Sociedade Bíblica do Brasil

As Traduções da SBB

A SBB é dona dos direitos das mais apreciadas traduções da Bíblia: Almeida Revista e Atualizada, Almeida Revista e Corrigida e Nova Tradução na Linguagem de Hoje.
“Feliz é a pessoa que acha a sabedoria e que consegue compreender as coisas”
(Provérbio 3.13)

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) apresentou, no dia 8 de novembro de 2017, a conclusão de um trabalho de fôlego, abrangendo a revisão de uma das traduções mais lidas e queridas pelos cristãos brasileiros, a Almeida Revista e Atualizada (RA). A revisão, que recebeu o nome de Nova Almeida Atualizada (NAA), é fruto de quatro anos de trabalho.

Publicada com exclusividade pela SBB, a Almeida Revista e Atualizada atravessou 60 anos sem ter sido submetida a uma revisão mais profunda. A recomendação das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU), aliança mundial da qual a SBB faz parte, é que isso seja feito a cada 25 anos. O trabalho de revisão, capitaneado pela SBB, contou com a colaboração das igrejas cristãs, que puderam se manifestar tanto no lançamento do projeto, em 2012, como, mais efetivamente, a partir da edição experimental do Novo Testamento, Salmos e Provérbios, em 2016, já com o texto revisado.

Os parâmetros da revisão foram definidos em conjunto com especialistas da SBB e representantes de diferentes denominações cristãs. A tradução é fiel aos textos originais, sendo baseada nas edições mais recentes dos textos bíblicos nas línguas originais (hebraico, aramaico e grego). Seu texto é ideal para uso na igreja, para ler em voz alta, bem como para leitura, memorização e estudo pessoal. O estilo segue a norma padrão do português culto escrito no Brasil nos dias de hoje.

Assim, a Nova Almeida Atualizada tem linguagem atualizada sem abrir mão do vocabulário e sintaxe eruditos, riqueza de estilos literários, além de legibilidade e sonoridade. Todos esses predicados, tão apreciados pelo leitor de Almeida, continuam presentes na Nova Almeida Atualizada.

 

Almeida Revista e Atualizada

  • A Almeida Revista e Atualizada é fruto de um trabalho de revisão do texto de Almeida.
  • Foi totalmente realizada no Brasil.
  • Sua necessidade surgiu da percepção de que o antigo texto de Almeida já não falava com naturalidade ao povo brasileiro.
  • A comissão revisora, integrada por eminentes biblistas e linguistas brasileiros, se propôs a oferecer aos leitores brasileiros um texto bíblico “em linguagem de hoje sem desnaturar certa linguagem bem antiga e tudo sem fugir ao original”.
  • Caracteriza-se pela retenção do estilo clássico de Almeida, pela correção de pequenos lapsos encontrados na antiga tradução e, também, pela facilidade de leitura em voz alta.

 

Nova Almeida Atualizada (NAA)

Passados 60 anos desde a publicação da Almeida Revista e Atualizada, a SBB entendeu que era tempo de fazer uma nova atualização, para tornar o texto de Almeida mais compreensível aos leitores de hoje.

No entanto, essa decisão não poderia ser tomada de forma unilateral. Representantes das igrejas cristãs foram convidados para uma reunião na Sede Nacional da Sociedade Bíblica do Brasil, em outubro de 2012, em Barueri (SP). Esses representantes de diferentes denominações cristãs acolheram a ideia com entusiasmo e ajudaram a formular os parâmetros da revisão. O trabalho de revisão foi iniciado pela SBB, oficialmente, em setembro de 2013.

 

Base textual: Os originais da Bíblia

A Nova Almeida Atualizada foi baseada nas edições mais recentes dos textos bíblicos nas línguas originais (hebraico, aramaico e grego).

  • Antigo Testamento: Biblia Hebraica Stuttgartensia.
  • Novo Testamento: O Novo Testamento Grego, 5ª edição / Nestle-Aland 28ª edição.

 

Características da Nova Almeida Atualizada

  • Texto clássico em uma linguagem atual.
  • Tradução de equivalência formal, que caracteriza a Almeida. Mas como o objetivo é oferecer um texto de fácil compreensão, foi adotada a conhecida norma: “formal ou literal sempre que possível; dinâmico sempre que necessário”.
  • O texto resultante corresponde à norma padrão do português que é escrito no Brasil hoje.

 

Algumas das principais melhorias

  • Substituição de termos que exigem consulta ao dicionário. Exemplo: “irrisão” (Jó 12.4), que aparece na ARA, foi substituído por “motivo de riso”, sem perda de significado.
  • A segunda pessoa (“tu” e “vós”) foi mudada para “você” e “vocês”, a não ser em orações e nos Salmos.
  • Uso da ordem de palavras que é natural em português, em vez da ordem que é natural em hebraico e grego (“respondeu a mulher” ® “a mulher respondeu”).
  • Preservação dos níveis literários distintos e do estilo de diferentes escritores. O leitor poderá perceber o estilo mais popular de Marcos, a simplicidade de João, a lógica de Paulo e o estilo elevado de 1Pedro e Hebreus, entre outros.
  • A poesia bíblica é tratada como poesia também na apresentação gráfica.
  • Adoção, sempre que possível, de frases mais curtas.
  • Unidades de peso (siclos, talentos, etc.), de medida (côvados, estádios etc.) e de capacidade (efas, batos, etc.) foram convertidas para pesos e medidas que são mais conhecidos e usados pelos leitores de hoje (gramas, metros, litros etc.).
  • Foi incluído um sistema de referências cruzadas mais amplo, incentivando os leitores a lerem a Bíblia à luz da própria Bíblia.
  • Especial atenção à apresentação gráfica, procurando priorizar os parágrafos e deixar claro onde há diálogo.