projetos que são desenvolvidos. Sem Bíblias o trabalho bíblico não acontece.

A parte institucional do programa deu ênfase para a forma como essas Sociedades Bíblicas podem cooperar umas com as outras e como podem atuar visando transformar vidas com a Palavra de Deus. Na ocasião, cada país apresentou resumidamente o trabalho que desenvolveu desde a última reunião do grupo e ações que podem causar impacto com o uso da Bíblia Sagrada em cada lugar.

Fique por dentro do que foi abordado:

  • Seminários de Ciências Bíblicas – Apenas um dos países, Moçambique, ainda não realizou nenhuma edição de um Seminário de Ciências Bíblicas. Esses eventos são muito importantes para trazerem o conhecimento da Bíblia para as Igrejas e para a população em geral. Foram discutidas orientações gerais para a realização dos Seminários e planejados eventos para os próximos anos. A realização dos Seminários será divulgada pelos países realizadores.
  • Uma Bíblia em cada casa – Cabo Verde está desenvolvendo essa ação em seu país. Relatou sobre como conseguiu a adesão das Igrejas e Organizações Cristãs para o projeto e como as autoridades do país apoiaram o projeto. Expôs também como foi organizado o aspecto logístico da ação. Cabo Verde deverá concluir o projeto ao longo de 2024, e será o primeiro país lusófono a levar um exemplar do Novo Testamento a todas as residências do país. O grupo pretende realizar a mesma ação em todos os países lusófonos e vê nisso uma grande contribuição para desenvolver nos países uma cultura de paz e de reconciliação.
  • Projetos Bíblicos de Impacto Social – Esse foi outro tema estudado pelo grupo. A Bíblia, ao longo da história, sempre causou impacto positivo nas sociedades onde ela foi introduzida. Isso continua sendo assim em nossos dias. Como elaborar projetos bíblicos que atendam as necessidades das pessoas e desenvolvam na sociedade valores que ajudam as pessoas em seu dia a dia, foi a pergunta que norteou essa discussão.
  • Edições especiais de Bíblias e literatura bíblica – As Sociedades Bíblicas do grupo relataram sobre projetos especiais de publicação e distribuição de Bíblias que estão realizando nos países.
  • Tradução da Bíblia de Almeida – A tradução da Bíblia de Almeida é o livro mais divulgado na língua portuguesa. As Sociedades Bíblicas foram as responsáveis por essa distribuição ao longo da história. No entanto, esse tradutor – João Ferreira de Almeida – não é muito conhecido das pessoas falantes do português. Foi discutido como poderia se fazer mais conhecido esse personagem tão importante da lusofonia.

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.21.8
SIGA A SBB: