Sociedade Bíblica do Brasil

A Bíblia na escola

Desde 1977 a SBB passou a oferecer A Bíblia na Escola, um programa que vem resgatando valores éticos, trabalhando a sensibilização de crianças, professores, pais e responsáveis e fortalecendo os vínculos familiares. Atualmente, o programa distribui materiais didáticos e paradidáticos a escolas que utilizem materiais bíblicos em atividades pedagógicas. Nessa frente, oferece treinamento aos professores para utilização dos materiais e incentiva o contato da comunidade escolar com a Bíblia. As famílias também são trabalhadas no sentido de despertar a responsabilidade de assumir o protagonismo na educação das crianças.

Em outra linha, apoia secretarias de educação municipais e escolas que queiram trabalhar valores com os estudantes, que tenham o ensino religioso em sua grade curricular ou manifestem interesse em implantá-lo. Para isso, a SBB desenvolveu o material didático Estudando com a Bíblia (ECAB), uma coleção voltada a alunos de Educação Infantil e Ensino Fundamental, que oferece atividades e exercícios para reflexão e fixação.

Diferente do que muitos pensam, a Bíblia não é apenas uma obra religiosa e que só tem lugar em templos, igrejas e cultos. Com histórias, ensinos, testemunhos e orientações, ela resgata valores, fortalece vínculos, oferece instrução e direção para a tomada de decisões e permite a reflexão sobre a vida e seus rumos no dia a dia. Inclusive, nas salas de aula. Sim, é nas escolas e é por meio da educação que a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) realiza um de seus principais programas bíblicos de impacto social: A Bíblia nas escolas.

Resultados de 2022

97escolas atendidas
22.885alunos
827educadores
20cidades
hand-swipe-horizontalDeslize para ver todos os dados

22.822 materiais bíblicos doados, sendo:

665Bíblias
22.680Porções Novos Leitores
902Porções Bíblicas
6Publicações acadêmicas
6Testamentos
563Materiais diversos
hand-swipe-horizontalDeslize para ver todos os dados

Por todo o Brasil

Itaberaí/GO, Porto de Moz/PA, Igarapé-Miri/PA, Condado/PE, Caraubas /PE, Paudalho/PE, Nazaré da Mata/PE, Tracunhaém/PE, Carpina/PE, Monte Castelo/PR, Cidade Gaúcha/PR, Marechal Cândido Rondon/PR, Mercedes/PR, Bom Jesus/SC, Campo do Tenente/PR, Rio Bom/PR, Mauá da Serra/PR, Curitiba/PR, Cariacica/RJ, Cristina/MG.

Resultados e Impactos

  • Pessoas e comunidades alcançadas e transformadas por meio da mensagem Bíblica;
  • Suprimento de necessidades emergenciais às famílias;
  • Fortalecimento de vínculos familiares e comunitários por meio da literatura.
  • Trabalho de prevenção nas escolas

Ensino transformador

No dia 22 de maio de 2022, foi a vez do município de Mauá da Serra (PR), a 315 quilômetros da capital Curitiba, receber a equipe da SBB para a capacitação do programa A Bíblia na Escola. Mais de 60 professores e educadores participaram da atividade, que contou com apresentações, palestras e debates.

Durante o encontro, eles puderam conhecer os materiais da coleção Estudando com a Bíblia (ECAB), com instruções e treinamento para trabalhar valores como respeito, esperança, amor, honestidade, cuidado, cooperação, segurança e solidariedade. A proposta foi a de fomentar o desenvolvimento de estratégias que tornem o ensino atrativo e inclusivo para alunos e famílias de todas as religiões e crenças.

No decorrer da capacitação, os professores compartilharam dúvidas e questionamentos baseados nas experiências, vivências e perspectivas que têm com os alunos em sala de aula e outras questões mais diretamente ligadas ao ensino religioso.

Educação e transformação após a pandemia

“Após a pandemia, o ambiente nas escolas de nossa cidade não era dos melhores. Antes, havia brigas e comportamentos inadequados entre os alunos de maior idade, principalmente no Ensino Médico. Mas então, muitas crianças, de quatro a dez anos, também se apresentaram mais agressivas e violentas, falando constantemente em suicídio e manifestando crises de ansiedade.” As palavras da assistente social Marta Acosta Antunes são chocantes, mas mostram uma realidade cada vez mais comum não apenas em São Mateus do Sul, cidade paranaense onde trabalha na Secretaria Municipal de Educação e Cultura, mas em quase toda cidade brasileira.

Após um longo período de isolamento social, nem todos souberam lidar com a situação. Crianças começaram a se mostrar cada vez mais impacientes e a ficar tempo demais na internet. Nas escolas públicas do município de pouco mais de 40 mil habitantes e que se localiza a cerca de 120 quilômetros da capital Curitiba, o que mais se ouvia entre os alunos era reclamações como: “Não foi bom ficar em casa todo esse tempo” e “Quero voltar para a escola porque a comida em casa não é boa”.

Para Marta, que nasceu num lar cristão, essa situação era ainda mais triste. “Toda manhã, meu pai reunia a família para fazermos um devocional. Como minha mãe era analfabeta e eu e meus irmãos pequenos, a alegria de todos era o ouvir contar as histórias bíblicas. Entretanto, na adolescência, meus pais se separaram e perdemos aqueles momentos juntos. Porém, vi minha mãe não se conformar e aprender a ler com os Textos Sagrados. Foi um processo lento, lia um pouquinho de cada vez, mas não desistiu. Ter acesso àquele conteúdo era precioso para ela. Aprender a ler foi o caminho para conquistar o bem mais valioso”, lembra.

Diferença em sala de aula

A situação começou a mudar algum tempo depois, quando uma comitiva de São Mateus do Sul participou de uma cerimônia de entrega da Bíblia e de outros materiais em braile no vizinho município de São João do Triunfo. Ao lado da prefeita Fernanda Sardenha e de um grupo de deficientes visuais, Marta conheceu os materiais da coleção Estudando com a Bíblia (ECAB).

Em abril, o primeiro treinamento para utilização do ECAB em São Mateus do Sul reuniu mais de 40 pessoas entre professores, pedagogos, diretores, coordenadores e técnicos da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. “As expectativas são as melhores para o material. Começamos a utilizar e já podemos sentir a diferença. Acredita que fortalecerá os alunos e apoiará os professores. Meu filho de 12 anos frequenta a escola pública e sempre me questionava por que o ensino religioso falava de todas as outras religiões menos da dele. Com o ECAB temos também a oportunidade de tornar essas aulas mais atrativas e trabalhar valores”, completa Marta.

Vitória contra o bullying

As escolas e aqueles que as frequentam não convivem à margem das comunidades em que estão inseridos. O que acontece na comunidade impacta na escola e, muitas vezes, a escola se torna reflexo da comunidade. Para o bem e para o mal. A Escola Municipalizada Jerônimo José da Silva, em Itaberaí, no interior de Goiás, passou por momentos delicados há pouco tempo. Apesar de manter o ensino básico e os primeiros anos do fundamental, com a maioria dos alunos entre 4 e 8 anos, o ambiente escolar passou a ser contaminado pelo aumento da violência e por casos de bullying. “Estamos em uma região com deficiências em várias áreas. As famílias são pobres e têm diversas carências. Observando o comportamento dos alunos, percebemos que eles traziam para as aulas reflexos de suas experiências em casa e na comunidade. Muitos sofriam com a ausência ou a falta de apoio dos pais. Precisávamos fazer algo”, conta a coordenadora pedagógica Wanessa Fernandes de Oliveira Silva e Souza.

Foi com essa resolução que a escola conheceu e passou a utilizar os materiais da SBB, discutindo os valores bíblicos e trabalhando temas como o bullying no ambiente escolar. Os resultados não demoraram a aparecer. Gradativamente, os alunos começaram a colocar em prática o que aprendiam na escola. Trabalhando em rodas de leitura e com bastante interatividade, as crianças apresentaram grandes mudanças no comportamento. O que aprendiam nas salas de aula levavam também para suas casas, promovendo diálogo com os familiares e levando os familiares e responsáveis a atuarem de forma mais ativa e impulsionar o rendimento escolar.

“Observamos que alguns alunos se prontificavam a ajudar como pacificadores em momentos de conflitos, demonstrando gratidão pela mudança que experimentavam. Logo os pais passaram a nos procurar, sentindo a transformação na vida das crianças, que estavam bem mais calmas. Também elogiaram muito a linguagem escrita e visual dos materiais”, acrescenta Wanessa, completando: “Alcançamos o benefício da harmonia no ambiente escolar, com a prática do bem e a cultura da paz. Na escola e nos lares vimos como os valores bíblicos podem fazer a diferença”.

Sociedade Bíblica do Brasilv.4.20.14
SIGA A SBB: